Site com a reunião dos trabalhos literários do autor.

11/03/2011

Histórico de telenovelas da Rede Globo 2



Telenovelas da Rede Bandeirantes

Telenovelas da Rede Manchete

Telenovelas da Rede Tupi

Telenovelas da Rede Record

Telenovelas do SBT



A Rede Globo é uma rede de televisão brasileira. Foi fundada em 26 de abril de 1965, na cidade do Rio de Janeiro, pelo jornalista Roberto Marinho. É assistida por 140 milhões de pessoas diariamente,seja elas no Brasil ou no Exterior por meio da TV Globo Internacional. A empresa faz parte do grupo empresarial Organizações Globo.

História da emissora

Em julho de 1957, o Presidente da República, Juscelino Kubitschek, aprovou a concessão de TV para a Rádio Globo e, em 30 de dezembro do mesmo ano, o Conselho Nacional de Telecomunicações publicou um decreto concedendo o canal 4 do Rio de Janeiro à TV Globo Ltda. Sendo assim a TV Globo foi oficialmente criada no dia 26 de abril de 1965, com a transmissão do infantil Uni Duni Tê. Também estavam na programação dos primeiros dias a série infantil Capitão Furacão e o telejornal Tele Globo, embrião do atual Jornal Nacional.

Em 1966, a TV Globo chegou ao estado de São Paulo com a aquisição do canal 5 que, desde 1952, funcionava como a TV Paulista, de propriedade das Organizações Victor Costa. Em 5 de fevereiro de 1968, foi inaugurada a terceira emissora, em Belo Horizonte, e as retransmissoras de Juiz de Fora e de Conselheiro Lafaiete, além de um link de micro-ondas que ligava o Rio de Janeiro a São Paulo.

Em 1962, um acordo assinado entre Time-Life e as Organizações Globo, holding de Roberto Marinho, proporcionou a Marinho o acesso a um capital em torno de 6 milhões de dólares, o que lhe garantiu recursos para comprar equipamentos e infraestrutura para a Globo. Em troca, Time-Life teria participação em 30 % de todos os lucros auferidos pelo funcionamento da TV Globo. Como comparação, a maior TV brasileira na época, a TV Tupi, tinha sido construída com um capital em torno de US$ 300.000.

O início da TV Globo como uma rede de emissoras afiliadas por todo o país se dá a partir de 1969 quando entrou no ar o "Jornal Nacional", primeiro telejornal em rede nacional, ainda hoje transmitido pela emissora e líder de audiência nacional. O primeiro programa foi apresentado por Hilton Gomes e Cid Moreira.

Em 28 de abril de 1974, passou a ser transmitido em cores. Em 1977 toda a programação da emissora passa a ser a cores. Em 1982 a emissora implantou a transmissão via satélite.

A partir de 1976 é o momento em que a Globo começa a construir o que seria chamado de "Padrão Globo de Qualidade", em que o horário nobre é preenchido com duas novelas de temática mais leve, encaixadas por telejornais curtos e sintéticos (o atual Praça TV e o Jornal Nacional), uma telenovela de produção nobre e com enredo mais forte, que seria chamada a partir de então de "novela das oito" (atual "novela das nove") e a partir das 22h uma linha de shows, filmes ou o "Globo Repórter" (antes a linha de shows começava às 21h15, posteriormente às 21h30), sempre com bastante regularidade de horário e programação. Este padrão nada mais é do que a chamada "grade fixa", tanto na vertical (sequência dos programas no dia), quanto na horizontal (respeito à sequência ao longo dos dias da semana), orquestrada por Walter Clark e José Bonifácio de Oliveira Sobrinho (mais conhecido como "Boni") em 1960, antes responsáveis pela programação da extinta TV Excelsior. A grade fixa é utilizada pela Globo nos dias de hoje fielmente, exceto aos verões nos horários de shows após as 22h, que são substituídos por minisséries, reprises de filmes e o Big Brother Brasil atualmente. O padrão seria decisivo para a conquista da liderança de audiência, pois, no final da década de 1970, as duas grandes redes, a Rede de Emissoras Independentes (liderada pela TV Record) e a Rede Tupi, estavam se deteriorando por falta de recursos e estratégia, e a Rede Bandeirantes não havia crescido o suficiente nessa época, sobrando apenas a Globo como uma alternativa de certa qualidade, somada à estreia das novas sessões de cinema, o Festival de Inverno e a Sessão de Gala.

Em publicidade, a Rede Globo faturou em 2009 R$ 7 bilhões, o que corresponde a 73,5% de toda a receita publicitária da TV aberta brasileira.





Ilusões perdidas foi a primeira telenovela exibida pela Rede Globo. Foi ao ar de 26 de abril a 30 de julho de 1965, a novela foi produzida pela TV Globo de São Paulo a antiga TV Paulista recém adquirida pelo empresário Roberto Marinho, no Rio de Janeiro a novela era exibida as 19:30, porém passou logo no mês seguinte a sua estréia para às 22h. Foi escrita por Ênia Petri, dirigida por Líbero Miguel e Sérgio Britto que já haviam trabalhado juntos na TV Paulista na novela Tortura d'Alma além de ao todo a trama teve 56 capítulos.

Sinopse

A primeira novela da TV Globo trazia Leila Diniz em seu elenco. A atriz interpretava uma vilã, que fazia par com o personagem de Reginaldo Faria. O ator Osmar Prado fazia o irmão de Leila Diniz na história.



Rosinha do Sobrado foi uma telenovela brasileira exibida pela Rede Globo entre 3 de agosto e outubro de 1965. Escrita por Moysés Weltman autor consagrado pela lendária radionovela Jerônimo o Héroi do Sertão transmitida pela Rádio Nacional em 1953. Rosinha do Sobrado foi dirigida por Otávio Graça Mello, e exibida inicialmente às 22h, de terça a sexta-feira, e transferida em setembro para o horário 19h (inaugurando a faixa na emissora), para dar lugar a Paixão de Outono, que entraria no ar às 21h30.

Sinopse

Conta a história de um médico (Gracindo Júnior) apaixonado por Rosinha (Marília Pêra). A jovem Rosinha passa os dias dentro de sua casa, olhando pela janela os acontecimentos da pequena cidade onde mora. Um dia, o médico é chamado pela família de Rosinha para fazer uma consulta à moça, e ele descobre que ela é paralítica. Depois de finalmente conhecer seu amor, o médico começa a namorá-la.



Marina é uma telenovela brasileira que foi produzida e exibida pela Rede Globo entre 23 de agosto à 10 de setembro de 1965, totalizando 15 capítulos. Foi escrita por Leonardo de Castro e dirigida por Moreira Júnior.

Sinopse

Estevão, um famoso escritor, decide abandonar tudo e vai viver numa ilha com a filha Marina. Criada em liberdade e em contato com a natureza, a menina tem como maior companheiro o jovem pescador Tonho. Preocupado com a educação da filha, ele decide mandá-la para a casa dos padrinhos, no Rio de Janeiro. Na escola, Marina faz amizade com uma menina negra que enfrenta preconceito. Marina também sofre preconceito dos colegas do colégio e perseguição de Vera, ex-namorada de Marcelo, que se apaixona por ela.



Paixão de outono é uma telenovela brasileira exibida pela Rede Globo entre setembro e dezembro de 1965 às 21h30. Foi escrita por Glória Magadan e dirigida por Líbero Miguel, Sérgio Britto e Fernando Torres.

Sinopse

Alberto é casado com Linda, uma mulher confiante e egoísta, que despreza Verônica, que é apaixonada por seu marido. Insegura, Verônica desiste de continuar lutando por seu amor.



A Moreninha foi uma telenovela brasileira da Rede Globo, de 1965, da autoria de Graça Mello, baseada no romance A Moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo.

Sinopse

Adaptada do romance homônimo de Joaquim Manuel de Macedo, A Moreninha narra a história do amor de Carolina (Marília Pêra) por Augusto (Cláudio Marzo) no Rio de Janeiro do século XIX. Quando criança, Augusto jurou amar eternamente uma menina, sem saber seu nome. Passam-se alguns anos, mas o rapaz não consegue se apaixonar por nenhuma outra mulher, e a jovem sonha reencontrá-lo desesperadamente. Um dia, Augusto conhece Carolina e se apaixona por ela, sem saber que a moça é seu amor de infância.



O Ébrio é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo. Foi a primeira de seu gênero a ser exibida diariamente pela emissora no horário das 20h00, entre 8 de novembro de 1965 e fevereiro do ano seguinte. Escrita e dirigida por José Castellar e Heloísa Castellar, a produção, inspirada na canção homônima de Vicente Celestino, teve 75 capítulos e, em seu primeiro capítulo, chegou a contar com uma participação do cantor.

Sinopse

O Ébrio conta a história de Gilberto, um homem que, após ser enganado por seus parentes e amigos e traído pela esposa, é dado como morto em razão de seu severo alcoolismo. Uma troca de identidade lhe confere a alcunha de "O Ébrio", pela qual passa a ser conhecido.



Padre Tião foi uma telenovela brasileira exibida pela Rede Globo entre 12 de dezembro de 1965 e fevereiro de 1966. Baseada em O Pequeno Mundo de Dom Camilo, de Giovanni Guareshi, foi escrita por Moysés Weltman e dirigida por Graça Mello.

Sinopse

Padre Tião conta as tristezas e infortúnios de um padre que vive em uma cidade do interior.



Um Rosto de Mulher é uma telenovela brasileira exibida pela TV Globo entre dezembro de 1965 e março de 1966, às 21h30. Baseada em original mexicano de Estela Calderón Sánchez, foi escrita por Daniel Más, dirigida e produzida por Sérgio Britto. Teve 85 capítulos.

Sinopse

A novela foi escrita por Daniel Más a partir da história de um autor cubano. Um Rosto de Mulher aborda o drama de uma mulher que tem dupla personalidade, vivida pela atriz Nathalia Timberg.



Eu compro Esta mulher é uma telenovela brasileira exibida pela Rede Globo entre 15 de março e 15 de julho de 1966, às 21h30. Baseada no romance O Conde de Monte Cristo, de Alexandre Dumas, foi escrita por Glória Magadan e dirigida por Henrique Martins e Régis Cardoso. Teve 85 capítulos.

Sinopse

O impetuoso Frederico Aldama,após terminar seu romance com Bia, casa-se com a romântica Maria Teresa para vingar-se da família que destruiu seu pai. Aos poucos, seu plano de vingança dá lugar a uma paixão arrebatadora por sua mulher. A perversa Úrsula, que faz parte da família que acabou com o pai de Frederico, surge para destruir o amor dele e de Maria Teresa.



O Sheik de Agadir foi uma telenovela de Glória Magadan exibida na Rede Globo de 18 de julho de 1966 a 17 de fevereiro de 1967 às 21h30. Com direção de Henrique Martins e Régis Cardoso. Teve 155 capítulos e foi baseada no romance Taras Bulba, de Nicolai Gogol.

Sinopse

Um conturbado triângulo amoroso entre o sheik Omar Ben Nazir, a jovem Janette Legrand e Maurice Dumont, um oficial do exército francês. Em meio ao romance, estranhos assassinatos vão acontecendo.



O Rei dos Ciganos é uma telenovela brasileira. Exibida pela Rede Globo entre 12 de setembro de 1966 e 20 de fevereiro de 1967, com 120 capítulo, foi a primeira telenovela produzida pela sucursal carioca da emissora para o horário das 20h. O Rei dos Ciganos foi a primeira telenovela a ser sucedida na sequência por outra - A Sombra de Rebecca, que viria a estrear em 21 de fevereiro de 1967. Foi escrita por Moysés Weltman, dirigida por Ziembinski, e teve Carlos Alberto, Sônia Clara e André Villon nos papeis principais.

Sinopse

Um triângulo amoroso movimenta a trama entre ciganos e nobres. O cigano Wladimir ama Wanda, pertencente à nobreza local. Entre os dois está o poderoso conde Fernando Racozy, o antagonista da história, que fará de tudo para separar os mocinhos. Também entre o amor dos mocinhos estará a nobreza local, que será contra o amor dos dois.



A rainha louca é uma telenovela brasileira exibida pela TV Globo entre 20 de fevereiro e 16 de dezembro de 1967, às 21h30. Foi escrita por Glória Magadan, baseada no romance Memórias de um médico de Alexandre Dumas, e dirigida por Ziembinski e Daniel Filho. Teve 215 capítulos.

Sinopse

Relata a história do imperador francês no México, Maximiliano de Habsburgo, no momento das guerras de anexação de Napoleão III e de Charlotte, esposa de Maximiliano e filha do rei da Bélgica. Ela enlouquece por ser incapaz de resolver a contento os seus ideais.

Nos porões do palácio, vivia a Marquesa, uma simpática mendiga que protegia o romance secreto entre o nobre Xavier Montenegro, a quem chamava de "Bonitão", e uma camponesa. Enquanto isso, o índio Robledo cortejava Maria de las Mercês.



A Sombra de Rebecca é uma telenovela brasileira. Exibida pela Rede Globo entre 21 de fevereiro e 23 de junho de 1967, com 90 capítulos, foi a terceira telenovela a ser exibida pela emissora no horário das oito horas das noite, e a segunda a ser exibida em sequência, sucedendo O Rei dos Ciganos e antecedendo Anastácia, a Mulher sem Destino como novela das oito.

Sinopse

A trama conta a história de amor entre a oriental Suzuki (Yoná Magalhães) e o jovem aristocrata inglês Felipe (Carlos Alberto). A mulher de Felipe some num desastre de avião no Pacífico. Viúvo, com um filho pequeno, Felipe conhece Suzuki. Os dois se apaixonam e passam a enfrentar as críticas da sociedade inglesa, que não aceita o relacionamento do rapaz com uma oriental. Certo dia, aparece uma pessoa irreconhecível, cheia de ataduras, que passa a interferir na vida dos dois amantes. Era a esposa de Felipe, que havia sobrevivido ao acidente. Ele decide, então, se afastar de Suzuki. Preterida, a oriental comete suicídio.



Anastácia, a Mulher sem Destino é uma telenovela brasileira. Exibida pela TV Globo entre 28 de junho e 16 de dezembro de 1967, com 125 capítulos, foi a quarta "novela das oito", termo utilizado para se referir às produções veiculadas pela emissora no horário das oito horas da noite.

Sinopse

Anastácia (Leila Diniz) é uma moça pobre, filha de uma paixão proibida, que não conhece seu pai. Abandonada na floresta, ela é encontrada pelo velho lenhador Pierre (Ênio Santos), que a cria com ajuda de uma conhecida, Gaby (Miriam Pires). Já crescida, Anastácia descobre ser filha caçula de Nicolau II, o último czar russo. Com o avanço do processo revolucionário em seu país, Anastácia busca refúgio nas Antilhas, numa ilha vulcânica, escondendo sua identidade verdadeira.



O homem proibido (também chamado Demian, o justiceiro) é uma telenovela brasileira exibida pela Rede Globo entre 18 de dezembro de 1967 e 25 de junho de 1968, às 21h30. Foi escrita por Glória Magadan, dirigida por Daniel Filho e teve 135 capítulos.

Sinopse

Na fictícia cidade do principado de Kanshipur, Índia, no início do século XX, acontece a luta pelo poder e pelo amor entre marajás, rajás e ranis.

Kim é o herdeiro do trono e foi destronado ainda menino. Ele volta agora para reivindicar seus direitos, sob o pseudônimo de Demian, junto ao homem que está no poder e pai da mulher que ama, Surama. Por outro lado, Ali Yabor, através de intrigas, tenta conseguir com que seu filho Tagore se case com Surama para chegar ao poder. Ao lado de Demian estão Durbar, também chamado Dakcha, dedicado amigo que luta pela libertação de Kanshipur, e seu fiel companheiro, Daçarata.



Sangue e Areia é uma telenovela brasileira. Exibida pela Rede Globo entre 18 de dezembro de 1967 e 25 de junho de 1968, com 135 capítulos, foi a quinta "novela das oito" a ser exibida pela emissora, e a primeira integralmente escrita por Janete Clair.

Sinopse

Juan Gallardo, filho de um toureiro morto em arena, decide seguir os passos do pai, apesar da oposição da família e, à medida que sobe na carreira, abandona os amigos e divide-se entre o amor de duas mulheres: Pilar, a moça simples que sempre o amou, e Doña Sol, aristocrata que representa um estágio mais elevado na sua vida.



O Santo Mestiço foi uma telenovela brasileira, exibida pela Rede Globo entre 19 de fevereiro e 4 de junho de 1968, às 19h. Foi escrita por Glória Magadan e dirigida por Fábio Sabag. Teve 80 capítulos. Foi produzida em preto-e-branco.

Sinopse

Baseada na história real de São Martinho de Porres (Sérgio Cardoso), primeiro sul-americano canonizado pela Igreja Católica, a trama é ambientada num fictício país latino-americano. O padre dominicano – personagem principal da história – enfrenta uma forte perseguição religiosa, mas a vontade de ajudar os fiéis faz com que ele permaneça em seu país.



A Grande Mentira foi uma telenovela brasileira exibida pela Rede Globo entre 5 de junho de 1968 e 4 de julho de 1969, às 19h. Foi escrita por Hedy Maia, dirigida por Fábio Sabag e Marlos Andreucci. Teve 341 capítulos. Foi produzida em preto-e-branco.

Sinopse

A trama mostra a história de amor entre Maria Cristina (Myriam Pérsia), uma moça pobre, e Roberto Albuquerque (Cláudio Marzo), um rapaz rico, desde que se conhecem de forma inesperada, quando ele a atropela. Veridiana Albuquerque (Neuza Amaral), a mãe do rapaz, faz de tudo para acabar com o romance. Sua obsessão chega a tanto que, nos últimos capítulos, já louca, põe fogo em seu próprio vestido.



Passo dos Ventos é uma telenovela brasileira que foi produzida pela Rede Globo e exibida entre 26 de junho de 1968 e 1 de janeiro de 1969, com um total de 177 capítulos. Foi a sexta "novela das oito" a ser exibida pela emissora, e a segunda integralmente escrita por Janete Clair. Sucedendo Sangue e Areia no horário, e antecedendo Rosa Rebelde - ambas também escritas por Clair, que continuaria a ser a responsável por todas as telenovelas do horário até 1972, com Selva de Pedra - Passo dos Ventos foi dirigida por Régis Cardoso.

Sinopse

A trama narra a história de Vivian Chevalier (Glória Menezes), herdeira de uma grande fortuna no Haiti. Ela passa a ser cortejada e invejada por todos, inclusive por um grupo de inescrupulosos. Até que André Cristophe (Carlos Alberto), um nobre falido, oferece-lhe segurança em troca de casamento.



A gata de vison é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 26 de junho de 1968 a 6 de janeiro de 1969 às 20h. Escrita por Glória Magadan e dirigida por Walter Campos e Fábio Sabag.

Sinopse

Na cidade de Chicago, nos anos 20, a jovem Maggie Parker divide-se entre o detetive Bob Ferguson e o gângster Falconi. Sua irmã gêmea, Dolly Parker, uma gângster rica e influente, morre e deixa uma vazio de poder. Os asseclas de Dolly, temendo que grupos rivais se aproveitassem disso para ameaçar sua posição, obrigam Maggie a se fazer passar pela irmã, Peggy, sob o controle deles. Maggie, inicialmente uma interiorana ingênua e assustada, obedece à quadrilha, mas depois começa a tentar adquirir o controle de sua própria vida, principalmente ao conhecer o agente federal Bob Ferguson.



A Última Valsa é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida em 1969 às 21h30. Escrita por Glória Magadan.

Sinopse

A novela se passa na Aústria do século XIX. Na primeira fase da trama, o duque de Olemberg apaixona-se pela condessa Yolanda (Theresa Amayo), mas se casa com Kathy Ambross (Glauce Rocha). Os dois têm uma filha chamada Clara (Norma Blum). No decorrer da história, o duque é acusado de espionagem em favor da Alemanha e entra em desespero.



Rosa Rebelde é uma telenovela brasileira que foi produzida pela Rede Globo e exibida entre 15 de janeiro e 13 de outubro de 1969, com um total de 212 capítulos. Foi a sétima "novela das oito", e a terceira integralmente escrita por Janete Clair, sucedendo Passo dos Ventos e antecedendo Véu de Noiva - ambas também escritas por Clair.

Sinopse

No século XIX, Rosa Malena (Glória Menezes) liderava um grupo de espanhois que lutavam contra a ocupação francesa. A rebelde conseguiu se infiltrar na corte e acabou se apaixonando pelo capitão do exército de Napoleão Bonaparte, Sandro de Aragão (Tarcísio Meira), encarregado de conquistar a Espanha.



A Ponte dos Suspiros é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida entre 6 de junho a 15 de novembro de 1969, inicialmente às 21h30 horas, depois às 22 horas. Escrita por Dias Gomes, baseado na adaptação radiofônica feita pelo dramaturgo carioca Cesar Fabbri do romance de Michel Zevaco, e dirigida por Marlos Andreucci. Teve 144 capítulos. Foi produzida em preto-e-branco.

Sinopse

No dia do casamento de Leonor Dandolo (Yoná Magalhães), seu noivo Rolando Candiano (Carlos Alberto) é preso, por causa de uma série de intrigas feitas pelo capitão Altieri (Jardel Filho). Outro destaque na trama eram as maldades da vilã Impéria (Arlete Salles).



A Cabana do Pai Tomás é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida entre 7 de julho de 1969 e 1 de março de 1970 às 19 horas. Escrita por Hedy Maia, baseada no romance Uncle Tom's Cabin, de Harriet Beecher Stowe, e dirigida por Régis Cardoso. Teve 205 capítulos. Foi produzida em preto e branco.

Sinopse

A história se passa na época da Guerra e mostra a luta pela liberdade e o drama da escravidão vivido pelos negros no sul dos Estados Unidos.



Véu de Noiva é uma telenovela brasileira que foi produzida pela Rede Globo e exibida entre 10 de novembro de 1969 e 6 de junho de 1970, com um total de 204 capítulos. Foi a oitava "novela das oito", e quarta integralmente escrita por Janete Clair, sucedendo Rosa Rebelde e antecedendo Irmãos Coragem - ambas também de Clair - no horário.

Sinopse

Andréa, uma jovem de origens humildes vê seu noivado com Luciano terminar no dia de seu casamento, ao descobrir que seu noivo era apaixonado não por ela, mas por Flor. Flor, a irmã de Andréa, engravida de Luciano e, incapaz de criar a criança após ser abandonada por ele, a entrega para a irmã.

O piloto de Fórmula 1 Marcelo Montserrat forma, com Andréa, as duas primeiras pontas de um triângulo amoroso completado por Irene, personagem com que já era envolvido antes de conhece Andréa. Posteriormente, Flor retornaria à trama, após descobrir não ser mais capaz de ter filhos, buscando reaver a criança que anos antes deixou com a irmã. A trama se encerra com a custódia sendo atribuída à Andréa.



Verão Vermelho é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de janeiro a julho de 1970. Escrita por Dias Gomes e dirigida por Walter Campos, tendo 209 capítulos. Foi produzida em preto-e-branco.

Sinopse

O ponto de partida da história é o aniversário de 15 anos de Patrícia (Maria Cláudia), no Iate Clube de Salvador. Seus pais, Adriana (Dina Sfat) e Carlos (Jardel Filho), se casaram muito jovens e não conseguiram realizar os sonhos que planejaram. Os dois viviam infelizes e já tinham pensado em separação, mas não haviam tomado nenhuma decisão até o surgimento de um outro homem, Flávio (Paulo Goulart).



Pigmalião 70 foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo, exibida entre 2 de março e 24 de outubro de 1970. Foi escrita por Vicente Sesso e dirigida por Régis Cardoso. Teve 204 capítulos. Foi produzida em preto-e-branco.

Sinopse

Fernando Dalba (Sérgio Cardoso), o Nando, é um rapaz simples que está noivo de Candinha (Susana Vieira). Ele trabalha numa feira vendendo frutas e é ajudado por sua mãe, a Baronesa (Wanda Kosmo), e pelos amigos Gino (Felipe Carone) e Guiomar (Nora Fontes). Ele bate no carro da viúva milionária Cristina Guimarães (Tônia Carrero), dona de um salão de beleza, que decide ensiná-lo a se comportar como uma pessoa da alta-sociedade. A bela Cristina faz isso para vencer uma aposta, mas acaba se apaixonando por Nando.



Irmãos Coragem é uma telenovela brasileira que foi produzida e exibida pela Rede Globo entre 8 de junho de 1970 à 12 de junho de 1971, totalizando 328 capítulos. Foi escrita por Janete Clair e dirigida por Daniel Filho e Milton Gonçalves.

Sinopse

Em Coroado, uma vila do interior goiano, em meio à luta dos irmãos Coragem - João, Duda e Jerônimo -, a injustiça maior recai sobre o mais velho, João, que tem roubado seu diamante, achado no garimpo. Mas a história tinha outros focos de interesse: o sofrido amor entre Jerônimo e sua irmã de criação, a índia Potira; os dramas psicológicos de Maria de Lara, com três personalidades (Lara, de comportamento reprimido, Diana, de temperamento esfuziante, e Márcia, um paralelo entre as duas). Um caso de amor nasce entre João e Lara, tumultuado pelo distúrbio mental dela e por sua subserviência ao pai, o temido coronel Pedro Barros, senhor absoluto de Coroado e do seu irmão Ricardo.



Assim na Terra Como no Céu é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de julho de 1970 a março de 1971, no horário das 22h. Escrita por Dias Gomes e dirigida por Walter Campos. Foi produzida em preto-e-branco.

Sinopse

Na Ipanema de 1970, o padre Vitor Mariano abandona a batina para se casar com a jovem Nívea, mas ela é misteriosamente assassinada. Ele volta a usar a batina mas ao tentar desvendar o mistério conhece Helô, filha de um milionário, e se apaixona por ela. Mais uma vez ele abandona a batina em nome da felicidade.



A Próxima Atração foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo entre 1970 e 1971. Foi escrita por Walter Negrão e dirigida por Régis Cardoso, e contou com 149 capítulos. Foi produzida em preto-e-branco.

Sinopse

O gaúcho Rodrigo foge do sul e se instala numa mansão em São Paulo, no bairro do Jardim América, onde é rodeado por belas mulheres - Madalena, Regina, Cissa, Dulce, Dinorá, Suzete e Cláudia -, todas querendo conquistá-lo e dar o golpe do baú.



O Cafona é uma telenovela brasileira, produzida pela Rede Globo e exibida de março a outubro de 1971, às 22 horas. Escrita por Bráulio Pedroso e dirigida por Walter Campos, teve 183 capítulos. Foi produzida em preto-e-branco.

Sinopse

Gilberto Athayde, um viúvo simples e rude faz fortuna com uma vendinha de subúrbio, que se transforma em cadeia de supermercados. Apesar de continuar sendo um homem simples, a alta sociedade disputa sua amizade, por causa do dinheiro. Unindo os dois mundos está a secretária Shirley Sexy, eternamente apaixonada pelo patrão, que o chama de "Gigi".



Minha Doce Namorada foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo, entre 1971 e 1972. Foi escrita por Vicente Sesso e dirigida por Régis Cardoso e Fernando Torres, e contou com 242 capítulos. Foi produzida em preto-e-branco.

Sinopse

O amor de Patrícia e Renato começa num parque de diversões em Ouro Preto, em Minas Gerais, e é atrapalhado pelos vilões César Leão e Sarita, tios do rapaz, e Verinha, a noiva.



O Homem que Deve Morrer foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre junho de 1971 e abril de 1972, às 20 horas. Foi escrita por Janete Clair e dirigida por Daniel Filho e Milton Gonçalves, tendo contado com 258 capítulos. Foi produzida em preto-e-branco.

Sinopse

Na cidade de Porto Azul, em Santa Catarina, há trinta e um anos, uma misteriosa luz envolveu Orjana e seu pai adotivo, o professor Valdez. Os dois desmaiaram e só voltaram a si no dia seguinte. Na mesma noite, três crianças sonharam com uma estranha luz que vinha do céu. Sonhou também um pescador, mestre Jonas. Dois meses depois da estranha noite, Orjana apareceu grávida. Bárbara teve confirmadas suas suspeitas de que o marido a traía com a filha adotiva do casal, e houve quem afirmasse que Ricardo, o namorado de Orjana, era o pai da criança. Nasceu um menino, que recebeu o nome de Cyro.

Anos depois, o dr. Cyro Valdez, depois de passar um tempo no exterior (sendo diretor geral de um grande hospital), voltou a Porto Azul para operar o comendador Liberato, e com a intenção de ajudar os mais humildes. Mestre Jonas, o pescador que sonhara na misteriosa noite, faz-se seguidor fiel de Cyro, que todos passaram a considerar um santo, por sua grande competência ao clinicar e por ser o menino da tal história. A trajetória de Cyro em Porto Azul se intensificou quando salvou a vida de Otto Frederico von Müller, o diretor da mineradora da região. Cyro removeu o coração de um jovem negro, Pedrão, e transplantou-o em Otto, que assim conseguiu sobreviver. O grande problema é que Otto, um vilão ao estilo nazista, é preconceituoso, intolerante e pérfido, e, em vez de ficar agradecido a Cyro por este lhe ter salvo a vida, passa a odiá-lo, e mais ainda ao descobrir o amor do médico por sua ex-esposa, Ester. Daí em diante, as vilanias de Otto e do advogado da mineradora, dr. Paulus - eternamente apaixonado por Ester -, passam a ser o grande obstáculo para que Cyro possa cumprir sua missão. Para os maus de Porto Azul, Cyro é um estorvo que precisa ser eliminado, é o homem que deve morrer.

Contou também a história de Vanda Vidal, uma mulher que sonhava com a felicidade, sonhava em ser uma atriz de renome, e do casamento conturbado entre Inês, filha de mestre Jonas e Rosa, e Baby Liberato, filho do comendador, um rapaz talhado para ser um homem mau, mas que, para frustração do comendador, torna-se um homem de bem, honesto e justo, além das tramas envolvendo as três crianças que sonharam na estranha noite com o não menos estranho acontecimento: André, Lia e Lucas Pé-na-Cova.



Meu Pedacinho de Chão foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo entre 16 de agosto de 1971 e 6 de maio 1972, com 185 capítulos. Foi escrita por Benedito Ruy Barbosa, com a colaboração de Teixeira Filho e direção de Dionísio de Azevedo.

Sinopse

Pedro das Antas (conhecido como Serelepe) e Lidiane (Pituca) são apaixonados desde a infância.Os dois cresceram juntos, mas se separam na adolescência.11 anos depois, os dois voltam para a cidade em que se conheceram. Epaminondas, pai de Lidiane, nesses anos, passa a ocupar ilegalmente as terras de Serelepe, que volta e tenta recuperar as suas terras. Lidiane, por sua vez, se formou em professora e passa a dar aulas para os analfabetos do vilarejo. Serelepe, quando descobre que Liliane está na cidade, decide lutar pelo seu amor mas, quando descobre o parentesco de Epaminondas, seu maior rival, com Lidiane, tenta esquecê-la.



Bandeira 2 foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de outubro de 1971 a julho de 1972 às 22h00. Escrita por Dias Gomes e dirigida por Walter Campos, com supervisão de Daniel Filho. Teve 179 capítulos. Foi produzida em preto e branco.

Sinopse

A telenovela retratou o sub-mundo dos chefões do jogo do bicho no Rio de Janeiro. Mostrou a rivalidades entre dois bicheiros, com personagens paralelos que mostram a difícil luta pela vida nas zonas populares da cidade, tais como motorista de táxi, retirantes nordestinos, porta-bandeira de escola de samba e outros. A figura principal era Artur do Amor Divino, o Tucão, que disputava com Jovelino Sabonete o controle das bancas de bicho na zona norte da cidade. Gera-se um conflito quando a filha de Tucão, Taís, se apaixona pelo filho de Jovelino, Márcio. Ainda, a história de Noeli, mulher que se separa do marido Tavinho e vai viver independentemente, trabalhando com taxista. Ela se envolve com o introspectivo filho de Tucão, Zelito. A novela foi ambientada na escola de samba Imperatriz Leopoldinense.



O Primeiro Amor foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 24 de janeiro a 17 de outubro de 1972 às 19h. Escrita por Walter Negrão e dirigida por Walter Campos e Régis Cardoso, e contou com 227 capítulos. Foi produzida em preto-e-branco.

Sinopse

O professor Luciano enfrenta problemas para ser feliz ao lado de Paula, por quem é apaixonado, ocasionados por sua filha Babi, resistente ao romance, e por Maria do Carmo, seu primeiro amor.



Selva de Pedra foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 12 de abril de 1972 e 23 de janeiro de 1973. Foi escrita por Janete Clair e dirigida por Daniel Filho, Milton Gonçalves, Walter Avancini e Reynaldo Boury, com supervisão de Daniel Filho. Foi produzida em preto-e-branco e teve 243 capítulos.

Sinopse

Numa cidade do interior do Estado do Rio de Janeiro, a jovem artista plástica Simone Marques é testemunha da briga entre Cristiano Vilhena, filho de um pobre pregador evangélico, e o playboy Gastão Neves, morto no incidente. Sabendo que Cristiano é inocente, Simone acoberta o rapaz, por quem acaba se apaixonando. Receoso de seu destino, Cristiano vai embora para a Cidade do Rio de Janeiro, à época pertencente ao Estado da Guanabara, trabalhar no estaleiro do tio rico, Aristides Vilhena, e Simone vai com ele vislumbrando um melhor futuro para a sua carreira artística. Os dois se casam e vão morar na Pensão Palácio, de propriedade da alegre Fanny, onde conhecem o malandro Miro, uma figura de caráter duvidoso.

Em contato com o universo do tio, Cristiano se vê envolvido com a charmosa Fernanda, uma das acionistas do estaleiro, e a noiva do seu primo Caio. Dividido entre a vida simples ao lado de Simone, e o poder e o dinheiro com Fernanda, Cristiano se deixa levar pelas artimanhas de Miro, que lhe propõe o fim de seu relacionamento com Simone, nem que isto tenha que custar a vida da moça. Fernanda, completamente apaixonada por Cristiano, deixa Caio para se casar com ele enquanto Miro planeja a morte de Simone, viabilizando assim o casamento de Cristiano, o que o tornaria um dos principais acionistas do estaleiro. Ao ser perseguida por Miro numa auto-estrada, Simone sofre um acidente e é dada como morta, enquanto Cristiano, sentindo-se responsável pela morte de sua mulher, não consegue se casar com Fernanda, abandonando-a no altar.

Humilhada, Fernanda enlouquece e jura vingança contra Cristiano, atrapalhando-o em seus negócios no estaleiro. Simone, que sobreviveu ao acidente, faz uma viagem e retorna assumindo a identidade da irmã falecida, Rosana Reis, reconhecida como uma artista famosa. Numa festa, Cristiano reconhece em Rosana como sua mulher, mas ela o repudia, responsabilizando-o pelo acidente. E agora, que ele será julgado pela morte de Gastão, Simone/Rosana é a única pessoa que poderá inocentá-lo.



Bicho do Mato foi uma telenovela brasileira produzida e exibida em 1972, no horário das 18 horas pela Rede Globo. Escrita por Chico de Assis e Renato Corrêa e Castro. Foi produzida em preto-e-branco.

Sinopse

Sua história contava a história de um caipira chamado "Juba", amigo do índio "Iru", e suas dificuldades para se adaptar aos hábitos da cidade grande.



O Bofe é uma telenovela brasileira, produzida pela Rede Globo e exibida entre 19 de julho de 1972 e 23 de janeiro de 1973, às 22 horas. Escrita por Bráulio Pedroso (substituído por Lauro César Muniz), dirigida por Lima Duarte, com supervisão de Daniel Filho. Teve 143 capítulos. Foi produzida em preto-e-branco.

Sinopse

A telenovela apresentava vários personagens e tipos caricatos: uma viúva que saía do subúrbio para paquerar um mecânico de automóvel, também viúvo, em Copacabana; um artista plástico que, descoberto por um marchand, tornava-se um sucesso; uma dama da sociedade que fazia parte do júri de programa de auditório popular; um hippie contestador que destruía apartamentos de pessoas ricas; uma mulher carola que se apaixonava por um falso padre de olho na sua fortuna; uma macumbeira; e uma velha que se embebedava com xarope e sonhava com um príncipe trapezista.



Uma Rosa com Amor foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo entre 16 de outubro de 1972 e 3 de julho de 1973. Foi escrita por Vicente Sesso, dirigida por Walter Campos e supervisionada por Daniel Filho. No papel de protagonistas Marília Pêra e Paulo Goulart. Foi produzida em preto-e-branco. Esta novela foi um grande sucesso do horário das sete, contou com 220 capítulos, com destaque para a atuação de Marília Pêra como a solteirona Serafina e de Grande Otelo como Pimpinoni.

Sinopse

Serafina Rosa Petrone é uma moça solitária, desastrada e aparentemente sem grandes atrativos físicos, que trabalha duro como secretária e sonha em encontrar o amor da sua vida. Ela mora com os pais, Giovanni e Amália, e a irmã Terezinha, em um cortiço habitado por imigrantes italianos e ameaçado de demolição. Para atenuar a própria carência e fazer parecer aos colegas de trabalho que está sendo cortejada por um admirador, ela envia uma rosa para si mesma, todos os dias.

Na verdade, Serafina alimenta secretamente uma paixão pelo seu chefe, o industrial Claude Antoine Geraldi, e vê sua vida mudar quando, inesperadamente, ele a pede em casamento. Para o seu desapontamento, o que o empresário propõe é um pacto. Estrangeiro em situação ilegal no Brasil, Claude precisa de uma esposa para conseguir concretizar negócios ainda ilegais de sua empresa. Em troca da mão de Serafina, ele oferece parte de sua fortuna. Preocupada com a demolição do cortiço e diante da perspectiva de ver família e amigos desamparados, Serafina aceita encenar um falso casamento durante um determinado período, após o qual a união seria desfeita.

Depois de casados, Claude e Serafina passam a morar juntos para reforçar as aparências, apesar de Giovani ser contra. O relacionamento entre os dois é tenso e cheio de brigas de gato-e-rato. Serafina se ressente por estar casada com o homem a quem sempre amou, mas que, ironicamente, não a ama. Por isso, ela não permite que o marido a toque. Sua reserva é tamanha que, em determinado momento, para delimitar claramente os domínios de um e outro, ela decide dividir o espaço do apartamento ao meio com uma corda. Claude, por sua vez, começa a perceber, no dia a dia, os encantos ocultos da mulher e, depois de muitas brigas e confusão, acaba se apaixonando por ela.

O romance de Claude e Serafina é o tempo todo ameaçado pelas maldades de Nara Paranhos de Vasconcellos, mulher rica e arrogante com quem Claude teve um caso no passado. A ex-secretária conta apenas com a ajuda de Terezinha e do melhor amigo, o titereiro Pimpinoni (Grande Otelo).

Também há o romance entre uma mulher madura e um homem mais jovem, através da relação entre a atriz veterana Roberta Vermont e o seu pupilo, o ator iniciante Sérgio.



A Patota foi uma telenovela brasileira da Rede Globo, apresentada de 27 de novembro de 1972 a 29 de março de 1973. Foi escrita por Maria Clara Machado, dirigida por Reynaldo Boury e contou com 101 capítulos. Foi produzida em em preto-e-branco.

Sinopse

A Patota é um grupo de crianças formado por Juliana, Pedro, Vicente e Tião, que moram na mesma vila, mas que tê um grande sonho: viajar para a África. Neli, a professora das crianças, juntamente com o namorado Jorge, é quem incentiva as crianças para conquistarem esse sonho.



O Bem-Amado foi uma telenovela brasileira escrita por Dias Gomes, produzida pela Rede Globo e levada ao ar de 24 de janeiro a 9 de outubro de 1973, às 22h, com direção de Régis Cardoso e supervisão de Daniel Filho.

Sinopse

O prefeito Odorico Paraguaçu, um político corrupto e cheio de artimanhas, tem como meta prioritária em sua administração na cidade fictícia de Sucupira, litoral baiano, a inauguração do cemitério local. De um lado, é bajulado pelo secretário gago, Dirceu Borboleta, profundo conhecedor dos lepidópteros; e conta com o apoio incondicional das irmãs Cajazeiras, suas correligionárias e defensoras fervorosas: Doroteia, Dulcineia e Judiceia.

Doroteia é a mais velha, líder na Câmara de Vereadores da cidade. Dulcineia, a do meio, é seduzida pelo prefeito. E Judiceia é a mais nova - e mais espevitada. São três solteironas avessas a imoralidades - pelo menos em público, já que Odorico sempre aparece de noite para tomar um "licor de jenipapo"…

De outro, tem que lutar com a forte oposição liderada pela delegada de polícia Donana Medrado, que conta com o dentista Lulu Gouveia, inimigo mortal do prefeito e líder da oposição na Câmara - atracando-se constantemente com Doroteia no plenário. E ainda com o jornalista Neco Pedreira, dono do jornal local, A Trombeta. O meio-termo se intensifica com a presença de Nezinho do Jegue, defensor fervoroso de Odorico quando sóbrio, e principal acusador, quando bêbado!

Maquiavelicamente, o prefeito arma tramas para que morra alguém, sendo sempre mal-sucedido. Nem as diversas tentativas de suicídio do farmacêutico Libório, um tiroteio na praça e um crime lhe proporcionam a realização do sonho. Para obter êxito, Odorico traz de volta a Sucupira um filho da terra: Zeca Diabo, um pistoleiro redimido, que recebe a missão de matar alguém para a inauguração do cemitério.

Como se não bastasse, Odorico ainda tem que enfrentar os desaforos de Juarez Leão, médico personalístico da oposição, que se envolve com sua filha Telma e faz um bom trabalho em Sucupira, salvando vidas - para desespero de Odorico.

Ao final, uma irônica surpresa: Zeca Diabo, revoltado, mata Odorico, que, finalmente, inaugura o cemitério!

Em 1996, no Chile, a história foi adaptada com o título de Sucupira, tendo alcançado grande sucesso.



Cavalo de Aço foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo de 24 de janeiro a 21 de agosto de 1973 às 20 horas. Foi escrita por Walter Negrão e dirigida por Walter Avancini. Foi produzida em preto-e-branco e teve supervisão de Daniel Filho. Contou com 179 capítulos.

Sinopse

Rodrigo Soares chega à cidade de Vila da Prata disposto a se vingar do velho Max, que roubara o que era de seu pai e lhe pertence por direito. Duas moças se apaixonam por Rodrigo: Joana, filha de Max, e a masculinizada Miranda.



Carinhoso foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo entre 1973 e 1974. Foi escrita por Lauro César Muniz. Sua trama foi baseada no filme americano Sabrina (1954), estrelado por Audrey Hepburn e o título é o mesmo da canção-tema, de autoria de Pixinguinha. Foi produzida em preto-e-branco. Contou com 173 capítulos.

Sinopse

A jovem Cecília, na tentativa de esquecer as desilusões e os aborrecimentos causados por Eduardo, decide ser aeromoça e vai morar em Nova Iorque. Eduardo é um playboy, filho dos patrões do pai de Cecília, Felipe, o chofer da rica família Vasconcellos. Três anos depois, Cecília volta ao Rio de Janeiro, decidida a reconquistar seu grande amor, apesar da oposição da família do rapaz - sobretudo, do irmão mais velho de Eduardo, Humberto, apaixonado por ela.

Outro homem também cruza o caminho de Cecília. É Santiago Morales, um argentino rico que ela conheceu em Nova Iorque e que vem ao Brasil para tentar conquistá-la. Envolvida com Eduardo e Humberto, Cecília diz a Santiago que ama outro homem. Com o tempo, ela aproxima-se mais de Humberto, porque Marisa, ex-namorada de Eduardo, luta por ele com todas as armas.

Um dia, Cecília recebe uma carta misteriosa da irmã de Santiago, Clara, e fica sabendo que ele tem uma doença incurável e pouco tempo de vida. Surpreendendo a todos ela casa-se com o argentino. Porém trata-se de um plano arquitetado por Santiago para ter Cecília de volta. Depois de um casamento conturbado e infeliz, a verdade é descoberta e Cecília, livre, volta para o Rio de Janeiro, provocando um desgaste entre os irmãos Vasconcellos.

Ao final, Eduardo está decidido a abrir mão de seu amor por Cecília. Numa discussão com Marisa na estrada Rio-Petrópolis, Eduardo perde o controle do carro, o que causa um acidente e a morte dos dois. Apesar de Humberto ter se revelado um homem fraco e de atitudes voltadas apenas para o trabalho, desperta segurança em Cecília e consegue finalmente conquistar o seu amor. Por este papel, Regina Duarte recebeu um troféu Imprensa, que recusou no ar para todo o Brasil, ofertando-o a Eva Wilma, por Mulheres de Areia. Regina sempre considerou sua Cecília, um papel fraco, principalmente por ter feito mais da metade da novela, as cenas nas quais aparecia apenas o seu rosto, em close, já que estava grávida, utilizando uma dublê nas cenas de corpo inteiro.



O Semideus foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre agosto de 1973 e abril de 1974 às 20 horas. Foi escrita por Janete Clair e dirigida por Walter Avancini, tendo contado com 221 capítulos e sido supervisionada por Daniel Filho. Foi produzida em preto-e-branco.

Sinopse

Hugo Leonardo (Tarcísio Meira), poderoso industrial famoso pela personalidade excêntrica e pelo temperamento instável, desaparece depois de um misterioso desastre de lancha. Na verdade, o “acidente” não passa de uma manobra dos seus inimigos – Alberto Parreiras (Juca de Oliveira), Gildo Graça (Felipe Carone) e Pontes (Paulo Padilha) – para eliminar Hugo e usurpar seu império. Eles aproveitam o sumiço do empresário e o substituem por Raul (também Tarcísio Meira), um sósia perfeito que assume o comando da sua vida e dos seus negócios.

Somente o jornalista Alex Garcia (Francisco Cuoco) – que conhecera Hugo Leonardo em uma corrida de lanchas e preparava uma reportagem sobre o império dele – e Ângela (Glória Menezes) – namorada de Hugo, com quem Raul, o impostor, termina abruptamente para se casar com Estela (Maria Cláudia) – suspeitam que algo está errado e tentam desvendar o mistério.

A história dá uma guinada quando o verdadeiro Hugo Leonardo, com o rosto deformado por causa do acidente, volta para reassumir o seu lugar.



Os Ossos do Barão foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida às 22h, de 10 de outubro de 1973 a 31 de março de 1974. Escrita por Jorge Andrade e dirigida por Régis Cardoso, contou com 150 capítulos.

Sinopse

Egisto Ghirotto, um descendente de italianos, foi criado como empregado na fazenda do barão de Jaraguá, e acabou fazendo fortuna durante a Revolução Industrial, em São Paulo, ao contrário do ocorrido com as famílias tradicionais paulistanas, que empobreceram devido à decadência do comércio cafeeiro. Ele tem tudo que pertencera ao barão, inclusive seus ossos, que adquirira ao comprar a urna funerária deste. Apesar de ter tudo, ele não está feliz, pois sonha em adquirir um título de nobreza. mas isso só poderá ser alcançado se seu filho, Martino, se casar com Isabel, a bisneta do barão.

Entre os quatrocentões, os mais conservadores, como Antenor, o filho do barão, vivem de lembranças e de aparências, e os mais jovens tentam se adaptar à nova realidade. A situação acaba causando conflitos, especialmente entre pais e filhos.



Supermanoela foi uma telenovela brasileira, exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo, de 21 de janeiro a 2 de julho de 1974. Foi escrita por Walter Negrão e produzida em preto-e-branco. Contou com 138 capítulos.

Sinopse

No Rio de Janeiro, depois de um longo período sob cuidados médicos, sendo submetido a tratamentos caríssimos, o funcionário de uma fábrica de cosméticos Donato (Francisco Dantas) morre de uma doença rara. Sua família – formada pela mulher Carolina (Zilka Salaberry), as filhas Sílvia (Carmem Monegal) e Regina (Susana Gonçalves) e o pai Nicolau (Manfredo Colassanti) –, então, se vê em sérias dificuldades financeiras e completamente despreparada para lidar com elas.

A primeira decisão da viúva Carolina é diminuir as despesas, o que significa despedir a empregada Manoela (Marília Pêra). Dona de uma real vocação para ajudar o próximo, a moça recusa a demissão e se dispõe a trabalhar de graça. Manoela se torna, assim, uma mistura de anjo da guarda, conselheira e administradora da casa. Além de lavar, passar, cozinhar e fazer a faxina, ajuda a pagar as dívidas costurando para fora e tenta levantar o ânimo dos moradores do casarão. Para conseguir pagar a hipoteca da casa, ela sugere que Carolina alugue dois dos quartos vagos.

Os novos inquilinos são quatro estudantes recém-chegados ao Rio para tentar o vestibular. Com dificuldades para se habituarem ao ritmo da cidade e ao comportamento dos jovens cariocas, eles acabam se tornando os melhores amigos uns dos outros. O líder natural dos quatro é Solano (Carlos Vereza), rapaz de personalidade forte e origem humilde, nascido e criado em uma favela em Pernambuco. Desde criança acostumado a ver a vizinhança padecer de vários tipos de enfermidades, Solano cresceu com o sonho de se tornar médico e poder fazer algo em benefício dos desamparados. O desajeitado e baixinho Chico (Antônio Pedro) veio de uma família de colonos do interior de Minas Gerais. Sem nenhum jeito para o trabalho no campo, foi enviado pelo pai para estudar Direito na cidade grande, mas planeja cursar Agronomia, que considera o melhor caminho para ajudar a família. Ribamar (Carlos Alberto Riccelli) veio do Maranhão e é o mais tímido e romântico do grupo. Tem ambições intelectuais e quer se formar em sociologia, mas, para ganhar a vida, é obrigado a aceitar trabalhos menos nobres, como traduzir fotonovelas. Gabriel (Fausto Rocha), de Santa Catarina, é o único que veio de uma família com boa situação financeira. Recebe mesada dos pais e veste roupas elegantes, que os outros três vivem pegando emprestadas. Foi para o Rio estudar arquitetura e sonha um dia voltar e se casar com a namorada, que deixou esperando no sul.

Durante os estudos para o vestibular, Solano, Chico, Ribamar e Gabriel conhecem Marcelo, o belo (Paulo José), sujeito simpático e espécie de estudante profissional: aos 40 anos, prestou nove vezes vestibular, para diferentes faculdades, mas sempre acaba mudando de curso. Freqüentando a casa onde os rapazes se hospedam, ele acaba conhecendo e se envolvendo com Manoela. O envolvimento romântico dos dois dá a ela a oportunidade de, pela primeira vez, esquecer os problemas alheios e viver a própria vida.



O Espigão foi uma telenovela brasileira de 112 capítulos produzida pela Rede Globo e exibida de abril a outubro de 1974, às 22 horas. Escrita por Dias Gomes e dirigida por Régis Cardoso.

Sinopse

A telenovela girou em torno da desumanização da cidade, de como o progresso descontrolado pode esmagar o ser humano. Conta a história de Lauro Fontana, um empresário megalômano que quer construir o maior hotel do Brasil, o "Fontana Sky", e para isso precisa convencer os Camará, uma família misteriosa, a vender sua mansão em Botafogo, no Rio de Janeiro, para que ele possa utilizar o imenso terreno para concretizar seu propósito. Junto, a história de Léo, um rapaz que defende a preservação da natureza e cujo destino cruza com o de Dora, uma jovem mãe solteira.



Fogo sobre Terra foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 8 de maio de 1974 e 4 de janeiro de 1975, às 20 horas. Foi escrita por Janete Clair e dirigida por Walter Avancini, e contou com 209 capítulos. Foi produzida em preto-e-branco e teve supervisão de Daniel Filho.

Sinopse

No final dos anos 1950, dois irmãos separados na infância se reencontram na condição de rivais ao decidir o destino de uma cidade e disputar o amor da mesma mulher. Pedro (Juca de Oliveira) e Diogo (Jardel Filho), filhos de fazendeiros do Mato Grosso, foram separados aos três anos de idade após perderem os pais em um desastre de avião. Pedro foi criado pela tia Nara (Neuza Amaral), em Divineia – cidade fictícia – no sertão de Mato Grosso, enquanto Diogo foi levado para o Rio de Janeiro e criado pelo engenheiro Heitor Gonzaga (Jaime Barcelos), engenheiro e ex-amante de Nara.

No Rio, Diogo frequentou as melhores escolas e desenvolveu um temperamento prático que o levou a se formar em engenharia e a se transformar em um profissional muito bem-sucedido, contratado da empresa de Heitor Gonzaga, de quem adotou o sobrenome e a quem trata como pai. Foi casado e teve uma filha, mas carrega na consciência a culpa pela morte da ex-mulher, que cometeu suicídio logo após a separação.

Em Divineia, Pedro Azulão foi educado pelo beato Juliano (Ênio Santos) – ex-piloto do avião em que seus pais morreram – e aprendeu desde cedo a tomar conta dos negócios do pai, firmando-se como o boiadeiro dono da maioria das terras de sua região. Valente, de temperamento explosivo e respeitado como uma autoridade pelos moradores, ele demonstra o amor que tem pela cidade, batizada com o nome da sua mãe, vigiando com austeridade os forasteiros e viajantes que por acaso atravessam o seu território.

Representando essas duas realidades – a modernidade e a tradição, o urbano e o rural –, os dois irmãos se reencontram 30 anos mais tarde, quando a empresa de Heitor Gonzaga envia Diogo ao Mato Grosso para chefiar a construção de uma represa no local ocupado por Divineia. Situada às margens do Rio Jurapori, a cidade deveria ser inundada pelas águas do rio. Os seus habitantes seriam, então, realocados em outra cidade, a ser construída quilômetros adiante, onde poderiam usufruir dos benefícios da irrigação do solo proporcionados pela barragem. Pedro Azulão, entretanto, não quer pagar o preço de ver sua cidade desaparecer em prol de um progresso no qual não acredita e estimula a população a se insurgir contra a obra.

Enquanto tenta convencer Pedro de que está propondo o melhor para a cidade, Diogo conhece e se apaixona por Chica Martins (Dina Sfat), namorada de infância do irmão. A mulher, que passa a ser o objeto da disputa dos dois irmãos, cresceu sonhando em ser rica e morar na cidade grande e, por isso, odeia tudo o que a lembre da sua origem humilde. Ela odeia até o próprio nome, a ponto de dizer que se chama “Débora” ao ser apresentada a desconhecidos. No passado, ela chegou a abandonar Pedro Azulão para fugir com um fazendeiro que passava pela cidade, mas se arrependeu e voltou. No início, seu interesse por Diogo reside essencialmente na perspectiva de deixar Divineia para viver na cidade grande, mas depois ela se apaixona pelo engenheiro.

Acompanhando Diogo, também chega à Divineia a jovem Bárbara (Regina Duarte). Ela é a filha que Heitor Gonzaga teve com Nara, quando esta tinha 16 anos. Foi levada ainda criança para a cidade grande e criada pelo pai, que nunca lhe contou a verdade a respeito da identidade da mãe. Seu maior drama são as frequentes crises nervosas que lhe provocam cegueira psicológica, uma consequência do trauma de ter sido afastada da mãe. Em Divineia, ela se aproxima de Pedro e de Nara e, a partir do relacionamento com os dois, consegue superar seu problema. Nara vai gradualmente ocupando o seu lugar no coração da filha, até que lhe revela a verdade. E Pedro se apaixona pela moça, que termina sendo a razão pela qual ele abandona o conflito com o irmão.

No decorrer da trama, enquanto os engenheiros dão início aos preparativos para a demolição da cidade, Pedro Azulão tenta tudo o que pode para impedir que o irmão leve a cabo seu empenho. Por conta disso, acaba temporariamente preso. Quando é libertado, ele se convence de que é inútil resistir e decide se trancar em casa e se deixar levar pelas águas, como forma de protesto. Mas Bárbara revela que está esperando um filho dele e lhe pede para pensar na felicidade da criança. Emocionado, Pedro abandona a cidade.

No capítulo final, o progresso triunfa, e Divineia é submersa pelas águas do Rio Jurapori. Nara, que insiste em permanecer na cidade, morre durante a inundação.



Corrida do Ouro foi uma telenovela brasileira em preto-e-branco exibida pela Rede Globo no horário das 19 horas, de 3 de julho de 1974 a 25 de janeiro de 1975, com 178 capítulos, de autoria de Lauro César Muniz e Gilberto Braga. Foi dirigida por Reynaldo Boury, com a supervisão de Daniel Filho. Foi produzida em preto-e-branco.

Sinopse

O testamento do velho Durval deixa herança para cinco mulheres: Isadora, Gilda, Patrícia, Teresa e Ilka. Mas elas só teriam direito a fortuna se cumprissem com os desejos do milionário, e para isso elas teriam que abrir a mão da sua vida.

Assim, Isadora, uma cantora, deveria abandonar a carreira; Gilda que morava no exterior há 20 anos, deveria ter residência fixa no Brasil; Tereza deveria terminar o curso de jornalismo e obter seu diploma; Ilka teria que ir morar com sua mãe, que a abandonou quando criança; e Patrícia deveria casar com um homem que não amava, Rafael.



O Rebu foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 4 de novembro de 1974 a 11 de abril de 1975, às 22h. Escrita por Bráulio Pedroso, foi dirigida por Walter Avancini e Jardel Mello e constou de 112 capítulos.Os desenhos da abertura foram criados por Marguerita Bornstein.

Sinopse

A história se passava em dois dias: no primeiro, realizava-se uma festa na casa do milionário Conrad Mahler, em homenagem à princesa italiana Olimpia, e na qual ocorria um crime; no segundo, acontecia a investigação da ocorrência.

Foi dividida em três fases: o presente, com a investigação do crime; o tempo da festa; e as informações sobre cada personagem.



Escalada foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 6 de janeiro a 23 de agosto de 1975. Escrita por Lauro César Muniz e dirigida por Régis Cardoso, foi produzida em preto-e-branco e contou com 197 capítulos.

Sinopse

A saga de Antônio Dias desde a juventude como comerciante no interior paulista até a velhice como vencedor, na mesma região. No seu caminho, duas mulheres: Cândida, com quem tem um casamento infeliz, e Marina, a paixão de sua vida. Durante a jornada do protagonista, é mostrada a participação do mesmo na construção de Brasília.



Gabriela foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 14 de abril a 24 de outubro de 1975 às 22h. Escrita por Walter George Durst, adaptando o romance Gabriela, Cravo e Canela, de Jorge Amado, e dirigida por Walter Avancini, com 132 capítulos. Abordava a seca nordestina, e a pacata cidade litorânea de Ilhéus, da década de 1920.

Sinopse

A novela retratava a vida de Gabriela, simples moça do sertão baiano que fora para Ilhéus para fugir da seca nordestina. Moça sofrida, porém muito alegre, seduzia os homens; a novela mostrava o amor de Gabriela com um estrangeiro que não aceitava seu comportamento, ora ingênuo, ora loucamente sensual. Gabriela era uma cabocla (filha de índia com branco) brigona e ousada, que andava descalça e com vestidos extremamente curtos, e muito trabalhadora.



Helena foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo em 1975. Foi escrita por Gilberto Braga. Foi produzida em preto-e-branco e exibida entre 5 de Maio a 30 de Maio de 1975, e seu roteiro foi baseado na obra homônima de Machado de Assis.

Sinopse

A história se passa no Rio de Janeiro, em 1859. No dia 25 de abril daquele ano, morre o Conselheiro Vale, respeitada figurada da sociedade do segundo reinado, deixando um filho de 27 anos, Estácio (Osmar Prado), e uma irmã, Úrsula (Ida Gomes). A leitura do seu testamento ocorre no dia seguinte. Seus dois melhores amigos, o padre Melchior (Carlos Duval), espécie de mentor espiritual, e o doutor Camargo (Rogério Fróes), médico de confiança da família e pai de Eugênia (Ângela Valério), jovem que está noiva de Estácio, são encarregados de fazer cumprir suas últimas vontades.

O testamento revela a existência de Helena (Lúcia Alves), filha do conselheiro com uma mulher com quem ele tivera um romance secreto no passado. De acordo com a vontade do falecido, a jovem deve herdar parte dos seus bens, ser levada ao convívio de seus familiares e ser amada por eles. A notícia desagrada profundamente Úrsula, que toma conta da chácara da família no Andaraí e da educação de Estácio, desde que a esposa do conselheiro falecera. Ela vê em Helena uma intrusa e usurpadora. Também o dr. Camargo acha que o amigo cometeu um erro. Mas Estácio está decidido a atender o pedido do pai. Ele encontra Helena em um colégio em Botafogo e a leva para viver na chácara.

Helena tem um temperamento alegre e expansivo e sua chegada afeta a vida de todos. A principio, é hostilizada por Úrsula, mas depois ganha a sua simpatia. A afeição de Estácio também aumenta a cada dia e, quando seu amigo Luiz Mendonça (José Augusto Branco) demonstra estar interessado em Helena, ele se dá conta de que está apaixonado pela moça. Embora ela corresponda ao sentimento, o rapaz sente-se culpado porque acredita que os dois são irmãos. O sofrimento de Estácio aumenta quando ele percebe o comportamento esquivo de Helena e descobre seus encontros furtivos com um homem chamado Salvador (Gilberto Sálvio). Desconfiado de que ela tem um amante, ele passa a tentar desvendar o mistério com a ajuda do padre Melchior.

Na verdade, Helena sabe que não é a filha legítima do conselheiro. No final, confrontada com as suspeitas e os ciúmes de Estácio, ela revela que Salvador é o seu verdadeiro pai. O conselheiro Vale havia sido amante da sua mãe, a quem prometera cuidar da educação e da felicidade de Helena. Estácio perdoa a moça e declara seu desejo de ficar com ela, mas Helena morre, vítima de uma febre nervosa.



O Noviço foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo de 9 a 28 de junho de 1975. Foi produzida em preto-e-branco. Escrita por Mário Lago e baseada na peça homônima de Martins Pena, teve supervisão geral de Herval Rossano. O ator principal foi Pedro Paulo Rangel, no papel do noviço.

Sinopse

No Rio de Janeiro do século XIX, o vigarista Ambrósio (Jorge Dória) corteja a rica viúva Florência (Isabel Ribeiro). De olho na herança milionária da mulher, o espertalhão trata de tirar do caminho os herdeiros diretos da fortuna e a convence a enviar o sobrinho de criação, Carlos (Pedro Paulo Rangel), para ser educado em um convento. Os dois filhos de Florência, Juca (Fábio Mássimo) e Emília (Maria Cristina Nunes), também são ameaçados com o mesmo destino. Juca, de nove anos de idade, é inclusive obrigado a vestir um hábito, para se acostumar com o provável futuro.

Carlos se torna noviço, mas não tem nenhuma intenção de progredir na vida religiosa. Dotado de grande espírito de aventura, ele tem horror ao autoritarismo. Além disso, namora Emília, com quem sonha em se casar. No convento, dedica tempo integral a enlouquecer a vida dos frades. Prepara armadilhas e foge diversas vezes, embora seja sempre recapturado. Em uma das fugas, se envolve com Flávio (Luiz Linhares), sujeito inescrupuloso que conhece o passado de trapaças de Ambrósio, e com Rosa (Marilu Bueno), a primeira mulher a se casar com o aproveitador e a ter seus bens roubados. Através deles, Carlos consegue desmascarar o Ambrósio diante da tia. No fim, depois de passar um período foragido, o espertalhão acaba preso, e Carlos conquista sua liberdade. Sai do convento pela porta da frente e se casa com Emília.



Bravo! foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo entre junho de 1975 e janeiro de 1976, contou com 197 capítulos. Foi escrita por Janete Clair e Gilberto Braga e dirigida por Reynaldo Boury e Fábio Sabag. O nome se refere a profissão do protagonista, que era um grande maestro. Foi produzida em preto-e-branco.

Sinopse

O maestro Clóvis di Lorenzo vive um romance com Cristina, tumultuado pelos problemas causados por sua filha Lia e pela cunhada Fabiana, que cultiva a imagem de Branca, a falecida esposa de Clóvis.



Senhora foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo em 1975. Escrita por Gilberto Braga, foi uma adaptação do romance Senhora, de José de Alencar, sendo dirigida por Herval Rossano. Foi a primeira novela em cores no horário das seis da tarde.

Sinopse

A novela é ambientada no Rio de Janeiro do século XIX, quando era prática corriqueira e socialmente aceita negociar-se casamentos através do pagamento de dotes, quase como se fossem transações comerciais.

Quando não está sacrificando o seu parco salário de jornalista nas festas da alta sociedade às quais costuma comparecer habitualmente, o jovem e ambicioso Fernando Seixas (Cláudio Marzo) corteja a bela Aurélia Camargo (Norma Blum). Os dois se amam, mas são muito pobres. Fernando está convencido de que arruinará sua vida caso se case com a moça. Por isso, mesmo com o coração partido, ele põe fim ao relacionamento, aceitando o dote de 30 contos de réis oferecidos pelo banqueiro Tavares do Amaral (Felipe Wagner) para que se case com sua filha Adelaide (Fátima Freire).

Ao completar 18 anos de idade, Aurélia se descobre a herdeira de um avô fazendeiro e se torna uma mulher muito rica. A fortuna inesperada permite a ela emancipar-se e tomar as rédeas de sua vida. Como não era de bom tom, aos olhos da sociedade da época, que uma mulher exercesse tamanha independência, a jovem passa a contar com uma parenta distante, Dona Firmina Mascarenhas (Zilka Salaberry), para lhe fazer as vezes de mãe, e com o administrador Sr. Lemos (Alberto Perez), para orientá-la nos negócios.

Mas a dor da rejeição de Fernando ainda acompanha Aurélia e ela sente a necessidade de se vingar. Por intermédio de Lemos, ela oferece ao jornalista cem contos de réis para que ele desista da união com a filha do banqueiro e aceite casar-se com uma noiva misteriosa, a quem só conhecerá depois que o pacto matrimonial for selado. A essa altura, Fernando já sabe que o verdadeiro amor de Adelaide é um rapaz chamado Torquato Ribeiro (Osmar Prado), e acha conveniente aceitar a proposta de alguém que não só deseja de fato estar casada com ele, como está disposta a pagar três vezes mais como dote.

Fernando é, então, levado até uma luxuosa chácara em Laranjeiras, onde Aurélia revela sua identidade e o informa friamente a respeito do seu papel no casamento de conveniência para o qual fora contratado: ela seria a senhora; ele, o escravo. Os dois ainda parecem sentir algo um pelo outro, mas Aurélia não deixa que seus sentimentos apareçam, submetendo o marido a uma sucessão de ironias e humilhações sociais. A sujeição aos caprichos da esposa faz renascer em Fernando o auto-respeito do qual ele havia abdicado durante sua escalada social. Depois de 11 meses de convivência infeliz, ele surpreende Aurélia ao devolver com juros o dinheiro do dote e reclamar a sua liberdade. Acusada pelo marido de ter se tornado uma mulher vingativa e insensível, Aurélia se dá conta de que havia sido amor, e não vingança, o verdadeiro motivo pelo qual planejara o casamento. Depois de se declarar e implorar o amor de Fernando algumas vezes, Aurélia finalmente o reconquista, e os dois passam a ser felizes juntos.



SEGUNDA VERSÃO

A Moreninha foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 20 de outubro de 1975 a 5 de fevereiro de 1976. Foi escrita por Marcos Rey e dirigida por Herval Rossano. Foi um dos maiores sucessos da dupla Herval Rossano e Nívea Maria, casal na vida real e que dominou a teledramaturgia do horário das 18h da televisão brasileira à época. Foi a segunda novela das seis da Rede Globo produzida em cores (a primeira foi Senhora).

Sinopse

Tendo como eixo narrativo uma história de amor, a trama evoca as mudanças sócio-políticas que marcaram o Rio de Janeiro no final do século XIX. Embora o romance tenha sido publicado originalmente em 1844, Marcos Rey optou por localizar a ação da novela entre 1866 e 1868, o que permitiu inserir referências a fatos históricos importantes, como a Guerra do Paraguai e a luta abolicionista.

Os encontros promovidos pela jovem Carolina (Nívea Maria) são os eventos mais concorridos e comentados da Ilha de Paquetá. No solar em que vive com a avó Donana (Henriquieta Brieba), ela recebe amigas e jovens estudantes da corte para saraus e passeios dominicais, nos quais é invariavelmente o centro das atenções e a moça mais cortejada pelos rapazes locais, embevecidos pela sua beleza e alegria. Ela, entretanto, dispensa delicada e pacientemente os admiradores. O seu grande sonho é poder reencontrar um rapaz que conheceu na infância e que se tornou objeto de seu amor platônico. O que Carolina não sabe é que o rapaz em questão está mais próximo do que ela imagina: é Augusto (Mário Cardoso), o colega de quarto do seu irmão Felipe (Marco Nanini) na Pensão Estrela, no Rio de Janeiro, e um dos freqüentadores do solar.

Enquanto Felipe é um poeta romântico, que sonha em estudar direito na mesma faculdade de São Paulo na qual estudou seu famoso antepassado Álvares de Azevedo, Augusto é um estudante de medicina admirador de Castro Alves e suas idéias abolicionistas. É um boêmio, com grande fama de conquistador, embora no fundo seja um romântico, que se apaixona por Carolina assim que a vê, mas não consegue se aproximar, porque é insistentemente assediado por uma das amigas da moça, a bela Clementina (Maria Cristina Nunes). Completando o quadrado amoroso, Clementina é a grande musa de Felipe. Depois de uma série de aventuras românticas, Carolina e Augusto terminam juntos.

Outro estudante que mora na Pensão Estrela e freqüenta os saraus de Carolina é Leopoldo (Eduardo Tornaghi). Estudante de medicina, ele abandona o curso para participar da Guerra do Paraguai. Volta da guerra decidido a se tornar jornalista e a ajudar a defender as idéias abolicionistas e republicanas, e se torna líder de um movimento pela libertação dos negros.

Leopoldo é um dos estudantes que ajuda a abrigar Simão (Haroldo de Oliveira), um escravo fugitivo perseguido implacavelmente pelo capitão-do-mato João Bala (Jaime Barcellos). Em represália, o feitor seqüestra Quininha (Carmem Monegal), prima de Carolina e namorada de Leopoldo. No esforço para salvar Quininha, o rapaz morre nas mãos de João Bala.

Outro personagem que tem um final trágico é Felipe. À maneira dos poetas românticos, ele morre vítima da tuberculose, um mal incurável na época.



O Grito foi uma telenovela brasileira, produzida pela Rede Globo e exibida de 27 de outubro de 1975 a 30 de abril de 1976, às 22 horas. Escrita por Jorge Andrade e dirigida por Walter Avancini, Gonzaga Blota e Roberto Talma, contou com 125 capítulos.

Sinopse

Tinha como cenário principal o Edifício Paraíso, construído por família aristocrática, o qual sofre desvalorização com a construção do Elevado Presidente Costa e Silva, mais conhecido como "Minhocão", que passa à altura de seu segundo andar.

Os personagens da telenovela são os moradores do edifício, cada qual com sua história. No térreo, moram os zeladores; os vários tipos característicos da classe média distribuíam-se pelos andares; e a cobertura era habitada por remanescentes da família que construiu o prédio. Em meio à variada gama de pessoas, está a ex-freira Marta, que vai morar no prédio, e cujo filho, Paulinho, grita horrivelmente durante a noite, suscitando um movimento para expulsá-los. Mário Gomes, estava escalado para a novela, mas adoeceu e foi substituido por Marcos Paulo.



Cuca Legal foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo em 1975. Foi escrita por Marcos Rey e teve ao todo 119 capítulos. Foi produzida em preto-e-branco.

Sinopse

Cuca legal, novela ambientada no Rio de Janeiro e em Cabo Frio, contava as aventuras do aviador solteirão Mário Barroso (Francisco Cuoco) para manter ao mesmo tempo seus relacionamentos com três noivas. Virgínia (Françoise Fourton) é uma rica empresária obcecada com os rumos dos negócios do falecido pai; Irene (Suely Franco) é uma jovem de classe média carinhosa e ingênua, que dá aulas particulares de piano para compensar a grande frustração de não ter se tornado pianista profissional; e Fátima (Yoná Magalhães) é a pobre viúva do empregado da manutenção da empresa de aviação na qual Mário trabalha. Desde a morte do marido, ela recebe a ajuda de Mário.

Embora acredite amar as três namoradas com a mesma intensidade, Mário não consegue decidir qual delas seria a mulher mais capaz de lhe dar um filho com uma “cuca legal”. Bem-sucedido na profissão, mas emocionalmente inseguro, ele ainda mora com a mãe e passa as horas vagas em mesas de bar com o amigo do peito Jacaré (Hugo Carvana), um típico carioca bem-humorado. As coisas começam a ficar ainda mais complicadas quando Maria Joaquina, a Kinu (Rosamaria Murtinho), mãe de Virginia, viúva e desamparada, também desperta a atenção de Mário.

Para escapar dos apuros em que vive se metendo, Mário conta com a ajuda da mãe, sua melhor conselheira. De fato, há mais de dez anos, Dalva (Elza Gomes) atua como conselheira sentimental e astróloga em um programa de rádio que apresenta sob o pseudônimo de Madame Zaíde. Em casa, ela está sempre em companhia do velho amigo Aureliano Villaça (Mário Lago), um cavalheiro que se veste e se comporta como se ainda estivesse nos anos 1930, fazendo constantes referências a ídolos e cenários do passado.

O pai de Irene é José Proença (Felipe Carone), um ex-chefe de honra dos escoteiros obcecado em promover a disciplina em todos os aspectos do cotidiano, a começar pela organização da vida doméstica. Ele atormenta a mulher, Alba (Miriam Pires), com suas exigências neuróticas, as quais ela aceita sem reclamar, mais preocupada com as dores de cabeça provocadas pela caçula Maria Lúcia (Elizângela), jovem cheia de vida e irresponsável. Já Fátima convive com sua irmã Dina (Suzana Faini), mulher de Albano (Rui Rezende), sujeito moralista e desempregado crônico que passa grande parte do tempo livre na praia.



Pecado Capital foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo pela primeira vez entre 24 de novembro de 1975 e 5 de junho de 1976. Foi escrita por Janete Clair e dirigida por Daniel Filho e Jardel Mello, tendo contado com 167 capítulos. Também foi a primeira novela em cores para o horário das oito da noite.

Sinopse

A telenovela traz José Carlos Moreno, chamado Carlão, um taxista morador do subúrbio carioca do Méier. Logo no primeiro capítulo, acontece um grande e audacioso assalto a banco e os ladrões, em fuga, embarcam no carro de Carlão. Só que a mala cheia de dinheiro é esquecida no veículo. O taxista, então, vê ali a chance de ascender socialmente, podendo enfim casar-se com a noiva, Lucinha, operária numa fábrica de roupas. Graças à beleza da moça, as brigas entre os dois por causa de ciúme do taxista são frequentes. Lucinha conhece, então, na fábrica, o publicitário Nélio Porto Rico, que a convida a ser modelo. Pensando na possibilidade de crescer na vida, ela aceita. Enquanto isso, Carlão faz segredo quanto a estar com o fruto do assalto ao banco. A opção de Lucinha pela carreira de modelo leva-a a romper com Carlão e com o pai, Orestes, pela intolerância.

Enquanto isso, Eunice, uma dona-de-casa de classe média, infeliz no casamento, sofre com o repúdio do marido, Ricardo, e com a consciência pesada. Ela esteve no assalto, do qual participou convencida pelo amante, Miguel, e foi quem esqueceu o dinheiro com Carlão. Numa discussão com Miguel, que acreditava que ela quisesse enganá-lo, terminou matando-o. Foi, então, pedir ajuda ao marido para sair da enrascada, e ele a obrigou a ir passar uns tempos nos Estados Unidos, longe do filho, Paulo Roberto. E a suburbana Lucinha é escolhida como principal modelo das Confecções Centauro, onde antes trabalhava. Desperta o interesse do adormecido coração de Salviano Lisboa, um milionário viúvo que, apesar de ter seis filhos - Vitória, Vilma, Vicente, Virgílio, Vinícius e Valter - e viver cercado por muitos bajuladores, sente muita solidão. O início do romance entre Salviano e Lucinha desperta em Carlão um grande ódio, e ele lança mão do dinheiro, que planejava devolver, para ascender socialmente - para ele, Lucinha deseja isto:fortuna e posição.

Eunice volta ao Brasil e, cumprindo suas ameaças cheias de rancor, Ricardo a denuncia e ela é presa. Ao ficar sabendo da situação da mulher, Carlão sente a consciência pesar e começa a ajudá-la. Penalizado, sabendo que se tivesse entregue o dinheiro a situação de Eunice seria outra, morrendo de pena, Carlão se casa com ela, mesmo apaixonado por Lucinha, que passa a enfrentar, a cada dia que passa, maior oposição dos filhos de Salviano. Carlão e Eunice vivem um casamento infeliz. Ela, verdadeiramente apaixonada, sofre com o amor do marido por outra que não o quer;ele, por estar casado por piedade e medo de que ela, já o tendo reconhecido como o taxista do caso, o denuncie.

Ao longo da trama, Carlão vai se afundando mais e mais graças à ambição e ao desejo de reconquistar Lucinha. No final, quando resolve deixar o dinheiro (800 mil cruzeiros) numa obra do metrô e fazer uma denúncia anônima às autoridades, Carlão termina assassinado no local por um capanga de Sandoval, um mau-caráter com quem se havia envolvido em negócios escusos. Salviano e Lucinha se casam. Um empregado chega perto do patrão com um jornal que noticia a morte do taxista, tido na reportagem como membro da quadrilha que assaltou o banco, ou coisa do gênero. Lucinha pergunta o que é, e Salviano: "Nada, nada, uma nota sobre o nosso casamento". Amassando o jornal, sai com a esposa. O envolvimento de Carlão com gente "barra-pesada", a ambição, a infelicidade no amor, mesmo com fortuna, provam ao público que, como diz a letra do tema de abertura, "dinheiro na mão é vendaval"; a trama sintetizada nos versos de Paulinho da Viola, para ela especialmente compostos.



Anjo Mau foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida no horário das 19 horas de 2 de fevereiro a 24 de agosto de 1976, contou com 175 capítulos. Foi escrita por Cassiano Gabus Mendes e dirigida por Régis Cardoso e Fábio Sabag. Foi a penúltima novela em preto-e-branco exibida pela Rede Globo.

Sinopse

Nice (Susana Vieira) é filha adotiva de uma família pobre, porém é uma mulher muito ambiciosa e não se conforma em trabalhar como operária e balconista, sendo sempre despedida por displicência. Alzira (Wanda Lacerda), mãe adotiva de Nice, é uma mulher dura, sofrida, trabalhadora, e é a única que não se deixa envolver pela falsa meiguice da filha. Um dia, Nice consegue uma vaga de babá na casa dos Medeiros, família de classe alta de quem seu pai adotivo, Augusto (José Lewgoy), é motorista. Imaginando que esta pode ser sua chance de ascender socialmente, Nice faz de tudo para agradar a família e conquistar Rodrigo (José Wilker), por quem acaba se apaixonando. O rapaz é o filho mais velho de Edmundo Medeiros (Francisco Moreno), irmão de Ricardo (Luis Gustavo) e noivo de Paula (Vera Gimenez).

Sob os cuidados de Nice está o filho de Stela (Pepita Rodrigues) e Getúlio (Osmar Prado), casal que caiu no gosto do público e garantiu bons momentos de humor à trama.

Depois de descobrir que Paula, a noiva de Rodrigo, também é uma arrivista e, na verdade, é apaixonada por Ricardo, Nice consegue fazer com que Rodrigo termine a relação com a noiva e rompa com o irmão. Mas, ainda assim, o caminho não fica totalmente livre para a babá, porque Rodrigo começa a se interessar por Léa (Renée de Vielmond). Nice volta, então, a armar intrigas para separar o casal.

Embora no final consiga conquistar Rodrigo e engravide dele, Nice morre durante o parto. O clímax da novela se deu no capítulo em que foi exibida a morte da protagonista, registrando altíssimo índice de audiência.



Vejo a Lua no Céu foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo em 1976, contou com 119 capítulos. Foi escrita por Herval Rossano.

Sinopse

A vida na casa de seu Pedro, onde a submissão ao chefe de família é baseado nos velhos princípios da ordem, austeridade e respeito familiar. Enquanto Pedro esconde da família a crise financeira nos negócios, a mulher, Filoca, cuida com esmero dos filhos. Fernando, o mais velho, é um bancário sonhador e romântico. Margarida é a normalista que se apaixona por Eusébio, funcionário do pai. E os três mais novos, Catarina, Edgar e Doró, vivem aventuras num mundo de fantasia.

O conflito maior se dá quando Fernando desafia o pai austero e deixa o lar para casar com a jovem Suzana, que conhecera há pouco tempo. Mas uma doença vem abalar todas essas relações.



Saramandaia foi uma telenovela de Dias Gomes, exibida na Rede Globo às 22h, de 3 de maio a 31 de dezembro de 1976, tendo 160 capítulos. Foi dirigida por Walter Avancini, Roberto Talma e Gonzaga Blota. A novela foi reapresentada entre 22 de agosto e 16 de setembro de 1983, de segunda à sexta-feira, em versão original de 20 capítulos.

Sinopse

A população de Bole-Bole, localizada na zona canavieira do interior da Bahia, quer mudar o nome da cidade para Saramandaia.

Porém, os coronéis da oposição evocam motivos históricos para manter o nome atual.

De um lado estão os mudancistas, liderados pelos irmãos Evangelista, João Gibão e o prefeito Lua Viana, que se sentem envergonhados pela origem do nome relacionado a uma aventura local de D. Pedro I.

De outro, os tradicionalistas, liderados por Zico Rosado e o coronel Tenório Tavares.

Enquanto se decide a causa central, a cidade é palco dos maiores absurdos: João Gibão possui asas; Zico Rosado solta formigas pelo nariz; D. Redonda explode de tanto comer; Seu Cazuza ameaça cuspir o coração toda vez que se emociona; Marcina, quando excitada, fica em brasa, queimando tudo o que encosta; e o professor Aristóbulo, além de virar lobisomem, há anos que não dorme, tendo em suas andanças noturnas se encontrado com D. Pedro I e Tiradentes.



O Casarão foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo de 7 de junho a 11 de dezembro de 1976. Foi escrita por Lauro César Muniz e dirigida por Daniel Filho e Jardel Mello. Contou com 161 capítulos e teve Daniel Filho como diretor geral.

Sinopse

A história gira em torno da família de Deodato Leme (Oswaldo Loureiro) – residente na região cafeeira do norte de São Paulo – e mostra os problemas, questões ideológicas e comportamentais de suas cinco gerações.

No município de Sapucaí é inaugurado o ramal da estrada de ferro nos limites da propriedade de Deodato Leme. Junto com o progresso, ergue-se o casarão da família, que serve de cenário para toda a história da novela, em suas três fases.

O primeiro momento, entre 1900 e 1910, aborda o autoritarismo da família ao obrigar Maria do Carmo (Analu Prestes) a se casar com o engenheiro Eugênio (Edson França), mesmo sendo apaixonada pelo português Jacinto (Tony Correa).

Na fase seguinte, de 1926 a 1936, a mesma situação se repete com Carolina (Sandra Barsotti), filha de Maria do Carmo. Apesar de apaixonada por João Maciel (Gracindo Júnior) – um talentoso artista plástico que não se conformava com o provincianismo da cidade de Sapucaí –, Carolina cede às pressões da família e não aparece no encontro marcado com ele para fugirem juntos para São Paulo. Tempos depois, quando João Maciel volta a Sapucaí, recebe a notícia do casamento próximo de Carolina com Atílio (Dennis Carvalho), um comerciante local com ascendente carreira política. João Maciel não se conforma, tenta ainda uma aproximação com Carolina e, sem sucesso, acaba agredindo-a, o que os afasta ainda mais. O triângulo amoroso formado por esses três personagens é o conflito principal de O casarão.

Quarenta anos depois, em 1976, Carolina (agora representada por Yara Cortes) mantém ainda grande vitalidade, apesar da idade avançada. De longe, ela acompanha o sucesso de João Maciel, recortando os jornais que informam sobre as andanças do artista. Por outro lado, Atílio (vivido agora por Mário Lago) está acometido por doenças da velhice e bastante abalado pela perda de seu prestígio na cidade, vivendo das lembranças de um passado distante. O personagem é a imagem do casarão, condenado à destruição pela chegada dos novos tempos. Já João Maciel (interpretado agora por Paulo Gracindo), mostra-se ainda em pleno vigor e mantém o mesmo idealismo dos 20 anos, embora não disfarce certo amargor diante da realidade. Boêmio inveterado, casara-se cinco vezes, mas conserva uma fantasia em relação à Carolina. Sua volta a Sapucaí significa o reencontro com um passado mal resolvido. Depois de muitos desencontros ao longo da trama, e com a morte de Atílio, Carolina e João Maciel finalmente realizam o sonho de ficar juntos.

A cena do último capítulo da novela, gravada na Confeitaria Colombo, na cidade do Rio de Janeiro, está entre as mais belas da teledramaturgia brasileira. Ao chegar um pouco atrasada ao local, Carolina pergunta: “Te fiz esperar muito?”. E João Maciel responde: “Só 40 anos”, numa referência ao encontro marcado com a amada quando jovens, no qual ela nunca apareceu, sem coragem de romper com a família por causa de seu amor.



O Feijão e o Sonho foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo entre 28 de junho e 9 de outubro de 1976. Adaptada do romance homônimo de Orígenes Lessa, por Benedito Ruy Barbosa e dirigida por Herval Rossano.

Sinopse

a novela mostra a trajetória do poeta Juca Campos Lara (Cláudio Cavalcanti) em busca de seu grande sonho: dedicar-se exclusivamente à poesia. Ele se apaixona por Maria Rosa (Nívea Maria), uma mulher prática que tem dificuldade em compreender a postura sonhadora do rapaz. O feijão e o sonho acompanha a história do casal, do encontro romântico ao problema com os filhos, e discute o contraste entre a vida idealizada pelo poeta e seus problemas cotidianos. Ele é obrigado a trabalhar nas Empresas Elétricas Brasileiras e a dar aula de Matemática.

Quatro fases e lugares da vida de Juca Campos Lara são usados para o desenvolvimento da história: 1925, na cidade de Sorocaba; de 1925 a 1927, no bairro do Bexiga, em São Paulo; em 1937, na cidade de Capinzal, em Santa Catarina; de 1946 e 1947, novamente na capital paulista.



Estúpido Cupido foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo entre 1976 e 1977, contou com 160 capítulos. Foi escrita por Mário Prata e dirigida por Régis Cardoso.

Sinopse

Estúpido Cupido se passa na cidade fictícia de Albuquerque, interior de São Paulo, em 1961. Ali, chegam os ecos das mudanças e conflitos vividos pelos jovens da época, que despertavam para novos valores em todo o mundo, marcados pela revolução da música (rock, twist, chachachá), pela transgressão da moda (as roupas de jeans e os blusões de couro) e outras novidades, como a lambreta e a motocicleta.

Moradora de Albuquerque, a normalista Maria Tereza (Françoise Forton) sonha em morar na capital e ser eleita Miss Brasil. Ela é apaixonada por João (Ricardo Blat), jovem idealista que pretende seguir carreira jornalística e que sofre de ciúme da amada nas passarelas.



A Escrava Isaura é um romance de Bernardo Guimarães que teve sua primeira edição publicada em 1875, pela Casa Garnier, Rio de Janeiro. Com o romance, Bernardo Guimarães obteve fama, sendo reconhecido até pelo imperador do Brasil, Dom Pedro II.

Sinopse

Órfã desde o nascimento, a escrava branca Isaura (Lucélia Santos) desconhece quem é seu pai. Sabe apenas que a mãe foi uma mulata, mucama da fazenda onde agora reside. Isaura sempre foi amparada por Ester (Beatriz Lyra), sua senhora, mas desprezada pelo comendador Almeida (Gilberto Martinho), seu senhor. Ester educou a jovem com carinho, ensinando-a a ler, escrever, cantar e tocar piano. A aristocrata morre logo no início da trama, deixando uma carta de alforria para Isaura.

Quando o comendador Almeida se muda para a Corte, seu filho Leôncio Almeida (Rubens de Falco) assume o posto de administrador da fazenda e apaixona-se por Isaura. Inescrupuloso, cruel e irritado por não ser correspondido, Leôncio passa a maltratar a jovem. Ele apodera-se da carta de alforria de Isaura, deixada por sua mãe, e cerceia cada vez mais a liberdade da moça. Isaura sofre também com as intrigas de Rosa (Léa Garcia), uma escrava má e invejosa.

O desejo por liberdade torna-se ainda mais urgente quando Isaura se apaixona por Tobias (Roberto Pirillo), proprietário de terras vizinhas. O casal tem que enfrentar as perversidades de Leôncio, que se recusa a vender Isaura. O romance acaba tendo um fim trágico, quando Leôncio incendeia a cabana onde se encontrava Tobias, desconhecendo que sua própria esposa, Malvina (Norma Blum), também estava lá.

Deprimida com a morte de Tobias, Isaura encontra consolo ao descobrir a identidade do seu pai, Miguel (Átila Iório), homem branco que decide comprá-la para lhe dar a sonhada liberdade. Mas tudo se torna difícil com as investidas de Leôncio, que mais uma vez não aceita vender a escrava.

Rejeitado pela jovem, o vilão lhe impõe castigos cada vez mais cruéis: obriga-a a trabalhar na lavoura, além de assumir outros serviços pesados, e chega a prendê-la ao tronco. Isaura acaba fugindo com o pai e um casal de escravos amigos e vai morar em outra cidade, assumindo a identidade de Elvira.

Lá, a moça conhece o jovem abolicionista Álvaro (Edwin Luisi). Longe das maldades de Leôncio, os dois vivem uma paixão, até Isaura ser desmascarada durante uma festa de gala e forçada a voltar para seu senhor. Mas Álvaro descobre que Leôncio está completamente falido e arrenda todos os bens do vilão, inclusive Isaura. Desesperado por ter perdido tudo, principalmente sua amada, Leôncio se mata.



Duas Vidas foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida entre 13 de dezembro de 1976 e 13 de junho de 1977, às 20 horas. Foi escrita por Janete Clair e dirigida por Jardel Mello, Gonzaga Blota e Daniel Filho, tendo contado com 155 capítulos.

Sinopse

Uma rua no bairro do Catete, no Rio de Janeiro, é desapropriada para a construção de uma linha do metrô. A partir daí, a novela acompanha a história dos moradores, o recomeço de suas vidas alteradas pelo progresso da cidade, suas relações familiares e amorosas. Seu Menelau (Sadi Cabral) é um deles. Grego, alfaiate e pai de quatro filhos – Tomás (Cecil Thiré), Sônia (Isabel Ribeiro), Heitor (Moacyr Deriquém) e Oswaldo (Luís Gustavo) – é um dos mais antigos do local e tem sua casa desapropriada e destruída, vendo-se obrigado a morar em um apartamento. Filho de seu Menelau, Tomás mora no apartamento do pai com a esposa Leda Maria (Betty Faria) e o filho Téo (Carlos Poyart). Um dia, ele rouba o dinheiro de seu Menelau e foge com outra mulher, Gilda (Arlete Salles), deixando a família em situação muito difícil. Abandonada, Leda Maria envolve-se simultaneamente com o Dr. Victor Amadeu (Francisco Cuoco), médico que atende os moradores da redondeza, e Dino César (Mario Gomes), aspirante a cantor e paixão de adolescência da moça. O triângulo amoroso complica-se quando Dino se aproxima de Cláudia (Suzana Vieira), filha do dono de uma gravadora. Enquanto Dino ascende na carreira fonográfica, Leda batalha para se harmonizar com a família do ex-marido, criar o filho, apesar das dificuldades, e esquecer sua antiga paixão por Dino. No fim, depois de muitos desencontros, Leda vive um amor maduro com Victor.



À Sombra dos Laranjais foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida no horário das 18 horas de fevereiro a maio de 1977, contou com 89 capítulos. Foi escrita por Benedito Ruy Barbosa e Sylvan Paezzo, adaptando a peça teatral homônima de Viriato Corrêa, e dirigida por Herval Rossano e Milton Gonçalves.

Sinopse

Vinte e oito anos depois de ter deixado sua cidade natal, Laranjais, Pedro retorna, advogado de sucesso e respeitado. Reencontra a noiva que deixara, Madalena. Junto à trama romântica, a rivalidade política entre as famílias de Pedro (os Lemos) e de Madalena (os Caldas). A família de Madalena é liderada pela irmã Marta, com mão de ferro, e ela se revolta contra o irmão Tomé, a seu ver um fraco, que não optou pela política como o falecido pai deles. Conta com a presença de um circo, cujos artistas têm ligações profundas com a população da cidadezinha.



Locomotivas foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo entre 1º de março e 12 de setembro de 1977, contou com 167 capítulos. Foi escrita por Cassiano Gabus Mendes, tendo sido a primeira novela em cores de seu horário.

Sinopse

A novela tem como eixo central a família de Kiki Blanche (Eva Todor), uma ex-vedete de 54 anos. Longe da profissão há tempos, Kiki tem a vida voltada para a família e seu instituto de beleza, na zona sul do Rio de Janeiro, cuja gerência está a cargo de Milena (Aracy Balabanian), sua única filha legítima. Além desta, os filhos adotivos Fernanda (Lucélia Santos), Paulo (João Carlos Barroso), Renata (Thaís de Andrade) e Regina (Gisela Rocha) vivem desencontros amorosos da trama.

Fernanda se apaixona por Fábio (Walmor Chagas), o mesmo homem amado por Milena. O clímax da trama acontece quando se revela que Milena é a verdadeira mãe de Fernanda. Este é um dos grandes conflitos de Locomotivas, e Milena acaba desistindo de Fábio em nome da felicidade da filha.

Acompanha-se também a história de Netinho (Dennis Carvalho), que vive pressionado pela possessiva mãe, Margarida (Miriam Pires). Em meio a suas questões familiares, ele nem sequer percebe que sua vizinha Celeste (Ilka Soares), uma mulher mais velha, é apaixonada por ele.



Dona Xepa foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida às 18h de maio a outubro de 1977. Foi escrita por Gilberto Braga, baseada na peça teatral homônima de Pedro Bloch. Dirigida por Herval Rossano. Tinha 132 capítulos em sua versão original.

Sinopse

Dona Xepa é uma mulher batalhadora, que criou sozinha os dois filhos, Edson (Reinaldo Gonzaga) e Rosália (Nívea Maria), depois de ser abandonada pelo marido. Apesar das dificuldades financeiras, Xepa fez de tudo para educar os meninos da melhor maneira possível. Os dois estudaram em boas escolas e universidades, ascenderam intelectual e socialmente, e começaram a sentir vergonha da mãe feirante.

Edson quer ser escritor, mas encontra muitas dificuldades para entrar no mercado de trabalho. Rosália tem como meta de vida se casar com um homem rico e bem-sucedido e rejeita a paixão que sente por seu vizinho Daniel (Edwin Luisi).

As tramas paralelas de Dona Xepa giram em torno do personagem Heitor (Rubens de Falco) e sua madrasta Clorita (Ana Lúcia Torre). Heitor se apaixona por Rosália, e os dois acabam se casando, para desespero da arrivista Clorita, que não aceita receber Xepa em sua casa. A grã-fina humilha Xepa sempre que pode, tornando-se sua antagonista.



Espelho Mágico foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 14 de junho a 5 de dezembro de 1977, às 20 horas. Foi escrita por Lauro César Muniz, dirigida por Daniel Filho(que acumulou a direção geral), Gonzaga Blota e Marco Aurélio Bagno e contou com 149 capítulos.

Sinopse

A telenovela retrata o dia-a-dia de um grupo de pessoas ligadas ao meio artístico e seus problemas pessoais, suas crises, seus sucessos e fracassos.

Diogo Maia e Leila Lombardi são um casal de atores famosos por seu trabalho na TV. Mas sua relação tem que enfrentar a oposição de Beatriz, filha adolescente do primeiro casamento de Leila, que quer a mãe ao lado do pai, o dramaturgo Jordão Amaral.

Atualmente eles são os astros da novela Coquetel de Amor, escrita por Jordão, em sua estréia como novelista, e dirigida por João Gabriel. No elenco, também está a atual mulher de Jordão, a veterana atriz Nora Pelegrini, que já não se contenta mais em ser uma coadjuvante. Nora voltava à carreira de sucesso interrompida com o casamento com Jordão. Ela, que no passado sempre ganhara papéis de protagonista, retornava em papel secundário.

Enquanto muitos brilham como astros, outros lutam para conseguir lugar nesse tão disputado mundo, como a jovem e ambiciosa atriz Cynthia Levy, que lançava mão de todos os recursos para se projetar;a ex-Miss Brasil Diana Queiroz, que iniciou a carreira em filmes de forte apelo popular e quer dar uma nova guinada em sua carreira profissional;os jovens atores Nestor Rey, vindo do interior para tentar a sorte no Rio de Janeiro, e Paulo Morel, que ganha impulso em sua carreira ao ser chamado às pressas para substituir um dos protagonistas da peça Cyrano de Bergerac, adaptada pelo dramaturgo Gastão Cortez e estrelada por Diogo Maia.

Outros trocam a vida artística pelo casamento tranquilo, como Bruna Maria, que havia abandonado a carreira de atriz em troca do casamento com o empresário Nelson Novaes e não suportava mais a vida doméstica. Outros insistem em velhas fórmulas de sucesso, como Carijó, comediante popular na época das companhias de teatro de revista, que perdeu o lugar com a chegada da televisão, mas que ainda mantinha a dupla cômica com a filha Lenita em espetáculos simplórios.

Outros lados do universo dos espetáculos são abordados por meio das profissões:o jornalista Edgar Rabelo, colunista da revista Magia, especializado na cobertura do mundo artístico, que usa de vários artifícios para entrevistar os atores, além de algumas vezes escrever matérias bombásticas sobre televisão;o dublador Vicente Drumond;e a bailarina Luisa Barbosa.

Mas, assim como todo mundo, essas celebridades do mundo artístico têm seus problemas pessoais, suas crises, seus sucessos e fracassos.



Nina foi uma telenovela brasileira, produzida e exibida pela Rede Globo de 27 de junho de 1977 a 14 de janeiro de 1978, às 22 horas. Escrita por Walter George Durst, baseada na obra de Galeão Coutiho e dirigida por Fábio Sabag, contou com 142 capítulos.

Sinopse

Na década de 20, Nina é professora numa rígida escola. Ao saber que a menina Isadora teve rejeitada a matrícula por se tratar de filha de artistas, ela se manifesta contra a decisão. A partir daí, enfrentará obstáculos ao tentar impor novas idéias e para viver o seu amor pelo imigrante italiano Bruno. Uma aluna é assassinada na escola e a culpa recai sobre Nina, que precisa lutar para provar sua inocência.



Sem Lenço, Sem Documento foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo de 13 de setembro de 1977 a 4 de março de 1978. Foi escrita por Mário Prata e apresentada em 149 capítulos.

Sinopse

Rosário deixa Olinda e vai tentar a sorte na cidade do Rio de Janeiro onde já trabalham, como domésticas,suas três irmãs Cotina, Graça e Dorzinha.Na cidade maravilhosa,a moça vai trabalhar na casa da manequim e escritora Carla.E acaba se apaixonando pelo complicado Zé Luís.

Enquanto isso, Marco se divide entre o amor de duas belas mulheres,as irmãs Carla e Berta.Ou seria Carla a ficar dividida entre o amor de Marco e Bilé? Também o amor de Dinho,um boa praça sem sorte,pela estudante Lívia,filha dos milionários Heleno e Gina Duran,os patrões de Cotinha.



Sinhazinha Flô foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e levada ao ar às 18h de 25 de outubro de 1977 a 28 de janeiro de 1978. Foi escrita por Lafayette Galvão, com base nos romances A Viuvinha, Til e O Sertanejo, de José de Alencar, e dirigida por Herval Rossano e Sérgio Mattar.

Sinopse

Em 1880, a luta pela libertação dos escravos está no auge e a República caminha a passos largos para ser implantada.

É nesse cenário que nasce o amor entre Sinhazinha Flô e Arnaldo. Ele é um vaqueiro pobre que luta, na sua condição de mestiço (filho da escrava Zana), pelo amor de Flô, filha de seu patrão. Já a jovem vacila entre Arnaldo e um amor de infância: Jorge, um rapaz que procura sua liberdade particular. Vendendo sua fazenda ao Capitão Gervásio Campelo, Jorge vai até o Rio de Janeiro tentar a fortuna através de jogos e negócios escusos com homens do café.

Já a jovem Chiquinha, filha do Capitão Campelo e amiga de Flô, apaixona-se por Murilo, um ladrão de cavalos, contrariando toda sua formação paterna. Ela se desespera quando o pai a obriga a se casar com um homem mais velho que, sobretudo, não ama.



O Astro foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 6 de dezembro de 1977 e 8 de julho de 1978, às 20 horas. Foi escrita por Janete Clair e dirigida por Daniel Filho e Gonzaga Blota, tendo contado com 185 capítulos. Daniel Filho acumulou a direção geral.

Sinopse

A novela começa em 1962, ano da conquista do bicampeonato mundial de futebol pelo Brasil, quando, na cidade de Guariba, Herculano Quintanilha é traído pelo companheiro de trapaças, Neco da Silva, que foge com o dinheiro angariado para a reforma da igreja do lugarejo com a conversa dos "arquitetos". Herculano é humilhado em praça pública e foge para o Rio de Janeiro, deixando a mulher, Doralice, e o filho pequeno Alan, prometendo vir buscá-los um dia. A história, então, começa a se passar no ano de 1974, doze anos depois, quando Herculano trabalha numa churrascaria, fazendo apresentações na pele de um tarólogo, astrólogo, cartomante, quiromante e assemelhados. Numa de suas apresentações, reconhece entre os clientes o amigo traidor, Neco, de quem novamente se aproxima, porém cheio de mágoa e à espera de uma oportunidade para se vingar.

Paralelamente(a princípio), corre a história da milionária família Hayalla, capitaneada pelo patriarca Salomão, que é casado com a fútil Clô e pai de Márcio, um jovem que se diz enviado de São Francisco de Assis e rejeita a riqueza da família. Salomão sempre planejou que o filho tomasse conta de tudo um dia, mas o rapaz não se mostra nem um pouco propenso. Márcio resolve sair de casa, depois de ser internado num hospício, fugir e se desentender mais uma vez com o pai. Nessa fuga, conhece Herculano, que se aproxima aos poucos dos Hayalla, graças a uma de suas clientes, Beatriz, secretária da diretoria do grupo. É também através de Beatriz que, na churrascaria, Herculano conhece Amanda Mello Assumpção, diretora da construtora que leva o seu nome de família e ex-mulher de Samir Hayalla, um dos tios paternos de Márcio.

Márcio passa a morar com Herculano e conhece Lili, cunhada de Neco, moça humilde que não pensa em depender de homem nenhum para tocar a vida, trabalhando na barbearia do cunhado e até como taxista. Contrariando os desejos de sua família, que quer vê-lo casado com Jose, irmã de Amanda, Márcio se apaixona pela suburbana Lili, com quem se envolve. Para complicar ainda mais, Lili se divide entre Márcio, a quem ama de verdade, e o bondoso açougueiro Natal, apaixonado pela moça. Herculano e Amanda também se envolvem amorosamente.

No capítulo 42, dá-se a notícia:Salomão Hayalla está morto, seu carro fora encontrado em destroços no Alto da Boa Vista. Depois, descobre-se que, na verdade, ele havia morrido antes, misteriosamente assassinado, e o criminoso planejou tudo para que parecesse um acidente. Márcio então cumpre os desejos do pai, com remorso:assume a direção das empresas, tendo Herculano como braço direito, e se casa com Jose, com Lili sendo afastada dele por uma trama de Clô, a qual acaba fazendo a moça passar algum tempo na cadeia. Enquanto Herculano galga cada vez mais rápido postos na hierarquia das empresas dos Hayalla, corre a investigação em torno da morte do patriarca. Márcio segue apaixonado por Lili, dividida entre ficar com ele ou casar com Natal. Jose é infeliz no casamento, e o filho de Herculano, Alan, vai morar com o pai no Rio de Janeiro.

Herculano, valendo-se de sua alta posição nas empresas, trai a confiança de Márcio e ganha muito dinheiro em transações escusas. O crime do passado em Guariba e os expedientes atuais são descobertos por Samir(empenhado graças ao despeito por Amanda tê-lo trocado pelo "professor"), e Herculano foge. Jose morre e Márcio pode, enfim, viver ao lado da amada e do filho, Chiquinho. É descoberto o assassino do milionário:Felipe Cerqueira, jovem com problemas com entorpecentes, amante de Clô, o qual agira com a cumplicidade do amigo cabeleireiro Henri. Amanda vai ao encontro de Herculano, num país da América Central onde ele exerce função de confiança junto ao velho presidente. À chegada da mulher, Herculano fica muito feliz, mas, a um chamado do presidente, sai, dizendo não demorar. Sozinha, Amanda compreende que o poder é o que de fato importa ao homem a quem ama, voltando ao Brasil e preferindo para sempre perdê-lo.



O Pulo do Gato foi uma telenovela da Rede Globo, escrita por Bráulio Pedroso, e exibida de 16 de janeiro a 28 de julho de 1978, em 140 capítulos, no horário das 22h. Foi dirigida por Jardel Mello e supervisionada por Walter Avancini.

Sinopse

Bubby Mariano é um playboy decadente e mulherengo que tenta manter seu status social a qualquer preço. Mora na Zona Sul do Rio de Janeiro e já foi muito rico, mas nos últimos anos sobrevive com o dinheiro da venda, em segredo, de quadros de sua pinacoteca, falsificados pelo amigo Caxuxo.

Prestes a ficar pobre, o ex-milionário pretende dar um golpe nos grã-finos que o rodeiam para escapar à falência. E, através de seu traquejo com a elite, usa três garotões pobres - Procópio, Billy e Nando - para se aproximarem de ricaças carentes.

Mas os planos de Bubby Mariano fracassam e ele perde a mulher de sua vida, Noêmia, e a filha, Mayra.



Maria, Maria foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo em 1978, contou com 125 capítulos. Foi escrita por Manoel Carlos, adaptando o romance Maria Dusá, de Lindolfo Rocha, e dirigida por Herval Rossano.

Sinopse

A trama principal envolve as irmãs gêmeas Maria Alves e Maria Dusá (ambas interpretadas por Nívea Maria) e o tropeiro Ricardo Brandão (Cláudio Cavalcanti). As irmãs não se conhecem e têm personalidades e posições sociais muito distintas: Maria Alves, conhecida como Mariazinha, é meiga e sincera; Maria Dusá é rica e orgulhosa.

A história começa no sertão da Chapada Diamantina, quando o tropeiro Ricardo Brandão encontra Raimundo Alves (Wilson Grey). Com uma situação de vida miserável, Raimundo oferece sua filha, Maria Alves, a Ricardo, em troca de alguns mantimentos. Ricardo, apesar de se apaixonar pela moça à primeira vista, deixa-a livre para escolher se quer ou não acompanhá-lo. Maria prefere ficar ao lado dos irmãos, mas não consegue tirar Ricardo dos seus pensamentos.

Passado algum tempo, o tropeiro vai ao povoado de Xique-Xique, na Chapada Diamantina, e encontra a outra Maria, a Dusá, idêntica à moça simples por quem se apaixonara. Maria Dusá, no entanto, ao contrário da Maria Alves, vive cercada de luxo, numa das casas mais ricas da região. A partir daí, iniciam-se os encontros e desencontros de Ricardo com as duas Marias.



Te Contei? foi uma telenovela brasileira, produzida e exibida no horário das 19 horas, pela Rede Globo, de março a setembro de 1978. Foi escrita por Cassiano Gabus Mendes e dirigida por Régis Cardoso. Teve 151 capítulos.

Sinopse

Léo é um rapaz que ficou cego aos catorze anos, mas é bem-humorado e aproveita a vida ao máximo. Mora na pensão de dona Lola, uma espanhola que se mete na vida de todos os hóspedes. O moço se envolve com a filha dela, Shana, e com a misteriosa Sabrina, uma jovem cleptomaníaca.



Gina foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo, de 26 de junho a 7 de outubro de 1978, contou com 89 capítulos. Foi escrita por Rubens Ewald Filho e estrelada por Christiane Torloni, baseada em romance homônimo de Maria José Dupré, direção de Sérgio Mattar e supervisão geral de Herval Rossano. Teve alguns capítulos gravados em Nova Iorque.

Sinopse

A novela conta a trajetória de Gina (Christiane Torloni), apresentando três fases de sua vida. A primeira tem início em 1956, na juventude, num bairro da zona norte carioca, onde Gina conclui seu curso no Instituto de Educação. Cansada de viver em conflito com a madrasta Julica (Myrian Pires) e a meio-irmã Zelinda (Fátima Freire), ela decide sair de casa.

A segunda fase da história é ambientada em 1958 e narra o momento em que a jovem vai estudar nos Estados Unidos, após sofrer uma decepção amorosa com o namorado Marcelo (Ricardo Wanick). Gina decide se dedicar totalmente à pintura e aceita a proposta do amigo Olegário (Castro Gonzaga), um famoso negociante de artes, para ir a Nova York aprimorar sua técnica. Lá, ela conhece Fernando (Emiliano Queiroz), um diplomata brasileiro por quem se apaixona.

A terceira fase da novela, passada em 1978, mostra a ascensão social de Gina. Casada com Fernando e mãe de dois filhos, Helena (Louise Cardoso) e Jorge (Arlindo Tadeu), ela também começa a ter reconhecimento como artista plástica. Nessa fase, além dos problemas com os filhos, Gina luta para fugir das intrigas da invejosa Mirtes (Theresa Amayo), que começa a espalhar boatos maliciosos para atrapalhar sua vida.



Dancin' Days foi uma telenovela brasileira, produzida e exibida pela Rede Globo de 10 de julho de 1978 a 27 de janeiro de 1979, às 20 horas. Foi escrita por Gilberto Braga e dirigida por Daniel Filho, Gonzaga Blota, Dênis Carvalho, Marcos Paulo e José Carlos Pieri, tendo contado com 173 capítulos.

Sinopse

Júlia de Souza Matos é uma ex-presidiária, que ganha liberdade condicional após onze anos de prisão. Ela foi presa por atropelar acidentalmente,um homem durante a fuga a um assalto a um banco. Sua filha, com apenas 4 anos, é enviada a um orfanato e meses depois, vai morar com sua milionária tia, irmã de Júlia. Após sair da cadeia, onde sofreu muito, ela tenta se reaproximar da filha, Marisa de Souza Matos, tendo como principal obstáculo a irmã, Yolanda de Souza Matos Pratini, que criou a menina cercada de luxos e mimos, já que ela teve dois filhos que morreram recém-nascidos, ficou com um grande trauma de ter filhos novamente e viu na sua sobrinha a filha que ela sempre quis ter. Yolanda é uma socialite que optou por se casar por interesse para subir na vida, sempre teve inveja da irmã, e desde que Júlia foi presa, ela faz de tudo para afastar Marisa da mãe, já que ela acha que Júlia poderá influenciar negativamente a filha. Ela queria que Marisa e a irmã trilhassem o mesmo caminho de sucesso, luxo e poder, assim como ela mesma fez. Júlia, corajosa e determinada, tenta, sem muito sucesso, se restabelecer fora do presídio, tentando arranjar emprego, enquanto faz das tripas coração para ser aceita pela filha. Marisa é uma adolescente de temperamento rebelde, não se lembra do pai, e é dominada pela tia, que a criou. Ela é a única que consegue conter o jeito brigão e encrenqueiro de Marisa, assim como a mãe. Em meio a tudo isso, Júlia acaba se envolvendo amorosamente com Cacá, um diplomata desiludido com a profissão. Tudo o que ela quer é o amor e o perdão de sua filha. Júlia vai morar com Cacá e arranja um emprego temporariamente.

Ao aproximar-se da filha com outra identidade, ela se disfarça e passa a conviver com a filha como uma garota da idade dela, sendo que Marisa nem desconfia de que a amiga é sua mãe. Júlia luta para que Marisa, à beira de um casamento precoce, tome decisões maduras perante a vida. Marisa é influenciada pela tia a casar por interesse e aceita casar com Beto, filho de boas famílias, e passa a seduzi-lo e acaba engravidando para dar o golpe da barriga, nada do que ela queria, mas o que ela fez para agradar à tia.

No dia do casamento da filha, Júlia revela ser sua mãe e tenta impedir a cerimônia, sabendo que a filha vai sofrer por ter agido impulsivamente, mas não obtém sucesso. Ela bebe muito na festa e passa a dar escândalos. Ela é o oposto da irmã: sincera, mas brigona e escandalosa. A irmã é falsa, mas chique e discreta. Marisa morre de vergonha da mãe, e diz que sua tia é sua mãe. Durante a recepção da festa, acaba por agredir com palavras e pancadas, sem nenhum motivo, completamente embriagada, Franklin, o pai do noivo de Marisa, Beto que irá se casar porque a engravidou e não teria como escapar. Graças à atitude precipitada de uma convidada, Áurea, de chamar a polícia, Júlia acaba novamente presa, bêbada e gritando muito e xingando, para desgosto da filha, que chora de raiva da mãe.

Júlia é jogada alcoolizada e maltrapilha num camburão e condenada a mais seis meses de prisão. Ao entrar no camburão, Júlia promete vingança, considerando isso mais uma humilhação por conta da irmã e da filha e diz que as duas são iguais e se merecem. Ela jura a si mesma que ninguém mais a humilhará pelo seu passado.

Após sair da cadeia, Júlia passa a se tratar e para de beber. Ela conhece um milionário - Ubirajara - e eles passam a namorar, pois ela foi abandonada por Cacá. Após meses sem falar nada a irmã e a filha que ela saiu da cadeia, ela aceita se casar com o milionário Ubirajara somente por dinheiro a princípio. Ele é um homem muito solitário e se revela totalmente apaixonado por ela, redescobrindo os prazeres da vida e Júlia, sem querer, descobre com ele o verdadeiro amor.

Após uma viagem internacional de lua-de-mel e um providencial banho de loja, retorna exuberante, milionária, toda maquiada, com roupas de grife, e com saltos super altos, se trasformando numa mulher chique e poderosa, que ninguém pisará mais. Ela volta numa limousine cara e importada, no dia da inauguração da discoteca Dancin' Days, sob a direção de Hélio, surpreendendo a todos — principalmente a Yolanda e a Marisa —, marcando assim a virada da personagem. Ela chega dançando muito, rebolando ao som alto das músicas modernas. Ela tira o roupão que vestia e passa a dançar com roupas curtas em cima das mesas, com um copo de whisky junto. Mais uma vez Marisa sente vergonha da mãe, que dá um show de sensualidade. Os homens gritam pedindo mais. Yolanda se choca e diz que a irmã virou prostituta e deu um golpe milionário. Júlia quer mais é aparecer e causar muitas polêmicas, além de envergonhar a irmã e a filha.

Após um show de sensualidade na pista de dança, nas mesas e balcões, Júlia dá início ao seu plano de vingança: Pisar nas pessoas que a fizeram sofrer - Cacá, que, ao reencontrá-la, não teve coragem de se separar da noiva, além de tê-la abandonado na cadeia, a filha, Marisa, que sempre a rejeitou. Também se vingará de Yolanda, que se encontra separada de Horácio está totalmente falida, sofrendo na pobreza e pagando pelas maldades que fez.

Júlia se torna uma mulher admirada por todos, assumindo a mesma postura fútil que marcava a personalidade da irmã, humilhando-a diante da sociedade. Após uma separação amigável de Ubirajara, Júlia irá lutar pelo grande amor de sua vida - Cacá e querendo aproximar-se da filha, Marisa, que continua a rejeitá-la. No final, Júlia conseguirá o perdão de sua filha, que entretanto se separa de Beto, e aproximar-se-á de sua irmã, Yolanda, que começa a trabalhar numa revista e sofre uma reviravolta na sua vida, tornando-se compreensiva com todos. A novela termina com Júlia reconquistando o grande amor de sua vida, Cacá.



Sinal de Alerta foi uma telenovela brasileira, produzida e exibida pela Rede Globo de 31 de julho de 1978 a 26 de janeiro de 1979, às 22 horas. Escrita por Dias Gomes, auxiliado por Walter George Durst nos 30 capítulos finais, foi dirigida por Walter Avancini, Jardel Mello e Paulo Ubiratan e teve 116 capítulos.

Sinopse

A história conta a vida do empresário Tião Borges (Paulo Gracindo), um homem que enriqueceu rapidamente e é o dono da fábrica Fertilit, no Rio de Janeiro. Ele vive em conflito com a sua ex-mulher, Talita (Yoná Magalhães), jornalista e dona do jornal Folha do Rio. Ela inicia uma campanha contra a fábrica de Tião. A Fertilit produz fertilizantes e inseticidas e é responsável por uma grande destruição do meio ambiente. Alguns operários da fábrica também aderem à campanha do jornal, como Consuelo (Isabel Ribeiro) e Adelaide (Ruth de Souza). As duas se tornam líderes das manifestações em defesa do meio ambiente.

Outro problema enfrentado por Tião Borges na trama é o fato de sua noiva Sulamita (Vera Fischer) ser acusada de estar envolvida com drogas e virar notícias nas páginas de jornal.



Pecado Rasgado foi uma telenovela brasileira, produzida e exibida no horário das 19 horas, pela Rede Globo, entre 1978 e 1979, contou com 167 capítulos. Foi escrita por Sílvio de Abreu e dirigida por Régis Cardoso.A novela teve Aracy Balabanian e Juca de Oliveira como protagonistas e Renée de Vielmond como antagonista principal.

Sinopse

Renato, viúvo e quarentão, vive com a filha adolescente Cris, e a cunhada Estela, uma mulher possessiva que nutre um amor doentio por ele. Ao conhecer e se apaixonar pela psicóloga Teca, uma mulher engajada e independente, Renato terá que enfrentar o ciúme de Estela e suas armações, principalmente quando ela coloca a sobrinha Cris contra o pai.

Estela é também responsável pelos problemas psicológicos da irmã Eunice, uma viúva reprimida que sofre com a morte do marido, impedindo-a de viver sua própria vida, principalmente quando Nélio, amigo de Renato, desperta interesse pelos problemas de Eunice. Enquanto isso Cris tem um movimentado namoro com o jovem Rodrigo.

Ainda os problemas de Maurício, casado com Rachel uma contrabandista, e seu amor maduro pela antiga namorada, Zoraide, uma mulher sofrida, que é perseguida por Raimundo e amargurada que impede sua filha Beatriz a namorar Geraldo, filho de Maurício e Rachel.



A Sucessora foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida no horário das 18 horas de 9 de outubro de 1978 a 2 de março de 1979. Foi uma adaptação do livro homônimo de Carolina Nabuco, feita por Manoel Carlos e dirigida por Herval Rossano, Gracindo Júnior e Sérgio Mattar. Teve 125 capítulos.A novela tem como Susana Vieira e Rubens de Falco como protagonistas e Natalia Timberg como antagonista principal da novela.

Sinopse

Os recém-casados Roberto e Marina Steen enfrentam dificuldades em sua relação por conta da memória da ex-mulher de Roberto, Alice Steen. Cultuada num retrato, mesmo depois de morta, Alice exerce um fascínio todo especial em todos com quem conviveu, principalmente na governanta Juliana, absolutamente fiel à antiga patroa e apaixonada pelo patrão. Vendo em Marina uma intrusa que está ocupando um lugar que não lhe pertence, Juliana mantém na mansão um clima de mistério e cria intrigas para separar o casal, chegando a levantar uma suspeita quanto a um relacionamento de Marina com Lopes, ex-capataz da fazenda onde a moça vivia.

Mas outras pessoas também torcem pela desunião do casal, como Adélia, antiga rival de Marina, e Miguel, que perdeu o amor da prima. Ainda, Marina, jovem criada com toda a simplicidade do campo, é obrigada a defrontar-se com um mundo repleto de etiquetas e francesismos, como mandava a sociedade do Rio de Janeiro, capital do país na década de 20.



Pai Herói foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 29 de janeiro a 18 de agosto de 1979. Foi escrita por Janete Clair e dirigida por Gonzaga Blota, Roberto Vignati e Roberto Talma, com supervisão de Daniel Filho. Contou com 173 capítulos, sendo que Walter Avancini também a dirigiu durante os 20 primeiros.

Sinopse

André Cajarana (Tony Ramos) é criado na cidade de Paço Alegre, em Minas Gerais, pelo avô paterno (Lima Duarte). André cresceu acreditando que o seu pai era um grande homem. Com a morte do avô, ele vem para o Rio de Janeiro, na tentativa de esclarecer a morte do seu pai, Malta Cajarana (também Lima Duarte), e descobre que ele era tido como um bandido, acusado de roubar terras de Nestor (Dionísio Azevedo). No Rio, André percebe que o homem que se casara com sua mãe, Gilda (Maria Fernanda), era o principal suspeito do desaparecimento do seu pai. O padrasto de André, Bruno (Paulo Autran), se torna, então, o antagonista de André na trama.

No Rio, André se envolve com duas mulheres: Carina (Elizabeth Savalla) e Ana Preta (Glória Menezes). A primeira é uma bailarina de sucesso e pertence a uma tradicional família carioca. Ela é neta de Januária Limeira Brandão (Lélia Abramo) e se casou com César Reis, um homem desonesto que está interessado apenas no dinheiro da mulher. Carina acaba se apaixonando por André. Porém, o personagem também se envolve com Ana Preta, moradora do subúrbio carioca e dona de uma casa de Samba, a Flor de Lys. Os três passam a formar, então, um triângulo amoroso na história.

Um personagem marcante foi Gustavo Gurgel (Cláudio Cavalcanti), um decorador de interiores que fingia ser afeminado para se aproximar de Walkíria (Rosamaria Murtinho), noiva de César Reis (Carlos Zara).

Em Pai herói, um dos principais elementos da trama é a dança, destacada pelas personagens de Carina e Ana Preta, através do balé clássico e do samba.

Por volta do capítulo 70, a autora Janete Clair decidiu fazer uma mudança na trama de Pai Herói. A novela apresentava histórias muito complexas, o que estava abaixando os seus índices de audiência. Para atrair mais telespectadores, a solução encontrada foi matar César Reis. O suspense em torno do assassinato durou até os últimos capítulos, quando a verdadeira identidade do criminoso foi revelada: Bruno Baldaracci. César foi assassinado porque descobriu provas que comprometiam Bruno com a Justiça.

O último capítulo de Pai Herói teve um dos mais altos índices de audiência de uma telenovela até então. Os telespectadores acompanharam a fuga do vilão Baldaracci – que, vestido de pierrô, escapou da prisão a bordo de um helicóptero –, o desfile de Ana Preta na Escola de Samba Beija-Flor de Nilópolis e a reconciliação do casal André e Carina.



Memórias de Amor foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo, de março a junho de 1979, contou com 77 capítulos. Foi escrita por Wilson Aguiar Filho, baseada no romance O Ateneu, de Raul Pompéia, com direção de Gracindo Júnior e a supervisão de Herval Rossano.

Sinopse

Rio de Janeiro, 1888. Jorge e Lívia são separados no amor por imposição de Aristarco Argolo de Ramos, pai de Jorge e dono do maior colégio interno para rapazes da corte carioca: O Ateneu. A história mostra o relacionamento dos alunos do colégio, como Sérgio, que aos poucos vai se aborrecendo com os métodos apresentados até o desencantamento.



Feijão Maravilha foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida às 19 horas de 19 de março a 4 de agosto de 1979. Escrita por Bráulio Pedroso e dirigida por Paulo Ubiratan, foi apresentada em 119 capítulos.

Sinopse

O principal cenário da novela é o Hotel Internacional, onde Eliana trabalha como recepcionista. Eliana namora Anselmo, que também trabalha no hotel. Entre os hóspedes, a presença do misterioso Ambrósio, sempre acompanhado da loura Marilyn Méier; o "gringo" Mr. Ziegfeld; o príncipe árabe Rachid, que vem para contratar Zico; a bondosa Madame Fifi, entre outros. Há também a quadrilha formada por Scarface, Neném Minhoca, Formoso e Coruja.

A novela fazia uma homenagem às chanchadas da Atlântida, e isso era mais do que perceptível: José Lewgoy na pele de vilão que tantas vezes personificou nos filmes da companhia; o casal que passa por mil peripécias cômicas (Lucélia e Stepan); um cenário luxuoso (o hotel) por onde circulam os vários tipos, a presença de grandes nomes do gênero em papéis especialmente pensados para eles (Grande Othelo - que fez dupla com Olney Cazarré para suprir a ausência de seu eterno parceiro, Oscarito -, Eliana Macedo, Adelaide Chiozzo, Anselmo Duarte, Mara Rúbia, Ivon Cury). A novela correu no melhor estilo comédia despretensiosa. Depois de Feijão maravilha apostou-se mais nas comédias rasgadas no horário das sete, no qual até então predominavam as comédias românticas.

Participações especiais de Francisco Cuoco, como o dono de um galinheiro no primeiro capítulo, Jô Soares, Cláudio Corrêa e Castro, Stênio Garcia, Zico, Sócrates, além de Chico Anysio na pele da senhora gaúcha Salomé de Passo Fundo, que conversava por telefone intimamente com o presidente João Figueiredo.

Uma cena inesquecível foi Stepan Nercessian se fazendo passar por Sidney Magal num show onde o cantor não compareceu.

Destaque para Clarisse Piovesan, numa réplica brasileira de Marilyn Monroe, e José Lewgoy, relembrando os bons tempos de vilão da velha Atlântida. Eliana Macedo e Anselmo Duarte fizeram par romântico em vários filmes da Atlântida, e cenas destes filmes eram levadas ao ar no decorrer da novela em flashbacks como se fossem de seus personagens. Nos capítulos finais Anselmo apareceu como Trindade, o marido de Soraia (Eliana Macedo), dado como morto. Grande Othelo, Olney Cazarré e Walther D'Ávilla estiveram impagáveis em seus personagens.



Cabocla foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo em 1979, contou com 167 capítulos. Foi escrita por Benedito Ruy Barbosa.

Sinopse

Em 1924, Joaquim (Milton Moraes) se surpreende quando o médico diz que seu filho, Luís Jerônimo (Fábio Júnior) está com uma lesão no pulmão. Ele é aconselhado pelo seu médico a deixar o Rio de Janeiro. Ele vai para a fazenda do coronel Boanarges (Cláudio Corrêa e Castro), que fica localizada na pequena Vila da Mata, no Espírito Santo, em busca de um ar mais puro. Na fazenda do primo, ele conhece Zuca (Glória Pires), e os dois se apaixonam. Zuca é afilhada do coronel e noiva do destemido peão Tobias (Roberto Bomfim), que não se conforma de jeito nenhum em perder a cabocla para o forasteiro. Zuca e Luís Jerônimo vão enfrentar inúmeras dificuldades para viverem esse amor. A briga pelo poder local de Vila da Mata é destacada na figura dos dois coronéis da história: Boanerges e Justino (Gilberto Martinho). No meio dessa disputa, surge a paixão entre Belinha (Simone Carvalho) e Neco (Kadu Moliterno) – ela, filha de Boanarges, e ele, filho de Justino. Os dois enfrentam a oposição das duas famílias para poderem ficar juntos. Neco abandona os estudos e decide se dedicar a política local. Já Boanerges para afastar sua filha de Neco, decide levá-la para um convento. No entanto, ela é mandada embora do convento porque não tem vocação e decide enfrentar o pai para viver o seu amor. Joaquim, pai de Luís Jerônimo, se apaixona por Pequetita (Ísis Koschdoski), e os dois vão viajar para a Europa. O romance entre Zuca e Luís é ameaçado com a chegada de Pepa (Arlete Salles) em Vila da Mata. Apaixonada pelo forasteiro, ela tenta de todas as formas separar o casal. No entanto, para surpresa de todos, Pepa acaba se envolvendo com coronel Justino e engravida dele. Neco surge como o novo líder político na região. Através do seu personagem, a novela passa a tratar da importância do voto consciente. Nos seus discursos contra os coronéis da região, o personagem Neco sempre apregoava: "O voto não se vende". No final da trama, Justino apoia a candidatura de Boanarges, colocando um fim à disputa política entre os dois. Luís Jerônimo chega a voltar para o Rio de Janeiro, mas não consegue de jeito nenhum esquecer Zuca. Ele consegue se recuperar da tuberculose e acaba comprando uma fazenda na região. Contra a vontade dos pais, Zuca se casa com Luís numa igreja vazia. Os dois têm uma filha. O peão Tobias se casa com Mariquinha (Fátima Freire), filha do coronel Justino. Belinha e Neco se casam diante de uma plateia emocionada. Meses depois, Justino tem um filho e um neto – filho de Mariquinha e Tobias. Pepa está novamente grávida e o filho de Belinha e Neco, prestes a nascer. Como amigos, o coronel Boanarges sobe no palanque para discursar ao lado do genro.



Marron Glacé foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de agosto de 1979 a fevereiro de 1980 às 19h, contou com 179 capítulos. Escrita por Cassiano Gabus Mendes e dirigida por Gracindo Júnior, Gonzaga Blota, Sérgio Mattar e Walter Campos.

Sinopse

A novela mostrava o dia-a-dia do grupo de garçons do buffet Marron Glacê, de propriedade de Madame Clô, e as histórias de cada um deles: Oscar, garçom solitário que vive com duas velhinhas: Dona Beá e Dona Angelina, e renegado pelo filho Luís César.

Nestor, que divide um apartamento com Zina e Luís César, o filho de Oscar.

Juliano, garçom que tem ataques de ciúmes, casado com a provocante Shirley.

Otávio, que se emprega como garçom para se infiltrar na empresa. Otávio acredita que a família de Madame Clô foi a responsável pela miséria de seu pai anos atrás. O que ele não esperava era que a sua vingança arquitetada se tornasse um amor verdadeiro por Vanessa, uma das filhas de Madame Clô.

Valdomiro, maître, que, com sua mania de absoluta perfeição, é um dos responsáveis pela boa fama e reputação do buffet.



Os Gigantes foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida entre 20 de agosto de 1979 e 2 de fevereiro de 1980, às 20 horas. Foi escrita por Lauro César Muniz com colaboração de Maria Adelaide Amaral e dirigida por Régis Cardoso e Jardel Mello, tendo contado com 143 capítulos.

Sinopse

Paloma Gurgel, uma jornalista famosa e respeitada, retorna à sua cidade natal, depois de longa ausência, para resolver problemas familiares causados pela situação de seu irmão gêmeo, Fred, que sofrera uma cirurgia e está no regime de meia-vida, a base de aparelhos. Ela reencontra dois amigos de infância, Chico Rubião e Fernando Lucas, ambos apaixonados por ela. Paloma, querendo acabar com a dor do irmão, desliga um dos aparelhos, provocando a morte do rapaz. A partir de então, ela tem de lutar contra o processo movido por sua cunhada, Veridiana, e lutar consigo mesma, já que agora tem que manter a família e decidir com qual dos amigos quer ficar.



Olhai os Lírios do Campo foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo em 1980. Foi escrita por Geraldo Vietri e Wilson Rocha, e dirigida por Herval Rossano. Baseada no romance Olhai os lírios do campo de Érico Veríssimo, escrito em 1938. Teve 107 capítulos.

Sinopse

No Rio Grande do Sul da década de 1930, Eugênio Fontes (Cláudio Marzo) é um estudante de medicina em busca de ascensão social. Na faculdade, ele conhece Olívia Miranda (Nívea Maria), e os dois se apaixonam. Mas Eugênio acaba se casando com Eunice (Thaís de Andrade), uma jovem rica e bonita, filha do industrial Cintra (Sérgio Brito). O casamento só aumenta a vergonha que Eugênio sente dos pais, Ângelo (Ferreira Leite) e Alzira (Lourdes Mayer), que são de origem muito humilde. Olívia decide ir embora para a cidade de Nova Itália com o objetivo de ajudar a população carente.

Ao lado de Eunice, Eugênio consegue um bom emprego e conquista amizades influentes, como a de Felipe Lobo (Jardel Filho), um respeitado arquiteto amigo do seu sogro. Com o passar do tempo, Eugênio não se sente feliz e começa a questionar a sua decisão de ter se casado por dinheiro. Três anos depois, Eugênio descobre que Olívia está de volta à cidade para abrir um consultório. Ele decide, então, largar tudo para viver sua antiga paixão. Mas Olívia esconde de todos que Eugênio é o pai da sua filha Ana Maria.



Água Viva foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 4 de fevereiro a 9 de agosto de 1980. Escrita por Gilberto Braga e Manoel Carlos, foi dirigida por Roberto Talma (que acumulou a direção geral) e Paulo Ubiratan, teve 161 capítulos.

Sinopse

A trama gira em torno de Maria Helena, uma pequena órfã que ligará todos os personagens. Atingindo a idade de ser transferida para outro orfanato, Maria Helena sente-se insegura e amedrontada. É um mundo novo, completamente desconhecido, que a espera. A sua única amiga é Suely, uma assistente social, que descobre o seu pai, Nelson, irmão do famoso cirurgião plástico Miguel Fragonard.

Paralelo a isso, Janete é uma moça que não se conforma em ter os pais, Evaldo e Wilma, sustentados pela tia solteirona Irene. Ela se apaixona por Marcos e o sentimento será recíproco, mas terá que enfrentar a ferrenha oposição da megera aristocrática Lourdes Mesquita, mãe de Marcos, que deseja ver o filho casado com Sandra. A vilã, ainda por cima, detesta o genro Edir, marido de sua filha Márcia, ocasionando diversos problemas conjugais. Lourdes é bem diferente de Stella Simpson, uma milionária divertida e excêntrica.

Entretanto, desenrola-se o drama de Lígia, mulher rica e interesseira, casada com o banqueiro Heitor, homem apaixonado pela pesca em alto-mar e amigo de Nelson. Lígia passa por um período de crise com o marido e apaixona-se por Nelson, o oposto do tipo de homem que sempre procurou. É amor à primeira vista. Ela não sabe quem ele é, mas encanta-se com sua aparência de homem rico. Este, por sua vez, oculta a sua real condição financeira. Miguel, sem saber da ligação do seu irmão com Lígia, também se apaixona por esta. E aí começa uma enorme disputa entre os dois. Nesse momento, a órfã volta a entrar em cena, já que Lígia descobre que a garota é filha de Nelson e resolve adotá-la sem ele saber.



Chega Mais foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida no horário das 19 horas em 1980. Foi escrita por Carlos Eduardo Novaes e roteiro de Walter Negrão e dirigida por Gonzaga Blota e Roberto Vignati. Teve 161 capítulos.

Sinopse

O casal Gelly (Sônia Braga) e Tom (Tony Ramos) vivem brigando, mas não conseguem viver um sem o outro. Tom é seqüestrado no dia do seu casamento e deixa Gelly sozinha no altar. Na verdade, o seqüestro foi uma armação de Tom para pegar o dinheiro do resgate, que seria pago pela família da noiva. Porém, ele não imaginava que os pais de Gelly estivessem completamente falidos.

Gelly e Tom acabam se separando. Tom se envolve com a executiva Léa (Rosamaria Murtinho), uma mulher mais velha e rica. Gelly passa a ser assediada pelo seu ex-noivo, Guto (Ney Sant'Anna). Porém, a mãe de Gelly, Agda (Renata Fronzi), tem mania de grandeza e torce para que sua filha se apaixone pelo diplomata norte-americano Paul Cleveland (Ruy Rezende). Ela não sabe, entretanto, que Paul Cleveland é apenas uma invenção da cartomante Madame Zoraide (Ana Ariel) e do seu filho Zico, que trabalha como camelô.

Os encontros e desencontros de Tom e Gelly na trama eram entremeados pela história de Lúcia (Renata Sorrah), uma mulher que sofre por ter sido abandonada pelo marido Jonas (Ney Latorraca). Ela acaba conhecendo Amaro (Osmar Prado), um baiano que quer ser cantor e muda totalmente a vida da personagem.



SEGUNDA VERSÃO

Marina é uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo em 1980. Escrita por Wilson Aguiar Filho, baseado no romance Marina Marina de Carlos Heitor Cony e Sulema Mendes, com direção geral de Herval Rossano, teve 143 capítulos.

Sinopse

Estevão, um famoso escritor, decide abandonar tudo e vai viver numa ilha com a filha Marina. Criada em liberdade e em contato com a natureza, a menina tem como maior companheiro o jovem pescador Tonho. Preocupado com a educação da filha, ele decide mandá-la para a casa dos padrinhos, no Rio de Janeiro. Na escola, Marina faz amizade com uma menina negra que enfrenta preconceito. Marina também sofre preconceito dos colegas do colégio e perseguição de Vera, ex-namorada de Marcelo, que se apaixona por ela.



Coração Alado foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida entre 11 de agosto de 1980 e 14 de março de 1981. Escrita por Janete Clair e dirigida por Roberto Talma e Paulo Ubiratan, foi apresentada em 185 capítulos.

Sinopse

Juca Pitanga (Tarcísio Meira) é um artista plástico pernambucano, que deixa sua terra natal e vem para o Rio de Janeiro em busca de maior visibilidade para sua carreira. No Rio, ele se envolve com Catucha (Débora Duarte), filha do respeitável marchand Alberto Karany (Walmor Chagas), e Vivian (Vera Fischer), uma mulher simples e sofrida. Apesar do amor que sente por Vivian, Juca se casa com Catucha, pensando que ela o ajudaria a crescer profissionalmente. Porém, o artista termina seu relacionamento com Catucha para acompanhar o exílio, no México, do seu irmão Gabriel (Carlos Vereza), um perseguido político pela ditadura militar. Juca e Catucha se reencontram anos depois, com a decretação da lei da anista no Brasil.

Uma das tramas em destaque na história é a investigação da morte de Silvana Karany (Bárbara Fanzio), ex-mulher de Alberto e mãe de Catucha. Ela desaparece num misterioso acidente de carro. Os principais suspeitos são Alberto Karany e Juca Pitanga. A própria Catucha acusa Juca pelo assassinato de Silvana.

Na história, a personagem Maria-Faz-Favor (Aracy Balabanian) conquistou a simpatia dos telespectadores. Maria era uma mulher batalhadora e trabalhava como trocadora de ônibus. Ela era apaixonada pelo mau-cárater barão Von Strauss (Jardel Filho). Ele era um massagista que sonhava em se tornar colunista social e tentava se dar bem em todas as situações. Von Strauss fingia ser um barão e enganava Maria-Faz-Favor, enquanto se envolvia com mulheres da alta sociedade.

Outro personagem em destaque na novela foi Leandro Serrano (Ney Latorraca), um executivo, que roubou algumas obras de Juca Pitanga. Na tramas, Leandro violenta a personagem Vivian, protagonizando uma das cenas mais fortes da novela.

Janete Clair inseriu algumas novidades na narrativa. No início da trama, os personagens se apresetavam em off aos telespectadores ou faziam comentários uns sobre os outros. A autora tentava evitar, na trama, ações e diálogos longos para explicar as situações.



Plumas e Paetês foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo no horário das 19 horas. Foi exibida entre 8 de setembro de 1980 e 25 de abril de 1981 e contou com 185 capítulos. Foi escrita por Cassiano Gabus Mendes e dirigida por Jardel Mello e Mário Márcio Bandarra, com supervisão de Gonzaga Blota.

Sinopse

Osmar (Stepan Nercessian), depois de um ano morando longe da sua família, decide voltar para São Paulo para apresentar sua noiva Júlia (Cristina Aché) a seus entes familiares. Eles dão carona para a amiga Roseli (Elizabeth Savala), que está grávida e pretende começar uma vida nova na capital paulista depois de ter sido abandonada pelo namorado. Na estrada, eles sofrem um acidente, e Roseli é a única sobrevivente. Para não ficar desamparada numa cidade em que não conhece ninguem, ela decide assumir a identidade da amiga e se apresenta com um outro nome, Marcela, começando a desfrutar do conforto que a família de Osmar lhe proporciona.

A família do rapaz é comandada pela matriarca Bruna (Neuza Amaral). Ela é casada com Gustavo (José Lewgoy), um homem rico, com quem teve três filhos: Osmar, Edgar (Cláudio Marzo) e Melina (Sílvia Salgado). Na trama, o filho mais velho de Bruna, Edgar, acaba se apaixonando por Roseli/Marcela. Na cidade, ela reencontra Paulo, o antigo namorado, que na verdade se chama Renato (José Wilker), e começam a viver um triângulo amoroso, que só é resolvido no final da novela.

Melina é a filha mais nova de Bruna e Gustavo. Ela se torna grande amiga de Roseli/Marcela e decide se tornar modelo profissional. Mas acaba sofrendo muita pressão da mãe, que não concorda com sua escolha.



As Três Marias foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 1980 e 1981, no horário das 18 horas. Foi escrita por Wilson Rocha e Walther Negrão, baseado em romance de Rachel de Queiroz e dirigida por Herval Rossano. Teve 161 capítulos.

Sinopse

Relata a história de três jovens, conhecidas como as "Três Marias", e amigas desde os tempos de colégio na Suíça. O reencontro das três põe a prova essa amizade quando elas se envolvem com os problemas uma das outras. Paralelamente, corre a investigação sobre a morte misteriosa de Teresa, outra amiga de colégio das três jovens.



Baila Comigo foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 16 de março a 26 de setembro de 1981. Foi escrita por Manoel Carlos e dirigida por Roberto Talma e Paulo Ubiratan(que acumularam a direção geral).Contou com 167 Capítulos.

Sinopse

Helena deu à luz gêmeos, mas não pôde criá-los ao lado do pai, Joaquim Gama. Entregou um deles a Quim e criou o outro com o marido, o médico Plínio Miranda. Os gêmeos idênticos João Victor e Quinzinho cresceram sem que um soubesse que o outro existia.

João Victor, um rapaz sério e dedicado aos negócios da família, foi morar em Portugal com o pai, um rico empresário, casado com Marta, uma mulher fútil e orgulhosa. Quinzinho, de temperamento completamente oposto ao do irmão, trabalha num banco e leva uma vida simples ao lado da mãe, Helena, uma mulher sofrida e batalhadora, e do suposto pai, Plínio, agora médico aposentado.

A saúde de Quim obriga a família Gama a retornar ao Brasil e faz com que o empresário se interesse pelo paradeiro do outro filho, para desespero de Helena, que se sente culpada por ter abandonado João Victor e por nunca ter revelado a Quinzinho que ele tinha um irmão.

Enquanto mentiras impossibilitam a aproximação dos gêmeos, algumas confusões ocorrem devido à semelhança entre os dois.



O Amor é Nosso foi uma telenovela brasileira, produzida e exibida no horário das 19 horas, pela Rede Globo, em 1981. Escrita por Roberto Freire e Wilson Aguiar Filho e dirigida por Gonzaga Blota, Jorge Fernando e Mário Márcio Bandarra, com supervisão de Gonzaga Blota e, posteriormente, de Carlos Zara. Teve 155 capítulos.

Sinopse

O jovem Pedro ambiciona uma carreira de sucesso no mundo da música, para isso contando com a descobridora de talentos Gilda, separada do marido e que cuida dos dois filhos legítimos, e ainda de Pingo, adotivo. A vida afetiva de Pedro é centrada em seu amor por Nina, irmã de seu amigo Bruno, e filha do prepotente Sandoval.



Ciranda de Pedra foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 18 de maio a 14 de novembro de 1981 no horário das 18h, e contou com 155 capítulos. Foi escrita por Teixeira Filho, que adaptou o romance de Lygia Fagundes Telles, e dirigida por Wolf Maya e Reinaldo Boury.

Sinopse

Jardim Europa - São Paulo, década de 40.Laura Prado, uma bela mulher que se dedica às artes, é casada com o áspero Natércio Prado, que a oprime.Os dois vivem juntos e com as suas três filhas: Bruna, a mais velha, Otávia, a filha do meio, e Virgínia, a mais nova.Natércio é rico e de comportamento tradicional e, por isso, ignora a mulher em público.Por causa das constantes crises em seu casamento, Laura sofre um grande trauma e chega a ser internada como louca pelo marido.

Depois, os dois se separam e dividem a família.Natécio permanece morando em sua casa com Bruna e Otávia, e Laura, com a saúde frágil e sem dinheiro, e Virgínia saem de casa.Elas vão morar no bairro da Vila Mariana, mais precisamente na casa do neurologista Daniel, o médico de Laura e um grande amor do passado, que acredita que a doença de Laura é física e não mental.Mas, na verdade, Virgínia é filha de Daniel, fruto do caso dele com Laura, que esconde de todos.No entanto, Natércio e Daniel parecem suspeitar, pois o primeiro a trata rígidamente, enquanto o segundo a trata carinhosamente.

Mais tarde, Virgínia vai morar com Natércio e as irmãs novamente, tendo que lidar com a arrogância e a hostilidade da maléfica Frau Herta, a governanta da mansão e que, na verdade, ama Natércio.Ela ainda tem de optar pelo amor de Eduardo, vizinho de quando ela morava em Vila Meriana e filho de Bibiana, e o de Luís Carlos, namorado de infância da jovem.



Brilhante foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo de 28 de setembro de 1981 a 27 de março de 1982. Concebida por Gilberto Braga e Daniel Filho, foi escrita pelo primeiro, com a colaboração de Leonor Bassères e Euclydes Marinho, e dirigida por Daniel Filho, Marcos Paulo, Ary Coslov e José Carlos Pieri, sendo que Daniel arcou também com a direção geral. A novela, que contou com 155 capítulos, teve Tarcísio Meira, Vera Fischer, Dênis Carvalho e Fernanda Montenegro nos papéis principais.

Sinopse

O comércio de jóias e de pedras preciosas e o mistério sobre uma jazida de esmeraldas no Pantanal são o fio condutor da história. Luiza é uma designer de jóias que, a passeio em Londres, testemunha a morte do marido de uma amiga. De volta ao Brasil, ela se surpreende ao encontrar o mesmo homem vivo, mas com outra identidade. Chica Newman, a proprietária da empresa onde Luiza trabalha, quer que ela case com seu filho, Inácio, que é homossexual, mas a moça se apaixona por Paulo César, genro de Chica.



Jogo da Vida foi uma telenovela brasileira, produzida pela Rede Globo e exibida às 19h de 26 de outubro de 1981 a 8 de maio de 1982. Foi escrita por Sílvio de Abreu, com base em argumento de Janete Clair, e dirigida por Jorge Fernando, Guel Arraes e Roberto Talma. Teve 167 capítulos.

Sinopse

Silas deixa Jordana depois de vinte anos de vida em comum para se casar com uma moça bem mais jovem, Carla. Enquanto ele só conhece a infelicidade, Jordana ascende na vida com a herança de dona Mena, uma velhinha abandonada por sua família, e conhece o amor e o respeito de seu Vieira, o padeiro português amigo de todas as horas.

Para conseguir a quantia de um milhão de dólares escondida dentro de um dos quatro cupidos de bronze deixados por dona Mena, Jordana terá de vencer vários obstáculos, pois os cupidos desaparecem e passam pelas mãos de várias pessoas sem que elas saibam de seu conteúdo. Entre os interessados está a dupla ardilosa Carlito Madureira, que envolve Jordana num jogo de sedução, e Loreta Pires de Camargo, uma socialite falida. Os dois são sobrinhos de dona Mena, que nunca se interessaram pela velhinha, e são capazes de tudo para conseguir a estátua que contém o dinheiro.

A corrida pelos cupidos se entrelaça com outras histórias: Clarita Catita, a jovem dividida entre o amor de Etevaldo, um velho rico e moribundo, e de Badaró, um fora-da-lei boa-praça;as armações de Mariúcha, a doméstica que se infiltra no lar de Oswaldo e Rosana para separar o casal. Há ainda o atribulado romance de Jero, filho de criação de Vieira, e Lívia, filha de Jordana e Silas, abalado pelas perseguições de Flávia, a "Jacaroa do Pantanal", além do casamento por interesse de Carla com Silas, que não faz a jovem enxergar o sincero amor de Adriano.



Terras do Sem-Fim foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo entre 1981 e 1982, contou com 89 capítulos. Foi escrita por Walter George Durst basada no romance de Jorge Amado e dirigida por Herval Rossano.

Sinopse

A exploração do cacau traz para a cidade de Ilhéus, na Bahia, o desenvolvimento e muitos aventureiros vindos de outras regiões do país, entre eles João Magalhães, jogador de cartas trapaceiro e falso engenheiro. É também o conflito entre dois grandes latifundiários: o coronel Horácio e os Badaró.



SEGUNDA VERSÃO

O Homem Proibido foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo em 1982, contou com 148 capítulos. Foi escrita por Teixeira Filho com base em romance de Nelson Rodrigues de mesmo nome e publicado em 1959.

Sinopse

Ambientada no Rio de Janeiro, a trama principal da novela acompanha as aventuras amorosas de quatro jovens: Sônia (Elizabeth Savala), Joyce (Lídia Brondi), Paulo (David Cardoso) e Carlos (Edson Celulari). A mais nova das jovens, Joyce, foi criada pelos tios Dario Rodrigues (Leonardo Villar) e Flávia Rodrigues (Lilian Lemmertz), depois da morte da mãe e do desaparecimento do pai. Dario e Flávia são pais de Sônia e criaram as duas meninas como irmãs. Dario tem uma relação de carinho com a sobrinha, Joyce. Íntegro e boa praça, trabalha como advogado no renomado escritório de advocacia que pertenceu a seu pai. Não dá muito valor ao dinheiro e defende sempre o lado mais fraco, o que o faz perder clientes. Ao contrário de Dario, Flávia é hostil à sobrinha, filha de sua irmã, Senhorinha (Mira Palheta), pois a menina lhe traz lembranças desagradáveis do passado. Orgulhosa da origem aristocrática, Flávia faz tudo para reconquistar os clientes que o marido perdeu ao longo dos anos e, por isso, freqüenta todos os eventos sociais da cidade. Joyce, por sua vez, conta com a amizade da prima Sônia, sete anos mais velha do que ela. Sônia afeiçoou-se maternalmente à Joyce desde menina e abre mão de tudo em seu favor. A boa relação entre as primas, no entanto, muda inteiramente quando o jovem médico Paulo desperta a paixão de ambas. Eles passam a viver um triângulo amoroso cheio de expectativas e frustrações. A situação entre os três jovens atrapalha ainda mais a relação entre Joyce e sua tia, pois ao ver a disputa entre as duas primas, Flávia se recorda de seu passado, quando também disputou Dario com a irmã, Senhorinha, mãe de Joyce. O simpático e determinado Paulo é filho de Antônio (Castro Gonzaga) e Suleima (Cleide Blota). Médico, trabalha como assistente de seu tio Valdir (José Augusto Branco). Ele cruza o caminho de Joyce e Sônia quando, por acaso, no lugar de seu tio, vai atender a uma emergência na casa da família Rodrigues. Durante a visita médica ele é apresentado a Sônia e Joyce. Desde o primeiro momento, Paulo encanta-se pelas duas e não consegue decidir por qual das primas seu amor é mais forte. A trama se complica ainda mais com a chegada de Carlos, um jovem de origem humilde que se apaixona por Joyce assim que a conhece. Carlos é filho do motorista Getúlio (Milton Moraes) e da costureira Cláudia (Aracy Cardoso) e trabalha como bancário. Sonha em ser gerente do banco e, para alcançar seus objetivos, estuda à noite e empenha-se ao máximo para conseguir ingressar em uma faculdade. Decidido a conquistar Joyce, Carlos resolve esconder dela sua condição social, achando que assim terá alguma chance. Joyce, por sua vez, não corresponde às investidas do rapaz, desprezando seu interesse. Cada vez mais apaixonada por Paulo, ela chega a fingir que está cega após sofrer um acidente, só para ficar próxima do médico, e se revela capaz de tudo para afastar Sônia de seu caminho. Outro personagem de destaque em O Homem Proibido é Sérgio (Cleston Teixeira), filho de Pascoal (Nelson Dantas), dono do Hospital Espírito Santo, onde trabalham Paulo e seu tio, Valdir. Influenciado pelo pai, Sérgio decidiu estudar medicina, mas sua verdadeira paixão é a música. A irmã, Maria Luiza (Alba Valéria), também tem talento musical e compõe várias canções em parceria com o irmão. Em determinado momento da história, Sérgio conhece Carlos e seus vizinhos, Maria da Penha (Kátia Regina) e Rogério (Marcelo Picchi). Boêmios e amantes da música, eles passam a frequentar assiduamente a quadra de samba do morro da Mangueira, perto de onde moram. Juntos, formam o núcleo musical da história e dão um clima de descontração à novela. No final da história, Paulo finalmente decide ficar com Sônia. Joyce, por sua vez, acaba cedendo às investidas de Carlos. As duas primas fazem as pazes e decidem se casar com seus respectivos noivos, juntas, numa mesma cerimônia, no último capítulo da novela.



Sétimo Sentido foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 29 de março a 8 de outubro de 1982. Foi escrita por Janete Clair e dirigida por Roberto Talma, Jorge Fernando e Guel Arraes e contou com 167 capítulos.

Sinopse

A trama principal de Sétimo Sentido gira em torno da paranormal Luana Camará (Regina Duarte). Luana é uma jovem professora, tímida e discreta. Nasceu em Casablanca, no Marrocos, mas é filha de brasileiros. Durante o período Vargas, seus pais se viram obrigados a sair do país por problemas políticos. Muito ricos, deixaram a fortuna nas mãos de Antônio Rivoredo (Carlos Kroeber), melhor amigo do pai de Luana. Alguns anos depois, Luana perde os pais e está certa de que reaverá seu patrimônio, mas Antônio Rivoredo não devolve os bens da jovem, como havia prometido. No início da história, Luana está de malas prontas para vir ao Brasil com o objetivo de recuperar a fortuna de sua família, roubada pelos Rivoredo.

O braço direito de Antônio Rivoredo é Tião Bento (Francisco Cuoco), principal mentor das trapaças contra os Camará. Ainda nos capítulos iniciais, Antônio morre, e o ambicioso Tião fica de olho na direção das empresas e no dinheiro de Rivoredo, tornando-se o principal antagonista de Luana. Mau-caráter e muito sedutor, Tião Bento trabalha como empresário, mas sonha em ser ator. Fã de Errol Flynn, vive interpretando cenas de filmes famosos e anseia por uma oportunidade de entrar no meio artístico. Metido a Don Juan, tem uma curiosa mania: guarda sempre um pé de sapato das mulheres que seduz.

Tião Bento enfrenta a oposição de uma outra mulher: Sandra Rivoredo (Natália do Vale), a filha mais velha de Antônio, criada para substituir o pai nos negócios. É a presidente das Indústrias de Gêneros Alimentícios Catarina e faz tudo para afastar Tião da direção da empresa. Bom-caráter e responsável ao extremo, chega a abdicar de sua vida pessoal em prol dos negócios.

Outro personagem que cruza o caminho de Luana Camará é Rudy (Carlos Alberto Ricelli), filho de Antônio e Santinha Rivoredo (Eva Todor). Rudy desperta a paixão de Luana, mas o caminho não está livre para ela, pois ele é casado com a possessiva Helenice (Beth Goulart). Apesar disso, Rudy também fica balançado com Luana, o que acaba piorando sua relação com a mulher, que já não estava boa. Esportista reconhecido, Rudy gosta de liberdade. É muito aventureiro e sempre se destacou pela ousadia. Helenice, no entanto, critica a postura do marido, pois sente muito medo de sua profissão que, muitas vezes, coloca a própria vida em risco. Os dois brigam muito por conta disso, desgastando o relacionamento dia após dia.

As relações familiares dos Rivoredo são algumas das tramas paralelas de Sétimo Sentido. Completam o núcleo ligado à família o caçula Tony (Paulo Guarnieri), Valério (Armando Bógus), novo marido de Santinha, e Harold Bergman (Fernando Torres), irmão da matriarca. Tony é um típico jovem da zona sul carioca: alegre, extrovertido e cheio de vida. Valério é um ator medíocre, sempre escalado para desempenhar papéis secundários. Após casar-se com Santinha, no entanto, sua carreira ganha um impulso, graças aos financiamentos de filmes feitos pela própria mulher. Harold, por sua vez, é um arqueólogo milionário, diretor de uma companhia de pesquisas submarinas. Tem adoração pelos sobrinhos e exerce muita influência sobre eles.

Para reaver seus bens, Luana conta com a ajuda de Danilo Mendes (Cláudio Cavalcanti), jornalista que sonha ser cineasta. Em meio a tantos obstáculos, Luana fica desmotivada e decide voltar para sua cidade natal, Casablanca. A novela dá uma reviravolta quando a protagonista retorna ao Brasil encarnando a personalidade da falecida atriz italiana Priscila Capricce. Luana, que já manifestava sinais de paranormalidade, acaba sofrendo uma transformação radical e seu corpo é tomado pelo espírito da atriz. Extrovertida, sensual e esfuziante, Priscila não lembra Luana em nada, a não ser fisicamente.

A trama se complica ainda mais quando Priscila consegue seduzir o principal rival de Luana, Tião Bento, e os dois acabam se casando, numa das cenas de maior destaque da novela. A cerimônia é realizada numa comunidade cigana à qual Luana havia se integrado antes de transformar-se em Priscila. Os dois chegam ao local da festa montados em cavalos brancos. Ao som de violinos, entre ciganos, os dois dançam durante horas.

Em determinados momentos da história, o espírito de Priscila deixava o corpo de Luana. Em uma dessas vezes, Luana procura por Célia (Jacqueline Laurence), uma parapsicóloga sensitiva com quem ela decide fazer uma série de terapias de regressão. Célia diz a Luana ser preciso saber o que Priscila deseja para depois enfrentá-la. Duas importantes revelações são feitas. Primeiro: descobre-se que Luana e Priscila foram irmãs gêmeas em outras vidas, Luciana (Luana) e Maria Pia (Priscila). Maria salvara a vida de Luciana, criando assim, uma dívida de gratidão com a irmã, que seria resgatada no presente. A segunda revelação feita ao telespectador é que Priscila luta para descobrir o paradeiro de sua filha, por isso seu espírito não deixa o corpo de Luana. Célia consegue descobrir que Priscila deixará Luana em paz se ela conseguir localizar a menina.

Tião Bento, por sua vez, começa a ficar irritado com as repentinas mudanças no comportamento de sua mulher, que ele acredita ser Priscila. Ao descobrir que a verdadeira Priscila Capricce falecera há um ano e que sua mulher, na realidade, é Luana Camará, Tião mostra-se disposto a ajudá-la. Ele entra em contato com a parapsicóloga Célia e revela que, na realidade, sempre amou Luana, e não Priscila. A partir daí, Tião transforma-se no maior aliado e protetor da protagonista. Luana, no entanto, lembra a Tião que continua apaixonada por Rudy. Mesmo assim, ele não desiste de lutar pelo seu amor.

Através de um sonho, Luana descobre o nome do orfanato onde a filha de Priscila está. Tião vai em busca da menina, junto com sua avó materna, Augusta (Heloísa Helena), e consegue encontrar Cila (Gabriela Bicalho), a filha de Priscila. Ao ficar cara a cara com Cila, Luana imediatamente volta a ser Priscila. Emocionada, ela diz à filha que Tião é seu novo pai. Célia convence Priscila a abandonar o corpo de Luana, lembrando que seu tempo de vida terminou, e ela promete deixá-la definitivamente livre.

Enquanto isso, com a ajuda do advogado Pratini (Reinaldo Gonzaga), Danilo luta para levar o caso de Luana adiante. Ele consegue ter acesso a documentos que provam que a família Camará é proprietária legítima do patrimônio dos Rivoredo e entra com uma ação reivindicando os bens de Luana. No dia do julgamento, penúltimo capítulo de Sétimo Sentido, Janete Clair mobilizou o público, centrando o debate sobre o fenômeno da dupla personalidade. Em vários momentos Luana volta a ser Priscila, para desespero de Célia, que luta para libertar Luana do espírito da atriz em pleno tribunal.

A surpresa fica por conta de Tião Bento. Ao ser chamado para depor, Tião diz ao juiz que, de fato, Antônio Rivoredo assinou um contrato se comprometendo a devolver as Indústrias Catarina a Agenor Camará e exibe o verdadeiro documento. Luana ganha a causa na Justiça e recupera todo seu patrimônio.

No último capítulo da novela, para tristeza de Rudy, Luana decide ficar com Tião, e os dois se casam. Passam-se dois anos e a última seqüência da história mostra Tião e Luana brincando no jardim com o filho, Sebastião, formando uma família feliz.

Entre outros personagens marcantes de Sétimo Sentido estava Gisa (Tamara Taxman), a caminhoneira filha de Tomaz (Ênio Santos), jardineiro da família Rivoredo.



Elas por Elas foi uma telenovela brasileira, produzida e exibida no horário das 19 horas, pela Rede Globo, de maio a novembro de 1982, contou com 173 capítulos. Foi escrita por Cassiano Gabus Mendes e dirigida por Paulo Ubiratan, Wolf Maya e Mário Márcio Bandarra.

Sinopse

Sete amigas dos tempos de colégio - Márcia, Wanda, Natália, Helena, Adriana, Carmem e Marlene - se reencontram vinte anos depois, e esse reencontro desencadeia uma série de conflitos entre elas.

Wanda é amante do marido de Márcia; Natália é a que acusa todas as outras da morte de um de seus irmãos menores; Helena e Adriana, que disputaram o mesmo homem no passado, voltam a disputá-lo novamente; Marlene não se acerta no amor; e Carmem é infeliz no casamento e ama o cunhado. Márcia contrata um detetive, Mário Fofoca, para descobrir com quem o seu marido a trai, e a situação complica porque Mário é irmão de Wanda, mas um grande trapalhão que nunca conseguiu resolver nenhum caso.

Ainda há a história do mulherengo Renê e sua namorada Cláudia, da filha de Márcia, Ieda, que sofre com complexo de feiura, e da troca de bebês no passado forjada pelo rico doutor Miguel, pai de Helena: Miriam, filha de Helena, foi criada por Adriana, e Gil, filho de Adriana foi criado por Helena e seu marido, Jaime.



Paraíso foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo entre 23 de agosto de 1982 e 26 de março de 1983. Escrita por Benedito Ruy Barbosa e dirigida por Gonzaga Blota. Teve 195 capítulos.

Sinopse

A telenovela contava a história de amor entre o jovem peão José Eleutério, conhecido como "O Filho do Diabo", pois o seu pai, o velho Coronel Eleutério, possui uma garrafa com um diabo dentro dela, e Maria Rita, conhecida como Santinha, por lhe atribuírem milagres quando criança, e cuja mãe, a beata Dona Mariana, faz de tudo para que seja freira.

Por causa de um acidente que José Eleutério sofrera num concurso de peões de boiadeiro, ficando quase que aleijado. Maria Rita consegue, mesmo reclusa em seu quarto, através de orações, salvar a vida de José Eleutério.

Devido a mais este milagre, a beata Mariana, a leva para o convento, realizando o desejo da mãe, mas José Eleutério, grato e apaixonado, rapta a futura freira.



Sol de Verão foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 11 de outubro de 1982 e 19 de março de 1983. Foi escrita por Manoel Carlos e dirigida por Roberto Talma, Jorge Fernando e Guel Arraes e contou com 137 capítulos.

Sinopse

A telenovela relata o dilema de Rachel, uma mulher que acaba de sair de um casamento infeliz com Virgílio. Rumo ao Rio de Janeiro, ao lado da mãe e da filha, ela acaba por se envolver com Heitor, um mecânico boêmio e bonachão que nunca havia vivido um compromisso sério. Paralelo a isso, está o surdo-mudo Abel, que, em busca de sua mãe, emprega-se na oficina de Heitor.



Final Feliz foi uma telenovela brasileira, produzida e exibida no horário das 19 horas, pela Rede Globo, entre 1982 e 1983, contou com 161 capítulos. Foi escrita por Ivani Ribeiro e dirigida por Paulo Ubiratan, Wolf Maia e Mário Marcio Bandarra, com direção de núcleo de Paulo Ubiratan.

Sinopse

A impetuosa Débora é apaixonada por Leandro, noivo de sua prima Mirtô, até que reencontra Rodrigo, irmão de Mirtô, com o qual não mantinha contato havia muitos anos. Inicialmente, os dois nutrem uma antipatia gratuita um pelo outro - antipatia essa que esconde um sentimento maior. Acabam apaixonados e vivem um tumultuado romance, devido ao gênio difícil de ambos.

A irmã de Débora, Suzy, se envolve liricamante com o jovem veterinário Paulo, que, por engano, se descobre doente e com pouco tempo de vida, e acaba sufocando o amor dos dois, causando sofrimento para ambos.

Débora e Suzi são filhas do tio de Rodrigo, o inescrupuloso César Brandão, que dá um golpe na família, simulando a própria morte e deixando todos na miséria. A esposa, Maria Luíza, se envolve com o médico Wagner, descobrindo o verdadeiro amor, ao lado de um homem honesto e sincero. Isso até a volta de César, que causa uma reviravolta na vida de todos e acaba sendo assassinado.

Também ganha força na trama a luta da sofrida Marina, mãe de Paulo, tendo que educar o filho Rafael, um adolescente deficiente mental que conhece a compreensão e o carinho de Mestre Antônio, um simplório pescador, amicíssimo de Rodrigo.

Também temos a história de Dona Sinhá, a simpática velhinha que fornecia coelhos ao restaurante, e tinha seus passos vigiados por Alaor que, ao estranhar o comportamento da velha senhora, acaba descobrindo que Dona Sinhá cria gatos, e não coelhos.



Pão Pão, Beijo Beijo foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo, de 28 de março a 7 de outubro de 1983. Foi escrita por Walter Negrão e dirigida por Gonzaga Blota e Henrique Martins. Teve 167 capítulos.

Sinopse

Para defender o humilde nordestino Soró Sereno em um acidente de trânsito, o misterioso Ciro Cerqueira acaba se envolvendo com a tradicional família da italiana Mamma Vitória, proprietária de uma rede de cantinas na qual ele passa a trabalhar, e fica dividido entre o amor das netas da matriarca, a responsável Luísa e a sedutora Bruna, uma mulher que não mede esforços para conseguir o que deseja. A partir do encontro de Bruna, Ciro e Soró é desenrolada a trama central da história.



Louco Amor foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 11 de abril a 21 de outubro de 1983.

Sinopse

A jovem e rica Patrícia é apaixonada por Luís Carlos, filho de Isolda, a empregada doméstica da família Dumont. Mãe e filho sempre moraram como funcionários na mansão do embaixador André e sua esposa, Renata Dumont, os pais de Patrícia. Um segredo do passado prende Isolda àquela casa e à sra. Dumont. No aniversário da moça, Luís Carlos é proibido de entrar no salão por Renata, que somente permite que ele guarde os carros e não se esqueça de sua condição social inferior.

Com essa situação de injustiça, nasce a raiva e a fúria que irá modificar inteiramente o relacionamento entre eles: Luís Carlos solta os cães, que invadem o salão e atacam André, o qual fica coxo em conseqüência dessa investida. Para impedir a união de Luís Carlos e Patrícia, Renata manda a filha para a Europa.

Seis anos depois, Luís Carlos fica sabendo que Patrícia vai voltar ao país. A partir daí, iniciam-se a história e o confronto entre dois mundos bastante diferentes. Patrícia retorna com um filho e é obrigada pela mãe a esconder a paternidade da criança. Enquanto isso, Luís Carlos se apaixona por Cláudia, antiga colega de faculdade, moça pobre e batalhadora, porém ambiciosa, e que se envolve por interesse com Lipe, filho dos Dumont. Mas Renata continua a lutar contra a união de sua família com pessoas de classe social inferior, e fará de tudo para impedir essa união, como já acontecera com sua filha.

Contudo, o alvo de Renata é também o seu velho cunhado Edgar (com seu bordão "E-E-E eu não sei?!"), que se apaixonou pela simplória manicure Gisela, a qual ele chama de Gisele. Contra as injustiças de Renata Dumont está Mouriel, amiga da família, uma mulher casada com um homem mais jovem, Guilherme, o proprietário da revista Stampa.



Guerra dos Sexos foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo, entre 6 de junho de 1983 a 6 de janeiro de 1984.

Sinopse

Essa comédia rasgada tem como mote a disputa entre homens e mulheres. Cada grupo tentando provar ao outro sua superioridade. Tudo começa quando os primos Charlô e Otávio (que se tratam pelos apelidos jocosos de Cumbuca e Bimbo e tiveram um tumultuado namoro na adolescência) recebem como herança de seu tio Enrico a cadeia de lojas Charlô's e a mansão onde moram.

Os atritos entre os primos, tanto em casa como no escritório, tornam essa convivência impossível. Charlô faz a Otávio uma proposta: um dos herdeiros deverá abrir mão de sua parte em nome do outro, numa arriscada aposta de cem dias, período que Charlô e sua equipe têm para elevar o lucro das Lojas Charlô's (gravada no Shopping Eldorado) em uma percentagem estipulada. Caso contrário ela perde tudo. Começa aí uma verdadeira guerra dos sexos! De um lado, Otávio e Filipe; do outro, Charlô, Roberta Leone e Vânia.

Filipe é filho adotivo de Charlô. Forma com Otávio uma dupla trapaceira e ardilosa, capaz de tudo para impedir o objetivo de Charlô, Roberta e Vânia. Elas, porém, não contam com a traição de Carolina, sobrinha de Roberta e filha do engraçado casal Nieta e Dino. Ela é, na verdade, uma forte aliada de Otávio. A jovem se envolve com Filipe, fazendo-o romper seu antigo romance com a bela Vânia, que tenta desmascarar Carolina a qualquer preço. Otávio e Filipe ainda contarão com a ajuda da ambiciosa Verusca, ex-secretária e amante de Vitório Leone, falecido marido de Roberta.

Já Juliana, filha de Filipe, rompe o caso com o fotógrafo Fábio, por estar apaixonada pelo motorista Nando, disputando-o com a irmã Analu e depois com Roberta Leone, que, mesmo com a diferença de idade, luta para conquistá-lo e consegue.



Eu Prometo foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 19 de setembro de 1983 a 17 de março de 1984, às 22 horas. Escrita por Janete Clair, com a colaboração de Glória Perez, dirigida por Dennis Carvalho e Luís Antônio Piá e com supervisão de Paulo Ubiratan, contou com 103 capítulos, ou seja, foi relativamente curta.

Sinopse

O deputado Lucas Cantomaia está no auge de sua carreira política, prestes a concorrer a uma vaga no Senado Federal. Sua imagem pública é a de bom filho, bom marido, bom pai, além, claro, de político honesto e probo. Seu trabalho à frente da Organização de Bens Sociais, que cuida de ex-presidiários, reabilitando-os ao convívio da sociedade, é muito louvado, e abre seus caminhos no mundo da política cada vez mais.

Casado com Darlene, com quem tem três filhas, Adriana, Dayse e Dóris. Porém, no momento em que mais precisa que sua imagem de homem perfeito seja inabalável, acontece um verdadeiro turbilhão de emoções na vida de Lucas: ele se vê apaixonado por uma fotógrafa, Kelly Romani, o que compromete a questão do bom marido e do casamento feliz; seu irmão marginal Justo Dinard, que alterna temporadas livres e outras na cadeia, se reaproxima cheio de mágoa. Lucas tem de enfrentar os cada vez mais fortes ataques do principal antagonista político, Horácio Ragner, além de passar por uma crise familiar com Darlene, e o alcoolismo de Dayse.



Voltei pra Você foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo entre 10 de outubro de 1983 e 16 de março de 1984. Foi escrita por Benedito Ruy Barbosa com a colaboração de Edmara Barbosa. Foi gravada quase que inteiramente na cidade de São João del-Rei, em Minas Gerais. Dirigida por Gonzaga Blota e Ary Coslov e com Direção geral de Gonzaga Blota, teve 137 capítulos.

Sinopse

Pedro das Antas, filho de pais desconhecidos, e Liliane, filha do coronel Epaminondas Napoleão, são amigos de infância.

O moço, após passar dez anos estudando em Belo Horizonte, volta à terra natal e descobre que as terras do coronel, na verdade, haviam sido tomadas de sua família.

A partir daí, estabelece-se um dilema: o rapaz precisa reaver o que é seu de direito, mas, ao mesmo tempo, apaixona-se pela filha do fazendeiro.



Champagne foi uma telenovela brasileira, produzida e exibida pela Rede Globo de 24 de outubro de 1983 a 5 de maio de 1984, às 20 horas. Foi escrita por Cassiano Gabus Mendes, com a colaboração de Luciano Ramos, e dirigida por Paulo Ubiratan, Wolf Maya e Mário Márcio Bandarra, com direção geral de Paulo Ubiratan. Contou com 167 capítulos.

Sinopse

Em 1970, em uma cintilante festa de passagem de ano da aristocracia, a jovem copeira Zaíra é misteriosamente assassinada. Treze anos se passam e o principal acusado, o humilde garçom Gastão, que era colega da vítima, tenta provar sua inocência, ajudado por seu filho, Nil, envolvendo-se na vida de todos aqueles que também estavam na festa. Conta também a história de uma ardilosa dupla de ladrões de jóias, a sofisticada Antônia Regina e João Maria, este um advogado membro da aristocracia decadente, o qual abraça a causa do pai de Nil. Ao final da trama, Jurandir, o assassino da moça, se mata, e Zé Brandão, um dos seus amigos que estavam na comemoração, revela: ele, Zé, era o pai de Zaíra.



Transas e Caretas foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de janeiro a julho de 1984 às 19h, e foi apresentada em 167 capítulos.

Sinopse

Dona Francisca Moura Imperial, sentindo-se distante da realidade dos filhos, faz uma cirurgia plástica e fica vinte anos mais jovem em aparência, disposta a se dar melhor com os mesmos. Os dois rapazes, Jordão e Thiago, apesar de irmãos, são totalmente diferentes:o primeiro gosta de viver como no século XIX, com pensamentos monarquistas e até uma mucama pessoal, Dorinha; já o segundo é totalmente moderno, contando em sua casa com um robô, Alcides, como seu mordomo, além de outras coisas do que há de mais revolucionário. Ambos, porém, mantêm uma mesma idéia: jamais se casarem. Dona Francisca, então, contrata a jovem Marília para casar-se com um deles e dar-lhe um neto que prossiga o nome da família e os negócios. Marília torna-se noiva de Jordão, mas se apaixona por Thiago, iniciando o mote inicial da novela.



Amor com Amor se Paga foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida no horário das 18 horas, entre 19 de março e 14 de setembro de 1984, tendo contado com 155 capítulos.

Sinopse

Na pequena Monte Santo, vive Nonô Correia, um homem neurastênico e irritadiço, muitas vezes misterioso, beirando o tragicômico. Ele é um completo pão-duro: tranca a geladeira com cadeados, desliga a luz algumas vezes por semana e despeja, até nos filhos, sua avareza compulsiva - é proibido repetir pratos nas refeições. Sua maior preocupação na vida é fazer economia.

Nonô compartilha o dia-a-dia de constantes sacrifícios com os filhos, Tomás e Elisa, e com a fiel empregada Frosina, que há vinte anos suporta as suas mesquinharias. Mas o velho sovina está longe de ser pobre: tem diversos imóveis que aluga a inquilinos, e esconde em sua casa um tesouro que ninguém sabe onde está, nem mesmo os filhos. O único que partilha seu segredo é o amigo Anselmo, um homem que nutre um amor platônico por Elisa, filha do avarento.

O avesso de Nonô Correia é o Tio Romão, que chega à cidade sem revelar o seu passado. Fala docemente e distribui chazinhos de camomila e bem-me-quer como puro pretexto para conversar com os moradores e lhes dar um pouco de calor humano. Seus chazinhos ficarão conhecidos por toda a cidade, mas as pessoas se assustam com suas palavras certeiras. Alguns o consideram um santo, outros, um feiticeiro.

Tomás, filho de Nonô Correia, é um jovem brincalhão que está sempre procurando descobrir o tesouro do pai. Sua irmã, Elisa, é uma jovem tímida e insegura que se apaixona por Gustavo, que se aproxima da família atraído pela possibilidade de dar um golpe do baú. Ele aparece em Monte Santo para tentar a vida e vai morar num quarto na casa de Judite. Inquilina de Nonô, Judite fornece salgadinhos para a rotissérie de Tito e Santuza, um casal com a relação em crise por causa do ciúme doentio e da parca cultura desta.

A sobrinha de Nonô, Maria da Graça, é uma americanófila que só gosta de ser chamada de Grace. Dona de uma loja de artigos importados, Grace é viúva e feminista, preocupada com o casamento da sua filha, Rosemary, com João Paulo, filho do conservador e machista Bruno. Johnny, como é chamado pela noiva, se aborrece com os constantes desentendimentos entre o pai e a futura sogra. Os dois viúvos intransigentes têm gostos totalmente opostos, mas o mesmo temperamento difícil. Seus filhos se amam, mas têm que contornar os problemas causados pela difícil relação dos sogros.

O Dr. Vinícius é um médico preocupado com o bem estar de seus pacientes e nem sempre cobra as consultas. Por isso é incompreendido pela mulher Helena, que está sempre reclamando do orçamento apertado. O casal tem três filhos: Mariana, moça simples, namorada de Tomás; Isabel, a menina invejosa que está de olho no namorado da irmã; e Renato, um rapaz de caráter duvidoso, estudante que mora com os tios ricos mas vai voltar para Monte Santo.

O prefeito da cidade é Barreto, demagogo que envolve as pessoas com seu ar generoso e bom, apenas com intenções de aumentar o seu eleitorado. Ao ficar viúvo, Barreto envolve-se com Sílvia, amiga de Grace, que sonha em ser a primeira-dama mas nem imagina que vai ter que enfrentar Camilinha, a caçula do prefeito, uma verdadeira peste que passa a atormentar a vida da futura madrasta.

O conflito maior que envolve esses personagens se dá quando Nonô Correia resolve cortejar a jovem Mariana, que se vê obrigada a aceitar a proposta de casamento em troca do perdão da dívida de seus pais. É quando Tomás passa a disputar com o pai o amor da moça. O rude avarento torna-se mais doce e sensível quando adota o órfão Zezinho, um menino alegre e encantador que amolece o coração do velho com o laço afetivo que nasce entre os dois.

Em meio a todas as histórias, Grace, Bruno, Nonô, Mariana e Tomás, vêem que realmente amor com amor se paga, com direito ao chá de camomila e bem-me-quer do Tio Romão.



Partido Alto foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 7 de maio e 24 de novembro de 1984, às 20 horas. Escrita por Aguinaldo Silva e Glória Perez, foi dirigida por Roberto Talma, Jayme Monjardim, Carlos Magalhães, Luiz Antônio Piá e Helmar Sérgio, e contou com 173 capítulos.

Sinopse

Juntando aspectos clássicos do folhetim com temática e encenação modernas, a história mostrava dois mundos opostos. Isadora, filha do rico industrial Amoedo, sai de um casamento problemático com Sérgio, um mau-caráter, e se envolve com o professor Maurício. Este, por sua vez, é assediado por Celina, a jovem filha do bicheiro Célio Cruz, envolvido com um roubo de jóias. O bicheiro além da família oficial - com a esposa, Isildinha, e os filhos Celina e Felipe - divide seu tempo com a amante, Jussara, manicure e porta-bandeira da escola de samba da qual ele é patrono, com quem tem um filho, Jorginho.

Do outro lado da história está Amoedo, que esconde um segredo: a verdadeira identidade da mãe de sua filha, Isadora. Ela é Nanci, cuja filha lhe foi tomada dos braços, e, com muita dificuldade, criou o outro filho, Fernando, com a ajuda da irmã, Sulamita. Eles são moradores do bairro do Encantado, onde residem Jussara e vários tipos do subúrbio carioca. Fernando acaba por se envolver com Irene, uma mulher madura e sofrida, além de bem mais velha que ele.

E ainda há o "mudo" Jesus, um esposo submisso que não diz uma palavra, obedecendo à esposa, Iara. Isso sem falar no malandro Políbio, um guru de araque que vive de explorar a ciumenta e insatisfeita Gilda.



Vereda Tropical foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida no horário das 19 horas entre julho de 1984 e fevereiro de 1985, contou com 164 capítulos. Escrita por Carlos Lombardi e Sílvio de Abreu, com argumento e supervisão de texto deste último, e dirigida por Jorge Fernando e Guel Arraes. Esta novela teve Lucélia Santos e Mário Gomes como protagonistas e Maria Zilda e Walmor Chagas como antagonistas.

Sinopse

A operária Silvana é abandonada grávida pelo namorado, Vítor, que morre.

Fugindo do cerco de Oliva, Silvana vai morar na Vila dos Prazeres, onde entra em contato com a família da viúva Bina, proprietária da cantina italiana La Tavola de Michele. Silvana passa então a ser cortejada pelos dois filhos mais velhos de Bina, o romântico e tímido Marco e Luca, um azarado centroavante que perambula por diversos times da várzea de São Paulo.

O tempo passa e o caso de amor de Silvana com o jogador de futebol Luca fica tumultuado. Tanto pelo gênio esquentado dos dois, como pela presença de Verônica, que joga seu charme e poder sobre Luca. Mas a complicação maior é por parte do pai de Verônica e Vítor, Oliva, que arma uma verdadeira guerra pela posse do neto Zeca.

Por intermédio de Oliva, Silvana vai trabalhar na fábrica de perfumes CPP sem saber que ele era o dono. A fabrica era administrada também por Catarina, outra das três filhas de Oliva, que faz de tudo para impedir que Zeca se torne herdeiro da fortuna de seu pai.



Livre Para Voar foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo entre 17 de setembro de 1984 e 13 de abril de 1985, contou com 179 capítulos. Escrita por Walter Negrão, com co-autoria de Alcides Nogueira, e dirigida por Wolf Maya e Fred Confalonieri.

Sinopse

O misterioso Pardal esconde seu nome verdadeiro e seu passado ao chegar à cidade mineira de Poços de Caldas. Fica amigo de Pedrão, um ex-maquinista da estação ferroviária, e faz de um velho vagão de trem a sua residência. Conhece Gibí, um menino fugido de um orfanato, e o leva para morar consigo no vagão. Enquanto usa de ferro velho para desenvolver sua arte, Pardal conhece e se apaixona pela doce Cristina, uma funcionária numa fábrica de cristais.

Mas ele não sabe que Cristina na realidade é Bebel, filha do dono da fábrica, que após a morte do pai, retorna o Brasil para tomar conta dos negócios. Bebel, então desconhecida de todos, se infiltra na empresa como a simples moça do cafezinho para descobrir quem está por trás da morte do pai.

Ao mesmo tempo em que Bebel é Cristina e se apaixona verdadeiramente por Pardal, é assediada na direção da empresa por Danilo, um homem inescrupuloso que tem um relacionamento doentio com a neurótica Helena. Ao descobrir a verdadeira identidade de Cristina, Pardal renega Bebel, mas esquece que ele mesmo tem muito a esconder, a começar por seu verdadeiro nome, Paulo Alberto Ramos de Almeida Lima, um arquiteto de Belo Horizonte.



Corpo a Corpo foi uma telenovela brasileira, produzida e exibida pela Rede Globo, de 26 de novembro de 1984 a 21 de junho de 1985, às 20 horas, com 179 capítulos. Foi escrita por Gilberto Braga com a colaboração de Leonor Bassères e dirigida por Dênis Carvalho e Jayme Monjardim.

Sinopse

Corpo a corpo tem como tema central a ascensão social e a vingança. Uma das histórias principais é a de Eloá (Débora Duarte), uma mulher envolvente que, em busca de projeção social, acredita ter chances de se destacar na empresa de engenharia onde trabalha ao lado do marido, o doce Osmar (Antonio Fagundes), homem sem grandes ambições. Os dois estão casados há 16 anos e têm um filho, Ronaldo (Selton Mello). Durante uma festa, no primeiro capítulo da novela, Eloá, frustrada por não ter conseguido uma promoção na empresa, conhece o misterioso Raul (Flávio Galvão), aparentemente o demônio, e faz um pacto com ele. Raul diz que poderá fazer com que ela ascenda socialmente, e Eloá aceita a proposta, que transforma inteiramente sua vida. Ela começa a se destacar profissionalmente e sua ascensão profissional é o principal motivo da crise de seu casamento com Osmar.

Outra personagem importante na trama é a enfermeira Tereza (Glória Menezes). Viúva, cria com toda dedicação a filha de 16 anos, Heloisa (Isabela Garcia), uma menina aparentemente doce, mas muito sonsa. Tereza fora desprezada no passado por Osmar, seu grande amor, e tem um único objetivo no presente: destruí-lo. Aos poucos, descobre-se que Tereza tem uma relação com Raul.

Lúcia Gouveia (Joana Fomm) é outra personagem central em Corpo a corpo. Ambiciosa e muito inteligente, busca o sucesso financeiro por meio de casamentos com homens ricos, mas um segredo envolvendo Amauri (Stênio Garcia), irmão de Osmar, pode atrapalhar seus planos. Amauri é um ex-presidiário, por quem ela foi apaixonada.

Outro núcleo também fundamental da novela envolve o empresário Alfredo Fraga Dantas (Hugo Carvana), dono da firma em que trabalham Osmar e Eloá. Alfredo é um homem autoritário e dominador. Ficou viúvo no primeiro capítulo da novela e interfere bastante na vida de seus três filhos, Beatriz (Malu Mader), Cláudio (Marcos Paulo) e Olavo (Marcelo Picchi). Beatriz é estudante de comunicação social. Séria e muito responsável, preocupa-se com o futuro da humanidade. Vive em conflito com o pai. Seu irmão Cláudio é seu oposto. Inquieto, não sabe ao certo o que quer da vida. Olavo é o mais certinho dos três. Casado com Margarida (Lilia Cabral), tem uma vida medíocre e faz de tudo para agradar o pai. É um engenheiro aplicado, mas não tem a criatividade e a inteligência do pai.

Gilberto Braga trouxe para a trama de Corpo a corpo a discussão sobre racismo através da família de classe média de Antônio (Waldir Onofre) e Jurema Rangel (Ruth de Souza). A filha do casal, Sônia (Zezé Motta), uma jovem arquiteta, começa a namorar Cláudio, filho do rico empresário Alfredo Fraga Dantas, e passa a ser discriminada pela família dele. A relação entre os dois causou polêmica, inclusive entre os telespectadores. Vítima do racismo da família Fraga Dantas, Sônia chega a romper com Cláudio, apesar de amá-lo. O destino, no entanto, faz com que ela fique eternamente ligada àquela família. Alfredo cai do cavalo e tem uma fratura exposta da tíbia. Para sobreviver, o médico informa ser preciso fazer uma transfusão de sangue urgente. A única pessoa que tem o tipo sanguíneo compatível como o de Alfredo, O negativo, é Sônia, e é seu sangue que acaba salvando a vida do patriarca da família Fraga Dantas.

O romance entre Beatriz e Rafael (Lauro Corona) merece destaque. No início da história, ela namora Zeca (Caíque Ferreira), e ele é noivo de Ângela (Andréa Beltrão). Ao se conhecerem no curso de datilografia os dois se apaixonam, mas por serem comprometidos, não se declaram. Rafael nasceu no Sul e veio para o Rio de Janeiro com a mãe, Guiomar (Eloísa Mafalda), e a noiva, após perder o pai em uma trágica enchente. Bia chega a marcar o casamento com Zeca, mas desiste da união quando Rafael declara que é apaixonado por ela e não agüentaria vê-la com outro homem.

O casamento de Eloá e Osmar vai de mal a pior. A situação entre os dois fica insustentável quando ela assume um cargo de direção na empresa e, por chantagem de Raul, é obrigada a demitir o marido. Ela é convidada para assumir a presidência da Fraga Dantas Internacional, e Raul, mais uma vez, diz que ela não pode recusar. Eloá parte com o filho para o Cairo. Cansada de ser atormentada por Raul, ela decide voltar para o Brasil e descobrir a verdadeira identidade e os interesses do homem que não a deixa em paz.

Enquanto isso, Raul diz a Teresa que poderá fazer Osmar ficar apaixonado por ela, mas com uma condição: ela terá que matar Alfredo com uma injeção fatal. Teresa chega a preparar a injeção, mas na hora de aplicá-la, não tem coragem. Tereza abre o jogo com Osmar e revela que fez Raul se aproximar de Eloá com o intuito de separá-la dele. Agora, ela confessa que não teme perdê-lo, pois sabe que, no fundo, ele ama Eloá.

Osmar, então, decide investigar porque Raul deseja matar Alfredo e, para sua surpresa, ele descobre que seu irmão, Amauri, estava por trás de tudo. Ao longo da trama, Alfredo se envolve com Lúcia e chega a se casar com ela. Revoltado, Amauri planeja matar Alfredo. Ele foge do irmão e, cheio de ódio, vai se encontrar com Lúcia. Ciente de seu descontrole emocional, ela consegue acalmá-lo, mas o local onde eles estavam pega fogo e os dois morrem queimados numa das cenas mais fortes do último capítulo da novela. Osmar e Eloá finalmente se reconciliam, e Tereza acaba se envolvendo com Alfredo.



Um Sonho a Mais foi uma telenovela brasileira, produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo, entre 4 de fevereiro e 2 de agosto de 1985.

Sinopse

Na década de 1960, Antônio Carlos Volpone é acusado de matar o Dr. Telles, seu futuro sogro, e pai de Stella, sua noiva.

Para fugir da acusação, Volpone foge do país, com seu amigo Mosca, faz fortuna, e passa a viver no Egito. Stella casa-se com o ríval de seu antigo noivo, Orlando Aranha e têm uma filha, Mônica.

Vinte anos depois, Volpone vê Stella e Mônica passeando pelo Cairo, sente que continua a amando e decide voltar ao Brasil.

Para não ser preso, anuncia que está com uma grave doença e por isso vive preso numa redoma de plástico, e como está moribundo, procura um herdeiro. Sua chegada ao Rio de Janeiro atrai a atenção da imprensa, em especial da repórter Amélia Bicudo, que passa a investigar sua vida.

Enquanto um ator fica dentro da bolha de plástico, simulando ser Volpone, ele circula disfarçado entre seus antigos amigos e inimigos, investigando quem é o verdadeiro assassino, tentando se aproximar de Stella e vivendo várias aventuras. Volpone assume personalidades como a secretária Anabela Freire, o médico Nilo Peixe, o advogado Augusto Mello Sampaio e o motorista André Silva, tudo isso escudado por seu fiel amigo Mosca.



A Gata Comeu foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo de 15 de abril a 19 de outubro de 1985. É uma novela de Ivani Ribeiro, adaptada por Marilu Saldanha, dirigida por Herval Rossano e José Carlos Pieri. Regravação de uma novela escrita por Ivani para a extinta Rede Tupi, A Barba Azul, exibida em 1974.

Sinopse

Apesar de já ter ficado noiva várias vezes, Jô Penteado sempre acaba o noivado com seus pretendentes, o que lhe rende a alcunha de Lucrécia Bórgia. Rafael é seu oitavo noivo e todos esperam que, enfim, aconteça o casamento. Só que Jô, mais uma vez, percebendo que não ama o noivo, termina mais um noivado. Jô sofre por nunca ter se apaixonado verdadeiramente e não conhecer o amor. Até que ela se apaixona loucamente pelo professor Fábio, viúvo e pai de dois filhos. Os dois se conhecem ao irem juntos para uma excursão. A lancha que os transportava quebra e eles ficam numa ilha deserta por dois meses, sendo dados como mortos. O romance de Jô e Fábio é atrapalhado por Gláucia, a invejosa irmã de Jô, e por Paula, até então noiva de Fábio.



Roque Santeiro foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 24 de junho de 1985 a 22 de fevereiro de 1986, com 209 capítulos, escrita por Dias Gomes e Aguinaldo Silva a partir de original do próprio Dias Gomes, a peça de teatro O Berço do Herói; teve também as colaborações de Marcílio Moraes e Joaquim Assis e pesquisa de texto de Lilian Garcia, sendo dirigida por Gonzaga Blota, Paulo Ubiratan, Marcos Paulo e Jayme Monjardim.

Sinopse

A história real se passa na cidade fictícia de Asa Branca, em algum lugar do Nordeste brasileiro, há 17 anos, o coroinha Luiz Roque Duarte, conhecido como Roque Santeiro por sua habilidade em modelar santos, morreu ao defender dos homens do bandido Navalhada, logo após seu misterioso casamento com a desconhecida Porcina. Santificado pelo povo, que lhe atribui milagres, tornou-se um mito e fez prosperar a cidade ao redor da sua história de heroísmo. Só que Roque não está morto e volta à cidade, ameaçando pôr um fim ao mito. Sua presença leva ao desespero o padre Hipólito, o prefeito Florindo Abelha e o comerciante Zé das Medalhas, principal explorador do santo. Mas o maior prejudicado é Sinhozinho Malta, o todo-poderoso fazendeiro do lugar, que vê ameaçado o seu romance com a "viúva" Porcina, que nunca foi casada com Roque e sempre viveu à sombra de uma mentira articulada por Malta. Mentira institucionalizada para fortalecer o mito e tirar vantagens pessoais.

Ao retornar, Roque interfere na relação de Sinhozinho e Porcina, além de reacender a paixão de Mocinha, a verdadeira noiva, que nunca se conformou com seu desaparecimento e que se manteve casta à espera de seu amor, mesmo pensando que ele estivesse morto. Ela é filha do prefeito Flô e da beata dona Pombinha, sendo cortejada pelo soturno professor Astromar Junqueira, suspeito de ser o lobisomem.

Asa Branca também fica agitada com a chegada de Matilde, que monta o único hotel da cidade, a Pousada do Sossego, e traz do Rio de Janeiro duas dançarinas, Ninon e Rosaly, que vão trabalhar em sua "Boate Sexus", e enfrentar a ferrenha oposição do padre Hipólito e das beatas da cidade, comandadas por dona Pombinha Abelha.

Também chega à cidade a equipe de filmagem comandada por Gerson do Valle, o cineasta que vai filmar "A saga de Roque Santeiro". A película tem como astros principais a atriz Linda Bastos, casada com o ciumento Tito e por quem o diretor é apaixonado;e o mulherengo ator Roberto Mathias, que acaba por se envolver com a viúva Porcina, com Tânia, filha de Sinhozinho Malta, e com Lulu, a reprimida esposa de Zé das Medalhas.



Ti Ti Ti foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo em seu horário das 19 horas, entre 5 de agosto de 1985 e 8 de março de 1986. Escrita por Cassiano Gabus Mendes, teve 185 capítulos.

Sinopse

As rivalidades entre Ariclenes Almeida e André Spina, que vêm desde a infância, se tornam mais acirradas quando Ari resolve entrar no terreno profissional de André, um conceituado estilista da sociedade paulistana, conhecido como Jacques Leclair.

Ari se infiltra no mercado da moda na pele do espanhol Victor Valentín, que vem ao Brasil para revolucionar o mundo da alta-costura. Ele é ex-marido de Suzana. Os modelos de Ari/Victor são idealizados por Cecília, conhecida como Tia, uma doente mental que veste pequenas bonecas com classe e elegância. Só que Ari não sabe que Cecília é a mãe desaparecida de André.

Para piorar essa competição, os filhos dos dois rivais, Luís Otávio (Luti), filho de Ari, e Walkíria, filha de André, se apaixonam e precisam lutar por esse amor.

No outro lado da história, destaca-se Gabriela, moça pobre e de caráter duvidoso que trabalha no ateliê de Jacques Leclair. Ela é seduzida e depois desprezada pelo filho do patrão, Pedro, um playboy com quem sua mãe, Marta, tivera um envolvimento. Para se vingar, Gabriela finge-se de grávida, e a família do rapaz obriga-o a se casar. Ela passa meses afirmando a falsa gravidez e fazendo Pedro passar por muitas humilhações, até que ele se apaixona por ela.



De Quina Pra Lua foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo entre 21 de outubro de 1985 e 26 de abril de 1986, contou com 161 capítulos. Foi escrita por Alcides Nogueira com supervisão de texto de Benedito Ruy Barbosa, direção de Atílio Riccó, Mário Márcio Bandarra e Ricardo Waddington.

Sinopse

A história começa quando José João Batista (Milton Moraes), mais conhecido como Zezão, morre atropelado, após ganhar uma fortuna na Loteria. O cartão premiado acaba sendo enterrado com ele, para desespero da família, que não encontra o bendito papel que poderá enriquecê-los. Angelina (Eva Wilma), mulher de Zezão, e os quatro filhos, Pedro (Buza Ferraz), Jesus (Taumaturgo Ferreira), André (Mateus Carrieri) e Maria de Fátima (Isabela Garcia), procuram em todos os lugares possíveis, até que Angelina tem uma visão do falecido marido, e ele lhe diz ter sido enterrado com o cartão, que está no bolso de seu paletó. Ela decide, então, desenterrar o corpo de Zezão. Quando abrem o caixão, a família descobre que o cadáver está apenas de cuecas e deduzem, então, que o bilhete fora roubado. Inicia-se aí a trama principal da novela: a busca pelo cartão desaparecido.

O professor Dante Cagliosto (Agildo Ribeiro) é mais um personagem chave para a trama principal da novela. Grande amigo de Zezão, Cagliosto é professor de matemática, mas suas verdadeiras paixões são a astronomia e a ópera, que ouve o dia inteiro. Quando fica sabendo da confusão, Cagliosto decide ajudar a família de seu grande amigo e passa a coordenar a procura pelo cartão premiado. No passado, Cagliosto foi apaixonado por Angelina. Agora, com a morte de Zezão, os dois voltam a se aproximar. Quem não gosta nada da história é a manicure Mariazinha (Elizabeth Savalla), sua namorada. Juntos, eles formam um triângulo amoroso bem-humorado. Ela decide ajudar Cagliosto a encontrar o cartão, pois foi ela quem atropelou Zezão. Culpada, Mariazinha passa a ser uma das mais dedicadas na busca pela mina de ouro.

Outros personagens que também vão atrás do cartão premiado são o padre Antônio (Felipe Carone), amigo da família, e Silva (Hugo Carvana), um homem de negócios escusos, muito ambicioso, que pretende se beneficiar com a história. Ele fica sabendo do cartão premiado através de seu filho, Marcos (Marco Antônio Pamio), que namora Maria de Fátima.

Ainda nos capítulos iniciais, Zezão também aparece para Padre Antônio. Ele revela que um ladrão de cemitério roubou o cartão e pede que Angelina não desista da busca. Com a ajuda de Mariazinha, Cagliosto consegue finalmente encontrar o tal ladrão, mas, para complicar ainda mais a história, o homem revela que vendeu o paletó para um passante na Lapa. A partir daí, o terno de Zezão passa pelo armário de várias pessoas, e Mariazinha e Cagliosto têm muita dificuldade de encontrá-lo. - Zezão pede permissão para voltar à Terra para proteger sua família, sem que ela perceba sua presença. Ele chega acompanhado pelo anjo Cróvis (José Dumont). Confusos e atrapalhados, os dois enfrentam diversos obstáculos enquanto procuram o cartão premiado. Para complicar ainda mais a vida dos dois, Cróvis se apaixona platonicamente por Maria de Fátima, mas não pode ser visto e nem ouvido pela jovem.

Outro romance que movimenta a novela é o de Laura (Dora Pelegrino) e Bruno (Paulo Betti). Laura é filha do primeiro casamento de Silva e vive em conflito com a madrasta, Silvia (Tamara Taxman). É sensível, inteligente e bom-caráter, o oposto do pai. Bruno é o braço direito de Silva nos negócios, o que acaba deixando Laura desconfiada de seu caráter.

Após muitas buscas, os jornais informam que o ganhador do prêmio finalmente resgatara o dinheiro no banco. Misteriosamente, a fortuna aparece na sala da casa de Angelina, para surpresa e alegria de toda a família. O responsável pela ação foi o anjo Serafim (José Augusto Branco), que veio à Terra como um mendigo para ajudar Zezão a desvendar o mistério sobre o cartão roubado.

Outro desfecho aguardado era o destino de Mariazinha, Cagliosto e Angelina. Depois de envolver-se com Angelina, chegando a pedir sua mão em casamento, Cagliosto descobre finalmente que seu verdadeiro amor é Mariazinha e decide ficar com ela. Quem fica satisfeito com a união dos dois é Zezão, que não queria de jeito nenhum que Angelina se casasse com seu melhor amigo. Angelina termina sozinha e feliz, perto dos filhos e com o falecido marido olhando por ela.



SEGUNDA VERSÃO

Selva de Pedra foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida no horário das 20 horas, entre 24 de fevereiro e 22 de agosto de 1986, tendo contado com 160 capítulos.

Sinopse

Na cidade de Duas Barras, interior do Estado do Rio de Janeiro, a jovem artista plástica Simone Marques é testemunha da briga entre Cristiano Vilhena, filho de um pregador evangélico pobre, e o mauricinho Gastão Neves, morto no incidente. Sabendo que Cristiano é inocente, Simone acoberta o rapaz, por quem acaba se apaixonando. Receoso de seu destino, Cristiano vai embora para o Rio de Janeiro trabalhar no estaleiro do tio rico, Aristides Vilhena, irmão de seu pai, e Simone vai com ele, vislumbrando um melhor futuro para a sua carreira artística. Os dois se casam e vão morar na Pensão Palácio, de propriedade da alegre Fanny, onde conhecem o malandro Miro, uma figura de caráter duvidoso.

Em contato com o universo do tio, Cristiano se vê envolvido com a charmosa Fernanda, uma das acionistas do estaleiro e noiva de Caio, primo do moço de Duas Barras. Dividido entre a vida simples ao lado de Simone e o poder e o dinheiro com Fernanda, Cristiano se deixa levar pelas artimanhas de Miro, que lhe propõe o fim de seu relacionamento com Simone, nem que isso tenha que custar a vida da moça. Fernanda, completamente apaixonada por Cristiano, deixa Caio para se casar com ele, enquanto Miro planeja a morte de Simone, viabilizando assim o casamento de Cristiano, o que tornaria o rapaz do interior um dos principais acionistas do estaleiro. Ao ser perseguida por Miro numa auto-estrada, Simone sofre um acidente e é dada como morta, enquanto Cristiano, sentindo-se responsável pela morte de sua mulher, não consegue se casar com Fernanda, abandonando-a no altar.

Humilhada, Fernanda enlouquece e jura vingança contra Cristiano, atrapalhando-o em seus negócios no estaleiro. E Simone, que sobreviveu ao acidente, faz uma viagem e retorna assumindo a identidade da irmã falecida, Rosana Reis, reconhecida como uma artista famosa. Numa festa, Cristiano reconhece em Rosana sua mulher, porém ela o repudia, responsabilizando-o pelo acidente.

Enquanto isso, o delegado Humberto está no encalço de Cristiano Vilhena, acusado da morte de Gastão Neves. Em vista disso Simone é a única que pode inocentá-lo.



Cambalacho foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo entre 10 de março e 4 de outubro de 1986. Escrita por Sílvio de Abreu, foi apresentada em 179 capítulos e tinha como tema abordar a "situação vergonhosa" pela qual passava o Brasil, na visão do autor.

Sinopse

Andréa planeja um crime perfeito para eliminar seu marido, Antero Souza e Silva, e ficar com sua herança. Só que o testamento remete a fortuna para Leonarda Furtado, a Naná, suposta filha desaparecida de Antero e que vive aplicando cambalachos para sobreviver ao lado de Jerônimo Machado, o Jejê. Para aliviar a culpa que sente por ser trapaceira, Naná leva para sua casa crianças que recolhe nas ruas de São Paulo.

Andréa sentindo-se perdida, constitui seu advogado, o homem que ama, Dr. Rogério, marido de sua irmã Amanda. Amanda, também advogada, por sua vez, sentindo-se traída, coloca-se à disposição de Naná defendendo-a contra todos, principalmente do marido e da irmã.

Mas a história tem uma reviravolta com a chegada de Daniela, suposta filha de Naná que morava no exterior e a mãe não via desde pequena. Acompanhados de Daniela chegam Armandinho e João Pedro, dois vigaristas que se fazem passar por nobres franceses.

E ainda há a pretensiosa Tina Pepper, fã da cantora Tina Turner, que usa uma peruca a imitando. Ela é filha de Lili Bolero, que passa o tempo todo queixando-se da carreira de cantora que teria lhe sido roubada por Ângela Maria.



Sinhá Moça foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e que foi exibida às 18 horas, de 28 de abril a 14 de novembro de 1986, contou com 173 capítulos. Escrita por Benedito Ruy Barbosa, inspirada no romance de Maria Dezonne Pacheco Fernandes, contava com a colaboração de Edmara Barbosa e direção de Reynaldo Boury e Jayme Monjardim.

Sinopse

Monarquistas e republicanos se defrontam em Araruna, pequena cidade do interior paulista, em 1886, dois anos antes da promulgação da Lei Áurea. A história de amor de Sinhá Moça, filha do Coronel Ferreira, o Barão de Araruna, ferrenho escravocrata e da submissa Cândida, com o jovem Dr. Rodolfo Fontes, um ativo abolicionista republicano, ante as dificuldades da campanha para a abolição dos escravos.

Os dois se conhecem no trem, quando Sinhá Moça, depois de terminar seus estudos na capital da província, retorna a Araruna. Assim como Rodolfo, ela tem ideias abolicionistas e critica as atitudes do pai, lutando em defesa dos negros. Sinhá Moça, junto com Rodolfo e outros abolicionistas, invadem senzalas a noite e libertam os negros, entregando-os as associações abolicionistas, que os orientam rumo a liberdade.

Do outro lado da história está Dimas (que na verdade é o menino Rafael, ex-escravo alforriado) e sua obstinada luta para destruir o Barão, seu verdadeiro pai com a escrava da fazenda Maria Dolores. Antes de ser vendido pelo Barão, Rafael foi grande amigo de Sinhá Moça, com quem passou a infância. Depois de alforriado, adota o nome de Dimas e se torna o braço direito do tipógrafo Augusto, um abolicionista convicto, despertando o amor em Juliana, neta deste.



Roda de Fogo foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida entre 25 de agosto de 1986 e 21 de março de 1987. Foi escrita por Lauro César Muniz e Marcílio Moraes e dirigida por Dênis Carvalho e Ricardo Waddington, e contou com 179 capítulos.

Sinopse

Renato Villar é um rico empresário, ambicioso e sem escrúpulos, que faz qualquer coisa pelo poder. No início da telenovela, ele remete ilegalmente dólares para o exterior e participa do assassinato do amigo Celso Rezende, sendo que Celso punha em risco a reputação de Renato. Ele se aproxima de Lúcia Brandão, uma juíza incorruptível que é designada para julgar um caso de irregularidade envolvendo o empresário. Este tem o intuito de, através de seu advogado Mário Liberato, suborná-la, mas Lúcia e Renato acabam se apaixonando, o que gera um conflito na magistrada.

A seguir, Renato descobre que tem um tumor no cérebro, o que ocasiona uma reviravolta em sua vida. Modifica radicalmente o seu comportamento, abandona a mulher, Carolina, para viver seu amor por Lúcia, e começa a destinar parte dos lucros de suas empresas a uma instituição do terceiro setor. Seus outros objetivos são reconquistar o amor do filho Pedro, que nasceu de uma relação com a ex-guerrilheira Maura Garcez, a qual, na juventude, sofrera com a repressão da ditadura militar, e eliminar maquiavelicamente os cabeças que compunham o alto escalão de seu grupo financeiro, que o traíram. Tem início, então, uma tensa trama de assassinatos e luta permanente por poder e interesses particulares, envolvendo até mesmo figuras do antigo regime.



Hipertensão é uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo entre 6 de outubro de 1986 e 18 de abril de 1987, contou com 167 capítulos. Foi escrita por Ivani Ribeiro e dirigida por Wolf Maya.

Sinopse

Carina é a estrela da companhia de teatro mambembe de Sandro Galhardi. Em suas viagens, ela conhece três simpáticos velhinhos: Candinho, Romeu e Napoleão. Ela não sabe porém que um deles é seu pai. No passado, os velhinhos haviam se casado com trigêmeas e uma delas era a mãe de Carina. Este mistério permanecerá até o final da trama. Enquanto isso, a jovem Luzia é assassinada e entre os suspeitos está Ray, filho da poderosa Donana que fará de tudo para inocentá-lo.

Luzia é filha da empregada Odete que sempre lutou por sua filha a se casar com Ray, quando Odete soube da morte de sua filha ela fica magoada por perder uma filha e que antes tinha perdido o marido e agora Odete quer vingança da pessoa que matou sua filha, quem era muito apaixonado por Luzia era o radialista Túlio que tem certeza que Ray não é culpado e ele vai conquistar o coração da doce e meiga Carola que tem muitas desconfianças do jovem Fratelo e que ela acha que ele é o culpado da morte de Luzia.

Acham que Ray é o suspeito mas teve muita gente que estava perto de Luzia e pode ser o culpado como: Fratelo que paquerava Luzia, Beatriz que era rival de Luzia, Gioconda que odiava Luzia, Raquel que sentia ciúmes de Ray e Luzia e um culpado misterioso que estava perto desses suspeitos.



Direito de Amar foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo de 16 de Fevereiro a 5 de Setembro de 1987, contou com 173 capítulos. Foi escrita por Walter Negrão e Alcides Nogueira, com colaboração de Ana Maria Moretzsohn e Marilú Saldanha e dirigida por Reynaldo Boury, Jayme Monjardim e José Carlos Pieri.

Sinopse

No Rio de Janeiro do início do século XX, o industrial Augusto Medeiros se vê forçado a casar sua filha Rosália com o temível Francisco de Montserrat, um banqueiro autoritário, por conta de uma dívida. Mas Rosália está apaixonada por Adriano, médico recém-formado que conhecera num baile de máscaras, no reveillon de 1900, sem saber que ele era filho do Sr. de Montserrat.

Enquanto isso, Montserrat mantem em seus cuidados uma mulher, Joana, tida como louca, presa num quarto de sua mansão - uma mulher que sabe demais sobre seu obscuro passado. Ao final descobre-se que Joana era na verdade esposa de Montserrat, que se fizera passar por viúvo. Mas o banqueiro tem ainda que enfrentar seu antigo rival, o médico Jorge Ramos, com quem disputara Joana no passado. Além disso, o médico exerce grande influência sobre Adriano, inclusive em sua escolha profissional.



O Outro foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo em 1987, de 23 de março a 10 de outubro, com 179 capítulos. Foi escrita por Aguinaldo Silva e dirigida por José de Abreu, Fred Confalonieri e Ignácio Coqueiro, tendo a direção geral ficado a cargo de Marcos Paulo, Gonzaga Blota, Ricardo Waddington e Antônio Rangel. A novela contou ainda com a colaboração de Ricardo Linhares.

Sinopse

A trama se desenrola entre os diferentes mundos de dois homens idênticos fisicamente.

O empresário milionário Paulo Della Santa é um homem atormentado com a família e os negócios em crise. A esposa, Laura, luta para manter o casamento, apesar da torcida contra de Marília e Pedro Ernesto, filhos de Paulo.

O negociante Denizard de Mattos, dono de um ferro-velho, é uma figura simples, do povo. Viúvo, pai da adolescente Zezinha, ele mantém um caso amoroso com a esfuziante Índia do Brasil, sua secretária.

Paulo vive sem saber que tem um sósia, Denizard de Mattos, e, por acaso, ambos se encontram no banheiro de um posto de gasolina, momentos antes de o lugar explodir e incendiar-se. Resgatado no lugar de Paulo e confundido com ele, Denizard acaba por tomar o lugar do empresário e, mesmo depois que seu segredo é descoberto, a farsa é mantida por interesse dos adversários que desejavam tomar o poder de seu sósia. Entretanto, aproveitando-se da troca de identidade, Paulo decide lutar para retornar e retomar seu lugar de direito.



Brega & Chique foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida no horário das 19 horas, entre 20 de abril e 7 de novembro de 1987, tendo contado com 173 capítulos.

Sinopse

Ambientada em São Paulo, Brega e Chique tem como personagens centrais duas mulheres, Rosemere da Silva (Glória Menezes) e Rafaela Alvaray (Marília Pêra). De universos inteiramente opostos, as duas têm suas histórias cruzadas por causa de Herbert Alvaray (Jorge Dória), empresário paulista, casado com ambas. Sua família oficial é formada por Rafaela, os filhos Ana Cláudia (Patrícia Pillar), Teddy (Tarcísio Filho) e Tamyris (Cristina Mullins), além do genro Maurício (Tato Gabus Mendes) e da sogra Francine (Célia Biar). Rafaela é uma mulher rica, chiquíssima, desligada dos problemas do cotidiano, cheia de manias e futilidades. Mora em uma mansão em um bairro nobre de São Paulo. A segunda família de Herbert, onde é conhecido pelo nome Mário Francis, é representada por Rosemere e Márcia (Fabiane Mendonça), filha dos dois. Rosemere é uma mulher simplória, pobre e brega. Batalhadora, mora em um bairro da periferia de São Paulo e mantém a casa e os filhos com dificuldades – além de Márcia, é mãe de Vânia (Paula Lavigne) e Amaury (Cacá Barrete). Rosemere ainda ajuda o pai, Lourival (Fabio Sabag). Rafaela e Rosemere não sabem da existência do mesmo homem na vida das duas e, por ironia do destino, acabam se tornando amigas.

A novela começa quando Herbert, para escapar da falência, simula a própria morte e foge do país, abandonando sua família legítima. Preocupado com Rosemere, ele deixa uma boa quantia em dólares para que ela e a filha possam se sustentar. Endividada e sem nenhuma fonte de renda, Rafaela se vê obrigada a mudar-se com a família para um bairro mais simples. Por coincidência, vai morar na mesma vila onde Rosemere vive com a filha. As duas se conhecem e tornam-se confidentes: enquanto Rosemere ensina a Rafaela alternativas para ganhar e economizar dinheiro, Rafaela dá aulas de etiqueta para a nova rica do pedaço.

Além da ajuda de Rosemere, Rafaela conta com o apoio de Montenegro (Marco Nanini), secretário particular e cúmplice de Herbert. Apaixonado por Rafaela, ele está sempre por perto e faz tudo para ajudá-la a sair daquela difícil situação. Juntos, Rafaela e Montenegro foram responsáveis pelas cenas mais hilárias de Brega & chique.

Rosemere também tem um admirador: o bruto e apaixonado Baltazar (Dennis Carvalho), marceneiro do bairro.

A trama sofre uma reviravolta quando Herbert retorna ao país, após uma cirurgia plástica, com o nome de Cláudio Serra (Raul Cortez). Ele decide se encontrar com suas ex-mulheres, separadamente, e convida-as para jantar fora. Durante a conversa, ele pergunta sobre Herbert e Mário, e tanto Rosemere como Rafaela, falam muito mal de seus ex-maridos, para desconforto de Cláudio. Mesmo assim, o conquistador barato decide se reaproximar das duas, a quem ele chama de Alfa I (Rafaela) e Alfa II (Rosemere).

Em determinado momento da história, Rafaela e Rosemere, comentando sobre seus ex-companheiros, descobrem que os dois são a mesma pessoa. E mais: as duas constatam que existe uma terceira mulher na vida de Herbert: Zilda (Nívea Maria), melhor amiga de Rafaela. Depois de muita confusão, toda verdade sobre Cláudio Serra é revelada. Ele morre, dormindo, enquanto sonhava com sua verdadeira face. Rafaela, Rosemere e Zilda reconstroem suas vidas ao lado de outros homens. Rafaela se entrega ao amor de Montenegro, Rosemere casa-se com Baltazar, e Zilda, com Pedro (Paulo César Grande). Com a ajuda de Montenegro, Rafaela consegue passar para seu poder os dólares que Herbert guardava a sete chaves em uma conta na Suíça e promete dividir a herança com Rosemere e Zilda.

Outra trama que merece destaque em Brega e Chique é a de Bruno (Cássio Gabus Mendes). Sobrinho do marceneiro Baltazar, o rapaz ganhou a simpatia do público com seu jeito ingênuo e completamente atrapalhado. Os erros de português que cometia davam ainda mais comicidade às suas cenas. Palavras como "craro" e "pobrema" tornaram-se marcas do personagem e caíram na boca do público, especialmente entre as crianças. Os tropeços eram corrigidos pela professora Mercedes (Patrícia Travassos), contratada pelo tio Baltazar para ensinar português ao jovem. No decorrer da história, Mercedes se apaixona por Bruno e, no final, depois de muitas confusões, consegue conquistar seu coração.



Bambolê foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo em 1987, contou com 173 capítulos. Foi escrita por Daniel Más e dirigida por Wolf Maia.

Sinopse

A história se passa no final dos anos 1950, sob o governo de Juscelino Kubitschek, em meio à construção da nova capital do país, Brasília, a efervescência de movimentos culturais, como a Bossa Nova, e o advento de um rei do futebol, Pelé. É nesse contexto que vive o personagem central da novela, Álvaro Galhardo (Cláudio Marzo), um homem que se recusa a aceitar os valores de uma sociedade que ele julga ser hipócrita e moralista. Viúvo, romântico e idealista, Álvaro tem uma relação de amizade e um ótimo diálogo com as três filhas, Ana (Myrian Rios), Yolanda (Thaís de Campos) e Cristina (Carla Marins), comportamento nada convencional para a época.

Sua cunhada, Fausta (Joana Fomm), discorda da forma como Álvaro encara a vida e, principalmente, da educação que ele dá às filhas. Arrogante e calculista, ela sonha com bons casamentos para as sobrinhas, a garantia de um futuro tranqüilo. Ana, Yolanda e Cristina ficam divididas entre Álvaro e Fausta, pois têm paixão pelo pai, mas adoram o conforto e a proteção que a tia lhes proporciona.

Os conflitos entre Álvaro e Fausta pioram quando ele começa a se envolver com Marta (Susana Vieira), uma mulher desquitada que há 12 anos vive com Antenor (Herval Rossano). Mãe de dois filhos – Murilo (Maurício Mattar), do primeiro casamento, e Tavinho (Felipe Fonseca), de Antenor – Marta se muda com a família do Méier, bairro carioca da Zona Norte, para Ipanema, na Zona Sul. Coincidentemente, vai morar no prédio em frente à casa de Álvaro. Marta é vendedora de produtos de beleza e vive uma relação desgastada com Antenor, principalmente por ele implicar com seu filho Murilo. Romântica, ela sonha em viver um grande amor. Quando conhece Álvaro, fica encantada por ele. O sentimento é recíproco e os dois acabam tendo um romance.

Outro personagem de destaque na trama é Barreto (Rubens de Falco), empreiteiro que trabalha na construção de Brasília. Barreto é o melhor amigo de Álvaro, um homem de bom-caráter, inteligente e gentil. Tem enorme carinho pela família de Álvaro e, ao longo da história, apaixona-se pela filha mais velha dele, Ana. A jovem, no entanto, gosta do tenente da Marinha Luiz Fernando (Paulo Castelli), um rapaz idealista e romântico.

As festas, os namoros e conflitos da turma jovem têm grande destaque na novela. O namoro mais agitado é o de Yolanda e Murilo. O rapaz é o típico rebelde sem causa. Bonito e charmoso, só anda de lambreta, adora sua jaqueta de couro e não abre mão de passar goma nos cabelos. Quem não gosta nem um pouco desse namoro é Fausta, que quer afastar Yolanda do rapaz custe o que custar. Murilo, por ser novo no bairro, ainda enfrenta a turma de Ipanema, liderada por Alligator (Guilherme Leme). Arrogante e competitivo, Alligator também é apaixonado por Yolanda e não aceita sua preferência por Murilo, fazendo de tudo para atrapalhar o namoro entre os dois.

O drama da filha mais nova de Álvaro, Cristina, também é uma trama de destaque em Bambolê. Mimada, sonsa e de caráter duvidoso, ela vive disputando a atenção do pai com as irmãs. Em determinado momento, Cristina entra em desespero quando descobre que não é filha legítima de Álvaro. Rancorosa, ela decide estragar a vida da irmã Ana e seduz Luís Fernando. Cristina engravida do rapaz e consegue se casar com ele, mas vive uma relação infeliz ao seu lado. No último capítulo da novela, Cristina tem uma atitude madura e convence Fernando a ir atrás de Ana, que está de partida para Europa. Luís Fernando corre para o cais do porto para ficar ao lado de seu verdadeiro amor.

Também se destaca na trama a personagem Mara (Carla Daniel), amiga das meninas Galhardo. Cantora, ela se interessa pelo movimento musical que está surgindo: a Bossa Nova. O trabalho de seleção do repertório da personagem foi rigoroso, e ela se lança interpretando clássicos da música brasileira como Chega de Saudade, Corcovado e Este Seu Olhar. As canções foram apresentadas ao longo da novela.



Mandala é o nome de uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 12 de outubro de 1987 a 14 de maio de 1988. Escrita por Dias Gomes e Marcílio Moraes e dirigida por Ricardo Waddington (que também foi seu diretor-geral) e José Carlos Pieri. É uma livre adaptação do texto clássico de Sófocles Édipo Rei.

Sinopse

O enredo transporta o mito de Édipo para o Rio de Janeiro do século XX.

Rio de Janeiro, 1961. O presidente Jânio Quadros, inesperadamente, anuncia sua renúncia. Nesse contexto, a jovem Jocasta, uma estudante de sociologia, filha do dramaturgo e militante comunista Túlio Silveira, tem um romance com Laio, um alienado e rico jovem que sonha em se tornar um grande gângster. Grávida, ela dá à luz Édipo, que acaba retirado de seus braços ao nascer após Laio, um rapaz místico, consultar seu amigo e guru Argemiro, um paranormal que, ao jogar búzios, chega à conclusão de que a criança, no futuro, o matará e terá um romance com a própria mãe. Assustado, Laio planeja o sequestro do bebê e se desfaz dele.

Édipo então acaba recolhido pelo casal Américo e Mercedes e se torna um promissor produtor de vídeo, porém com fortes poderes paranormais, o que lhe causa muitos tormentos. 25 anos depois, Jocasta é uma bem-sucedida empresária, amparada pela amiga Vera, mas é frustrada e insatisfeita pelo fato de nunca ter conhecido o filho. Laio, um bissexual (tem um amante na trama, Cris, além de, nas entrelinhas, sentir uma atração diferente pelo amigo Argemiro), enfim conseguiu se transformar em um ilustre fora-da-lei, ampliando a fortuna e os negócios do pai, o comerciante Michel Lunardo, com o jogo do bicho e outros negócios ilegais, mas encontra em Tony Carrado seu maior rival.

Édipo e o pai se reencontram, por acaso, numa briga de trânsito. Sem saber da verdadeira identidade de Laio, Édipo acidentalmente o mata, empurrando-o de um penhasco. Mais tarde, ao procurar trabalho, acaba conhecendo e se apaixonando por Jocasta. Os dois se envolvem e, só posteriormente, descobrem que são mãe e filho. Em meio a isso, Jocasta é permanentemente assediada por Tony Carrado e passa a ser perseguida pelo seu antigo inimigo Argemiro, além de sofrer com os negócios escusos do irmão Creonte, um mau-caráter, e se interessar por Pedro Bergman, um charmoso advogado que contrata para localizar seu filho.



Sassaricando é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida no horário das 19 horas entre 9 de novembro de 1987 a 11 de junho de 1988, apresentada em 185 capítulos. Tendo como tema a participação das mulheres no mercado de trabalho, foi escrita por Sílvio de Abreu com direção de Cecil Thiré, Lucas Bueno e Miguel Falabella e direção geral de Cecil Thiré.

Sinopse

Sassaricando conta a história de Aparício Varella (Paulo Autran), um homem de 60 anos, casado com a poderosa e tirana Teodora (Jandira Martini), herdeira da Tecelagem Abdalla. Quando Teodora morre, Aparício se transforma em um novo homem e passa a levar uma vida cheia de “sassaricos”, deixando de ser submisso à filha mimada, Fedora (Cristina Pereira). Aparício começa a namorar três amigas ao mesmo tempo: Rebeca (Tônia Carrero), Leonora (Irene Ravache) e Penélope (Eva Wilma). Rebeca – estilista de moda, viúva, grande paixão de Aparício no passado – tem dificuldade de manter seu padrão social com o trabalho. Leonora é uma atriz fracassada que sonha com o estrelato. Penélope é uma dona-de-casa, desquitada, que vai morar em São Paulo com o filho Beto (Marcos Frota), publicitário renomado.

Outra trama de destaque em Sassaricando é a da espanhola Aldonza (Lolita Rodrigues), que, abandonada pelo marido Ricardo (Carlos Zara), batalha sozinha para criar os quatro filhos: Jorge Miguel (Edson Celulari), Tancinha (Cláudia Raia), Isabel (Angelina Muniz) e Juana (Denise Milfont). Junto com as filhas, Aldonza vende frutas na feira. Sua barraca faz o maior sucesso, especialmente quando Tancinha anuncia melões, balançando-os junto aos seios. Interpretada por Cláudia Raia, Tancinha foi um dos destaques da novela. Com sotaque paulistano exagerado, o bordão “me tô divididinha”, usado pela personagem quando ela expressava a dificuldade em escolher entre o publicitário Beto e o musculoso Apolo (Alexandre Frota), fez grande sucesso entre o público.

Um núcleo importante de Sassaricando é a tresloucada família de Aparício, que o persegue e inferniza sua vida. Fedora, Fefê, vive entre tapas e beijos com seu marido Leonardo Raposo (Diogo Vilela), Leozinho, um assassino profissional que só mata as pessoas erradas. Lucrécia (Maria Alice Vergueiro) e Fabíola (Ileana Kwasinski), cunhadas de Aparício, querem desesperadamente a fortuna deixada pela falecida irmã e também atormentam o sessentão. Além disso, a própria Teodora Abdalla baixa do além para atazanar o viúvo.

A personagem Camila (Maitê Proença) também merece destaque. Sobrinha de Aparício, ela é uma bem-sucedida fotógrafa que se envolve com Jorge Miguel, filho de Aldonza.



Fera Radical foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 28 de março a 19 de novembro de 1988 às 18h, contou com 203 capítulos. Foi escrita por Walter Negrão, tendo sido inspirada na peça A Visita da Velha Senhora, do suíço Friedrich Dürrenmatt. Contou com a colaboração de Ricardo Linhares e Luiz Carlos Fusco e foi dirigida por Gonzaga Blota e Denise Saraceni.

Sinopse

Chamas, fogo e a casa que queima em meio a gritos, correria e desespero. Imagens gravadas para sempre por uma menina. Mesmo hoje, 15 anos mais tarde, Cláudia ainda se assusta com as cenas presenciadas, que voltam sempre em repetidos pesadelos. Mesmo longe, Rio Novo ficou esquecida no passado - no conforto de Ipanema, Rio de Janeiro, a agora jovem Cláudia não perdoa seus algozes. O massacre de sua família, pai, mãe e irmãos, precisa ser vingado, para cumprir a promessa feita a si própria. Obstinada, prepara-se para voltar à pequena Rio Novo, empregada em uma das fazendas possível e provavelmente envolvidas no seu triste passado. No meio a tantas dúvidas, apenas uma certeza: quer descobrir os verdadeiros culpados e se vingar de cada um deles. Mas o grande mistério está em descobrir quem são esses culpados.

A pequena cidade de Rio Novo cresceu apenas o suficiente para manter o frigorífico, que pertence às fazendas Olho D'água e do Gaibú, de Altino Flores e Donato Orsini, respectivamente os poderosos da região. Tem uma população flutuante de jovens, filhos de fazendeiros, que estudam na Escola de Agronomia da cidade e moram na pensão de Lourdes e Robério. Mas são os jovens das duas famílias - Flores e Orsini - quem conduzem a história. De um lado, os irmãos Fernando e Heitor. Do outro, Marília, filha de Donato, que fica noiva de Heitor, selando a amizade entre seus pais. Distante dali, no Rio, moram Olívia, filha mais velha de Altino, seu marido Jorge Mendes, um mau-caráter, e os filhos Rafael e Ana Paula. Além de Cláudia e Marta, que a acolheu e criou depois do massacre dos seus pais, dando-lhe todo carinho e conforto possíveis.

Ao articular a destruição de todos que a fizeram sofrer, Cláudia se defronta com a amizade leal de Altino, que se vê preso a uma cadeira de rodas desde a noite da chacina, e o ódio de Joana, mulher de Altino. Tal ódio aumenta quando ela descobre quem é Cláudia e que ela vive com Marta, antigo amor de Altino, cujo romance no passado gerou Olívia, criada por ela. Mas os planos de Cláudia podem vir por terra quando ela se envolve com os filhos de Altino, Fernando e Heitor, e se sente arrebatada pelo amor de Fernando.



Vale Tudo é uma telenovela brasileira que foi produzida pela Rede Globo, exibida originalmente de 16 de maio de 1988 a 6 de janeiro de 1989, no horário das 20h da emissora. Foi escrita por Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Bassères e dirigida por Dênis Carvalho e Ricardo Waddington, com direção geral do primeiro. Contou com 204 capítulos.

Sinopse

Raquel Accioli (Regina Duarte) é uma mulher batalhadora e honesta que trabalha como guia de turismo em Foz do Iguaçu, Paraná. Separada do marido, Rubinho (Daniel Filho), Raquel sempre lutou para criar sua filha, Maria de Fátima (Glória Pires), da melhor forma possível. No entanto, a jovem é o oposto da mãe: tem horror à pobreza e faz qualquer coisa para subir na vida. Em uma cena do primeiro capítulo da trama, ficam evidentes as diferenças entre mãe e filha durante uma discussão sobre honestidade no Brasil. Fátima fica indignada quando o avô Salvador (Sebastião Vasconcelos), funcionário da Receita Federal em Foz do Iguaçu, se recusa a liberar a mercadoria de um amigo da neta, o mau-caráter César (Carlos Alberto Riccelli).

Logo nos primeiros capítulos de Vale Tudo Salvador morre, desencadeando toda a ação da novela. A inescrupulosa Maria de Fátima vende a única propriedade de sua família, a casa onde mora com a mãe, e foge com o dinheiro para o Rio de Janeiro, com o objetivo de ganhar a vida como modelo. Desesperada, Raquel vai atrás da filha e acaba conhecendo Ivan Meirelles (Antonio Fagundes), um administrador de empresas, por quem se apaixona. Para ganhar a vida no Rio de Janeiro, Raquel passa a vender sanduíche na praia, com ajuda do amigo Audálio (Pedro Paulo Rangel), conhecido como Poliana.

Enquanto isso, Maria de Fátima se alia ao mau-caráter César, que a estimula a seduzir o milionário Afonso Roitman (Cássio Gabus Mendes), namorado de sua amiga Solange (Lídia Brondi). Afonso é filho de Odete Roitman (Beatriz Segall), uma poderosa empresária, diretora da Companhia Aérea TCA, que manipula a vida dos filhos. Além de Afonso, ela é mãe de Heleninha (Renata Sorrah), uma artista plástica de personalidade frágil, que sofre com o alcoolismo.

Obstinada em concretizar o plano de se casar com Afonso, Maria de Fátima aceita a proposta de Odete Roitman, que pede que a jovem separe Raquel de Ivan, prometendo estimular seu filho a casar-se com ela. A vilã quer que Ivan fique disponível para se casar com sua filha Heleninha. A ardilosa Maria de Fátima consegue acabar com o relacionamento e a felicidade de sua mãe, que rompe com Ivan, acusando-o de desonestidade. Magoado, Ivan se casa com Heleninha, e os planos de Maria de Fátima dão certo.

No acordo firmado com Odete Roitman, Maria de Fátima teria direito à fortuna de Afonso após dois anos de casamento. O tempo passa, mas dois meses antes do prazo, Odete descobre o romance dela com César, com quem ela própria mantinha um caso. Desmascarada, sem o apoio de Odete Roitman, Maria de Fátima fica sem nenhum tostão e vai procurar Raquel, agora proprietária de uma rede de restaurantes chamada Paladar. Raquel, no entanto, depois de muitas decepções, se recusa a ajudar a filha.

Outro personagem de destaque em Vale Tudo é Marco Aurélio (Reginaldo Faria), braço direito de Odete Roitman nos negócios, ex-marido de Heleninha, casado atualmente com Leila (Cássia Kiss). Através da dupla de empresários, o autor discute questões como desonestidade, corrupção e ética.

Quase no final da novela, no capítulo 192, a vilã Odete Roitman é assassinada com três tiros à queima-roupa, gerando um grande mistério na história que mobilizou o país inteiro. No último capítulo, o 204, o público descobre a identidade do assassino: Leila, que disparara contra Odete por engano. Ela pensava ter atirado em Maria de Fátima, que tinha se tornado amante de seu marido Marco Aurélio.

O Brasil inteiro parou no dia 6 de janeiro de 1989 para saber “quem matou Odete Roitman”. Os autores aumentaram o clima de suspense escrevendo cinco versões diferentes para o último capítulo, ao qual os atores só tiveram acesso durante a gravação.

Apesar da morte da vilã Odete Roitman, no final de Vale Tudo os personagens maus-caracteres não são punidos. Maria de Fátima casa-se com um príncipe italiano, em mais uma das tramóias idealizadas por seu amante César. Marco Aurélio e Leila fogem do país depois de aplicarem um grande golpe. Em sua última aparição, ao entrar no avião que o levaria para fora do país, o personagem de Reginaldo Faria dá uma banana para a câmera, numa cena antológica. Ao fundo, a música Brasil, de Cazuza, na voz de Gal Costa.

A novela mostrou, pela primeira vez de forma explícita, o homossexualismo feminino, o que resultou em alguns problemas com a censura. Vários diálogos entre as personagens Cecília (Lala Deheinzelin) e Laís (Cristina Prochaska) tiveram que ser reescritos, depois que foi vetada a cena em que as duas contavam a Heleninha sobre os preconceitos de que eram vítimas por causa de seu relacionamento.



Bebê a Bordo foi uma novela produzida pela Rede Globo, no horário das 19 horas, exibida de 13 de junho de 1988 a 11 de fevereiro de 1989, num total de 209 capítulos, de autoria de Carlos Lombardi, com a direção geral de Roberto Talma.

Sinopse

Despertar as mais diversas sensações, dentro da sua completa inocência, parece ser o destino da pequena Heleninha desde o seu nascimento, que acontece dentro do carro de Tonico Ladeira, quando a quase mamãe Ana pega uma estratégica carona para fugir da polícia. Estava selada a união de Ana e Tonico. De motorista a parteiro, Tonico fica irremediavelmente ligado a Heleninha, ainda mais que Ana desaparece.

Ana acaba por repetir a história de sua mãe Laura, que a abandonou no seu nascimento. Mas Laura está disposta a conseguir para si a guarda da sua neta, a pequena Helena. Novamente o destino dá uma ajudinha, pois mais tarde Ana decide deixar o neném na porta da casa de Laura, sem saber quem é ela. Enquanto isso, vários personagens masculinos disputam a paternidade da criança, pois Ana não faz a mínima idéia de quem é o pai de Heleninha. Entre eles: Tonico Ladeira, Zezinho, Antonio Antonucci e os irmãos Tonhão, Rei e Rico.

No outro lado da história, está a solteirona Ângela, que sonha com um homem que não conhece e se assusta quando descobre que ele existe. Ângela é uma mulher reprimida que dedicou sua vida a cuidar dos irmãos Zetó e Caco. Eficiente secretária, trabalha com Tonico e se apaixona por um locutor de rádio, Tonhão, com quem tem sonhos sensuais.



Vida Nova foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida no horário das 18 horas entre 21 de novembro de 1988 e 6 de maio de 1989, contou com 143 capítulos. Foi escrita por Benedito Ruy Barbosa e dirigida por Luiz Fernando Carvalho.

Sinopse

São Paulo, 1945. Fim da Segunda Guerra Mundial. A elegante e alegre Laura (Dona Lalá), ex-prostituta que organizou sua vida ao lado da filha, sem perceber as atenções de Antônio Sapateiro, homem tímido e sonhador totalmente apaixonado por ela. Num cortiço no bairro do Bixiga, vivem outros casais. Como Gema, que, julgando-se viúva, se casa com Pietro, um italiano apaixonado, e vive feliz até que o primeiro marido, Sebastião, aparece vivo. Também o jovem casal Bruno e Bianca; e Sara, jovem dona de uma pensão cortejada por um de seus hóspedes, o libanês Michel, bem mais velho que ela. E o italiano Antônio do Mercado, um trabalhador incansável que mantém com sacrifício o filho Toninho num dos melhores colégios de São Paulo, mas não vê com bons olhos o amor que nasce entre seu filho e a jovem Marialina, filha de Lalá. Também o envolvente caso de amor do português Manuel Victor e da judia Ruth, proibido pelos pais da moça por causa da religião, e abalado pelas intrigas da caipirinha Gracinha, filha do poderoso Coronel Antenor, e apaixonada pelo português. Com a ajuda do empresário Mohamed e das cafetinas Virgínia e Jandira, eles não fazeram sentido de todos os culpados.



O Salvador da Pátria foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 08 de janeiro e 14 de agosto de 1989, em 185 capítulos. Foi escrita por Lauro César Muniz, com a colaboração de Alcides Nogueira e Ana Maria Moretzsohn, e dirigida por Gonzaga Blota, José Carlos Pieri, Denise Saraceni e Paulo Ubiratan.

Sinopse

A trama é ambientada nas cidades fictícias de Tangará e Ouro Verde, que são rotas de narcotráfico, e gira em torno de Sassá Mutema, um bóia-fria (agricultor que trabalha em diversas lavouras mas não tem sua própria) que acaba sendo cooptado por um fazendeiro, Severo Toledo Blanco. Para evitar um escândalo com sua amante, Marlene, Severo convence Sassá a se casar com ela para criar uma fachada. No entanto, Marlene é assassinada e encontrada morta com Juca Pirama, radialista local que denunciava desmandos das oligarquias e dos traficantes. Interessados em se aproveitar do fato, tanto os fazendeiros(chefiados por Severo) quanto os sindicalistas rurais ligados a Marina Cintra manipulam Sassá para que ele confesse um duplo homicídio que não cometeu, e transformam um crime passional em um crime político. Com a fama, Sassá Mutema acaba convencido a se candidatar a prefeito e se elege, o que desagrada à quadrilha de traficantes, que começa a ameaçá-lo. A novela acompanha a mudança de Sassá, de bóia-fria analfabeto a político poderoso, mas ainda um joguete usado ao sabor das conveniências, além do conflito dele com a nova vida, sem falar em seu amor pela idealista professora Clotilde. Em paralelo, vemos o drama de João Matos, um piloto civil, irmão de Juca, que foi envolvido por ele no esquema do narcotráfico e que agora tenta provar sua inocência. Ao fim, descobre-se o cabeça do esquema:era Bárbara, amante de Severo e neta do banqueiro local.



Que Rei Sou Eu? foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida no horário das 19 horas, entre 13 de fevereiro e 16 de setembro de 1989. Foi escrita por Cassiano Gabus Mendes e Luís Carlos Fusco e dirigida por Jorge Fernando, Lucas Bueno e Mário Márcio Bandarra, tendo sido apresentada em 185 capítulos.

Sinopse

O ano é 1786, três anos antes da Revolução Francesa. Após a morte do rei Petrus II, o trono do reino de Avilan é assumido pela rainha Valentine, uma histérica que não estava preparada para o governo. No entanto, em seu testamento, o falecido rei revela haver deixado um filho bastardo, que teve com a camponesa Maria Fromet, e seria o herdeiro do trono.

A rainha Valentine é dominada pelos conselheiros reais: Crespy Aubriet, Gaston Marny, Bidet Lambert, Gerárd Laugier e Vanolli Berval, que com seu jogo de cintura comandam completamente a rainha. O único conselheiro honesto de Avilan é Bergeron Bouchet, que sofre com o assédio de Valentine. Ele é casado com a bela Madeleine, a única mulher do reino que sabe escrever, e tem ideais feministas. Madeleine é objeto do desejo de Ravengar, o bruxo da corte.

Na ausência do sucessor do trono, os conselheiros reais coroam o mendigo Pichot rei, como se fosse o verdadeiro filho de Petrus II. A armação é obra do misterioso Ravengar, o feiticeiro. Porém, há uma conspiração entre a classe pobre de Avilan, que busca derrubar o governo para instituir uma sociedade menos opressiva, já que o reino é corroído pela corrupção de seus governantes e injustiças sociais. Dentre eles está Loulou Lion, a dona de uma taberna que sabe a verdade sobre o filho do rei; e Corcoran, o bobo da corte, que é um rebelde infiltrado no palácio.

Mas o líder da revolução é Jean Piérre, que, ao descobrir que é o filho bastardo do rei, passa a lutar pela coroa que lhe pertence. Todavia, não só de heroísmo sobrevive Jean Piérre. Sua luta é entremeada por duas mulheres apaixonadas: a jovem Aline, e Suzanne, a bela esposa do conselheiro Vanolli Berval, que disputam o seu amor.



Pacto de Sangue foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo, de 8 de maio a 23 de setembro de 1989, contou com 119 capítulos. Foi escrita por Regina Braga e Sérgio Marques, e dirigida por Herval Rossano.

Sinopse

Ambientada em 1870, anos antes da Abolição, em Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense, Pacto de Sangue fala sobre escravidão e preconceito racial. A história tem início com o jovem Antônio (Marcelo Serrado) à beira da morte depois de ajudar um negro a escapar da fazenda de seu próprio pai. Antes de morrer, Antônio pede para que seu pai, o juiz Queiroz Antunes (Carlos Vereza), crie o pequeno escravo Bento (Armando Paiva) como se fosse seu próprio filho. O fazendeiro, líder do Partido Conservador na cidade, atende ao último pedido de Antônio e começa a rever todos os seus valores. A convivência com o menino negro muda os horizontes de Queiroz, que acaba se apaixonando pela professora Aimée (Carla Camurati), integrante do movimento abolicionista.

Pacto de Sangue foi a primeira experiência, na TV Globo, de uma novela inteiramente gravada antes de ir ao ar.



Tieta foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida entre 14 de agosto de 1989 e 31 de março de 1990, no horário das 20 horas, totalizando 196 capítulos. Foi escrita por Aguinaldo Silva, Ana Maria Moretzsohn e Ricardo Linhares, e dirigida por Reynaldo Boury, Ricardo Waddington e Luiz Fernando Carvalho, com direção geral de Paulo Ubiratan.

Sinopse

A trama se passa na cidade fictícia de Santana do Agreste e começa quando Antonieta Esteves (Tieta) é expulsa de casa pelo pai Zé Esteves, que irritado com o comportamento literal da filha e influenciado pela filha Perpétua (irmã de Tieta), decide esquecer de vez a filha. Tieta é humilhada e escorraçada de Santana do Agreste.

Vinte e cinco anos se passam e Tieta se tornou uma rica e exuberante mulher, e volta a Santana do Agreste para se vingar da família e de todos que a humilharam no passado. Ao chegar Tieta muda a rotina dos moradores da pequena cidade de Santana do Agreste e será cobiçada por todos que a humilharam no passado pela sua fortuna e exuberância.

Para chocar ainda mais sua família, Tieta se envolve com o filho da rancorosa irmã, o jovem seminarista Ricardo.



Top Model foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo entre 18 de setembro de 1989 a 5 de maio de 1990 em 197 capítulos. Foi escrita por Walther Negrão e por Antônio Calmon. Foi dirigida por Roberto Talma.

Sinopse

Duda é uma top model de sucesso. Ao ser contratada para desfilar os modelos da confecção Covery, entra em contato com os irmãos Kundera - Alex e Gaspar - proprietários da empresa.

Gaspar é um hippie remanescente de sua geração - um surfista quarentão que mora em frente à praia e cuida dos jovens filhos (Elvis, Ringo, Jane, Olívia e Lennon) que teve com mulheres diferentes, numa relação de amor, compondo uma família harmoniosa, mesmo com a ausência das esposas que o abandonaram. Ele não consegue enxergar o amor platônico da atrapalhada Naná, a amiga de todas as horas que passa a disputá-lo com Marisa. Esta última é a mãe do filho mais novo de Gaspar que um dia trocara ele por seu irmão, Alex.

Já Alex é um representante dos yuppies dos anos 80. O cérebro da Covery, ele desenvolve uma relação de ódio com a mãe Morgana e nutre um ciúme doentio de Gaspar.

Alex se apaixona por Duda. Mas ela ama o grafiteiro Lucas, que está no Rio de Janeiro fugindo da polícia paulistana por ter-se envolvido num crime. Além disso, Lucas procura por seu pai desconhecido, sem saber se ele é Alex ou Gaspar.



O Sexo dos Anjos foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo entre 25 de setembro de 1989 e 10 de março de 1990, em 143 capítulos. Direção de Roberto Talma (geral), Flávio Colatrello Jr. e Fábio Sabag. Foi escrita por Ivani Ribeiro.

Sinopse

Diana (Bia Seidl), o Anjo da Morte, pede a seu emissário Adriano (Felipe Camargo), que desça à Terra e busque a jovem Isabela Moraes (Isabela Garcia). Porém o emissário se apaixona pela moça e tenta levar em seu lugar a sua irmã má Ruth (Sílvia Buarque) que, de caráter perverso, maltrata o irmão surdo-mudo Tomás (Marcos Frota), a quem atribui a causa de todos os seus problemas. A Morte não aceita a troca, mas concorda em dar mais uma oportunidade a jovem: ela poderá cometer dois pecados apenas; se cometer o terceiro, morrerá.

Há também o romance de Gigi (Carla Marins) e Zé Paulo (Irving São Paulo), vigiado de perto por Vera (Norma Benguell) que não aceita a moça pobre como namorada de seu filho. A própria Vera esconde uma paixão secreta por Durval (Paulo Figueiredo), namorado de sua irmã Leonor (Myrian Pérsia), que é a mãe de Isabela, Ruth e Tomás.

Na vida dessas famílias aparece a misteriosa figura do Padre Aurélio (Mário Gomes), um homem que esconde o seu passado e a sua verdadeira identidade. Ele é Renato, um ambientalista que sofre a perseguição de poderosos latifundiários por defender a natureza.

Os problemas se agravam quando o Anjo da Morte desce à Terra para vigiar o trabalho de seu emissário, Adriano, e se apaixona pelo padre.



Gente Fina foi uma telenovela brasileira produzida e exibida entre 12 de março e 18 de agosto de 1990, contou com 137 capítulos. Foi exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo. O argumento é de José Louzeiro e o autor é Luís Carlos Fusco.

Sinopse

Gente Fina narra o cotidiano da classe média através da família de Guilherme (Hugo Carvana). A história começa quando ele recebe o comunicado que deve pagar o aluguel atrasado em 24 horas, ou será despejado de seu apartamento em Copacabana. Sem alternativa, ele, sua mulher Joana (Nívea Maria), seus filhos Kika (Lizandra Souto), Beto (Nicolai Nunes) e Tatá (Natália Lage) e seu pai Olavo (José Lewgoy) vão morar num casarão emprestado pelo amigo Joaquim (Paulo Goulart), em São Cristóvão, na zona norte do Rio de Janeiro. A família encontra dificuldade em se adaptar ao novo bairro e em ter jogo de cintura para lidar com a falta de dinheiro.

Outro núcleo importante em Gente Fina é a família do milionário Tufik (Othon Bastos), casado com Indhira (Sandra Barsotti), que vive uma realidade oposta à família de Guilherme. As duas famílias são próximas, pois o filho de Tufik, Maurício (Guilherme Fontes), é namorado de Kika.

Outra personagem de destaque na trama é a socialite Janete (Sandra Bréa), melhor amiga de Joana, casada com Arthur (Gracindo Junior). Janete, no entanto, cobiça Guilherme, marido da amiga.

Em determinado momento da história, Arthur, que é procurador de Tufik, morre, e a novela ganha um tom de suspense, com o início da busca ao misterioso assassino.



Rainha da Sucata foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida de 2 de abril a 29 de outubro de 1990, com 179 capítulos. Foi escrita por Sílvio de Abreu, tendo como co-autores Alcides Nogueira e José Antonio de Souza, e dirigida por Jorge Fernando, Fábio Sabag e Jodele Larcher. Contou com Regina Duarte, Tony Ramos, Glória Menezes , Daniel Filho , Aracy Balabanian , Gerson Brenner , Marcelo Novais e Jandir Ferrari nos papeis principais.

Sinopse

Maria do Carmo fez fortuna acreditando no negócio do pai, Onofre, já falecido, que trabalhava com ferro-velho. Ela chega aos anos 1990 com os negócios ampliados e consolidados, podendo abrir uma lambateria no alto de um edifício de sua propriedade na avenida Paulista.

Apesar disso, ela ainda guarda uma mágoa de Edu, por quem foi humilhada no passado.

Maria do Carmo aproxima-se de Edu, e, acenando com sua conta bancária, conquista-o para o casamento. Ele aceita se casar com ela por dinheiro, mas depois se apaixona de verdade. Ela, então, conhece dias de terror ao enfrentar a vilã Laurinha Figueroa, que é apaixonada pelo enteado e não se conforma em perder Edu para a "sucateira".

O casamento é acompanhado de perto por outros infortúnios. Os negócios de Maria do Carmo enfrentam a derrocada econômica provocada por seu administrador mau-caráter, Renato Maia. E ela ainda perde o prédio na Paulista para sua vizinha, Dona Armênia, a legítima proprietária.

Em contrapartida, há o misterioso Jonas, que se emprega como mordomo na mansão dos Figueroa para descobrir o verdadeiro motivo de perseguição dos Figueroa e da irmã de Betinho, Isabelle de Bresson, à sua filha Paula, uma repórter iniciante, que, para alcançar o sucesso profissional, passa a acompanhar o dia-a-dia de Maria do Carmo, como um paparazzo.



Mico Preto foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo entre 7 de maio e 1 de dezembro de 1990, contou com 179 capítulos. Foi escrita por Euclydes Marinho, Leonor Bassères e Marcílio Moraes.

Sinopse

A milionária Áurea Menezes Garcia anuncia aos três filhos, Zé Luís, Adolfo e Frederico, o seu casamento com o jovem Astor. Logo a empresária desaparece, deixando como seu procurador geral o funcionário público Firmino do Espírito Santo, desconhecido de todos.

Firmino é um homem honesto e sem ambições. Tem bom caráter, mas, em sua vida, tudo dá errado. De uma hora para outra, ele passa a ter enorme poder nas mãos, assume a direção das empresas de Áurea e tem que lidar com seus três ambiciosos filhos.

A partir daí, a trama une os mundos distintos de Áurea e Firmino, cuja noiva, Sarita, uma trapaceira que segue os passos da mãe, Erotildes e do padrasto Eugênio, é contratada para se casar com o deputado José Maria, solteirão e candidato a governador, que mantinha um discreto namoro com Zé Luís. Firmino, por sua vez, irá se envolver amorosamente com Cláudia, a simpática noiva de Frederico.



Barriga de Aluguel foi uma telenovela escrita por Glória Perez, produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo entre 20 de agosto de 1990 e 1º de junho de 1991, contou com 243 capítulos. O tema central do folhetim era a barriga-de-aluguel, expressão popular para a maternidade de substituição.

Sinopse

O casal Ana e Zeca deseja muito ter um filho. Depois de várias tentativas frustradas de engravidar, Ana recebe do Dr. Álvaro Barone, um renomado médico, uma triste noticia: ela não pode ter filhos. Dr. Barone, então, diz ao casal que há uma maneira de realizar esse sonho: contratar uma barriga de aluguel. Em troca de 20 mil dólares, a jovem Clara aceita emprestar seu útero para a experiência. Só que, durante a gestação, Clara é tomada pelo sentimento da maternidade e, após um complicado parto que a deixa estéril, Clara se recusa a entregar a criança, fugindo com o bebê. Tem início, então, uma batalha na justiça pela guarda do menino. Ana afirma que é a mãe, argumentando, em seu favor, a herança genética, uma vez que o óvulo era seu e o espermatozóide era de seu marido, e que Clara apenas emprestou a barriga. Já Clara diz que ela é a mãe do bebê, pois ele foi gerado em sua barriga e foi ela quem deu à luz.

E a pergunta que causou discussões pelo Brasil inteiro, durante os nove meses de exibição da telenovela, foi qual das duas deve ficar com o bebê, Ana ou Clara?



Araponga é uma telenovela brasileira, produzida pela Rede Globo, foi exibida entre 15 de outubro de 1990 e 29 de março de 1991, às 21h30. Escrita por Dias Gomes, Lauro César Muniz, Marcílio Moraes e Ferreira Gullar, dirigida por Cecil Thiré, Lucas Bueno e Fred Confalonieri.

Sinopse

A morte do Senador Petrônio Paranhos é o ponto de partida. O senador falece ao dar uma entrevista à jornalista Magali Santanna, que está interessada em saber sobre o seu romance com a jovem Arlete, uma moça ambiciosa que está disposta a engravidar do velho senador através da fertilização in vitro. Só que a morte do senador ocorreu numa situação adversa. Magali aceitou entrevistar o senador num quarto de motel, condição imposta por ele, e acaba ficando numa situação difícil.

Todos esses acontecimentos estão sendo investigados por Aristênio Catanduva, um detetive atrapalhado de codinome Araponga que trabalha para a Polícia Federal, depois de muitos serviços prestados ao Regime Militar. Mas Araponga conserva as mesmas ideias e os mesmos hábitos do velho regime. Tanto que tenta convencer seus superiores da necessidade de reativar o Serviço Nacional de Informações (SNI), órgão da polícia política do Regime Militar.

Araponga, que vigiava o senador falecido, começa a criar elos imaginários entre pessoas e situações. Suas ideias delirantes são reforçadas pelas mentiras do informante Tuca Maia, um malandro que vai trabalhar no mesmo jornal que Magali.



Meu Bem, Meu Mal foi uma telenovela brasilera produzida e exibida pela Rede Globo entre 29 de outubro de 1990 e 18 de maio de 1991, com 173 capítulos. Escrita por Cassiano Gabus Mendes, com colaboração de Maria Adelaide Amaral, Dejair Cardoso e Luís Carlos Fusco, e dirigida por Paulo Ubiratan, Reynaldo Boury e Ricardo Waddington.

Sinopse

Dom Lázaro Venturini, sócio majoritário da Venturini Designers, é obrigado a conviver com Ricardo Miranda, que detém 30% das ações da empresa e representa o adultério de sua falecida mulher, Maria Helena. Ricardo mantém um caso secreto com Isadora Venturini(também acionista da empresa), a viúva de Cláudio, filho de Dom Lázaro, e odiada pelo patriarca. Mas tanto Ricardo quanto Isadora são vítimas do ódio de outras pessoas.

Ricardo foi o responsável pela ruína de Felipe. A filha deste, Patrícia, planeja vingança se envolvendo com Ricardo, mesmo sendo bem mais jovem que ele e amiga de sua problemática filha, Jéssica. Mas Patrícia não contava que fosse se apaixonar de verdade por Ricardo Miranda.

Contra Isadora se juntam a socialite Mimi Toledo e sua manicure, Berenice. Mimi Toledo fora apaixonada pelo falecido marido de Isadora, e preterida. E Berenice quer vingar a filha, Fernanda, da humilhação imposta por Isadora, que não aceitou a jovem como namorada do filho, Marco Antônio. Essa vingança põe Doca em cena. Trata-se de um rapaz pobre que, industriado por Mimi Toledo, se infiltra na alta sociedade como Eduardo Costabrava, para enlouquecer de amor a filha de Isadora, Victória.



Lua Cheia de Amor foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo entre 3 de dezembro de 1990 e 13 de julho de 1991, contou com 191 capítulos. Foi escrita por Ana Maria Moretszohn, Ricardo Linhares e Maria Carmem Barbosa, com supervisão de texto de Gilberto Braga.

Sinopse

A personagem central da novela é Genuína Miranda (Marília Pêra), uma mulher batalhadora, sem instrução, que trabalha como ambulante. Dona Genu, como é conhecida, faz qualquer sacrifício pelos filhos Rodrigo (Roberto Battaglin) e Mercedes (Isabela Garcia). Mas, apesar da dedicação da mãe, eles sentem vergonha por ela ser uma mulher pobre e simples.

Genu não abandona o sonho de reencontrar o marido Diego (Francisco Cuoco), desaparecido há 15 anos, e luta para poder comprar de volta a loja que o marido perdera no jogo. Em determinado momento da trama, Diego reaparece com a identidade de Esteban Garcia, movimentando a vida da protagonista.

As tramas dos filhos de Dona Genu também se destacam na novela. Rodrigo terminou os estudos e sonha em ser diretor de cinema. Namorado de Flávia (Renata Laviola), ele termina o namoro com a moça ao conhecer Rutinha (Sylvia Bandeira), uma mulher mais velha e mais rica do que ele. Sua irmã Mercedes é ambiciosa e só pensa em ascender socialmente. Ela é apaixonada por Augusto (Maurício Mattar), filho do milionário Conrado (Cláudio Cavalcanti) e da socialite Laís Souto Maia (Susana Vieira), mas desiste do romance pois pensa que ele é pobre como ela. Mercedes, por interesse, acaba se casando com Douglas (Rodolfo Botino), um playboy egoísta que ela conhece na Europa, mas não consegue esquecer Augusto.

Kika Jordão (Arlete Salles), outra personagem importante de Lua Cheia de Amor, é uma emergente que não poupa esforços para aparecer em colunas sociais e vive perseguindo Laís Souto Maia, de quem sonha se tornar amiga íntima. Kika é casada com Jordão (Carlos Zara) e mãe de Douglas e Olívia (Carol Machado). Ambiciosa e ingênua, Kika faz cursos de etiqueta e tem obsessão por mulheres ricas. Dona de uma loja de roupas de cama e mesa, a personagem foi um grande sucesso e lançou expressões que se tornaram populares, como o famoso “Fofa”.



Salomé é uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo entre 3 de junho e 5 de outubro de 1991, em 107 capítulos. Inspirada no romance de Menotti del Picchia, foi escrita por Sérgio Marques,colaboração de Márcia Prates e Elizabeth Jhin e dirigida por Herval Rossano e Marco Aurélio Bagno.

Sinopse

Na cidade de São Paulo da década de 1930, Salomé (Patrícia Pillar) é uma jovem muito à frente de seu tempo. De caráter ousado e rebelde, ela escandaliza a sociedade com a dança dos véus, em que fica seminua num palco em Paris. Por isso, o pai obriga-a retornar ao Brasil, de volta para a cidade de São Paulo. Chegando na cidade, vai morar na fazenda de Pindorama, onde conhece Duda, por quem se apaixona.

A relação que Salomé mantém com o padrasto, Coronel Antunes é agressiva, mas este alimenta um forte desejo pela enteada.

Os conflitos aumentam quando Santa, a mãe de Salomé,se apaixona por Duda, seu único e verdadeiro amor e Salomé vive um inferno assediada pelo padrasto e com sua mãe sofrendo de amores por Duda, sua paixão! Contava também o romance de Ruggero e da doce Berta.



O Dono do Mundo foi uma telenovela brasileira, produzida e exibida pela Rede Globo, de 20 de maio de 1991 a 4 de janeiro de 1992, no seu horário das 20 horas. Foi escrita por Gilberto Braga com co-autoria de Ricardo Linhares e dirigida por Denis Carvalho, e foi apresentada em 197 capítulos.

Sinopse

O antiético cirurgião plástico Felipe Barreto (Antônio Fagundes), casado por interesse com Stella, filha do rico empresário Herculano Maciel, sente uma forte atração por Márcia (Malu Mader), uma professora tímida, noiva de Walter, um funcionário de sua clínica. Essa fascinação aumenta quando ele descobre que a garota é virgem. Durante o casamento de Márcia, Felipe aposta uma caixa de champanhe com o amigo Júlio, dizendo que vai levar a moça para a cama antes do noivo. Depois de Felipe vencer o acordo, ele oferece uma viagem ao Canadá aos noivos e seduz Márcia quando a mesma o procura e antes de sua lua-de-mel deita-se com ele , e a vida de sua vítima desaba: Walter, se mata. Com isso Márcia passa a sofrer inúmeras dificuldades e ser acusada pela familia do marido de imoral e infiel. Começa então a dedicar-se somente a se vingar de Felipe, homem que arruinou sua vida e a de seu marido.

Por um amor doentio desenvolvido por Márcia e muito arrepedimento, Felipe se transforma num médico bom e desprendido, dando plantões em bairros suburbanos e, com tudo isso, Márcia acaba se apaixonando pelo inimigo de Felipe, o que desperta a fúria dele e faz ele cometer as maiores maldades possíveis, voltando a ser curel e impiedoso. Márcia passa a fazer da vida dele um inferno também.

Ao mesmo tempo vemos o drama de Thaís, vizinha de Márcia, moça simples que, para ascender na vida, decide se prostituir e passa a sofrer as consequências desse ato impensado, contando para isso com a ajuda de Olga Portela, uma sofisticada cafetina, mulher que sabe os segredos do passado de Felipe e de sua família.



Vamp foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo entre 15 de julho de 1991 e 8 de fevereiro de 1992 em 179 capítulos. Foi escrita por Antônio Calmon,colaboração de Tiago Santiago e dirigida por Jorge Fernando. Vamp tambem reprisara no canal a cabo Viva apartir de 11 de Abril de 2011 no horario das 15:30 substituindo Quatro Por Quatro.

Sinopse

Em Armação dos Anjos, litoral do estado do Rio de Janeiro, o capitão reformado Jonas Rocha, viúvo com seis filhos, casa-se com a historiadora Carmem Maura, também viúva e com seis filhos. Eles terão problemas inéditos, além daqueles comuns a uma família numerosa, ao entrar em contacto com os vampiros que assolam a cidade com a chegada da famosa cantora Natasha para a gravação de um clipe.

Natasha, uma cantora de rock, vendeu sua alma ao terrível Conde Vladymir Polanski, chefe dos vampiros, para brilhar na carreira. Mas ele descobre que em encarnações passadas ela era Eugênia, o seu amor, que preferiu ficar com Rocha, a outra vida do Capitão Jonas. O conde passa então a perseguir Natasha e a família do capitão, inclusive usando de seus poderes para envolver Carmem Maura.

Natasha, por sua vez, quer destruir Vlad para se livrar de sua maldição. A única arma de que dispõe para isso é a Cruz de São Sebastião, que está escondida em algum lugar em Armação dos Anjos. A cruz deve ser manejada por um homem chamado "Rocha". O herói é portanto o Capitão Jonas.

Também está em Armação o bandido Jurandir, fugindo de Cachorrão, um líder de marginais que Jurandir assaltou por engano. Na cidade, ele se esconde nas vestes de um padre, fica amigo da garotada e recebe o apelido de Padre Garotão. A batina, no entanto, não é tropeço para seu louco namoro com Marina, a protegida de Cachorrão.



Felicidade foi uma telenovela brasileira exibida pela Rede Globo no horário das 18 horas entre 7 de outubro de 1991 e 1 de junho de 1992, com 203 capítulos. Escrita por Manoel Carlos, com a colaboração de Elizabeth Jhin,e dirigida por Denise Saraceni, era baseada nos contos de Aníbal Machado. A novela contou com Maitê Proença, Tony Ramos, Herson Capri, Marcos Winter e Vivianne Pasmanter nos papeis principais da trama.

Sinopse

Helena e Álvaro se amam desde o primeiro encontro em Vila Feliz, Minas Gerais. Mas ela se casa com Mário, um engenheiro agrônomo boa-praça. O casamento fracassa e Helena fica grávida de Álvaro, que está de casamento marcado com Débora, uma moça rica, mimada e problemática. Helena assume a maternidade sozinha longe de seus pais, Ataxerxes e Ametista, e de Zé Diôgo, o poeta da cidade e seu maior admirador.

No Rio de Janeiro, oito anos depois, Helena se reencontra com Álvaro ao trabalhar para sua mãe, Cândida, escondendo de todos a paternidade de sua filha Bia. Mas Helena não consegue evitar a grande amizade que une Bia a Alvinho, o filho de Álvaro e Débora. Pior, Débora tem acentuados os seus problemas psicológicos e não mede esforços para separar as duas crianças e manter o marido longe dos olhos de Helena.



Pedra Sobre Pedra foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo de 6 de janeiro a 31 de julho de 1992. Foi apresentada em 179 capítulos. Foi escrita por Aguinaldo Silva, Ricardo Linhares e Ana Maria Moretzsohn e dirigida por Paulo Ubiratan e Gonzaga Blota. Tinha como protagonistas Renata Sorrah, Lima Duarte, Adriana Esteves e Maurício Mattar.

Sinopse

A pequena cidade de Resplendor, localizada no sertão nordestino, era o palco das disputas políticas entre os Pontes e os Batista. Murilo Pontes ia se casar com a jovem Pilar Farias, por quem Jerônimo, o herdeiro dos Batista, também era apaixonado. No dia do casamento de Murilo e Pilar, a noiva diz não em pleno altar, por desconfiar de que o rapaz fosse o pai da criança que Eliane, sua melhor amiga, estava esperando. Desejando vingança, Pilar se casa com Jerônimo, inimigo de Murilo, enquanto este se casa com Hilda, uma jovem que sempre o amara. Dessa união nasce Leonardo, e Murilo vai seguir carreira política em Brasília, enquanto Pilar tem uma filha, Marina, e fica viúva. A filha de Eliane nasce, mas a mãe morre no parto e Pilar assume a educação da menina, dando-lhe o nome da mãe, Eliane.

Vinte e cinco anos se passam, Murilo está de volta a Resplendor e reencontra Pilar querendo fazer de sua filha, Marina, a prefeita da cidade, destino que ele reservara para seu filho, Leonardo. Mas os dois não contam que seus filhos, ao se conhecerem, se apaixonam e têm que esconder esse amor por causa da rivalidade entre seus pais, rivalidade essa que oculta um amor mal resolvido.

Mas os Pontes e os Batista terão na briga pelo comando de Resplendor um adversário perigoso:Cândido Alegria, um homem que enriqueceu roubando e matando o amigo português Benvindo Soares, e que nutre uma paixão por Pilar Batista. Para conseguir o que quer - a prefeitura de Resplendor e o coração de Pilar - Cândido Alegria conta com a ajuda da ambiciosa Eliane, a agregada da família Batista, que nem desconfia de que ele é o seu pai biológico.

Mas Resplendor tem outros mistérios. A cidade recebe a visita do enigmático geólogo Jorge Tadeu, que se ocupa em fotografar e seduzir as mulheres casadas da cidade. Entre elas, Úrsula, filha da beata Gioconda, a irmã de Murilo Pontes.

Também está na cidade um grupo de ciganos liderados por Iago. A irmã de Iago, a bela Vida, se apaixona por Carlão Batista, mas tenta fugir a essa paixão, por saber que seu irmão não permitirá esse envolvimento. Carlão é o cunhado de Pilar e proprietário do Grêmio Recreativo Resplendorino, que é dirigido por seu amigo e confidente Adamastor.



Perigosas Peruas foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 10 de fevereiro e 29 de agosto de 1992, com 173 capítulos. Foi escrita por Carlos Lombardi, supervisão de texto de Lauro César Muniz e teve direção geral de Roberto Talma.

Sinopse

Amigas desde a infância, Cidinha e Leda seguiram caminhos opostos: a primeira virou uma dona-de-casa que jamais pensou em trabalhar fora e, a segunda, tornou-se uma profissional bem sucedida, com aversão a casamento e filhos. Em comum, apenas um amor do passado: Belo, filho da italiana Dona Gema, o qual acabou por casar-se com Cidinha.

O que Cidinha não sabe é que, durante a sua gravidez, Leda também esperava um bebê de Belo e que, com a morte prematura do bebê de Cidinha, Belo havia trocado os bebês na maternidade.

De volta ao Brasil depois de anos de sucesso profissional no exterior, Leda irá reivindicar a guarda da filha com Cidinha. Mas Belo trabalha para os Torremolinos, uma família poderosa da máfia, chefiada pelos primos Franco e Branco. E eles envolvem Belo em uma grande enrascada: ou ele mata Leda e Cidinha, ou eles o matam.



Despedida de Solteiro foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo entre 1 de junho de 1992 e 30 de janeiro de 1993, em 209 capítulos. Foi escrita por Walther Negrão e dirigida por Reinaldo Boury, Cláudio Cavalcanti e Carlos Manga Júnior.

Sinopse

Pedro, Paschoal e Xampu passam a noite na farra comemorando o casamento de João Marcos. A festa termina numa cachoeira, e a jovem Salete é assassinada. João Marcos é preso na cerimônia de seu casamento com Lenita, e segue para a penitenciária com seus três amigos. Eles são condenados a 21 anos de prisão por um crime que não cometeram. O episódio fere Flávia, irmã de Xampu e apaixonada por Pedro e faz com que Marta abandone o filho Léo para assumir os negócios deixados por seu irmão Paschoal. Por sua vez, Lenita é envolvida pelo mau-caráter Sérgio Santarém e se casa com ele.

Após sete anos de prisão, os quatro jovens retornam à cidade natal, Remanso, em liberdade condicional. Mas Xampu volta doente e pede no leito de morte que antes de partir quer se casar com Bianca. A morte de Xampu é um duro golpe para Dona Emília, sua mãe, que passa a acumular ainda mais ódio contra Pedro, inviabilizando seu namoro com sua filha Flávia. Os três amigos que restaram ainda têm de lutar contra Sérgio Santarém, que não mede esforços para mandá-los de volta à prisão, ainda mais porque Lenita, sua mulher, nunca esqueceu seu ex-noivo, João Marcos.

No meio dessa batalha, o trio ganha um novo aliado, Mike, um americano cheio de mistérios chega a cidade, mais especificamente na oficina de Cirineu, onde consegue trabalho e moradia. O jovem estrangeiro é disputado pelas duas filhas de Cirineu, Bianca e Nina, braço direito do pai na oficina e que conquista o coração do jovem americano.



De Corpo e Alma é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo de 3 de agosto de 1992 a 6 de março de 1993, em 185 capítulos. Foi escrita por Glória Perez e dirigida por Fábio Sabag, Ivan Zettel e Roberto Talma (também o diretor geral).

Sinopse

Diogo (Tarcísio Meira), um juiz íntegro, sente o seu casamento com Antônia (Betty Faria) desmoronar ao se apaixonar perdidamente por Betina (Bruna Lombardi), que morre num acidente de carro, logo após ser abandonada pelo magistrado. Seu coração é transplantado em Paloma (Cristiana Oliveira), uma jovem casada com um stripper, Juca (Victor Fasano), que trabalha no Clube das Mulheres.

Diogo (que tem com Antônia um filho, Filipe (Maurício Branco), sentindo-se culpado, aproxima-se dela imaginando estar ao lado de Betina. Paloma, porém, apaixona-se por ele sem saber do seu envolvimento com a doadora do coração. Enquanto isso, Juca torna-se o protegido do misterioso Vidal (Carlos Vereza) e faz sucesso no Clube das Mulheres, acabando por se tornar amante de Stella (Beatriz Segall), uma rica senhora.



Deus nos Acuda produzida pela Rede Globo e exibida de 31 de agosto de 1992 a 27 de março de 1993. Foi uma telenovela de Sílvio de Abreu, escrita por Sílvio de Abreu, Alcides Nogueira e Maria Adelaide Amaral e dirigida por Jorge Fernando, Marcelo Travesso e Rogério Gomes, teve 179 capítulos. com direção geral e de núcleo de Jorge Fernando.

Sinopse

No Céu, Celestina é o anjo responsável pelo Brasil. Ao ouvir de Deus a ameaça de ser mandada para o país que deveria ajudar a crescer,ela pede o auxílio do anjo Gabriel. Ele então, convence o Todo-Poderoso a deixar Celestina ficar no céu por mais seis meses, mas com uma condição:sem desrespeitar o lívre arbítrio que todo ser humano deve ter, ela teria de modificar um cidadão brasileiro, tornando-o mais honesto,digno e trabalhador.

Celestina então escolhe a bela Maria Escandalosa, filha de Tomás Euclides,uma dupla de trambiqueiros do porto de Santos, que vivem na pensão de Dona Armênia,uma mulher que chora o abandono de "seus três filhinhas" Geraldo,Gerson e Gino.Convencida de que poderia transformar o caráter de Maria, Celestina passa por cima das leis divinas e salva-a de uma explosão.Depois disso, ela passa a zelar pela vida da jovem na Terra. No entanto,a trambiqueira não sabe que é objeto de atenção divina, e muito menos que é vigiada dia e noite.Maria Escandalosa se envolve com o milionário Ricardo, filho de Otto Bismark, um viúvo acusado de matar suas ex-mulheres.

Há várias tentativas de apurar acusações contra Otto. Para Isso, Baby Bueno,cunhada do suspeito volta ao Brasil.Mas ela tem uma oponente de peso: Elvira, secretária de Otto, que além de fiel, é apaixonada pelo chefe.



Mulheres de Areia foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida no seu horário das 18 horas, entre 1 de fevereiro e 25 de setembro de 1993, totalizando 201 capítulos.

Escrita por Ivani Ribeiro, com a colaboração de Solange Castro Neves, e dirigida por Wolf Maya, Carlos Magalhães e Ignácio Coqueiro, com direção geral de Wolf Maya, a obra foi um remake da telenovela de mesmo nome transmitida na Rede Tupi, em 1973/1974, com Eva Wilma interpretando as duas personagens principais da trama, as gêmeas Ruth e Raquel, interpretadas por Glória Pires nesta versão. A novela também contou com Guilherme Fontes, Suzana Vieira, Daniel Dantas, Marcos Frota, Vivianne Pasmanter e Humberto Martins, Paulo Betti e Raul Cortez nos papeis principais.

Sinopse

O jovem Marcos Assunção está de volta à cidade litorânea de Pontal D'Areia para auxiliar nos negócios da família Assunção . O rapaz conhece e se apaixona pela doce Ruth, filha de uma família de pobres pescadores, mas acaba envolvido por Raquel, a irmã gêmea de Ruth. As irmãs são idênticas, mas de personalidades opostas. Enquanto Ruth ama o jovem de verdade, Raquel ambiciona sua posição e fortuna, e mantém o seu relacionamento amoroso com Wanderley, um mau-caráter. Quem percebe tudo isso é o doente mental Tonho da Lua, o protegido de Ruth(e que possui um amor platônico por esta), famoso por esculpir mulheres nas areias da praia, e que sofre com a perseguição e com as maldades de Raquel.

Mas Raquel tem que enfrentar Virgílio Assunção, o pai de Marcos, que não aceita o namoro. Virgílo, um homem prepotente e inescrupuloso, é o vice-prefeito e dono do maior hotel da cidade. Seu sonho é fazer de Pontal D'Areia um centro turístico, mas tem que lidar com o prefeito da cidade, o ambientalista Breno, que proíbe banhos de mar devido à poluição perigosa. A população da cidade fica dividida, e Breno tem uma forte aliada, Tônia, uma comerciante local. Para desmoralizar Breno, Virgílio põe espantalhos nas praias, simbolizando o prefeito que assusta os turistas. Mas Virgílio também tem que enfrentar problemas dentro de sua casa. Malu, a filha rebelde, o culpa pela morte do noivo e vive a provocá-lo, até que a moça conhece o vaqueiro Alaor, que trabalha com sua prima Arlete Assunção. Alaor é um homem rude, e muda o seu alvo, tentando a todo custo domar as impetuosidades de Malu.

Enquanto isso, Ruth sofre calada com o casamento da irmã Raquel, mesmo sabendo que ela está com Marcos só por interesse. A história tem uma reviravolta quando Raquel é dada como morta e Ruth assume a sua identidade, para ficar ao lado do homem que ama. Mas Raquel não morreu, e volta querendo ter tudo que era seu de volta, nem que para isso tenha que matar algumas pessoas.



Renascer foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo de 8 de março a 13 de novembro de 1993. Escrita por Benedito Ruy Barbosa e dirigida por Luiz Fernando Carvalho e Mauro Mendonça Filho, foi apresentada em 213 capítulos. Apresentou Antônio Fagundes, Marcos Palmeira, Adriana Esteves, Leonardo Vieira, Patrícia França, Tarcísio Filho, Taumaturgo Ferreira, Marco Ricca, Patrícia Pillar, Leila Lopes, Maria Luísa Mendonça, Fernanda Montenegro, Herson Capri e José Wilker nos papeis principais.

Sinopse

A saga de José Inocêncio, um fazendeiro da zona cacaueira de Ilhéus, Bahia. Ao chegar à região onde vai fazer sua vida, finca um facão aos pés de um frondoso jequitibá. Este gesto passa a ser o símbolo de sua coragem e do sonho de se tornar eterno. Apaixona-se e casa-se com Maria Santa e torna-se pai de quatro filhos: José Augusto, José Bento, José Venâncio e João Pedro, o caçula que perde a mãe no parto.

O fato faz com que Zé Inocêncio desenvolva um relacionamento de ódio com o filho. Essa desavença é que conduz todas as tramas da história. Elas se aceleram quando Inocêncio, já cinquentão, conquista e casa-se com a namorada de João Pedro, a jovem Mariana. Esta é neta do seu maior desafeto no passado, Belarmino, assassinado de forma misteriosa, onde as suspeitas recaem sobre o próprio Inocêncio.

Mas o Coronel, como é conhecido, tem um outro inimigo perigoso, Teodoro, seu vizinho, que trava uma luta pela posse de terras. Para piorar, João Pedro acaba casando-se com Sandra, filha de Teodoro.



O Mapa da Mina foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo entre 29 de Março e 4 de Setembro de 1993. Foi escrita por Cassiano Gabus Mendes com colaboração de Maria Adelaide Amaral, Gugu Keller, Walkíria Portero e Djair Cardoso . Direção geral de Gonzaga Blota e direção de Roberto Naar. Contou com 137 capítulos. Faltando menos de três semanas para o desfecho de "O Mapa da Mina", Cassiano Gabus Mendes morreu de infarto do miocárdio.

Sinopse

No Uruguai, uma quadrilha rouba dez milhões de dólares em diamantes. Um dos ladrões, Rodolfo, toma o rumo da Argentina. Já Ivo vai para São Paulo, escondendo o produto do roubo, só que é preso. Oito anos depois, ao sair da cadeia, é atropelado e morre, mas, antes disso, ainda tem tempo de dizer ao filho, Rodrigo, que ele, Ivo, tinha mandado fazer um mapa acima das nádegas de uma menina, Elisa, mapa esse que mostra a localização dos diamantes, tendo até tido o cuidado de mandar fotografar a mocinha.



Olho no Olho foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo, de 6 de setembro de 1993 a 9 de abril de 1994. Contou com 185 capítulos, e foi escrita por Antônio Calmon, colaboração de Maria Carmem Barbosa e Tiago Santiago e dirigida por Ricardo Waddington.

Sinopse

A trama de Olho no Olho tem início em Roma, quando Armando (Stênio Garcia) revela em confissão ao padre Guido Bellini (Tony Ramos) que é procurado por uma organização criminosa liderada por um jovem com poderes paranormais. Algum tempo depois, Guido descobre que Armando morrera e, culpado por não ter tentado impedir o assassinato daquele homem, decide largar a batina e voltar para o Brasil.

Na cidade de São Paulo, Guido passa a se dedicar ao estudo da paranormalidade no intuito de combater a organização liderada por César Zapata (Reginaldo Faria) e seu filho Fred (Nico Puig), o jovem poderoso a quem Armando se referira. Para enfrentar os Zapata, Guido conta com a ajuda do também paranormal Alef (Felipe Folgosi), um jovem que ainda não tem pleno domínio de seus poderes.

Paralelamente ao combate à organização criminosa, Guido vive um romance com Débora (Natália do Vale), mãe de Alef. Seu principal oponente, César, também gosta de Débora e faz de tudo para afastá-la de Guido. Ele arma uma verdadeira guerra contra o ex-padre, usando os poderes malignos de Fred.



Sonho Meu foi uma telenovela brasileira produzida e exibida às 18 horas pela Rede Globo entre 27 de setembro de 1993 a 14 de maio de 1994, totalizando 197 capítulos. Escrita por Marcílio Moraes, Margareth Boury, e Maria Adelaide Amaral, foi baseada em obras de Teixeira Filho e teve supervisão de texto de Lauro César Muniz. Foi dirigida por Reynaldo Boury, Roberto Naar, e Marcelo Travesso com direção geral foi de Reynaldo Boury.

Sinopse

Cláudia (Patrícia França), ao fugir do ex-marido, o violento Geraldo (José de Abreu), perde a posse da filha, Maria Carolina (Carolina Pavanelli), que fica sob a guarda da tia impaciente, Elisa (Nívea Maria), que mantém a menina num orfanato. Maria Carolina acaba por fugir do orfanato e esconder-se na pequena vila de Jardim das Flores, e entre brincadeiras com amiguinhos da vila esconde-se na casa do Sr. Mazurgsky, o Tio Zé (Elias Gleizer), um velhinho bondoso que se encanta com a garotinha, que ele chama carinhosamente de "Laleska".

Enquanto isso, Cláudia se vê envolvida por dois irmãos que a disputam: o jovem médico Jorge (Fábio Assunção), que comanda os negócios da rica família Candeias de Sá, e Lucas (Leonardo Vieira), um mauricinho, que ganha o coração da moça. Paula (Beatriz Segall), a avó e grande matriarca, vê Cláudia como uma ameaça à paz em seu lar, ao se deparar com os desentendimentos dos dois netos. Ao se casar com Lucas, por quem é apaixonada, Cláudia tenta proteger a filha, mas é acusada de bigamia, e ainda tem que enfrentar a fúria de Jorge, que revela-se um homem neurótico e perigoso.



Fera Ferida foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 15 de novembro de 1993 e 16 de julho de 1994, com 209 capítulos, para a faixa das 20h. Foi escrita por Aguinaldo Silva, Ricardo Linhares e Ana Maria Moretzsohn, com direção geral de Dênis Carvalho e Marcos Paulo.

Sinopse

O antigo prefeito da cidade de Tubiacanga, localizada no sertão nordestino, Feliciano Mota da Costa, acredita que há ouro na cidade. Para comprovar sua tese, exibe uma enorme pepita e convence a população a entregar-lhe suas economias para a construção de uma empresa de mineração. Os moradores descobrem que a pepita era falsa e se revoltam. Obrigados a fugir de canoa, Feliciano e a mulher são atingidos por um pistoleiro, morrem e são enterrados pelo filho, Feliciano Júnior.

Quinze anos mais tarde, Feliciano Júnior retorna à Tubiacanga para vingar a morte dos pais. Para tanto assume uma outra identidade, Raimundo Flamel, um homem misterioso que aguça a curiosidade e a ambição dos moradores da cidade ao se declarar capaz de transformar ossos humanos em ouro. Tudo faz parte de seu plano de destruir as pessoas responsáveis pela morte de sua família, os poderosos de Tubiacanga, representados principalmente pelo prefeito Demóstenes e pelo Major Emiliano Bentes.

O prefeito Demóstenes é um político corrupto que tem um caso velado com a fogosa Rubra Rosa, a autora de seus discursos inflamados e mulher de seu opositor, o vereador Numa Pompílio de Castro. O relacionamento dos dois fica abalado com a chegada da atriz Perla Menescau, com quem Rubra passa a disputar o prefeito. Rubra Rosa ainda interfere no namoro do filho Áureo Poente com a jovem Zigfrida, filha da costureira da cidade, Margarida Weber, a tia de Feliciano, cujo marido foi morto junto com os pais deste, e portanto, uma das poucas pessoas que tomam conhecimento de seus planos.

O Major Bentes é um homem ambicioso e prepotente que dita as regras e se diz dono da cidade. Os fantasmas do passado o assombram com a chegada de Salustiana Maria, uma mulher perigosa com quem o major tivera um envolvimento amoroso, e, com intuito de lhe extorquir dinheiro, vem exigir que ele assuma a paternidade de seu filho Cassi Jones. O filho legítimo do major, Guilherme, namora a doce e ao mesmo tempo temperamental Linda Inês, a filha do prefeito, que entra em constante atrito com Raimundo Flamel, sem imaginar que ele é na verdade Feliciano Júnior, seu namoradinho de infância.



A Viagem é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo. Escrita por Ivani Ribeiro, com a colaboração de Solange Castro Neves, e direção geral de Wolf Maya. Foi exibida de 11 de abril a 22 de outubro de 1994, no horário das 19 horas, em 167 capítulos.

Sinopse

Pego em flagrante num assalto, Alexandre Toledo, um playboy riquinho usuário de drogas e álcool, mata o homem que o surpreende e tenta fugir. Porém, seu irmão Raul e seu cunhado Téo o entregam à polícia. Tem uma irmã chamada Dináh, uma mulher bonita, charmosa e que tem muito ciúme de Téo, seu marido que é bem mais jovem que ela, com quem tem uma filha de 7 anos. Dináh é quem faz tudo para defender Alexandre. Vai procurar o renomado advogado Otávio Jordão para que represente Alexandre, mas se depara com um homem revoltado e disposto a fazer de tudo para condenar o rapaz, uma vez que o morto era seu melhor amigo. Assim sendo, Alexandre é condenado e preso, sofrendo muito. Para não passar mais de 20 anos sofrendo na cadeia, suicida-se, prometendo vingança "senão nessa vida, na outra".

Com o suicídio de Alexandre, o médico e amigo da família Dr. Alberto Rezende põe-se a tentar ajudar a mãe dele, Dona Maroca, e a todos da família, dada a tragédia. Alberto é apaixonado por Dináh, mas depois volta suas atenções para Estela, irmã de Dináh, Raul e Alexandre. Estela tem problemas com sua filha adolescente Bia, que criou sozinha já que o marido, Ismael Novaes, é um mau caráter que a abandonou com a filha pequena. Porém, depois de anos de ausência, ele reaparece e passa a influenciar negativamente a filha contra a mãe.

Do lado cômico da trama existe a pensão de Dona Cininha, onde vivem Tibério, um bondoso funcionário público amigo de Estela e que acredita ter um amigo imaginário; Adonay, um homem misterioso apelidado de "Mascarado", que esconde seu rosto horrivelmente deformado num acidente de adolescência; e o folgado Agenor, pai da jovem Lisa.

O Dr. Otávio, com quem Dináh passa a viver uma relação de ódio, culpando-o por tudo de ruim que aconteceu a seu irmão, é viúvo e pai de dois filhos: o jovem Tato e o garoto Dudu. Todavia, Alexandre, no vale dos suicídas, um lugar de dor e sofrimento para os que se matam, passa a atormentar a vida de todos, cumprindo o que prometera antes de morrer, como por exemplo deixando Tato drogado e alcoólatra, incentivando-o sem ele saber, para ele ir em prostíbulos e boates, além de bater em mulheres. Ele causa tudo isso para atingir Otávio.

Ele também acaba estragando o casamento de Raul e Andreza influenciando negativamente a sogra de seu irmão, Dona Guiomar, antes uma mulher doce que se torna uma víbora por causa de Alexandre. E ainda torna Téo um marido muito violento com Dináh. Seus principais alvos são o advogado, o irmão e o cunhado.

Dináh e Otávio acabam se apaixonando, bem como Téo e Lisa, ex-namorada de Alexandre que sofria muito por ele além de apanhar muito dele e ser abusada sexualmente quando não queria nada com ele. A única pessoa que se dá conta da malévola influência de Alexandre sobre os vivos é o Dr. Alberto, adepto do Espiritismo, que tenta fazer algo através de suas reuniões mediúnicas.

Morre o advogado Otávio (num acidente de carro provocado por Alexandre) e, depois, morre também Dináh (de um infarto fulminante após reencontrar sua sobrinhia, Bia que estava desaparecida, pois era sua última missão aqui na Terra). Eles se reencontram num lugar chamado "Nosso Lar", uma colônia espiritual de fato existente para alguns espíritas, onde os espíritos evoluem e aprendem lições de amor e paz. De lá, juntos, com seu amor capaz de superar todas as barreiras, os dois tentam reverter a influência diabólica de Alexandre, que está preso no "Vale dos Suicídas", sobre os seus entes queridos na Terra. Farão Alexandre perdoar a todos, e ir para colônia "Nosso Lar", um lugar de paz, amor e evolução espiritual, para que Alexandre reencarne e se torne melhor, além de evoluir espiritualmente.



Tropicaliente foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo, exibida entre 16 de maio a 31 de dezembro de 1994, totalizando 194 capítulos. Escrita por Wálter Negrão,com a colaboração de Elizabeth Jhin, Ângela Carneiro, Márcia Prates e Vinícius Vianna e dirigida por Gonzaga Blota, Marcelo Travesso e Rogério Gomes. A direção geral foi de Gonzaga Blota.

Sinopse

Ramiro é o líder de uma aldeia de pescadores em Fortaleza, no Ceará. Casado com Serena, a companheira de todas as horas, é pai de dois filhos, Cassiano e Açucena. O rapaz é o namorado de Dalila, filha do grande amigo de Ramiro, Samuel, também pescador, marido de Ester, que tem mais um filho, Davi, um jovem que formou-se doutor mas se envergonha de sua origem humilde.

Letícia é filha do milionário Gaspar Velásquez, um homem que deixou as empresas nas mãos da filha para curtir a vida. Em casa, Letícia enfrenta problemas de relacionamento com os filhos, Vítor e Amanda. Viúva e charmosa, ela procura um novo rumo para sua vida afetiva. Pretendentes não faltam, como o galante François, de olho em sua beleza e fortuna. Para conquistá-la, ele tem o auxílio de Franchico, um tremendo picareta com uma missão: juntar Letícia e François.

Mas Letícia fica balançada com o reencontro com Ramiro, a grande paixão de sua vida, o que vai desencadear uma série de conflitos, como o namoro de Vítor, o filho de Letícia, um rapaz com sérios problemas psicológicos, com a doce Açucena, a filha de Ramiro.



Pátria Minha foi uma telenovela brasileira, produzida e exibida pela Rede Globo entre 18 de julho de 1994 e 11 de março de 1995, na faixa das 20 horas da emissora, em 203 capítulos. Foi escrita por Gilberto Braga e Alcides Nogueira e dirigida por Dênis Carvalho e co-direção de Roberto Naar.

Sinopse

Alice, uma estudante idealista, presencia um atropelamento causado por Raul Pellegrini, um empresário inescrupuloso, arrogante e prepotente, e é pressionada a testemunhar a favor dele. A partir do momento em que ela se recusa a aceitar as tentivas de suborno, estabelece-se o principal conflito da história.

Lídia Laport, a mãe de Rodrigo, o namorado de Alice, abomina a pobreza. Através de golpes e armações, ela se aproxima de Teresa, a mulher de Raul Pellegrini, com a intenção de acabar com o seu casamento de 39 anos e tornar-se a nova senhora Pellegrini.

Enquanto isso, Pedro Fonseca regressa ao Brasil depois de longa temporada como imigrante nos Estados Unidos, encontrando o pai e os irmãos vivendo em uma favela. Com o apoio de Alice, ele lidera uma revolta contra Raul Pellegrini, que ordenara a desocupação do terreno da favela em que moravam os Fonseca.

Lídia fica balançada entre uma vida fútil, com conforto material, ao lado de Raul, e um grande amor sem segurança financeira ao lado de Pedro, sua antiga paixão.

Com Raul mora sua sobrinha Loreta, uma mulher interesseira, sustentada pelo tio, e que vive armando planos para se dar bem, além de Gustavo, filho de Raul, que trabalha com o pai. No passado, ele teve um romance com Natália Proença, que rendeu um fruto: Alice, a principal adversária de Raul Pellegrini e também sua neta desconhecida.



Quatro por Quatro foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo, entre 24 de outubro de 1994 e 22 de julho de 1995, contou com 233 capítulos. Foi escrita por Carlos Lombardi e dirigida por Ricardo Waddington, Alexandre Avancini e Luiz Henrique Rios.

Sinopse

Ângela é a menina que sonha em conhecer o verdadeiro pai, Bruno, o médico que não conseguiu salvar a mulher a quem amava, Mércia, no momento do parto. Traumatizado com a perda, entregou a criança para ser criada pelo primo Gustavo, e foi refugiar-se na Amazônia, fugindo de todos e do passado. Mas o passado está de volta na figura de Suzana, uma sósia de Mércia que na verdade é sua irmãmais nova, e que enlouquece Bruno num jogo de sedução. De volta ao Rio de Janeiro, Bruno está disposto a reconquistar a filha, mas terá que enfrentar Gustavo , na verdade seu tio bastardo, que detém a guarda de Ângela.

Gustavo é um famoso médico, casado com pseudo-dondoca Abigail, uma psicóloga que sempre lutou para manter o casamento fracassado. Humilhada pelo marido, Abigail decide dar a volta por cima e se vingar de Gustavo. Após um incidente no trânsito, ela vai presa com outras três mulheres com histórias parecidas, também humilhadas pelos seus respectivos homens:a batalhadora Auxiliadora, que sempre lutou para fazer com que o marido, Alcebíades, prosperasse com o seu negócio de padarias, mas que foi trocada por uma garota bem mais jovem, a interesseira Elisa Maria, e expulsa de sua própria casa por Alcebíades;a tímida Tatiana, que foi abandonada no altar pelo noivo, Fortunato;e a manicure e furacão Babalu, que deu o maior flagrante no namorado, o mecânico Raí, na cama com outra mulher (Norma Shirley).

Na cadeia, as quatro mulheres unem forças e travam um pacto de vingança contra os homens que as traíram e as fizeram sofrer:cada uma será responsável pela punição do "ex" da outra. Abigail fingirá ser a irmã mais velha Calpunia "pupu" de Alcebíades para infernizar a noivinha Elisa Maria, ainda pertubando Alce com seu maior temor "doenças imaginarias" e assim retomar os bens de Auxi. Auxiliadora por sua vez irá se passar por uma espanhola para descobrir as falcatruas do médico mau caráter. Mas acaba se envolvendo e se apaixonando por Gustavo, o que acaba prejudicando e colocando a vingança em risco. Ainda também se passará pela hilária mulata Maria do Socorro. Tati fingirá ser uma mineirinha recatada para humilhar o mecânico mulherengo Raí,antes mesmo de colocar o plano em ação ela acaba se apaixonando por Bruno. Grávida dele, teme que o mesmo a deixe, por isso esconde o fato e é Angela que a ajuda nessa parte. Babalu irá trabalhar na casa da avó do Bruno onde Bibi arrumou emprego de jardineiro para fortunado, e assim vingar Tati infernizando a vida do jardineiro na mansão.



SEGUNDA VERSÃO

Irmãos Coragem foi uma telenovela brasileira produzida e exibida de 2 de janeiro a 1 de julho de 1995 às 18 horas em 155 capítulos. Adaptação de Dias Gomes, com a colaboração de Marcílio Moraes, Ferreira Gullar e Lílian Garcia, direção de Luiz Fernando Carvalho, substituído por Reynaldo Boury, Ary Coslov e Carlos Araújo (a partir do capítulo 80) com o núcleo de Paulo Ubiratan.

Sinopse

A luta pela liberdade e contra a opressão é o eixo deste folhetim que conta a história dos irmãos Coragem - João, Jerônimo e Duda. Na fictícia cidade de Coroado, João encontra um enorme diamante. Por causa disso, os três irmãos passam a ser perseguidos pelo poderoso coronel Pedro Barros, dono de quase todos os garimpos da região.

João e a filha do coronel, Lara, vivem uma intensa paixão. A moça tem múltipla personalidade. A tímida e recatada Lara se alterna com a sensual Diana e com Márcia, uma mulher equilibrada. Isso acaba por confundir João, que se sente atraído pelas três. O ódio de Pedro Barros pelos irmãos cresce quando ele descobre a relação entre sua filha e João, que decide pegar em armas na luta contra a autoridade do coronel.

Jerônimo, por sua vez, encontra no movimento político de oposição uma saída para dar fim aos desmandos de Pedro Barros. Embora viva um amor proibido pela irmã de criação, a índia Potira, ele se liga a Lídia Siqueira, filha de um político local. Na segunda versão, o destino de Jerônimo e Potira foi alterado. Em vez de morrerem em um tiroteio, como na primeira versão, eles conseguem fugir ao pular em um rio. Como estão feridos, são dados como mortos, mas seus corpos não são encontrados. Sinhana diz ter sonhado com o casal em um veleiro em alto-mar, deixando abertura para o público interpretar que eles possam ter sobrevivido.

O terceiro irmão, Duda, deixa a cidade de Coroado para fazer fama como jogador de futebol na cidade grande. Depois, de volta a cidade reencontra-se com Ritinha, que sempre foi apaixonada pelo jovem, acambam-se por se envolver, a tensão entre eles cresce quando a moça engravida e os pais do jovem obrigam-o a casar com a jovem. De volta a cidade grande e a rápida ascensão do craque leva-o a se ligar à exuberante Paula e deixar para trás seu verdadeiro amor.



A Próxima Vítima (No Mexico: La Próxima Victima / No EUA: Next Victim)foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo de 13 de março a 4 de novembro de 1995, às 20 horas e teve 203 capítulos. Foi escrita por Sílvio de Abreu com a colaboração de Alcides Nogueira e Maria Adelaide Amaral e dirigida por Jorge Fernando, Rogério Gomes e Marcelo Travesso.

Sinopse

Ana (Suzana Vieira), é amante de Marcelo (José Wilker) há vinte anos, com quem tem três filhos. Ana é uma mulher forte, batalhadora e dona de uma cantina italiana. Marcelo, por sua vez, é um aproveitador e mau-caráter. Ele é casado, por interesse, com uma mulher bem mais velha, a rica Francesca Ferreto (Tereza Rachel), mas vive um tórrido romance com a jovem, inescrupulosa e fogosa Isabela Ferreto (Cláudia Ohana), além de manter sua relação de anos com Ana. Sobrinha de Francesca, Isabela é noiva do rico e apaixonado Diego (Marcos Frota), que desconhece seu verdadeiro caráter.

A mansão dos Ferreto é o cenário para as traições de Marcelo e Isabela. Lá, também mora o casal Eliseo (Gianfrancesco Guarnieri) e Filomena (Aracy Balabanian). Irmã de Francesca, Filomena controla os negócios da família com punhos de ferro. Dominadora, ela manipula a vida de muitos personagens, principalmente a do marido, um homem humilhado e submisso. Carmela (Yoná Magalhães), a irmã mais nova de Francesca e Filomena, também vive na mansão. Ambiciosa e ressentida por ter sido abandonada pelo marido, ela vê na filha Isabela sua grande esperança para conseguir um lugar de destaque no mundo. Ao longo da novela, Carmela se envolve com o jovem Adriano (Lugui Palhares).

Com o passar do tempo, Francesca descobre o romance entre Marcelo e Ana e fica inconformada com o fato de ele ter três filhos com a amante. Logo no início da trama, Cesca vai viajar para surpreender seu marido com a amante e surge a notícia de que ela foi morta por envenenamento na própria sala do aeroporto…

Numa das cenas mais fortes da trama, Diego espanca Isabela e a empurra do alto da escada da mansão dos Ferreto, quando descobre que ela o traía com Marcelo. Tempos depois, é a vez de Marcelo sentir-se traído e esfaquear a adúltera no rosto.

Uma série de assassinatos, aparentemente sem motivo e conexão entre si, ocorre no desenrolar da trama. Instigada com a seqüência de mortes inexplicáveis, a jovem estudante de direito Irene (Vivianne Pasmanter) tenta descobrir não só o matador, mas quem será a próxima vítima. Ela inicia uma minuciosa investigação dos fatos, depois de ter o pai e a tia também assassinados. Irene descobre uma lista com códigos. É a famosa lista do "Horóscopo Chinês" com a data de nascimento de todas as sete vítimas.

Enquanto Irene trabalha como detetive, novas mortes vão acontecendo. A já citada lista do "Horóscopo Chinês", recebida pelas vítimas antes do crime, é só o que há de comum entre todas as mortes.

Um Opala preto vigia e segue as vítimas. Ao fim da trama, descobre-se que todos os que morreram tinham ligação entre si e estavam envolvidos num fato ocorrido anos antes. O assassino é, então, desmascarado: Adalberto (Cecil Thiré). Marido de Carmela Ferreto e pai de Isabela, ele havia sumido depois de ter gasto todo o dinheiro da esposa.

Zé Bolacha (Lima Duarte), é um alegre caminhoneiro, contador de histórias, que adora Guimarães Rosa e faz citações poéticas. Ele acaba se envolvendo com Irene, que é muito mais jovem. Ela, por sua vez, é filha de Helena (Natália do Vale), que se interessa por Juca (Tony Ramos), filho de Bolacha, formando um quadrilátero de paixões entre as duas famílias.

Simplório e verdadeiro, Juca é meio-irmão de Marcelo e dono de uma barraca de frutas no mercado municipal de São Paulo. Alheio ao amor de Helena, ele é perdida e irremediavelmente apaixonado por Ana.

Em uma de suas principais tramas paralelas, o autor abordou a questão do preconceito de brancos contra negros e vice-versa. A intenção era discutir se na verdade o grande preconceito no Brasil era o social, mais do que o racial. Para isso, um dos núcleos dramáticos é composto por uma família negra de classe média. O pai, Cleber Noronha (Antônio Pitanga), é um contador íntegro que trabalha para várias empresas. Casado com Fátima (Zezé Motta), uma secretária executiva, ele constrói uma família bem-sucedida. Os filhos são Sidney (Norton Nascimento), um gerente de banco, Jefferson (Lui Mendes), estudante de direito, e Patrícia (Camila Pitanga), que sonha em ser modelo.

A relação homossexual entre Jefferson e Sandro (André Gonçalves), filho de Ana e Marcelo também foi outro ponto alto de "A Próxima Vítima". O envolvimento entre os dois rapazes causou grande impacto sobre o público; com o agravante de ser um negro, e o outro, branco.

Lucas (Pedro Vasconcelos), no início da trama aparece internado numa clínica para dependentes químicos. Na trajetória do personagem mostrava-se a dificuldade enfrentada por ex-dependentes em se manter distantes dos entorpecentes.

Quitéria Quarta-Feira (Vera Holtz) é a melhor amiga e o apoio de Ana. Apesar do nome exagerado, não se trata de uma caricatura, é uma mulher digna e generosa. Prostituta por opção, ainda exerce a profissão e não faz disso um drama; tem grande alegria de viver.

Já a personagem Júlia Braga (Glória Menezes), tia de Irene, uma milionária que chega ao Brasil e se envolve numa campanha em prol dos menores de rua, serviu para discutir a questão do abandono no Brasil. A personagem foi inspirada na artista plástica Yvone Bezerra de Mello, que se dedicava intensamente à causa na época e que ajudava algumas das crianças que foram mortas na Chacina da Candelária em 1992, e em seu livro As ovelhas desgarradas e seus algozes.



História de Amor é uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo de 3 de julho de 1995 a 2 de março de 1996, em 209 capítulos. Foi escrita por Manoel Carlos, com a colaboração de Elizabeth Jhin, Marcus Toledo e Maria Carolina, direção de Ricardo Waddington, Roberto Naar e Alexandre Avancini, direção artística de Paulo Ubiratan, direção de produção de Ruy Mattos.

Sinopse

Após um relacionamento de dez anos com a sócia Sheila, o endocrinologista Carlos Alberto fica noivo da ex-cliente Paula, mas continua à procura de uma grande paixão. Conhece então a doce e sensível Helena. Ao iniciar o namoro com Helena, Carlos desperta o ciúme doentio da mimada Paula. Além disso, ele continua sendo assediado por Sheila, que ainda acredita numa reaproximação.

A filha de Helena, Joyce, engravida do namorado Caio, mas o rapaz rejeita o filho. Além de sofrer com as irresponsabilidades do namorado, Joyce tem que enfrentar o pai, Assunção, que não aceita o namoro. A história aborda os conflitos e a cumplicidade entre pais e filhos, representados na relação entre Helena, Joyce e Assunção.

Helena é a mulher batalhadora que enfrenta a gravidez prematura da filha Joyce. O maior problema é o pai da moça, Assunção, seu ex-marido, que não se conforma com a situação. Solitária, Helena sente o interesse do médico Carlos e não resiste a essa nova paixão. Mas Carlos já é um homem comprometido e sofre com os ciúmes da noiva, a bela Paula, loucamente apaixonada por ele. Os pais de Paula, Rômulo e Zuleika, aguardam ansiosos o casamento da filha, que salvará a família da decadência financeira.



Cara e Coroa foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida no horário das 19 horas, entre 24 de Julho de 1995 e 30 de Março de 1996, tendo contado com 213 capítulos. Foi escrita por Antônio Calmon, com a colaboração de Ângela Carneiro, Lílian Garcia e Eliane Garcia, e dirigida por Wolf Maya, Maurício Farias, André Schultz, José Luiz Villamarin e Carlos Magalhães, com direção geral de Wolf Maya.

Sinopse

Fernanda (Christiane Torloni) é uma mulher elegante e sedutora que, prestes a se casar com Rubinho (Luís Mello), foge e se casa com Miguel (Victor Fasano), abandonando a família e o filho, mas acaba por trocá-lo pelo irmão dele, Mauro (Miguel Falabella), um advogado inescrupuloso. Passa-se o tempo e a moça descobre que Mauro tem um caso com Heloísa (Maitê Proença), uma mulher de pior caráter que seu amante. Cega de ciúmes, Fernanda atira em Mauro, mas a bala atinge um estranho, matando-o. Em seguida, a moça vai presa, adoecendo por uma tristeza sem fim e entrando em coma perto do término do cumprimento de sua pena, que é de alguns anos. De temperamento forte, ela sempre foi rica e mimada pois não ia aceitar ficar presa numa cadeia imunda.

Heloísa e Mauro descobrem que está presa com Fernanda uma sósia desta, Vitória (Vivi), presa injustamente a anos. Ela e Fernanda ficam presas em celas separadas e uma não sabe da esxistência da outra. Tirando partido dessa semelhança, que é tão somente física, os dois internam Fernanda em uma clínica dentro do presídio contra a vontade dela, e obrigam Vivi, que conseguiu sua tão sonhada liberdade, a tomar seu lugar para se apoderarem dos bens que Fernanda irá receber de seu divórcio com Miguel.

Ao sair da cadeia, Vivi enfrentará entre muitos problemas, a revolta do filho de Fernanda, Pedro (Thierry Figueira), que cresceu sem o amor de sua mãe, e a revolta de sua família, principalmente de Guilhermina (Marilena Ansaldi), sua mãe, para além de ser malvista por todos, na paradisíaca cidade litorânea de Porto do Céu. Ela será ameaçada por Heloísa e Mauro de morte, terá que se passar por Fernanda e enfrentar todas as maldades que ela fez, e fugir da polícia, pois para a lei, ela é Fernanda e não Vitória!



Explode Coração é uma telenovela brasileira que foi produzida pela Rede Globo e exibida originalmente entre 6 de novembro de 1995 e 4 de maio de 1996, com um total de 155 capítulos. Escrita integralmente por Glória Perez e dirigida por Ary Coslov, Gracindo Júnior e Carlos Araújo, a produção teve direção geral e de núcleo de Dennis Carvalho, e foi a 51ª "novela das oito" exibida pela emissora.

Sinopse

Dara é uma jovem cigana que se orgulha de suas origens, mas se recusa a ficar presa às tradições. Deixa sua alma rebelde falar mais alto e quebra uma tradição do seu povo:nega-se a casar com Igor, o noivo prometido. A notícia cai como uma bomba para seus pais, Jairo e Lola, mas é ótima para Ianca, sua irmã mais nova, que é apaixonada pelo rapaz, mas Igor só tem olhos para Dara e luta por esse amor. Indiferente às conseqüências de sua decisão, Dara conhece, numa conversa por computador, o empresário Júlio Falcão, que mexe com o coração dela. Júlio é um homem que adora ganhar dinheiro e seduzir mulheres. Vive um casamento de aparências com Vera, que nem desconfia da traição da sua prima Eugênia. Igor e Vera, bem como as tradições do povo cigano, são os maiores obstáculos ao amor entre Júlio e Dara, mas nem por isso eles desistem.



Quem é Você? é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo. Exibida entre 4 de março e 7 de setembro de 1996, às 18 horas, com 161 capítulos. Com argumento de Ivani Ribeiro e Solange Castro Neves, foi escrita por Solange Castro Neves (substituída por Lauro César Muniz), com a colaboração de Isa Duboc, Rosane Lima, Aimar Labaki e Nelson Nadotti. Com direção de Herval Rossano, Flávio Colatrello, Luiz Henrique Rios, direção de produção de Carlos Henrique Cerqueira Leite, produzida pelo núcleo de Herval Rossano.

Sinopse

A relação de duas irmãs, a terceira idade e a farsa dos sexos são os temas orientadores da trama. As irmãs Maria Luísa e Beatriz reagem de formas diferentes ao abandono do pai. Nelson havia deixado a família para viver com outra mulher, causando a morte prematura da esposa e mudando o futuro das filhas. Maria Luísa se refugia num mundo de fantasia e passa a venerar o pai, Beatriz reprime seus sentimentos e defende-se para que não aconteça consigo o mesmo que ocorrera com a mãe. A primeira tem o afeto do marido Afonso e a segunda vive às voltas com a solidão.

Na década de 70, durante um baile de máscaras em Veneza (que aparece em flashback), Maria Luísa anuncia a Afonso que está grávida. Porém ele pensa que o filho é fruto de uma traição e se vinga, tendo relações sexuais com uma mulher mascarada. Nove meses depois, Beatriz tem um filho, mas esconde a identidade do pai, que pode ser o marido da irmã. No início da trama, Beatriz revela a Maria Luísa que Cadu é filho de Afonso. Sentindo-se traída, Maria Luísa tem um surto de ausência.

No tempo presente, Maria Luísa tem que disputar Afonso com Cíntia, uma corredora de Fórmula 1 que ele amara na adolescência. O jovem Maurício , filho de Maria Luísa e Afonso, torna-se um inesperado sucesso travestido como Thaís. A fama rende-lhe um contrato com uma agência de publicidade.

A trama ainda mostra uma casa de repouso habitada por idosos gentis e às vezes mal-humorados. Kitty é uma ex-vedete que anima a todos com sua extroversão e as marionetes de um teatrinho de sombras, Isolina vive das lembranças da época em que foi uma renomada pianista, Augusta passa o tempo à procura da filha, Vô Samuca afirma que fala com um extraterrestre chamado Simão, que o inspira na hora de escrever.

Ao final da história, um exame de DNA revela: o pai de Cadu é Túlio, e não Afonso.



Vira-lata foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo entre 1 de abril e 27 de setembro de 1996, com 155 capítulos. Foi escrita por Carlos Lombardi e dirigida por Jorge Fernando.

Sinopse

Quando o promotor Bráulio Vianna descobre que sua mulher Helena lhe ocultava que seu pai Moreyra é um estelionatário procurado pela polícia, exige que ela escolha entre suas pequenas filhas, Geovana e Juliana, ou seu pai. Helena então viaja para Florianópolis para refletir e tomar uma decisão. Lá ela conhece Lenin, por quem se apaixona. Ao saber que seu pai era traído por seu cunhado Ítalo, e que sua família lutava pelo poder, Helena decide ajudar o pai que corria perigo de vida, e assim some com ele.

Enquanto isso, Pietra volta a vida dos irmãos Wanderpetroviktz, seduzindo Lenin e Fidel, que se debate entre o amor pela doce Renata e a paixão por Pietra. O caçula Mussolini é apaixonado secretamente por Renata e conta com o apoio de Pietra, que cria situações de conflito entre Lenin e Renata. Mas o conflito maior acontece quando o encrenqueiro Lenin envolve o certinho Fidel em uma enrascada, e faz de tudo para livrar o irmão da cadeia. Para completar aparece a mãe dos irmãos Lenin e Fidel, Laura, que os abandonou e agora ambiciona a herança da família, lutando para os separar. E na família há um estigma, um dos irmãos devera morrer portador de uma doença congênita.

Ainda há as peripécias do atrapalhado Ângelo, na sua tentativa de fugir da mulher Stella, louca para pôr a mão no marido que só faz aprontar.

Com um enredo totalmente cômico e diversas situações engraçadas e totalmente sem nexo, a novela conseguiu alcançar consideráveis 34 pontos de média no geral.



O Fim do Mundo foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 6 de maio e 15 de junho de 1996. Foi escrita por Dias Gomes e colaboração de Ferreira Gullar. Teve direção de Paulo Ubiratan e Gonzaga Blota, e direção de núcleo de Paulo Ubiratan. Foi exibida num total de 35 capítulos. Teve sua reprise somente para Brasília no horário político no ano de 2000, sendo que Brasília é uma cidade única e não possui governo municipal.

Sinopse

A história se passa na fictícia Tabacópolis, na Bahia. É estimulada pela fama do paranormal Joãozinho de Dagmar, que prevê o fim do mundo a uns três meses, aproximadamente. Nesse tempo, ocorrem fortes temporais, inundações, raios e trovões e, então, os tabacopolinenses acreditam que o apocalipse chegou. Isso, portanto, faz com que cada habitante tente realizar seus desejos mais profundos.

Tião Socó, por exemplo, resolve acabar com seu problema de impotência sexual, violentando a própria cunhada Gardênia. Sua filha, Letícia, queria se manter virgem apesar das investidas do noivo Josias, neto do poderoso coronel Hildazário Junqueira. A moça, portanto, muda de idéia ao encontrar o peão Rosalvo. Já o Dr. Pestana, dono do hospício da cidade, resolve soltar todos os seus pacientes, gerando ainda mais confusão na cidade.



O Rei do Gado é uma telenovela brasileira que foi produzida pela Rede Globo e exibida de 17 de junho de 1996 a 15 de fevereiro de 1997, totalizando 209 capítulos na versão original e 130 na versão do canal SIC em Portugal. Escrita por Benedito Ruy Barbosa, teve a colaboração de suas filhas Edmara e Edilene Barbosa. Foi dirigida por Carlos Araújo, Emílio di Yoshi e José Luiz Villamarim. Teve direção geral e de núcleo de Luiz Fernando Carvalho.

Sinopse

Se passa durante a Segunda Guerra Mundial, nos anos 1940. No interior de São Paulo, as famílias Berdinazzi e Mezenga têm uma rixa por causa de terras. Ocorre que os filhos das duas famílias, Giovanna Berdinazzi e Enrico Mezenga, se apaixonam, indo contra a briga de seus pais, Giuseppe e Antonio. Giovanna e Enrico se casam e têm um único filho, o qual recebe o nome de Bruno, em homenagem a um irmão de Giovanna, que morre na guerra e que era muito amigo de Enrico, apesar da inimizade entre as famílias. E agora, junto com seu simpático Toni Vendacchio, um italiano de prestígio que vai arrumar uma vingança explosiva contra o seu antigo amor.

Se passa na época da exibição da novela, em 1996, e mostra Bruno como um bem-sucedido fazendeiro, conhecido pelo apelido de Rei do Gado, por possuir um grande rebanho. Homem de hábitos simples, para quem a riqueza é apenas algo a mais, Bruno vive um casamento infeliz com Léia e tem dois filhos, Marcos e Lia. Ao descobrir a traição de Léia com o motorista Ralf, Bruno se separa dela.

Ao ter que resolver o problema da ocupação de uma de suas fazendas, a de Pereira Barreto, por um grupo de sem-terras liderados por Regino e sua mulher, Jacira, Bruno conhece a arredia bóia-fria Luana. Os dois se apaixonam, sem saber que na verdade são primos, e ele começa a encontrar a felicidade, só que ainda terá de enfrentar um dos tios, o velho Geremias Berdinazzi, um poderoso milionário foi conhecido como Rei do Café e do Leite em Guaxupé Minas Gerais, já que os dois manifestam intenção de comprar as terras que pertenceram a ambas as famílias no passado. Mesmo tanto tempo depois, a rixa entre os Berdinazzi e os Mezenga continua.

A bóia-fria Luana, que vivia no acampamento dos sem-terra era na verdade Marieta Berdinazzi, a única sobrinha viva de Geremias, mas que há muito tempo estava desaparecida. Como não tinha herdeiro, a fortuna de Geremias sempre foi alvo fácil de especulações. E eis que surge então uma misteriosa Marieta, que aparece do nada, se dizendo ser a sobrinha que Geremias tanto procurava. Essa mulher na verdade se chamava Rafaela e era uma golpista de olho na herança do produtor.

A vilã foi capaz de tudo para se manter no posto de sobrinha e herdeira da fortuna da família, foi capaz até de cometer um atentado contra a própria vida de Geremias para que ele morresse logo e não a retirasse da herança. Mas por sorte a verdade surgiu e Luana ocupou o que lhe era de direito. Geremias ainda acabou encontrando um outro sobrinho na Itália, o jovem Giuseppe que retornou ao Brasil e herdou a herança do fazendeiro junto de Luana.

Aparício e Zé Bento são dois cantores apaixonados pelo sertão que decidem se juntar para formar uma dupla sertaneja, daí nasce Pirilampo e Saracura. A filha de Bruno, Lia, uma jovem meiga e doce, se apaixona por Pirilampo e contra a vontade da família, vai embora com ele pela estrada para viver seu amor dentro de um ônibus seguindo de cidade em cidade, comandada pelo ambicioso Regino, o líder do grupo de sem-terras.

Já o filho de Bruno, o rebelde Marcos, era um jovem que não se preocupava com o amanhã, se envolve com a filha do senador Roberto Caxias e a ilude a ponto de a abandonar grávida. Um golpe duro demais para uma menina sonhadora que ainda tinha que conviver com a falta de atenção do pai, que só tinha cabeça para sua fixação na luta dos sem-terra, todos conhecerão o poder da esperança, para enfrentar um triângulo amoroso: a esposa Maria Rosa, o negociante Zé do Araguaia e a secretária Chiquita.



Anjo de Mim é uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo, de 9 de setembro de 1996 a 29 de março de 1997, em 173 capítulos. Foi escrita por Walter Negrão, com a colaboração de Elizabeth Jhin, Ângela Carneiro e Vinícius Vianna, dirigida por Ricardo Waddington, Roberto Naar, Edson Spinello e Alexandre Avancini.

Sinopse

O espiritismo, visto sob a ótica das regressões a vidas passadas, é o tema da história. O cético escultor Floriano Ferraz, atormentado por visões indecifráveis de uma mulher que morre a seus pés, resolve procurar a ajuda do psiquiatra Ulisses. Com técnicas de regressão, descobre que em 1880, na cidade fluminense de Petrópolis, ele fora Belmiro, um tenente apaixonado pela jovem Valentina, que morrera tragicamente nas circunstâncias que apareceram em seus sonhos. Antes de morrer, ela marcara um encontro com o amado nos dias atuais, numa determinada mansão.

A experiência transtorna completamente a vida de Floriano, que resolve abandonar tudo, inclusive a namorada Antônia, para encontrar a reencarnação da amada. O escultor muda-se para Petrópolis, mas sua busca não é nada fácil, porque Valentina não reencarna com a mesma fisionomia. Ele encontra três possíveis candidatas: Maria Elvira, Joana e Lavínia.

O antagonista de Floriano em sua empreitada romântica é Marco Monterey. Os dois disputam um velho palacete que Floriano quer restaurar, porque o prédio é o ponto de encontro com sua amada. Marco deseja derrubar o palacete para construir um shopping e encobrir um crime do passado. A luta entre os personagens coloca em discussão o debate entre preservação do patrimônio e progresso, dividindo a opinião pública da cidade. Afinal, revela-se que Marco é a reencarnação de Cincinato, responsável pela morte de Valentina.



Salsa e Merengue foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo entre 30 de setembro de 1996 e 3 de maio de 1997, contou com 185 capítulos.

Sinopse

Numa viagem, Eugênio conheceu e se apaixonou pela doce e simples Madalena, mesmo tendo a apaixonadíssima e possessiva Teodora por perto. Mas Eugênio também descobriu que tinha uma grave doença. Só um transplante de medula de alguém da família poderia salvar sua vida. E, por causa disso, Guilherme Amarante Paes teve que revelar que Eugênio não é seu filho, um segredo que abalou toda a poderosa família Amarante Paes.

Mas, para Madalena, o amor por Eugênio resiste a tudo. E foi por esse amor que ela veio para o Rio de Janeiro e acabou conhecendo os moradores da Vila do Vintém, como o alucinado e divertidíssimo casal Socorro e Candinho. Esse também é o território de Valentim, que se apaixonou por Madalena assim que a viu. Valentim é o amante latino que enlouquece Marinelza, uma senhora casada que brinca com o perigo. A mãe de Valentim é a festeira Anabel Muñoz, uma mulher batalhadora que vive um drama: um filho que teve que abandonar ainda bebê e nunca mais encontrou.

E, ao envolver-se com a família de Anabel, Madalena descobre que a salvação de Eugênio está em Valentim, seu irmão legítimo. Mas como convencer Valentim a ajudar um irmão cuja existência ele desconhecia, ainda mais quando disputa com ele o amor de Madalena?

Do outro lado da história está Adriana, uma moça interesseira e de vida fácil que se envolve com Guilherme, causando o fim de seu casamento com Bárbara. Adriana, mesmo chantageada por Heitor, ambicioso e inescrupuloso sócio da mineradora Amarante Paes, alia-se a ele na busca pelo poder.



A Indomada foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo de 17 de fevereiro a 11 de outubro de 1997. De autoria de Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares, com colaboração de Maria Elisa Berredo, Márcia Prates e Nelson Nadotti e dirigida por Marcos Paulo, Roberto Naar e Luiz Henrique Reis, teve a direção geral e de núcleo de Marcos Paulo. Contou com os atores Adriana Esteves, José Mayer, Eva Wilma e Ary Fontoura nos papeis principais da trama.

Sinopse

Greenville - cidade do litoral do Nordeste brasileiro, construída à imagem e semelhança da antiga Inglaterra, devido à influência dos britânicos que, muito tempo antes, ali haviam construído a Estrada de Ferro Great Western. Orgulhosos da sua cidade, que dizem ser "um pedaço da Inglaterra no Brasil", os greenvillenses seguem à risca as tradições britânicas, não abdicando nem do chá das cinco, o five o'clock tea, e chegando a misturar o inglês com o português, sempre com o inconfudível sotaque nordestino.

Durante décadas, as fábricas de açúcar e rapadura fizeram daquela região um local deveras abastado. Dentre elas, tinha destaque a Usina Monguaba, propriedade da família mais rica e tradicional de Greenville, os Mendonça e Albuquerque.

Tudo começa quando Eulália, a herdeira da Monguaba, se apaixona pelo cortador de cana Zé Leandro, com quem vive um intenso romance. Desconfiado, o irmão mais velho de Eulália, Pedro Afonso, temendo as verdadeiras intenções de Zé Leandro, proíbe o namoro, chegando a ameaçar o rapaz de morte. Temendo pela vida do amado, Eulália ajuda-o a fugir, enquanto ele lhe jura regressar um dia para buscá-la. Meses depois, Eulália dá à luz uma filha dele, Lúcia Helena (conhecida apenas como Helena), a quem ensina a esperar pelo pai.

Quinze anos depois, um forasteiro de nome Teobaldo Faruk, filho de pai egípcio (este já falecido) e mãe brasileira, chega à cidade e logo se encanta com Eulália. Todavia, ela ainda espera por Zé Leandro. Por outro lado, Maria Altiva, esposa de Pedro Afonso, humilha Teobaldo, afirmando que um forasteiro sem eira nem beira não é digno de se aproximar de uma Mendonça e Albuquerque. Teobaldo jura vingança. Pedro Afonso, viciado em jogo, deve dinheiro a várias pessoas, a quem assinou promissórias.

Certo dia, Zé Leandro regressa, disposto a fugir com Eulália e Helena e começar com elas uma nova vida, com uma fortuna em pedras preciosas que conseguiu juntar, ao trabalhar num garimpo. Depois de combinar a fuga, ensina a Helena o valor da terra, o que ela jamais esquecerá. Todavia, o barco em que fogem naufraga e Zé Leandro morre afogado. Eulália morre também, pedindo a Helena que confie em Teobaldo, o qual conseguiu enriquecer.

A maquiavélica Altiva consegue convencer Pedro Afonso de que a irmã o odiou e traiu durante quinze anos. Magoado, o marido se recusa a fazer o velório de Eulália em sua casa. Teobaldo descobre e resolve agir: compra todas as promissórias de Pedro Afonso, tornando-se seu único credor e, logo, dono de todos os seus bens. Sabendo-o impossibilitado de pagar a dívida com dinheiro, exige outro tipo de pagamento: o velório de Eulália será na mansão dos Mendonça e Albuquerque e Helena casará com ele. Em troca, Pedro Afonso e a família poderão continuar a morar na mansão e receberão da parte de Teobaldo uma mesada para poderem subsistir. Mantendo a dignidade, Pedro Afonso deixa que seja Helena a decidir e a menina aceita casar com Teobaldo. Este combina com ela mandá-la para Londres até terminar os estudos, só então devendo Helena regressar para casar com o forasteiro, assim acontecendo. Teobaldo conta ter um filho com Helena, para poder juntar o seu sangue ao dos Mendonça e Albuquerque, como forma de completar a sua vingança contra Altiva.

Dez anos depois, Helena regressa e casa com Teobaldo, pedindo a usina (que ele ganhou de Pedro Afonso e está parada há anos) como presente de casamento. A sua idéia é reativá-la para dar valor às suas terras de cana-de-açúcar, cumprindo, assim, os ideais do pai. Todavia, após o casamento com Teobaldo, ela se recusa a consumá-lo, o que o deixa fora de si. O conflito dura a novela inteira e os dois vivem uma história de ódio e amor, que movimenta toda a cidade.

Altiva sempre foi uma pessoa péssima. Há vinte e oito anos atrás, sua irmã, Santa Maria, a Santinha, então adolescente, viveu um romance com o dono do British Club, Richard da Silva Taylor. Despeitada com a felicidade da irmã, a quem sempre detestou pela sua bondade e simpatia, Altiva (já casada com Pedro Afonso e mãe de um filho, Hércules) se aproveitou de uma bebedeira de Richard e, no escuro, se fez passar pela irmã para dormir com ele. Santinha os surpreende na cama e Altiva afirma que ele a drogou e violentou. Desesperada, Santinha acredita e rompe com Richard, que jura jamais voltar a amar outra mulher. É então que Altiva se descobre grávida de Richard e viaja com Santinha para esconder a gravidez. Traumatizada, Santinha bebe para esquecer e procura um novo amor, mas só se envolve com homens casados. Altiva dá à luz um filho, Artêmio, e quer abandoná-lo no lixo, para que morra de fome e frio. Chocada, Santinha propõe que levem o bebê para casa, fingindo tratar-se do filho de um trabalhador da usina que o abandonou por não ter meios de sustentá-lo. Altiva acaba por aceitar, mas obriga a irmã a jurar esconder a verdade e que, se alguém desconfiar, será Santinha quem assumirá a maternidade de Artêmio. Ele é criado por Florência, a empregada dos Mendonça e Albuquerque que, sabendo da verdade, ameaça Altiva constantemente de revelá-la. Atualmente, Artêmio é um moço tímido e arisco, apaixonado por Helena, que sofre por haver sido abandonado e pelo casamento de Teobaldo com a amada. Altiva, cada vez pior, sempre o ignora e se recusa até a pronunciar o nome dele. Humilha Santinha constantemente e tudo fará para não deixar que ela e Richard se reaproximem.

Amargurado por tudo o que aconteceu em sua vida, Pedro Afonso é dominado por Altiva. Todas as noites perde dinheiro nas mesas de jogo do British Club, rumando depois para o bordel, a Casa de Campo, onde encontra consolo nos braços da sonhadora "camélia" Dinorah. Esta sonha casar de véu e grinalda, na igreja, com alguém que a ame pelo que ela é. É então que conhece Sérgio Murilo, um forasteiro, por quem se apaixona à primeira vista. Doente, ele precisa de uma transfusão de sangue, e ela, tendo o mesmo tipo sanguíneo, serve de doadora. A partir de então, ela se recusa a trabalhar, e Pedro Afonso, sem ela, acaba por se apaixonar por Zenilda, a enérgica dona do bordel que, todavia, rejeita a idéia de se envolver com o marido da sua maior inimiga, Altiva. Contudo, Pedro Afonso tudo fará para viver esse amor. Sérgio Murilo promete casamento a Dinorah, que vê os seus sonhos perto de se tornarem realidade. Mas nem tudo são flores: ele necessita de um transplante renal. É então que a apaixonada Dinorah resolve doar-lhe o seu rim. Os dois casam e se submetem à cirurgia. Todavia, ao recuperar-se, Sérgio Murilo desaparece, deixando a mulher desesperada...

Hércules é o filho de Pedro Afonso e Altiva. Misterioso, só aparece em Greenville de tempos a tempos. A certa altura, cansada de ser sustentada por Teobaldo, Altiva pede a Hércules que case com Dorothy, a tímida e desengonçada filha do homem mais rico da cidade, o deputado Pitágoras Williams Mackenzie, eternamente apaixonado por Altiva e que despreza a esposa, Cleonice. Viciado em jogo como o pai, Hércules está na miséria e foge de credores, que ameaçam matá-lo e à família, já que ele é casado em segredo com a sobrinha de Florência, a bela Inês, com quem tem dois filhos, Vivinha e Júnior. Pitágoras lhe promete uma larga quantia se ele ficar noivo de Dorothy. Para salvar a família, Hércules acaba por concordar. É então que Inês descobre tudo e ruma a Greenville, revelando-se. Dorothy fica desesperada e tenta se matar. Artêmio a salva e os dois se apaixonam.

A juíza Mirandinha é a grande paixão do seu secretário, Egídio. Viúva, nunca olhou para homem algum, até que Egídio consegue chamar-lhe a atenção e os dois encetam um romance malvisto pelo povo de Greenville, já que ele é vinte anos mais jovem do que ela. O próprio filho da juíza, Felipe, se revolta com a situação, embora também ele viva um romance proibido. Namora Carolaine, a filha do megalômano prefeito Ypiranga Pitiguary, que odeia a juíza, sendo ela a única pessoa que consegue pôr freio às suas loucuras. O político tudo fará para separar a filha e Felipe. A juíza e Egídio casam contra tudo e contra todos e ele se torna um homem modelo, cobiçado pelas mulheres, principalmente pelos seus dotes culinários...



O Amor Está no Ar é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo, exibida em seu tradicional horário das 18 horas de 31 de março a 6 de setembro de 1997, em 137 capítulos. Foi escrita por Alcides Nogueira, com colaboração de Bosco Brasil e Felipe Miguez, e dirigida por Ignácio Coqueiro, Leandro Néri e Paulo Ghelli, direção de produção de César Lino, produzida pelo núcleo Wolf Maya.

Sinopse

Após o morte de Victor (Wolf Maya), sua esposa, Sofia (Betty Lago), assume os negócios na empresa da família, Estrela Dourada, localizada na cidade fictícia de Ouro Velho. Mas a mãe de Victor, Úrsula (Nicette Bruno), não aceita a situação e entra numa briga pelo poder com Sofia, tendo como aliado o inescrupuloso Alberto (Luis Melo), marido de sua filha Milica (Suzana Gonçalves). As coisas se complicam para Sofia quando sua irmã Júlia Schneider (Natália do Valle) chega da Europa e se une a Alberto para afastá-la da empresa.

Enquanto isso, Sofia se apaixona pelo jovem aviador Léo (Rodrigo Santoro) e passa a disputá-lo com sua filha adolescente, a problemática Luísa (Natália Lage), que é manipulada pela avó paterna Úrsula. Mas os problemas de Luísa aumentam quando ela se depara com o misterioso João (Eriberto Leão), um rapaz que ela julga ser na verdade um extra-terrestre que a havia abduzido.

Em meio a tudo há o drama de Flora (Isabela Garcia), que alimenta um amor proibido pelo rabino David (Caco Ciocler).



Zazá foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo, entre 5 de maio de 1997 e 9 de janeiro de 1998. Foi escrita por Lauro César Muniz, Aimar Labaki, Rosane Lima e Jacqueline Velego. Dirigida por Jorge Fernando.

Sinopse

Zazá Dumont é a milionária excêntrica que tem paixão por aviões. Descendente direta de Santos Dumont, ela tem um projeto secretíssimo: um inovador avião atômico. Casada com Ângelo, que sempre viveu à sombra de seu dinheiro, Zazá tem um sonho: dar um rumo à vida de seus sete filhos.

Dorival é casado com a dondoca Dorothy, mas há anos tem um caso com sua secretária Mercedes. Renata é a proprietária de um restaurante francês à procura de um chef. Milton é um cineasta que precisa de um empurrãozinho em sua carreira. Fabiana é a cabeça dos negócios da família. Solano é um eterno boa-vida, até que conhece e se apaixona pela doce Jacqueline. Lavínia é uma artista plástica em busca de inspiração. E Sissy, uma jogadora de futebol que luta para manter o seu time.

E para fazer essa galera decolar, Zazá contrata sete pessoas que ela chama de "anjos da guarda", com a função de auxiliar seus filhos. Cada anjo tem uma competência específica e esconde um acontecimento misterioso e comprometedor no passado. Os anjos devem auxiliar seus protegidos na profissão que cada qual escolheu.

Entre eles estão Hugo e Beatriz. Hugo é o noivo de Fabiana, mas que nunca esqueceu Beatriz, uma antiga paixão. E ela está de volta, com um filho seu, disposta a reconquistá-lo. Mas esse romance vai ter que enfrentar a temperamental Fabiana e as armações de Silas Vadan.

Silas é o inescrupuloso advogado da família Dumont que está disposto a manter Beatriz longe de Hugo, e a derrubar o projeto de Zazá, sua maior inimiga. Ao final, descobre-se que Silas é o filho de Tereza e de Ângelo Dumont, o marido de Zazá, que ainda mantém um caso com a amante. O advogado se une à mãe para destruir Zazá.

Mas após separar-se do marido sanguessuga, Zazá redescobre a paixão ao conhecer o aviador Ulisses.



SEGUNDA VERSÃO

Anjo Mau é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 8 de setembro de 1997 e 27 de março de 1998, em 173 capítulos. Novela de Maria Adelaide Amaral com a colaboração de Bosco Brasil, Vincent Villari e Dejair Cardoso e supervisão de texto de Sílvio de Abreu, com adaptação do texto original de Cassiano Gabus Mendes, com direção de José Luiz Villamarim, e Emilío di Biasi, direção de produção de Guilherme Bockel,produção geral de Denise Saraceni, e produção do núcleo Carlos Manga. A novela contou com Glória Pires e Kadu Moliterno como protagonistas, Maria Padilha, Daniel Dantas e Leonardo Brício eram co-protagonistas. E, Alessandra Negrini e Mauro Mendonça eram antagonistas. Gabriel Braga Nunes era co-antagonista.

Sinopse

Nice é a moça pobre que não mede esforços para atingir seus objetivos. Emprega-se como babá na mansão dos Medeiros, onde trabalha o seu pai, Augusto, com um único objetivo, casar com Rodrigo Medeiros, o filho mais velho da família, irmão de sua patroa, Stela. A ambiciosa Nice usa de todas as armas para conquistar o rapaz e planeja o dia em que deixará de ser pobre e se transformará na dona daquele casarão.Só que depois acaba por se apaixonar por Rodrigo e muda completamente tornando-se numa pessoa arrependida pelos males causados.

Uma cara de anjo mas com atitudes nada corretas, e inconformada com o destino previsível - casar-se com o namorado suburbano, Júlio, e ter muitos filhos -, Nice aproveita as descobertas que faz na mansão para fomentar intrigas e tentar se aproximar de Rodrigo. Ele está prestes a se casar com Paula quando descobre - através de uma armação da babá - que a noiva o trai com seu próprio irmão, o mauricinho Ricardo. Desiludido com os dois e disposto a desafiar a família e a soberba da sociedade que o rodeia, Rodrigo começa a aparecer na noite paulista em companhia de Nice. Mas o caminho ainda não está totalmente aberto para ela. Rodrigo se encanta com a doce Lígia, apaixonada pelo rapaz, e a babá usa seu próprio irmão, Luís Carlos, para separar os dois.

Enquanto luta para conquistar Rodrigo na mansão dos Medeiros, Nice vive um inferno em sua casa. Ela é a filha adotiva de Augusto e Alzira. O pai ama a sua filha, mas Alzira nutre um estranho ódio por Nice e esconde um segredo do passado.

Além da trama central, o preconceito racial afasta a simplória Cida da filha Teresa: para manter o casamento milionário com o mau-caráter Ruy Novaes, ela diz que a mãe já morreu temendo que o marido descubra que ela é negra. Mas Bruno, filho de Teresa e Ruy, começa a namorar Vívian, filha de criação de Cida, obrigando Teresa a desenterrar seu passado.

A decadência da tradicional família paulista quatrocentona também é enfocada na história, através das irmãs Clotilde e Elisinha Jordão Ferraz, que tentam esconder a ruína mantendo a pose e dando calotes. Também a luta da costureira Goreti para educar a filha Simone. Goreti foi abandonada, no passado, pelo homem que a engravidou. Ele é Tadeu, marido da ciumenta Stela Medeiros, que corroído de remorso, tenta se aproximar da filha adolescente.



Por Amor é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo como "novela das oito" entre 13 de outubro de 1997 e 23 de maio de 1998, com 190 capítulos. Foi escrita por Manoel Carlos, com co-autoria de Letícia Dornelles, com a colaboração de Maria Carolina e Vinícius Vianna, dirigida por Roberto Naar, Alexandre Avancini, Ary Coslov e Edson Spinello, direção-geral de Roberto Naar e Ricardo Waddington, produzida pelo núcleo de Paulo Ubiratan, diretor que faleceu durante a novela.

Sinopse

Helena é mais do que mãe: é a verdadeira amiga da filha Maria Eduarda, e faz de tudo para que ela aceite e ajude o pai alcoólatra, Orestes, de quem é separada. Mas Eduarda só tem olhos para o seu grande amor, Marcelo. O rapaz sofre com a perseguição da ex-namorada, Laura, inconformada por haver sido trocada por Eduarda. Ela é cruel, invejosa, egoísta e desequilibrada, fará de tudo para destruir a vida do casal e dará o golpe da barriga para se vingar de Marcelo.

A mãe de Marcelo, Branca Letícia, também não gostou da escolha do filho, pois detesta Helena, que é simples demais para ela. Branca é uma mulher de personalidade forte, que adora manipular a vida alheia. Ela é doinadora, esnobe e muito má. Tem adoração pelo filho Marcelo, mas despreza os outros dois por não terem ambição na vida: A moderna e bela jovem Milena e o super tímido e atraplhado Leonardo.

Branca controla até a vida da amiga Isabel, que tem um caso com Atílio, um homem que está à procura de um grande amor. Branca, na verdade, é apaixonada por Atílio há muito tempo, mas nunca conseguiu se expressar e nem falar que gosta de ninguém. Ela ficando transtornada ao descobrir que ele apaixonou-se por Helena, mãe de Eduarda. Ela se revolta e se culpa muito por jamais ter conseguido ter coragem de se declarar por mais de 20 anos e agora planeja destruir a felicidade dos dois. Após um breve romance, e para o desgosto de Branca, Isabel e Laura, Helena e Atílio se casam, assim como Eduarda e Marcelo, todos numa linda cerimônia na igreja.

Mãe e filha engravidam na mesma época e dão à luz no mesmo dia, hora e [[hospital, sob os cuidados do jovem médico César, um eterno apaixonado por Eduarda. O filho de Helena nasce grande e saudável, mesmo ela tendo mais de 40 anos de idade. Eduarda, com menos de 30 anos, tem sérias complicações no parto e seu filho nasce morto. Para complicar a situação da moça, ela nunca mais poderá ser mãe, pois teve que retirar o útero por diversas hemorragias que sofreu.

Desesperada em evitar esse duro golpe para a filha, Helena mostra que amor de mãe vai além de tudo e ela troca sua felicidade pela da filha e decide trocar os bebês, implorando a ajuda de César. Ela diz para o médico: "Vamos trocar os bebês!". Embora relutante com a ideia, César acaba por ceder e consente a troca, culpa que ele vai carregar por toda a novela. Assim sendo, Eduarda cria o meio-irmão pensando ser seu próprio filho, enquanto Atílio sofre por pensar que seu filho com Helena morreu ao nascer. César é a única pessoa que sabe desse segredo, o qual concordou pelo mesmo objetivo que Helena: Evitar o sofrimento de Eduarda. Quem mais padece, contudo, é Helena, que é obrigada a tratar o filho como neto e ainda vê o seu relacionamento com Atílio desmoronar, apesar do grande amor que os une. Ela escreve todos os acontecimentos de sua vida em um diário e é nele que está a revelação do grande segredo que Helena carrega consigo. E é acidentalmente lendo-o que Eduarda, chocada, descobre toda a verdade, ficando revoltada e toda sua vida vira um inferno.



Corpo Dourado (No Mexico: Cuerpo Dorado / Nos EUA: Summer Affair) foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo, e exibida no horário das 19 horas entre 12 de janeiro e 21 de agosto de 1998, com 191 capítulos. Foi escrita por Antônio Calmon e dirigida por Flávio Colatrello Jr. nos primeiros capítulos, sendo substituído por Marcos Schechtman. Também dirigiram a novela Fábio Junqueira, Flávio Galvão e João Camargo. Tinha como protagonistas, Cristiana Oliveira, Humberto Martins e Marcos Winter e co-progonistas Fábio Júnior e Giovanna Antonelli, era antagonizada por Maria Luísa Mendonça e Carlos Vereza.

Sinopse

A fazendeira Selena é uma moça de fibra que não descansa enquanto não arrancar um segredo guardado por sua mãe Camila: a identidade de seu pai. Mas ela também sonha em um dia ter o amor de Chico, o delegado da cidade litorânea de Marimbá. Só que ele está encrencado investigando um misterioso assassinato.

Os dois formam um triângulo amoroso com Arturzinho, empresário paulista do ramo de calçados. A tempestuosa Amanda, que abandonara Arturzinho no altar para casar com Chico, é a dona do curtume que abastece a fábrica de sapatos, e reluta em aceitar a revelação de que Selena é sua irmã bastarda. Rompendo com a família de Arturzinho, Amanda provoca a derrocada financeira da fábrica de sapatos.

Um crime abala ainda mais a família de Arturzinho: seu pai, Zé Paulo, é assassinado. Descobre-se então uma fita de vídeo em que Zé Paulo pede ao filho para se casar com Selena e salvar as finanças da família. Inicialmente, Arturzinho e Selena se detestam. Ela o vê como um "maricas", distante de sua realidade, enquanto ele a considera uma "machona sem educação". E ainda: como Arturzinho vai explicar a situação para Alicinha, sua namorada?

Apesar das diferenças e dos problemas, Arturzinho e Selena acabam se envolvendo, para desespero do delegado Chico, que apaixonou-se pela fazendeira, se afastando cada vez mais da mulher, Amanda, que já demonstra sérios problemas psicológicos.

Há ainda outro triângulo amoroso, formado por Judy, seu namorado Tadeu e Billy, o misterioso fotógrafo que chega à cidade acompanhado do filho Zeca. Billy, cujo caráter permanece misterioso por toda a trama, acaba por ter um envolvimento com Amanda.



Era uma Vez… foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo de 30 de março a 2 de outubro de 1998 em 161 capítulos. Foi escrita por Walter Negrão, com a colaboração de Elizabeth Jhin, Márcia Prates e Júlio Fischer. Direção de Rogério Gomes, Jorge Fernando, Marcelo Travesso e Fabrício Mamberti, direção de produção de Italo Granato, produzida pelo Núcleo Jorge Fernando. Recentemente teve uma curta reprise no Vale a Pena Ver de Novo, de 29 de janeiro a 4 de maio de 2007, com apenas 69 capítulos.

Sinopse

O viúvo Álvaro (Herson Capri) mora com seus quatro filhos no sítio de seu pai, Pépe (Elias Gleiser), em Nova Esperança. Ele é apaixonado por Bruna (Andréa Beltrão), advogada da fábrica de chocolate de Xistus (Cláudio Marzo), uma moça mimada que não suporta dividir a atenção do namorado com seus filhos. Mas, para sua surpresa, chega à cidade a doce Madalena (Drica Moraes), que será a governanta da casa de Xistus, avô materno das crianças. Bem informada, simpática e simples, logo ela vai cair nas graças dos filhos de Álvaro e dele, inclusive, que se apaixonará por ela. Xistus, por sua vez, também se apaixona por Madalena e une forças com Bruna para lutar contra o amor entre a governanta e Álvaro.

Madalena chega a Nova Esperança com seu grande amigo Maneco Dionísio (Antonio Calloni), e os dois compartilham um segredo. Maneco é um andarilho, desapegado das coisas materiais e capaz de tudo para ajudar sua companheira. Logo que chega à cidade, Maneco é contratado por Xistus para pintar afrescos na modesta igreja franciscana de Frei Chicão, que não simpatiza nem um pouco com a idéia. Para piorar a situação, os dois vão morar juntos, formando uma dupla de muito humor ao longo de toda a trama.

Depois de um tempo, descobre-se que o segredo de Madalena girava em torno do ex-marido, o possessivo Danilo (Tuca Andrada), de quem ela fugia desesperadamente. Mas ele acaba descobrindo seu paradeiro em Nova Esperança e, a partir daí, muitos conflitos se sucedem.

Enquanto isso, as crianças Glorinha (Luiza Curvo), Zé Maria (Alexandre Lemos), Marizé (Alessandra Aguiar) e Fafá (Pedro Agum), filhos de Álvaro, são disputadas pelos dois avós, completamente diferentes entre si. Xistus é um empresário rígido, sisudo e amparado em valores tradicionais. Já Pépe é um avô bonachão, que prega a liberdade acima de tudo e planta o melhor arroz da região, em seu bucólico sítio.

Entre a trama da terceira idade e a infantil, há uma turma jovem liderada por Filé (Cláudio Heinrich), que vive o auge da fase de namoros e brigas. Apesar de apaixonado pela bem-comportada Emília (Deborah Secco), ele namora a ousada Cindy (Raquel Nunes). Emília, por sua vez, gosta de Júlio (André Gonçalves), um jovem compenetrado que só pensa em estudar. Para completar esse círculo amoroso, ainda tem a tímida Babi (Nívea Stelmann), empurrada o tempo inteiro por sua mãe para os braços de Filé, que a vê como uma grande amiga. Numa bonita cena, que foi ao ar no último capítulo da novela, Filé aterrissa de parapente na praça da cidade, com um ramalhete de flores nas mãos. Babi e Emilia aparecem, e ele entrega o ramalhete para Emília, com quem decide ficar. Babi se despede da família e vai morar no Rio de Janeiro.

Outra personagem de destaque é Dona Santa (Nair Belo), uma viúva batalhadora que ainda sente muita saudade de seu marido. Ela comanda uma grande família e um armazém, com justiça e bom senso. Seu ponto fraco é o filho Horácio (Marcos Frota), mimado, bon vivant e solteirão, para quem não consegue dizer “não”. Ele começa dando pequenos golpes, até se transformar em um vilão. Dona Santa e Pépe vivem um típico amor da terceira idade, porém sem conseguirem assumi-lo. Somente no final da novela os dois se acertam, e ele a pede em casamento.

Na reta final da novela o telespectador ganhou uma surpresa do autor. Ele reviveu seus personagens Shazan (Paulo José) e Xerife (Flávio Migliaccio), da novela O primeiro amor (1972) e do seriado Shazan, Xerife e cia. (1974), e os fez aparecer para Maneco Dionísio. Eles surgem na "camicleta", uma espécie de automóvel cheio de geringonças acopladas, e dão uma carona para Maneco até o armazém de Dona Santa. A homenagem era pelos 25 anos de vida dos personagens.

Tereza Rachel fez uma participação especial nos primeiros capítulos da novela, como a governanta da mansão de Xistus. Linha-dura e meio malvada, ela era odiada pelas crianças, que a faziam de principal vítima. Exausta com as traquinagens dos filhos de Álvaro, ela pede demissão e é substituída, assim, por Madalena, que logo cai no gosto da criançada.

Depois de mais de dez anos afastada da televisão – atuara pela última vez em Bambolê (1987) –, Myrian Rios voltou às novelas em Era uma vez..., no papel de Isaura, afilhada de Dona Santa. Ela chega a Nova Esperança no início da trama, acompanhada pelo filho Sarrafo (Eduardo Caldas). Com o tempo, Isaura vive um romance com Júlio (André Gonçalves), muito mais jovem que ela. Para ficar junto, o casal enfrenta o preconceito de ambas as famílias. Horácio, chefe de Isaura, passa a chantageá-la, prometendo revelar seu segredo, caso ela se recusasse a ter relações sexuais com ele.

No final da história, Danilo termina louco, internado num hospício. Madalena e Álvaro se casam, e ela fica grávida. Depois de muitas brigas pelos netos ao longo de toda a trama, Xistus e Pépe também chegam às boas.



Torre de Babel foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 20 horas pela Rede Globo, exibida entre 25 de maio de 1998 a 16 de janeiro de 1999, totalizando 203 capítulos. Escrita por Sílvio de Abreu, Alcides Nogueira e Bosco Brasil e dirigida por Denise Saraceni, José Luiz Villamarim, Carlos Araújo e Paulo Silvestrini. A direção de núcleo foi de Carlos Manga. Apresentou Glória Menezes, Tarcísio Meira e Tony Ramos, Edson Celulari, Marcos Palmeira, Letícia Sabatella, Adriana Esteves, Cláudia Raia e Juca de Oliveira nos papeis principais.

Sinopse

O ex-perito em fogos de artifícios, José Clementino (Tony Ramos) arranja emprego como pedreiro na construção de um suntuoso shopping center, uma das muitas obras realizadas pela construtora do engenheiro, César Toledo (Tarcísio Meira). Durante a festa da cumeeira, quando engenheiros e operários se reúnem para comemorar a colocação da última laje da obra, a mulher de Clementino flerta com vários homens. À certa altura, quando dá pela falta da mulher, o pedreiro sai à sua procura e a encontra em um canto afastado da construção tendo relações com dois homens. Tomado pela fúria, Clementino mata a mulher e um dos homens a golpes de pá. A família Toledo ouve os gritos e contém Clementino, com a ajuda de um grupo de operários. Chocado com a violência do empregado, o empresário chama a polícia, e até mais tarde, depõe contra ele no julgamento. O seu testemunho é decisivo para a condenação de Clementino, para descobrir os seus terríveis e audaciosos crimes, que é um tribunal suspeito.

Vinte anos se passam, e Clementino deixa a cadeia. O tempo em que esteve exposto à dura realidade do sistema penitenciário fez dele um homem ainda mais amargurado. Embora tente reconstruir sua vida, está obcecado pelo desejo de se vingar de César Toledo, que considera ter sido o grande responsável pela sua condenação.

César Toledo tornou-se um empresário poderoso, mas leva uma vida cheia de angústias. Seu casamento com Marta está em crise e praticamente só se sustenta graças aos esforços dela. A união naufraga de vez quando César reencontra um antigo amor, a advogada Lúcia Prado, e os dois começam um romance. A relação com os filhos também não é bem resolvida. O mais velho, Henrique, administra os negócios do shopping, mas tem um temperamento bem diferente do pai. Extravagante e vaidoso, transforma a festa de inauguração do Tropical Towers em um pomposo evento carnavalesco. Alexandre é o filho do meio dos Toledo. Um jovem estudante de Direito que se ressente de ainda depender da ajuda financeira do pai, que faz questão de que ele complete os estudos antes de sair de casa. O filho mais novo, Guilherme, é a principal fonte dos tormentos da família. Dependente químico, envolvido com marginais, ele vive fugindo de clínicas de recuperação e tentando extorquir dinheiro dos parentes e amigos para conseguir sustentar o vício. Durante a festa de inauguração do shopping, depois de tentar arranjar dinheiro, sem sucesso, ele invade de motocicleta o saguão principal do edifício e tem de ser contido pelos seguranças.

A família de José Clementino, para junto da qual ele volta quando sai da cadeia, trabalha e vive no ferro-velho do seu pai, Agenor, um homem violento e cruel que criou duramente e sem carinho seus filhos e netos na base da tortura física e psicológica. Lá vivem os dois meio-irmãos de Clementino, Gustinho e Boneca; e Shirley, sua filha mais nova, uma jovem meiga e graciosa que sofre de um defeito físico na perna. Ela toma conta de Jamanta, um portador de deficiência mental que vive como agregado da família e trabalha no ferro-velho. Naquele ambiente frio e sem vida, ocorrem alguns dos melhores momentos cômicos da novela, graças às brigas de Gustinho e Boneca – que vivem debochando e implicando um com o outro – e às trapalhadas de Jamanta, um personagem que caiu nas graças do público.

A outra filha de Clementino é Sandrinha. Ao contrário de Shirley, ela não perdoa o pai por ter assassinado sua mãe e alimenta sentimentos negativos em relação a todos os outros membros da família. É uma jovem mau-caráter e ambiciosa que trabalha como garçonete na lanchonete de Edmundo Falcão, porém faz qualquer coisa para se dar bem e subir de vida. Por isso, se envolve com Alexandre Toledo. Completamente apaixonado pela moça, ele não percebe que ela está interessada principalmente no seu dinheiro e que o trai sempre que possível.

Na lanchonete de Edmundo Falcão também trabalha a garçonete Bina Colombo, uma mulher espontânea e engraçada, mas também ingênua, que alimenta o sonho de se tornar rica. Ela mora com a tia Sarita num apartamento pequeno, mas a vida das duas muda depois que, graças a um golpe do destino, a garçonete se torna dona de uma fortuna. Bina está sempre acompanhada da sua melhor amiga, a dócil cozinheira Luzineide, que também trabalha na lanchonete e a quem ela ofusca com sua personalidade exuberante, impedindo que a moça pronuncie sequer uma palavra; é sempre censurada por um "Cala a boca, Luzineide!".

Dando início ao seu plano de vingança, José Clementino consegue um emprego como vigia do Tropical Towers. Dessa forma, ele pretendia instalar explosivos no edifício. Seu plano é destruir o grande empreendimento de César Toledo, mas sem ferir inocentes. Os explosivos seriam detonados quando o shopping estivesse vazio. Entretanto, por razões misteriosas, os artefatos são acionados antes da hora, quando o edifício está lotado. A explosão deixa muitos feridos e mata várias pessoas.

Alguns personagens de destaque na novela morrem na explosão do Tropical Towers. Guilherme, o jovem problemático que inferniza a vida dos Toledo, é um deles. Outras duas vítimas são a estilista Rafaela e a ex-modelo Leila Sampaio. As duas são sócias de uma boutique de moda e têm um relacionamento amoroso.

A empresária Ângela, braço-direito dos Toledo na administração do shopping, nutre uma paixão platônica por Henrique Toledo, seu melhor amigo e colega de trabalho. Henrique, no entanto, é casado com Vilma, além de ser um mulherengo incorrigível que coleciona conquistas românticas, e não desconfia dos sentimentos da amiga. Aos poucos, a paixão de Ângela vai se tornando cada vez mais doentia e, para conseguir o que quer, ela se torna uma assassina fria e implacável, que chega comemorar as mortes de suas vítimas. Seu final é trágico: ao descobrir que Henrique se casaria com Celeste, a mãe de um filho de Guilherme, Ângela se atira do alto do recém-reconstruído Tropical Towers.

Quando o romance entre Lúcia Prado e César Toledo chega ao fim, a advogada se envolve com Alexandre. No final da novela, já tendo acordado para o verdadeiro caráter de Sandrinha, o filho de César Toledo decide ficar em definitivo com o ex-amor do pai. César Toledo e Marta acabam se reconciliando.

Sob a alcunha de Johnny Percebe, Gustinho faz sucesso como cantor romântico. Na verdade, Boneca é que tem talento para cantar, mas acha que é feio demais para se apresentar ao público. Ele, então, empresta sua voz ao irmão, embora se sinta frustrado por não poder aproveitar a fama. A farsa chega ao fim depois de uma apresentação no Show da Xuxa. A apresentadora descobre que Boneca é o verdadeiro cantor e o leva dos bastidores para o palco. Gustinho, por sua vez, descobre seu verdadeiro talento ao ganhar uma chance no time de várzea do seu bairro, tornando-se um jogador de futebol profissional muito bem-sucedido.

No decorrer da novela, Bina Colombo se dividiu entre Edmundo Falcão, Gustinho e Boneca. Ela se casa com o dono da lanchonete, mas os quatro personagens terminam juntos, formando um quadrado amoroso.



Meu Bem Querer foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo, entre 24 de agosto de 1998 e 20 de março de 1999, contou com 179 capítulos. Foi escrita por Ricardo Linhares, supervisão de texto de Aguinaldo Silva e dirigida por Marcos Paulo e Roberto Naar.

Sinopse

A história se passa na fictícia cidade de São Tomás de Trás, no litoral nordestino. Custódia, mulher misteriosa aguça a curiosidade de todos do lugar por não sair de casa há mais de 20 anos, o que não a impede de controlar a vida dos habitantes de lá. Mas vai ter de enfrentar a força de Tonha da Pamonha que se rebela contra a vilã. Custódia obriga seu irmão Inácio a se candidatar a prefeitura. Inácio, junto com seu melhor amigo Martinho, acabam tornando-se prefeito e vice - prefeito.

Inácio é marido da perua Verena e tem um romance nada secreto com a cobiçada Ava Maria. Martinho nutre uma paixão secreta por Ava, mas só depois da morte de Inácio é que assume tal paixão e fica com ela.

Custódia também tem várias plantações de caju onde obriga crianças a trabalhar. E não só as crianças são humilhadas como também sua empregada, Jorgete.

A novela também conta a história de Padre Ovídio, que criou Antônio, cuja origem, mantém em segredo. O pastor da cidade, Bilac, também cria Juliano, um rapaz invejoso, sonso e dissimulado, apaixonado por Lívia, estuda para se tornar pastor e vai revelar seu mau caratismo ao longo da trama, em situação semelhante a do padre. Os dois religiosos vivem em pé de guerra e disputam os fiéis da cidade.

O pastor Bilac tem duas filhas: a meiga Rebeca e Lívia, menina voluntariosa e invejosa que é rejeitada pelo pai por que sua mãe morreu no dia de seu parto. Antônio e Rebeca são apaixonados desde a infância e planejam viajar juntos. Mas quem embarca com Antônio é Lívia, que casa-se com ele. Decepcionada, Rebeca acaba casando-se com Juliano, e acabam tendo uma filha, Ester. Anos depois Lívia e Antônio voltam para a cidade separados e também com um filho, Antônio Maciel Jr.

Rebeca e Antônio, ao longo do tempo, se encontram às escondidas mas não assumem o amor que tem um pelo outro por respeito aos pais. Lívia logo depois se arrepende e quer voltar para Antônio de qualquer jeito e nada a impedirá de crusar seu caminho.

No final, Antônio e Juliano descobrem que são irmãos, filhos de Inácio e Ava. Custódia, tia dos rapazes, que não podia ter filhos, separa os bebês e manda incendiar o berçário.



Pecado Capital foi uma telenovela brasileira produzida e exibida, pela segunda vez, no horário das 18 horas, pela Rede Globo, entre 5 de outubro de 1998 e 8 de maio de 1999, apresentada em 185 capítulos. Foi escrita originalmente por Janete Clair e reescrita por Glória Perez, sendo dirigida por Wolf Maya, Maurício Farias, Fabrício Mamberti e Vicente Barcellos. Apresentava Francisco Cuoco, Carolina Ferraz, Eduardo Moscovis e Cássia Kiss nos papeis centrais da trama.

Sinopse

Pecado capital traz José Carlos Moreno, chamado Carlão, um taxista morador do subúrbio carioca de Marechal Hermes. Logo no primeiro capítulo, acontece um grande e audacioso assalto a banco, e os ladrões, em fuga, embarcam no carro de Carlão. Só que a mala cheia de dinheiro é esquecida no veículo. O taxista, então, vê ali a possibilidade de ascender socialmente, podendo enfim casar-se com a noiva, Lucinha, operária numa fábrica de roupas. Graças à beleza de Lucinha, as brigas entre os dois, por causa de ciúme do taxista, são frequentes. Lucinha conhece, então, na fábrica, o publicitário Nélio Porto Rico, que a convida a ser modelo. Pensando na possibilidade de crescer na vida, ela aceita. Enquanto isso, Carlão faz segredo quanto a estar com o fruto do assalto ao banco. A opção de Lucinha pela carreira de modelo leva-a a romper com Carlão e com o pai, Orestes, pela intolerância destes.

Enquanto isso, Eunice, uma dona de casa de classe média, infeliz no casamento, sofre com o repúdio do marido, Ricardo, e com a consciência pesada. Ela esteve no assalto, do qual participou convencida pelo amante, Miguel, e foi quem esqueceu o dinheiro com Carlão. Miguel é assassinado após uma discussão com Eunice por causa do dinheiro e ela é tida como a principal suspeita, embora seja inocente. Vai, então, pedir ajuda ao marido para sair da enrascada, e ele a obriga a ir passar uns tempos nos Estados Unidos, longe do filho, Paulo Roberto. E a suburbana Lucinha é escolhida como principal modelo das Confecções Centauro, onde antes trabalhava. Desperta o interesse do adormecido coração de Salviano Lisboa, um milionário viúvo que, apesar de ter seis filhos - Vitória, Vilma, Vicente, Virgílio, Vinícius e Valter - e viver cercado por uma cambada de bajuladores, sente muita solidão. O início do namoro entre Salviano e Lucinha desperta em Carlão um grande ódio, e ele lança mão do dinheiro, que planejava devolver, para ascender socialmente - para ele, Lucinha deseja isto:fortuna e posição.

Eunice volta ao Brasil e, cumprindo suas ameaças, cheias de rancor, Ricardo a denuncia e ela é presa. Ao ficar sabendo da situação da mulher, Carlão sente a consciência pesar e começa a ajudá-la. Penalizado, sabendo que, se tivesse entregue o dinheiro, a situação de Eunice seria outra, Carlão se casa com ela, mesmo apaixonado por Lucinha, que passa a enfrentar, a cada dia que passa, maior oposição dos filhos de Salviano. Carlão e Eunice vivem um casamento infeliz. Ela, verdadeiramente apaixonada, sofre com o amor do marido por outra, que não o quer;ele, por estar casado por piedade e medo de que ela, já o tendo reconhecido como o taxista do caso, o denuncie.

Ao longo da trama, Carlão vai se afundando mais e mais, graças à ambição e ao desejo de reconquistar Lucinha. No final, quando resolve deixar o dinheiro(dois milhões de reais)numa estação do metrô e fazer uma denúncia anônima às autoridades, Carlão termina assassinado no local por Tonho Alicate, um mau-caráter com quem havia se envolvido em negócios escusos.



Suave Veneno é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo de 18 de janeiro a 18 de setembro de 1999, na faixa das 21 horas, totalizando 209 capítulos. Foi escrita por Aguinaldo Silva com colaboração de Ângela Carneiro, Maria Helena Nascimento, Felipe Miguez, Fernando Rebello e Marília Garcia. Foi dirigida por Marcos Schechtman, Alexandre Avancini e Moacyr Góes com direção geral de Ricardo Waddington e Marcos Schechtman e núcleo de Ricardo Waddington e Daniel Filho. Teve 130 capítulos na versão internacional exibida na televisão portuguesa.

Sinopse

O empresário Valdomiro Cerqueira atropelou a jovem Inês, que, após o acidente, perdeu a memória. Valdomiro, em dívida com a moça sozinha e sem passado, leva-a para morar em sua casa até que a situação dela se restabeleça. A família a recebe friamente e com desconfiança: a mulher, Eleonor, e as três filhas, Maria Regina, Maria Antônia e Márcia Eduarda. E o que todos temiam acaba acontecendo: o envolvimento entre Valdomiro e Inês, provocando a separação dele e de Eleonor e a fúria de Maria Regina, que vê Inês como uma intrusa e uma ameaça à fortuna da família. Maria Regina bate de frente com o pai, numa luta acirrada pelo poder na Marmoreal, empresa que eles dirigem.

Mas o amor por Inês custaria muito caro a Valdomiro. Tudo fazia parte de um plano de vingança arquitetado pela advogada Clarisse Ribeiro, a filha bastarda que Valdomiro desconhecia. Inês desaparece, e com ela valiosos diamantes. Por conta disso, Valdomiro perde a presidência da empresa para sua filha Maria Regina. É quando ocorrem dois fatos que dão uma reviravolta na história: Clarisse, de posse dos diamantes do pai, é assassinada misteriosamente; e Valdomiro encontra Inês completamente diferente na pele de outra pessoa - Lavínia.

Ao reencontrar Lavínia, Valdomiro passa a viver em função desse amor e julga ser essa misteriosa mulher a mesma Inês que apareceu como morta, meses antes. Lavínia tenta fugir várias vezes de Valdomiro sempre afirmando que não é a Inês que ele conheceu. Os próprios telespectadores só vão ter a certeza que Lavínia é mesmo Inês no dia que ela sai de casa e vai procurar Clarisse para pedir ajuda com Valdomiro.

Lavínia mora em um bairro simples do Rio de Janeiro apenas na companhia de seu sobrinho Junior que ela ajuda a criar. O personagem de Junior era interpretado pelo recente ator Vinícius de Oliveira, que despontava na época com o grande sucesso do cinema nacional, Central do Brasil. Junior era filho de Adelmo, o irmão complicado de Lavínia. Adelmo perdera a mulher em um acidente e a partir daí perdeu um pouco o rumo de sua vida, embora sempre pudesse contar com sua irmã mais velha. No entanto, a vida de Adelmo começa a mudar quando ele conhece a possessiva Maria Regina, filha de Valdomiro.

Maria Regina era uma mulher arrogante, ambiciosa e cheia de malícias. Era casada com Álvaro Figueira e tinha dois filhos, mas adorava humilhar o marido na frente dos outros e repudiar a própria vida que levava até se render completamente apaixonada por Adelmo. Como era uma mulher muito fina e não suportava a convivência com pessoas de níveis inferiores, o seu relacionamento com Adelmo era bastante complicado e doentio, fato que acarreta a morte dos dois em um acidente de carro no último capítulo da novela.

Enquanto Valdomiro tenta descobrir a verdade sobre Inês e Lavínia, sua ex-mulher Eleonor sofre com a separação e sonha ainda com uma futura volta do seu casamento até conhecer um jovem e deprimido pintor capixaba chamado Eliseu, natural de Linhares. Os dois se conhecem exatamente no momento em que ele tenta, desesperado, se jogar de uma passarela bastante movimentada na cidade. Por muito pouco Eliseu não realiza seu desejo, Eleonor chega e o impede. A partir daí ela passa a incentivar Eliseu nas suas pinturas, aluga um apartamento para ele e o ajuda com todo o material que ele precisa para desenvolver seu trabalho. Surge então um leve envolvimento entre os dois, mas quem ficaria com ele mesmo seria Márcia Eduarda, a filha mais nova de Eleonor.

Mas a história dos dois não foi tão gloriosa assim. Eliseu acabou se envolvendo em falsificação de quadros e terminou preso. No entanto, Márcia Eduarda prometeu esperá-lo sair da cadeia e cumpriu sua promessa no último capítulo.

Enquanto isso, no outro lado da cidade, vivia a orgulhosa Marina, que sonhava em casar com um homem rico e fugir da vida simples que levava com sua família, sem ao menos dar atenção aos apelos insistentes de namoro do humilde Renildo. Mas as coisas mudariam quando Renildo passasse a ser um famoso jogador de futebol. Marina, que sempre o esnobou, muda totalmente sua atitude e passa a namorá-lo. Só que a vida resolve lhe pregar uma peça. Renildo descobre um tumor no cérebro, o que o impede de continuar jogando futebol. E nem as mandingas do guru da vizinhança, Uálber, salvariam os dois.

No mesmo bairro de Marina e Renildo, vivia a fogosa Carlota Valdez, uma mulher que aparentava ser uma simpática vizinha pelas manhãs e, à noite, quando usava um determinado perfume, saía de casa misteriosamente com uma capa escura, despertando a curiosidade dos vizinhos e principalmente de Gato, dono de um bar. Em suas saídas misteriosas, Carlota ia se encontrar com Álvaro Figueira, o marido de Maria Regina, em um apartamento secreto dele.



Andando nas Nuvens é uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo de 22 de março a 6 de novembro de 1999, contou com 197 capítulos. Foi escrita por Euclydes Marinho e Letícia Dornelles, colaboração de Elizabeth Jhin e dirigida por Dênis Carvalho. A trama apresenta Marco Nanini como protagonista principal, Suzana Vieira, Marcos Palmeira, Débora Bloch, Vivianne Pasmanter e Marcelo Novaes como co-protagonistas e Claudio Marzo como antagonista central.

Sinopse

Em uma noite de 1981, o jornalista Gregório Montana, dono do jornal Correio Carioca, é assassinado misteriosamente em sua mansão no bairro da Urca, no Rio de Janeiro. Uma figura misteriosa invade seu quarto e o sufoca com o travesseiro enquanto dorme. Otávio Montana chega a tempo de lutar com o assassino, mas é atirado do alto da varanda da casa e fica inconsciente.

Sendo assim, Otávio fica 18 anos em coma, sofrendo um estado de encefalite letárgica, também conhecida como ´´a doença do sono``, se alimentando e se movendo com a ajuda de enfermeiras, mas mantendo a inconsciência. Felizmente, ele recebe um tratamento inovador realizado pela doutora Lídia Leblon, médica perita na doença, mas pouco esperançosa pela recuperação total de Otávio, até que um acidente com as máquinas hospitalares faz Otávio receber uma descarga elétrica e recuperar a vida. Porém, parte da memória dele está desestruturada. Ele se lembra apenas dos fatos ocorridos em 1968, bem antes do acidente. Naquela época, ele era noivo da bela Eva Rocha. Mais tarde, descobre que se casou, teve três filhas e que Eva morreu misteriosamente.
Há duas únicas pessoas que compõem o passado de Otávio: Alex e Antônio San Marino. Alex é o amigo leal, fiel e incondicional que cuidou dele e de suas filhas durante o coma. San Marino foi o filho da empregada da família e se tornou quase como um irmão para Otávio. Hoje, San Marino é o atual dono do Correio Carioca e se tornou um rico e poderoso empresário. Otávio acredita na amizade de San Marino, mas, aos poucos, descobre que ele é o responsável por todas as suas desgraças. Sempre ao lado do tresloucado Bob Lacerda, seu puxa-saco, San Marino é um homem corrupto e de má índole, um psicopata que usa o Correio Carioca para manipulação política e com pretensão de se tornar o senador da República. Ele teme que, com a recuperação de Otávio, tenha seu passado desmentido, mesmo sabendo que Otávio perdeu a memória.

A trama de Otávio se torna cada vez mais tentadora quando ele passa a viver um romance com Gonçala. Ela é esposa de San Marino, mas sempre foi rejeitada por ele. Ao se relacionar com Otávio, ela vê a oportunidade de ser feliz de novo. E assim se forma um inevitável triângulo amoroso.

Ao saber que Otávio sofreu melhoras, suas três filhas passam a se rever. Porém, ambas possuem gênios opostos e alguma ligação irônica com San Marino. Júlia Montana, a mais velha, trabalha com jornalista no jornal de San Marino. Honesta e de bom coração, apoia o pai e tem uma relação com o jornalista Chico Mota, também amigo de Otávio. Mas ela possui uma certa rivalidade competitiva com o rapaz. E, para completar, a ex-mulher de Chico, Lúcia Helena, volta ao bairro da Urca, junto a filha que tiveram, a prodigiosa Constancinha. Lúcia Helena fará de tudo para voltar para Chico, até mesmo se aliar a Jujú, a mãe rabugenta de Chico que odeia Lúcia Helena, mas se associa a ela por detestar mais Júlia. Elisabeth, a filha do meio, é uma moça fútil e ambiciosa que se casa com Arnaldinho, filho de San Marino, para enriquecer. Arnaldinho sempre teve tino para os negócios do pai, porém sempre foi muito mulherengo, ambicioso e irresponsável. A maior prova disso é a rejeição a Elisabeth quando ela engravida. A ambição de Elisabeth é tamanha que a faz rejeitar o grande amor de sua vida, Raul Pedreiras, por sua pobreza. O fotógrafo trabalha junto a Júlia e divide um minúsculo apartamento com Chico. E a filha caçula é a doce e inocente Celi. Ela pretende ir para um convento devido seu fanatismo religioso, mas se apaixona por Thiago, o filho de San Marino. Diferente do pai e do irmão, ele possui bom caráter. Mas San Marino rejeita o fato do seu filho mais novo não querer assumir os negócios do pai e gostar de música clássica. Crendo Thiago ser homossexual, ele até chega a levar o menino a um bordel.

A trama possui diversos núcleos, como no Correio Carioca, onde trabalham o solteirão de meia-idade e chefe de redação Wagner Macieira, que tenta fazer um bom jornal, mesmo sendo interferido pelo sensacionalismo de San Marino; o dublê de repórter e dançarino de gafieira Dino Israel, o pirado Jacques Delon, que trabalha com colunista social e editor de cultura; a repórter Ana Paula e a estagiária Zezé. Todos estes jornalistas frequentam o Café Samba Berlim, administrado por Tião Alemão, um sujeito divertido que sempre se lembra de quando era jovem e servia a marinha. Outro lugar aciduamente frequentado é a Academia de Dança Dancin'Days, onde trabalha Janete, uma moça sensual e madura que adora namorar homens mais novos, com o malandro Átila, o que desespera Joana, a filha da professora de dança.

Outros núcleos de sucesso são os amores complicados de dois casais: Bob Lacerda e a espevitada Flora; Alex e a doce e atrapalhada Oneide.

Mas a trama só agita de vez quando Eva retorna ao bairro da Urca com outra identidade: ela agora é a Condessa de Astrid Van Bradenburg. Mais tarde, ela revela a Otávio que lhe traiu com San Marino e que Júlia é o fruto desta traição. Após cortar relações com San Marino, ele a ameaçara durante o assassinato de Gregório e ela fugiu para o exterior, fez plásticas para não ser reconhecida e enriqueceu.



Força de um Desejo é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e foi exibida no horário das 18 horas entre 10 de maio de 1999 e 29 de janeiro de 2000, em 226 capítulos. Foi escrita por Gilberto Braga e Alcides Nogueira tendo como colaboradores Sérgio Marques, Lílian Garcia, Eliane Garcia, Filipe Miguez e Márcia Prates e dirigida por Mauro Mendonça Filho, Carlos Araújo, Fabrício Mamberti e João Camargo, com produção do núcleo Marcos Paulo.

Sinopse

Século XIX, Vale do Paraíba, Rio de Janeiro. Higino Ventura (Paulo Betti) é o ex-mascate que enriqueceu com negócios escusos e que comprou a fazenda Morro Alto, na localidade de Vila de Sant'Anna, para se aproximar de sua antiga paixão, Helena (Sônia Braga), moradora da fazenda vizinha, a Ouro Verde, agora casada com o poderoso Barão Henrique Sobral (Reginaldo Faria). Ele está disposto a tudo para reconquistar Helena, inclusive comprar a Ouro Verde e obter o título de nobreza e o mesmo status do barão. Mas Helena, apesar de amar o marido e desprezar Higino, sofre nas mãos do barão, pois este sabe que Abelardo (Selton Mello), que criou como seu filho, é na verdade filho de Higino.

O filho legítimo do casal, Inácio (Fábio Assunção), não se conforma com o tratamento cruel que o pai dá à mulher e vai embora para a Corte. Lá, ele apaixona-se por Ester Delamare (Malu Mader), uma bela cortesã. Porém, a morte da mãe faz com que o jovem volte à fazenda para ajudar o pai e o irmão. Além disso, separa-se de Ester, devido a intrigas armadas contra os dois pela maquiavélica Idalina Menezes de Albuquerque Silveira (Nathalia Timberg), sua avó, que não aceita o envolvimento do neto com uma moça de classe social inferior. Mas ninguém na família Sobral desconfia que Ester é na realidade uma cortesã.

O tempo passa e, um dia, o Barão Sobral conhece Ester, com quem se casa. Só após a união sacramentada é que ela descobre que ele é o pai de Inácio, e os três morarão na mesma fazenda, sem que o barão desconfie que a sua nova mulher é o grande amor de seu filho. Inconformado com o fato de Ester não aceitar abandonar o barão para viver ao seu lado, Inácio casa-se com Alice (Lavínia Vlasak), a filha golpista de Higino Ventura e de sua esposa, a deslumbrada Bárbara (Denise Del Vecchio), que só pensa em se tornar uma nobre.

Enquanto isso, Higino luta para conseguir o baronato e comprar a Ouro Verde, com o intuito de humilhar o barão. Apaixona-se por Olívia (Cláudia Abreu), uma escrava branca procurada pela polícia, e que ama o jovem médico Mariano Xavier (Marcelo Serrado). Desprezado pela moça, Higino descobre quem ela é e a denuncia; depois a compra para usá-la como escrava sexual. Começa então o inferno de Olívia, que não consegue fugir das garras de Higino Ventura, mesmo ajudada pelo namorado e seus amigos, entre eles, Inácio e Ester.

Mas um fato abala toda Vila de Santana: o Barão Henrique Sobral é assassinado durante a festa do noivado entre Abelardo e a doce Juliana (Júlia Feldens), na mesma noite em que Inácio e Ester fogem para viver juntos. A polícia local se mobiliza então para prender Inácio, o principal suspeito da morte do barão.



Terra Nostra é uma telenovela brasileira que foi produzida e exibida pela Rede Globo entre 20 de setembro de 1999 e 3 de junho de 2000, às 21 horas, totalizando 221 capítulos. Foi escrita por Benedito Ruy Barbosa, com colaboração de Edmara Barbosa e Edilene Barbosa, e dirigida por Marcelo Travesso e Carlos Magalhães com direção geral e de núcleo de Jayme Monjardim.

Sinopse

O cenário é o Brasil entre o final do século XIX e início do século XX. A maior parte da história se passa nas fazendas de café do interior de São Paulo, mostrando a imigração italiana no Brasil, com destaque para o romance de Giuliana e Matteo, dois imigrantes italianos que foram tentar uma vida melhor em terras brasileiras.

Giuliana é filha de Giulio e Ana, imigrantes italianos que deixam seu país e vêm para o Brasil a conselho de um amigo compatriota, Francesco. No navio, a jovem apaixona-se por Matteo, e os dois fazem planos de se casar quando chegarem ao Brasil, mesmo os dois nem se conhecendo direito. A morte dos pais de Giuliana, causada pela peste negra (doença causada pela pulga de rato), e a leve infecção de Matteo pela doença aproxima ainda mais o casal, que passa uma noite ardente de amor juntos,sendo a primeira vez de Giuliana, antes de o navio atracar no porto de Santos.

Na confusão do desembarque, Giuliana e Matteo se perdem e seguem rumos diferentes. Ela é acolhida por Francesco (Raul Cortez), um milionário banqueiro, amigo de seus falecidos pais, que é marido de Janete, mulher prepotente e arrogante, e pai de Marco Antônio, um bon-vivant. Já Matteo vai trabalhar na fazenda de Gumercindo, um barão do café que é casado com Maria do Socorro e pai da meiga Angélica e da cruel Rosana.

Assim que vê a italiana, Marco Antônio se apaixona loucamente por ela. Francesco vê com bons olhos o casamento do filho com a moça, mas Janete não. E a moça também rejeita o amor de Marco Antônio, pois está decidida a reencontrar Matteo. Porém, quando Giuliana descobre que espera um filho de Matteo, Marco Antônio vê aí a chance de ficar com sua amada. Ele pede Giuliana em casamento e, com medo, a moça aceita. Entretanto, Janete arma para que seu filho seja poupado de criar o filho de Giuliana com outro homem. Com a ajuda da governanta Mariana, Janete faz o parto da nora, mas Giuliana desmaia depois de ouvir a criança chorar. Então, Janete manda que Mariana leve a criança para um orfanato bem longe e depois afirma à nora que o bebê nasceu morto.

Enquanto isso, na fazenda de Gumercindo, a beleza de Matteo encanta as irmãs Angélica e Rosana. Angélica é uma moça tímida que quer ser freira, para desgosto do pai. Rosana, impulsiva e de personalidade forte, investe no rapaz, sendo repetidamente rejeitada por ele. Entretanto, para forçar Matteo a se casar com ela, Rosana o seduz e inventa que fez amor com o italiano. E, para evitar que Angélica entre para o convento, Gumercindo aceita o pedido de casamento de Augusto, jovem com sonhos de se tornar político.

Augusto, porém, mantém um caso com Paola, bela e fogosa italiana que chegou na mesma leva que Matteo e Giuliana. Para evitar que Anacleto, o pai da jovem, o force a se casar com ela, Augusto monta uma casa para a moça na cidade de São Paulo, e se casa com Angélica. Posteriormente, porém, Angélica e Augusto se mudam para São Paulo, e Paola se torna amiga de Angélica. Assim, Paola percebe que Augusto tem uma boa mulher, e rompe o caso com ele.

Entretanto, por motivos de negócios, Gumercindo (Antônio Fagundes) se aproxima de Francesco. A esta altura, Matteo (Thiago Lacerda) já está casado com Rosana (Carolina Kasting), com quem tem um filho, e Giuliana teve uma filha com Marco Antônio, Aninha. Mas o verdadeiro destino do filho de Giuliana e Matteo é descoberto, e o casamento de Francesco e Janete vai por água abaixo, e Giuliana também se separa de Marco Antônio.

Mas para ambos viverem esse grande amor, restam deixarem o passado para trás, e isso inclui duas pedras no caminho do casal que terão de serem superadas: A da asquerosa Rosana e a do egocêntrico Marco Antônio. Mas no fim tudo dá certo, Giulianna se casa com Matteo e eles têm mais um filho, e Matteo aceita criar Aninha, filha de Giulianna com Marco Antônio e ficam muito felizes de reencontrar o filho que eles tiveram.



Vila Madalena foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo entre 8 de novembro de 1999 e 6 de maio de 2000, contou com 155 capítulos. Foi escrita por Walter Negrão com a colaboração de Júlio Fischer, Ângela Carneiro,Elizabeth Jhin e Thelma Guedes. Foi dirigida por Jorge Fernando e Roberto Naar.

Sinopse

O casal Solano e Eugênia comemora boas notícias. Depois de seis meses sem trabalho, ele consegue um bico como caminhoneiro, levando uma carga para outra cidade. Enquanto ele tem a promessa de um emprego melhor, a mulher anuncia que está grávida. Ao mesmo tempo, outro casal, Roberto e Pilar, se encontra na porta da igreja para acertar os últimos detalhes do casamento, marcado para a próxima semana. Quando tudo parece alegria, a surpresa. A polícia descobre que a carga que Solano transporta é contrabando, e ele é preso e condenado a 17 anos de cadeia. Roberto também é preso porque, ao defender Pilar de dois marginais, causa, sem querer, a morte de um deles, que é acidentalmente atropelado diante da igreja.

Na penitenciária, Solano e Roberto se conhecem e se tornam amigos. Quando Solano é libertado sete anos depois, Roberto lhe entrega uma carta para Pilar. Solano conhece Pilar e os dois de apaixonam. Ainda assim, ele vai em busca de Eugênia e de seu filho e, quando a encontra, descobre que ela está casada com um antigo patrão, Arthur. Ela tem dois filhos com o novo marido mas ainda alimenta uma paixão por Solano.

O conflito tem a cidade de São Paulo como pano de fundo, destacando o glamour da Vila Madalena, com seu comércio alternativo, sua vida noturna, sua gente moderna e animada. É lá onde mora a família de Pilar: sua mãe Bibiana, uma artista plástica, e sua tia Margot, uma solteirona que tem uma loja de produtos esotéricos.

Outro núcleo importante se localiza na Zona Oeste, onde mora a família de Solano: seus pais Ângelo e Deolinda, e os irmãos, o motoboy Zezito (o Cachorro Louco), e a doce Nancy (a sapatão).



Esplendor foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 30 de janeiro e 24 de junho de 2000, no horário das 18 horas. Foi escrita por Ana Maria Moretzsohn com a colaboração de Glória Barreto e de Daisy Chaves e dirigida por Luciano Sabino, Ary Coslov e Maurício Farias com direção geral e de núcleo de Wolf Maya. Teve 125 capítulos.

Sinopse

Rio de Janeiro, 1958. Flávia Cristina é uma moça determinada que sustenta o irmão mais novo Bruno, mas não percebe que ele é um mau-caráter, um marginal que a explora. Ao tentar defendê-lo de um agiota, Flávia pensa ter matado o homem, e, receosa de ser descoberta pela polícia, foge para o Sul do País, sem perceber que sua mala carrega dólares roubados pelo irmão.

Na viagem, Flávia Cristina conhece Flávia Regina, uma moça fisicamente parecida com ela que está indo trabalhar como governanta na Vivenda do Sombrio, numa cidadezinha chamada Esplendor. Flávia resolve acompanhá-la, mas um acidente com o ônibus, põe Regina em coma no hospital, enquanto Flávia é confundida com a amiga e levada para casa de seus patrões.

Na Vivenda do Sombrio, o pequeno Gui, vê o espírito de sua mãe. Gui é um menino arredio e triste que não fala desde a morte dela em um acidente aéreo. Seu autoritário pai, Frederico Berger, é um rico industrial que nunca se recuperou da perda da mulher Elisa e tornou-se um homem taciturno que contagia com sua tristeza todos na família.

Ao chegar na mansão dos Berger, Flávia assume a identidade da amiga para fugir de um crime que pensa ter cometido, e espera resolver toda a situação quando Regina sair do coma. Mas, ela não esperava que seu irmão Bruno fosse procurá-la, em busca dos dólares, ameaçando-a levar a polícia por falsa identidade. Flávia também sofre com a perseguição de Cristovão, um mau caráter, protegido da família Berger que pretende conquistá-la.

A amarga e agressiva Olga, que vive presa numa cadeira de rodas desde o nascimento da filha Marisa. Casada com o médico Hugo Norman, ela sofre com ciúmes de Adelaide, irmã de Frederico Berger, que é uma mulher sofrida, mas o oposto da personalidade de Olga, e cuida com carinho de todos na Vivenda do Sombrio, apesar de sua doença crônica.

Olga, com ódio da família Berger, se une a Cristovão, namorado de Marisa para punir Frederico. No passado, seu filho Pedro morrera num acidente e ela acredita ser Frederico o responsável. Cristovão também guarda um desejo de vingança, uma vez que sua família morrera na fábrica de propriedade da família Berger.

Enquanto Flávia Cristina conquista todos na Vivenda do Sombrio (incluindo o coração do amargo Frederico Berger), Flávia Regina acorda do coma e descobre que sua amiga se apossara da sua identidade. Para desmascará-la, se une a Cristovão, cada vez mais apaixonado por ela.



Uga Uga foi uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo exibida no horário das 19 horas, entre 8 de maio de 2000 e 19 de janeiro de 2001, em 221 capítulos.

Sinopse

Quando criança, o jovem Adriano sobreviveu a um acidente de avião que matou seus pais; foi encontrado pelo pajé de uma tribo indígena e tem uma vida feliz entre cobras e jacarés sob o nome de Tatuapú.

Tatuapú, isto é, Adriano, é encontrado pelo avô, Nikos. Depois de ser levado para a cidade, descobre ser o único herdeiro da fortuna da família após a morte de seu avô. Caberá a ele administrar os negócios do mesmo.

Porém, ele tem que enfrentar dois obstáculos: sua tia, Santa, e seu primo, Rolando, ambos de olho na herança do patriarca. Mas Tatuapú parece não demonstrar o menor interesse pelos negócios do avô e sonha poder voltar um dia para a tribo.

A vida de Tatuapú cruza com a família Baldochi e encontra neles, principalmente em Bernardo Baldochi, um grande amigo e aliado para fugir das artimanhas de sua tia.

Baldochi, mais conhecido por Bernardo, é um ex-sargento da marinha que tem uma vida alucinante e foge constantemente de bandidos que ameaçam sua família. Ele é dado como morto pela família e pela noiva que ele abandonou na igreja para salvar a vida deles.

Sua noiva, Maria João, era uma mulher delicada e apaixonada por Baldochi, mas com o tempo e a notícia de sua morte, ela perde o interesse pela vida e praticamente toda sua feminilidade, vivendo sempre amargurada. Sua única diversão é ler histórias de amor em livros de coleções, onde ela se imagina a mocinha ao lado do falecido Baldochi, sem suspeitar que quem escreve as histórias na verdade é o próprio Baldochi.

Maria João mora com seu pai e com um irmão que ela cuida como se fosse um filho, e esse é um segredo da trama que é revelado quando Baldochi retorna. O irmão de Maria na verdade é filho dela com Baldochi.

Maria tem um admirador que não larga do seu pé e não cansa de levar os foras que ela dá nele constantemente. Beterraba acredita que um dia Maria vai voltar a se apaixonar e espera que ele seja essa pessoa. Por isso ele não se cansa jamais de esperá-la.

O irmão de Baldochi, Casemiro, mais conhecido como Van Damme, era um jovem apaixonado pela vida no estilo crianção, que vive fazendo bicos aqui e ali até ir trabalhar de salva-vidas, onde conhece a fogosa e atrapalhada Tati, que a princípio se apaixona por Baldochi, mas depois se rende ao amor de Van Damme.

Tati era completamente destrambelhada e vivia a mando do seu namorado Rolando para prejudicar a vida de Tatuapú. Era prima de Bionda, filha de Felipe e Vitória Arruda, um casal meio complicado e à beira da falência. Bionda, sempre muito mimada, tinha mania de arranjar casamento e fugir na hora do "Sim", deixando todos surpresos e os seus pais desesperados.

A situação começa a mudar um pouco quando Bionda conhece Tatuapú e se apaixona por ele. Mas ela teria que enfrentar a concorrência de Gui, filha do mordomo de Nikos e apaixonada realmente pelo garoto a ponto de largar tudo e ir viver com ele na tribo.

Mas Gui esperaria muito por Tatuapú. Ele e Bionda ainda marcariam casamento, só que dessa vez ao invés de Bionda fugir da igreja foi a vez de Tatuapú, que a abandonou e fugiu com Gui.



Laços de Família foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo em seu horário das 20 horas, de 5 de junho de 2000 a 3 de fevereiro de 2001. Com um total de 209 capítulos (150 na versão internacional exibida em países como Portugal), foi escrita por Manoel Carlos, com a colaboração de Maria Carolina, Vinícius Vianna, Flávia Lins e Silva e Fausto Galvão, e dirigida por Moacyr Góes e Leandro Néri, com direção-geral de Ricardo Waddington, Rogério Gomes e Marcos Schechtman,com direção de núcleo de Ricardo Waddington.

Sinopse

Helena, uma empresária, sócia de uma clínica de estética e com 45 anos, ao ir para a praia, se envolve em um acidente de carro com Edu, um médico que acabara de se formar, com 25 anos, em frente à livraria Dom Casmurro de Miguel, às vésperas do réveillon de 2000. Ao ser levada por Edu para a livraria a fim de ser atendida por primeiros socorros, acaba despertando o amor de Miguel. Ela e Edu, depois de brigas, acabam se envolvendo.

Miguel é bem colocado na vida, com dois filhos: a rebelde e irresponsável Ciça, a mais nova, que questiona todas as ações praticadas pelo pai e, apesar de imatura, ama sua família, e Paulo, o mais velho, que sofre de um certo retardo por causa de um acidente de carro, no qual a sua mãe faleceu, e realiza um exaustivo trabalho de recuperação com a fisioterapeuta Isabel, que é apaixonada por ele.

Edu e Helena acabam se envolvendo em um amor polêmico para muitos que convivem com eles, por serem de diferentes idades, tendo como o principal obstáculo Alma Flora, a tia superprotetora de Edu, que faz de tudo para ver Helena livre de seu sobrinho. O motivo é que ela é incapaz de ter filhos, cuidando dele e de sua irmã Estela como se fossem seus, interferindo muitas vezes na vida pessoal de seus sobrinhos, cuidando também do patrimônio que eles herdaram após a morte dos pais e de seu haras. Eles residem em uma mansão no bairro de Joatinga, junto com o padrasto Danilo, o quarto marido de Alma. Ele é um bon vivant simpático, e bastante mulherengo, com as suas tentativas de seduzir Ritinha, a empregada de sua casa. Rodrigo é apaixonado por Alma, e sonha ser seu quinto marido.

O haras de Alma é cuidado por Pedro, um homem arrogante, duro e antipático. No passado, se envolveu ainda jovem com a sua prima Helena, e hoje, é casado com a floricultora Sílvia, que após vários ciúmes, ele acaba se separando da mulher. Ele conhece a veterinária Cíntia, que depois de tantos machismos, e graças à atração de Cíntia por ele, engatam um romance.

Helena tem dois filhos: Fred, o mais velho, que é um engenheiro que está desempregado. Ele se casou com Clara, uma menina rica que se casou jovem e não consegue se adaptar a uma vida de dificuldades financeiras. Os dois tiveram a filha Nina, que é a desculpa de Clara para Fred alugar um apartamento só para os três. A filha mais nova de Helena é Camila, que estuda literatura em Oxford, na Inglaterra. Ela conhece Edu em uma viagem ao Japão, que vai junto com Helena para visitá-la. Na volta ao Brasil, ela constrói um forte laço de amizade com Edu, pois os dois têm a mesma idade e os mesmos interesses.

Mais tarde, Camila e Edu descobrem que estão apaixonados um pelo outro. Os dois resistem por respeito a Helena que, quando vê que seu namorado está encantado por sua filha, se afasta dele para que ele e Camila sejam felizes, que assumem o amor depois de muitas discussões. Sabendo que Helena está solteira, Miguel decide conquistá-la, com sucesso.

Quem não vê o relacionamento de Edu e Camila com bons olhos é Íris, meia-irmã de Helena, tendo como pai delas o bondoso Aléssio, que é casado com Íngrid, mãe de Íris, que passa a morar com Helena após a morte de sua mãe, baleada em um posto de gasolina tentando salvar sua filha. Ela não se conforma com o romance de Edu e Camila e diz que a filha "roubou" o namorado da mãe, aprontado muitas para tentar separá-los. Íris é apaixonada por Pedro, que a acha uma garota mimada e a trata como uma criança. Ela ainda tem que se preocupar com Cíntia, que sente atração por Pedro. Íris tenta de todas as maneiras separar o casal. Ela ainda desperta o coração do jovem Fábio, que se apaixona por ela.

Yvete, a melhor amiga de Helena e a confidente de seus segredos, é casada com Viriato, um homem boa-gente e de bem com a vida. Ele sofre de impotência sexual, não conseguindo mais se relacionar sexualmente com a esposa, se afundando na depressão cada vez mais, recebendo preconceitos de amigos e outras pessoas.

Em certo momento, Camila fica grávida de Edu e Miguel está quase pedindo Helena em casamento. Tudo isso é abalado com a descoberta de que Camila sofre de leucemia, perdendo o bebê que esperara, e precisando urgentemente de um doador de medula, já que ela e seu meio-irmão Fred não são filhos do mesmo pai.

Sem saída, Helena revela a paternidade da filha: ela é filha de Pedro. Ela ficou grávida de Pedro quando jovem e foi expulsa pelo pai de casa, e apenas só ela e Yvete sabiam desse segredo. Querendo salvar a filha da doença, Helena recusa o pedido de casamento de Miguel e faz um filho com Pedro para salvar Camila.

Capitu é uma universitária e garota de programa junto com a sua amiga Simone. As duas são agenciadas por Fernando. Capitu, com o seu salário, sustenta os pais Pascoal, um intelectual aposentado que trabalha com revisor de livros para Miguel e Ema, uma dona de casa e costureira, e o seu filho, tendo o marginal Maurinho como pai. Ela reencontra Fred, seu ex-namorado extinto de sua vida há algum tempo e se envolve com ele, já que seu casamento com Clara está no final. Por amor a Fred, Capitu decide abandonar a prostituição, para viver com ele. Porém, antes disso, ela passa um verdadeiro inferno, pois Orlando, um ex-cliente obcecado por ela, tenta fazê-la voltar a vida de prostituição tentando assediá-la, e Maurinho perseguindo-a, para conseguir dinheiro.

Vitória, a filha de Helena, nasce, e consegue curar Camila. Íris se arrepende de suas maldades, Cíntia e Pedro têm uma recaída, Ritinha morre ao parir gêmeos de Danilo. Alma o aceita de volta com os gêmeos. Cíntia e Romeu ficam juntos, Miguel pede novamente Helena em casamento e ela aceita, e os dois se casam em uma Igreja. Ciça se interessa por Ricardo no aeroporto. Três anos se passam e chega o dia da festa do 3º ano de Vitória. Nela já aparecem os casais formados e com filhos: Helena e Miguel, Íris (grávida) e Pedro, Clara (grávida) e desconhecido, Capitu (com filho e grávida) e Fred. Exceto Edu e Camila e Estela e Bento ainda não tiveram um filho.



O Cravo e a Rosa foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo de 26 de junho de 2000 a 10 de março de 2001, em 221 capítulos. Escrita por Walcyr Carrasco e Mário Teixeira, com a colaboração de Duca Rachid, e dirigida por Mário Márcio Bandarra, Amora Mautner, Ivan Zettel e Vicente Barcellos com direção geral e de núcleo de Walter Avancini, substituindo Dênis Carvalho.

Sinopse

Catarina Batista é a mulher moderna, na sociedade paulista da época de 20, que recusa o papel feminino de se restringir a lavar ceroulas em um tanque. Julião Petruchio é um homem cuja crença é a de que a mulher deve ser a rainha do lar. Duas pessoas tão diferentes vivem um romance contraditório. Conhecida como "a fera", por botar todos os seus pretendentes para correr, Catarina vai esbarrar na teimosa cínica de Petruchio, que inicialmente, decide conquistá-la para, com o dote do casamento, salvar sua fazenda de ser leiloada.

Eles acabam se apaixonando, mas não dão o braço a torcer, vivenciando cenas muito bem-humoradas e hilárias de discussões e brigas vulcânicas. Ele fingindo-se de "cordeirinho", e ela cada vez mais furiosa com sua insistência.

Mas há os que são contra e a favor desse improvável romance. A começar pela família de Catarina. Nicanor Batista, seu pai, quer vê-la casada, livrar-se do constrangimento que passa por causa das atitudes da filha e lançar sua candidatura a prefeito; Bianca, a irmã mais nova, é o contraponto de Catarina: quer noivar e casar, mas só terá permissão após a filha mais velha arrumar um pretendente.

Já Cornélio Valente, tio de Petruchio, torce pelo sobrinho; assim como Calixto, velho empregado da fazenda que considera Petruchio como um filho e se apaixona pela governanta de Catarina, Mimosa. Também apoiam o romance Dinorá, esposa de Cornélio, e Josefa, irmã e mãe do esportista Heitor, pois as duas querem vê-lo casado com Bianca, por causa da fortuna dos Batista.

Entre os que não aprovam o casamento, há a ardilosa Lindinha, criada com Petruchio na fazenda, apaixonada por ele e que conta com a ajuda de Januário para atrapalhar o romance dos dois; o jornalista Serafim, que pretende conquistar Catarina para dar o golpe do baú; e o vilão Joaquim, homem misterioso cujo único objetivo é arruinar Petruchio porque acredita que ele foi o responsável pela perdição de sua única filha, Marcela.

E para piorar esse cenário, chega Marcela, vinda de Paris para se apossar dos bens do ingênuo pai e para reconquistar de vez Petruchio, batendo de frente com a "fera" Catarina.



Um Anjo Caiu do Céu foi uma telenovela brasileira exibida de 22 de janeiro a 25 de agosto de 2001, no horário das 19 horas da Rede Globo. Foi escrita por Antônio Calmon e dirigida por Dênis Carvalho, e teve 185 capítulos.

Sinopse

Na cidade de Praga, na República Tcheca, para mais uma de suas exposições, João Medeiros, fotógrafo brasileiro de fama internacional por seu trabalho de caráter social, fotografa por acaso o líder nazista Eric Brunner. Isto põe em risco a vida de João, que acaba sofrendo um atentado numa ação neonazista. No último momento, sua vida é salva por Rafael, um anjo enviado pelas altas instâncias celestes para oferecer-lhe uma nova chance. Um amigo de João, contudo, perde a vida nesse atentado.

Em coma, enquanto seu corpo está sendo atendido na emergência de um hospital tcheco, João sabe por Rafael que terá mais seis meses de vida desde que resolva os problemas de sua família, negligenciada desde que ele a trocou por uma existência aventureira. A tarefa de João não será fácil. Dentre as situações que terá que solucionar estão a falência da loja de sua ex-mulher Naná, que vive com o aproveitador Tarso; a infelicidade da filha Virgínia, que culpa o pai por um acidente que sofreu na adolescência e que acabou com seu sonho de ser bailarina; as manias obsessivas de sua outra filha, Duda, causadas pelo desaparecimento de seu neto Kico; e a descoberta de uma filha que teve com a cunhada Laila, a menina Cuca.

Para cumprir sua missão, João conta com a ajuda de Rafael, o anjo-trapalhão que opta por uma experiência como mortal, tornando-se assistente do fotógrafo, e, aos poucos, vai perdendo seus poderes. Assim, conhecerá toda a gama de emoções que os humanos sentem ao apaixonar-se por Cuca, a filha de João. Mas Rafael ainda se envolveria com três jovens modelos e as deixaria grávidas.

Cuca era uma garota introspectiva que cresceu ouvindo os discursos ambiciosos de sua mãe sem nunca relutar, com isso foi se enchendo de toda a extravagância de sua vida e radicaliza ao descobrir que é filha de João Medeiros. Ela decide fugir de casa e cortar suas longas madeixas, principal motivo de orgulho de sua mãe. Assim vai parar nas ruas, onde conhece Breno, um jovem piloto da Aeronáutica que a princípio a confunde com um garoto. Sem perceber ela acaba se apaixonando por ele e sofre por não poder contar a verdade.

Ainda em Praga o famoso estilista Selmo de Windsor sofre um inesperado acidente em casa durante uma confusão com seus assistentes Paulinho e Lulu. Desesperados eles julgam que o costureiro morreu e decidem se livrar do corpo. Para não serem presos, eles decidem usurpar a identidade de Selmo. Paulinho usa suas roupas e exagera no trejeito efeminado. Assim eles chegam ao Brasil para participar de um grande evento de moda, mas aqui ele acaba se apaixonando pela complicada Virgínia. E isso põe em risco a sua identidade.

O romance teve forte presença na novela principalmente entre o núcleo jovem com Dorinha e Kico, que ganharam até casamento fictício no último capítulo com as bênçãos dos arcanjos.

Além dos problemas familiares, João Medeiros tem que cuidar da própria vida pois os neonazistas o querem morto. A perigosa espiã nazista Lenya, neta de Eric, chega ao Brasil para concluir a tarefa que começou ainda em Praga, mas seus objetivos acabam mudando e ela se apaixona por um novo e surpreendente filho de João que aparece na sua vida, Josué.

Já as maldades nacionais ficaram por conta de Laila, a estilista que subordinava a filha Cuca aos seus caprichos e vivia em um universo fútil e extravagante rodeada de capachos e empregados que eram como verdadeiros servos. E não cansou de perseguir a própria filha que se rebelou contra ela e nem o cunhado João Medeiros que ela queria morto.



Porto dos Milagres é uma telenovela brasileira que foi produzida e exibida pela Rede Globo entre 5 de fevereiro a 29 de setembro de 2001, totalizando 203 capítulos. Foi escrita por Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares e baseada livremente em duas obras do escritor Jorge Amado - Mar Morto e A descoberta da América pelos turcos. Teve colaboração de Felipe Miguez, Maria Eliza Berredo, Nelson Nadotti e Glória Barreto, direção de Fábrício Mamberti e Luciano Sabino. Direção geral de Marcos Paulo e Roberto Naar, co-direção de Fabrício Mamberti e Luciano Sabino. Teve direção de núcleo de Marcos Paulo.

Sinopse

Félix vende ilegalmente parte das terras do pai, deixadas de herança para ele e seu irmão gêmeo Bartolomeu. A polícia acaba descobrindo, e Félix e sua mulher Adma ficam foragidos na Espanha. Após aplicar outros golpes, uma cigana profetiza que ele irá atravessar o mar e será rei, sendo conclúido por ele e Adma que esta previsão só poderá ocorrer na Bolívia e vão para a Bolívia, mas voltam pois lá não tiveram nenhuma sorte. Chegando de volta ao Brasil, vão para Rondônia, mais precisamente na cidade de Porto Velho. Os dois descobrem por notícias de jornais que Bartolomeu se tornou o homem mais importante e poderoso da cidade de Porto dos Milagres, localizada no litoral da Bahia, e para se livrar dele, Adma sai de Rondônia e vai para Porto dos Milagres e o envenena, fazendo Félix assumir o lugar do irmão.

Só que Bartolomeu engravidou a prostituta Arlete, que vai até a sua casa, sendo recebida por Adma que está morando nessa cidade, que sem contar ao marido, manda o seu capataz Eriberto matar Arlete e seu filho recém-nascido. O capataz leva Arlete e o menino para alto-mar. A prostituta percebe a frieza de Eriberto, fazendo-a a colocar o bebê em um cesto na água e ele atira a criança sem dó nem piedade no mar e Arlete, para salvar seu filho se joga no mar e morre. Protegido por forças sobrenaturais, o cesto com a criança é guiado até a um outro barco, onde está o pescador Frederico e sua esposa Eulália, que está sofrendo muito no barco, momentos antes de dar à luz. O filho de Eulália nasce morto. Frederico, por sua vez, ouve um choro de bebê em um cesto no mar, que pega e mostra a Eulália como se fosse seu filho, acreditando que o menino é um presenta da rainha do mar Iemanjá. Eulália diz que seu filho irá se chamar Gumercindo, e logo depois morre. Triste, Frederico promete o menino à Iemanjá igual a Arlete prometeu antes de Eriberto jogar o bebê no mar. Anos depois Frederico entra no mar para salvar seu irmão Francisco, desaparecendo. Então, Gumercindo é criado por Francisco,irmão de Frederico, e pela mulher de Frederico, Rita.

Laura, irmã de Augusta Eugênia e mãe de Lívia, ignora a sua herança familiar e foge com o pescador Leôncio. Augusta, por não se conformar com a escolha da irmã, denuncia o cunhado à polícia por fazer contrabando. Quando Laura sabe do plano para prejudicar o pescador, vai atrás dele, morrendo com seu amado em uma explosão de barco, após perseguição policial. Lívia, então, foi criada nA cidade do Rio de Janeiro por sua tia Leontina, outra irmã de Laura e Augusta Eugênia.

A prostituta Rosa Palmeirão, irmã de Arlete, está prestes a se casar com Otacílio e, no dia de seu casamento com este, mata o coronel Jurandir de Freitas, porque este violentara a sua irmã mais nova Cecília. Ela é condenada a 20 anos de prisão, dizendo que quando sair irá dar uma reviravolta em sua vida.

A nova fase conta com 20 anos passados. Lívia deixa a cidade do Rio de Janeiro e vai com o seu namorado Alexandre, filho de Félix e Adma, para Porto dos Milagres. Já na cidade, ela conhece Gumercindo, sendo conhecido como Guma, que se tornou um homem de caráter e um líder respeitado na pequena cidade litorânea. Os dois se apaixonam, tendo que passarem por poucas e boas para concretizar esse amor, como a hostilidade de Alexandre, que não se conforma em perder Lívia para um pescador, e a ambição de sua tia Augusta Eugênia, que quer ver sua sobrinha casada com o herdeiro de Félix Guerreiro, e ainda ter que lidar com as armações da bela e sedutora Esmeralda, moça apaixonada pelo pescador, que acha que os dois se combinam por serem da mesma classe social.

Já Rosa Palmeirão deixa a cadeia disposta a descobrir o paradeiro do filho de Arlete, e se apaixona por Félix após abrir um bordel, sem saber do seu envolvimento no desaparecimento da irmã e do sobrinho. Otacílio, com quem ela pretendia casar antes de ser presa, se casou com Amapola, com quem teve o filho Alfredo Henrique. Mas Rosa acaba esquecendo-o, tendo os seus olhos especialmente para Félix.

Na trama há outros núcleos em destaque, como o amor de Alfredo Henrique e Luísa, filha de Rita e Francisco, o amor proibido de Leontina pelo seu cunhado Oswaldo, marido de sua irmã Augusta Eugênia, a relação da professora Dulce com o médico Rodrigo, entre outros interessantes.

Guma, com o apoio dos pescadores e de seus amigos, se candidata a prefeito de Porto dos Milagres, sendo rival político de Félix Guerreiro. Guma defende o Partido das Causas Trabalhistas, enquanto Félix defende o Partido da Vanguarda Democrática, candidatando-se ao governo da Bahia. Vendo que Guma não é o homem que se esperava e por saber que é filho de Gumercindo, Félix tenta matá-lo, sem sucesso, e deixa a sua mulher Adma, ao descobrir que mentira para ele todos esses anos.

Félix acaba se rendendo a Guma, implorando que salve seu filho Alexandre, que tenta se suicidar com Lívia em alto-mar. Guma consegue salvá-los, mas não sobrevive. Disposta a não deixar que o amado morra, Esmeralda dá a sua própria vida a Iemanjá para salvar Guma. Ela vira mãe-de-santo, e o pescador ressucita. Ele e Lívia se casam, e os dois têm um filho.

Adma, a fim de se livrar de Eriberto, envenena uma bebida e dá para ele beber, que percebe as artimanhas e troca as taças, matando-a. Em seguida o capataz também toma a bebida, morrendo ao lado da mulher que sempre amou.

Félix ganha as eleições e se torna o novo governador da Bahia. Mas, no dia de sua posse, é morto por Rosa Palmeirão, ao pensar que foi ele que se livrou de Arlete. Após pouco tempo, Guma é eleito o novo prefeito, da cidade, marcando uma nova era em Porto dos Milagres.



Estrela-Guia foi uma telenovela brasileira exibida pela Rede Globo no horário das 18 horas, entre 12 de março e 15 de junho de 2001, em 83 capítulos. Escrita por Ana Maria Moretzsohn com colaboração de Daisy Chaves, Izabel de Oliveira, Fernando Rebello e Patrícia Moretzsohn e dirigida por Denise Saraceni. Apresentou a cantora Sandy como protagonista, Guilherme Fontes como o protagonista masculino da trama e Carolina Ferraz como a antagonista central.

Sinopse

No início dos anos 1980, Tony e seu amigo Bob trabalham numa corretora de valores. Em férias na Califórnia, Bob conhece Catherine, que nasceu e foi criada numa comunidade hippie e se casam. Bob vende tudo o que tem e compra, no interior de Goiás, uma fazenda a que dão o nome de Jagatah (em sânscrito, "Universo"). Neste lugar, junto com Catherine, funda a comunidade Arco da Aliança. Tony batiza a filha de Bob e Catherine, lhe dando o nome de Cristal.

Bob, agora com o nome de Hanuman (em hindu, uma entidade sagrada), e Catherine, agora Kalinda (Kali, um dos nomes da deusa hindu Sakti), acolhem em sua fazenda pessoas dispostas a viver numa comunidade onde o que predomina é o altruísmo e onde todos acreditam que a virada do milênio não trará destruição e sim recriará esperanças perdidas de paz entre os homens. Seus habitantes vivem em harmonia com a natureza. Não há dinheiro nem posses, tudo é de todos. Cristal é a "estrela-guia" da comunidade e com sua linda voz canta os mantras que repetem os preceitos de harmonia e paz que todos crêem.

Cristal, aos 17 anos, fica órfã e reencontra o padrinho Tony, que não via há 15 anos. Ele, na condição de seu tutor, vai a Goiás buscá-la para morar com ele no Rio de Janeiro. Tony é um homem estressado pela vida urbana e quase 20 anos mais velho que Cristal. Há cerca de três anos, ele namora a socialite Vanessa, sua principal cliente na corretora, mas leva o namoro sem muito entusiasmo. Rica, bonita e fútil, Vanessa é viúva e mãe de Gisela, uma adolescente rebelde que vive em conflito com a mãe que está sempre tentando impor à jovem seus gostos e valores. Mimada e inescrupulosa, Vanessa não hesita em usar o poder do dinheiro para prender o namorado.

Tony acaba percebendo, assim como Cristal, que estão apaixonados. Ele fica confuso e acaba se culpando por este sentimento. Assustado com a intensidade de seus sentimentos, Tony procura Purunam, uma espécie de líder no Arco da Aliança em Jagatah, que o convence de que os motivos que ele alega ter para não se envolver com Cristal são tolos. Conta-lhe que a própria Kalinda sempre falou sobre os dois como o casal ideal. Com a ajuda de toda comunidade, Purunam propicia o encontro dos dois para que Tony declare seu amor.

Ao perceber que Cristal ameaça sua relação com Tony, Vanessa vai jogar pesado para afastar a jovem hippie, contando com a ajuda de uma dupla atrapalhada: sua quase futura-sogra Carlota, mãe de Tony, e amiga desta, Lucrécia. E mais adiante, aliando-se à Daphne, mulher do fazendeiro goiano Alaor Pimenta. Inescrupulosa, Daphne faz de tudo para conseguir o que quer. Perua country, comanda os negócios do marido, que faz todas as suas vontades. Arquiteta golpes para expulsar a comunidade Arco da Aliança de Jagatah. É louca pelo filho,Carlos Charles, um playboy mau-caráter, mas não hesita em usá-lo para conseguir o que deseja. Estimula-o a seduzir Cristal, quando ela se torna a única herdeira das terras que Daphne sabe valerem muito mais do que se imagina. Charmoso e sedutor, o garotão consegue encantar Cristal por um tempo, mas é Gisela quem, desavisadamente, acaba caindo em suas garras e engravidando dele.

Um jovem misterioso surge no Arco da Aliança e desperta o interesse da melhor amiga de Cristal, a doce Sukhi. Santiago, como ele se apresenta, parece um rapaz triste e solitário que vai até a comunidade em busca de paz e refúgio, mas depois a produtora golpista Lalá acaba descobrindo seu passado e revela que além de se chamar Fernando, Santiago tem o dom de curar as pessoas. Ela usa isso para chantageá-lo e fazê-lo de atração para faturar em cima dele. Mas Santiago contará com o amor de Sukhi para se livrar das garras de Lalá.

Enquanto isso Cristal cai nos braços de seu amado, muda-se para a comunidade e marca o noivado para o dia de seu aniversário de 18 anos. Juntos, ela e Tony vão viver na esperança de que o novo milênio devolva à humanidade a paz e a felicidade merecidas.



A Padroeira foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas pela Rede Globo, entre 18 de junho de 2001 e 23 de fevereiro de 2002, e apresentada em 215 capítulos. Foi escrita por Walcyr Carrasco com colaboração de Duca Rachid e dirigida por Walter Avancini, e teve Deborah Secco, Luigi Baricelli, Elizabeth Savalla e Maurício Mattar nos papeis principais.

Sinopse

No conturbado século XVIII, Valentim e Cecília são dois jovens que se apaixonam mas que pertencem a mundos muitos diferentes e vão ter de lutar pela felicidade.

Tudo começa em 1717, com a chegada ao Brasil do Conde de Assumar e da sua pequena comitiva, à qual pertencia a jovem Cecília de Sá. O grupo é atacado por um bando de salteadores, liderados por Molina, que sequestra a jovem encantado pela sua beleza. Mas Valentim surge para a salvar, fazendo nascer um amor que muda para sempre a vida dos dois. O futuro do romance fica comprometido logo que Cecília chega em casa e descobre que seu pai, Dom Lourenço, já tem um pretendente à sua mão, o rico e poderoso fidalgo Dom Fernão de Avelar.

O passado de Valentim também é um empecilho para a união dos dois: por ter-se recusado a entregar o mapa de umas minas de ouro à Coroa, o pai de Valentim foi considerado um traidor, preso e morto numa cela em Lisboa. Valentim foi criado pelo tio advogado, o poeta Manuel Cintra. Apesar da criação nobre e de sua fidalguia, é discriminado pelos poderosos da vila.

Motivado pelo amor que sente por Cecília, Valentim não vai medir esforços para provar a inocência de seu pai. Para isso, lutará para descobrir o mapa das minas de ouro. Cecília tampouco cede facilmente à vontade de seu pai: não se encanta com Fernão, que é rude, grosseiro e prepotente. Humilhado pela recusa, Fernão jura vingança e promete que Cecília será sua a qualquer preço.

As minas de ouro também são de interesse do Conde de Assumar que carregava consigo documentos que levariam a elas, mas que foram roubados pelo bando de Molina. Este articula um plano com Blanca de Sevilha, uma espanhola de origem cigana que veio ao Brasil fugida da inquisição. Para se infiltrar na sociedade de Guaratinguetá e descobrir com quem está o mapa, Molina mata um jesuíta, rouba seu hábito e parte para a vila, onde é recebido na igreja pelo Padre José Vilela e pela beata Imaculada, que não desconfiam do impostor. Enquanto isso, Blanca se envolve com Valentim, aproveitando-se de seu conturbado romance com Cecília.

Também os pescadores da cidade de Guaratinguetá têm uma luta constante: o reconhecimento do culto à Nossa Senhora Aparecida, que realizou milagres após sua imagem ter sido encontrada por eles no rio Paraíba do Sul. E alguns poderosos querem levar a ambição até às últimas consequências. Mas o bem conta com uma poderosa arma, porque quando a fé chega ao coração, os milagres acontecem o casamento de aparências, e sofreu calada com a infidelidade de um amigo forte e ambicioso Filipe Pedrosa, um homem frio, que assume o comando da ação direta, depois do misterioso desaparecimento de seu sócio, o empresário ordinário, rico e admirado Dom Agostinho de Miranda.



As Filhas da Mãe (sub-titulo: A incrível batalha das filhas da mãe no jardim do Éden) foi uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 19 horas pela Rede Globo de 27 de agosto de 2001 a 19 de janeiro de 2002. Foi escrita por Sílvio de Abreu, com co-autoria de Alcides Nogueira e Bosco Brasil e dirigida por Jorge Fernando. Teve 125 capítulos.

Sinopse

A história central é focada nas filhas de Lulu de Luxemburgo (Fernanda Montenegro)- Tatiana (Andréa Beltrão), Alessandra (Bete Coelho) e Ramona (Cláudia Raia)(que era Ramón até mudar de sexo e virar Ramona) - que brigam entre si pelo resort Jardim do Éden, que o pai, Fausto Cavalcante (Francisco Cuoco), deixou para trás ao dar um imenso golpe na praça e em seus dois sócios, Arthur Brandão(Raul Cortez) e Manolo Gutierrez (Tony Ramos). Com o sumiço de Fausto, toda a família que estava separada e espalhada pelo mundo (entre Roma, Los Angeles e Las Vegas) volta ao Brasil. E é aí que começa a verdadeira batalha das filhas da mãe, que estarão não só interessadas na herança deixada pelo pai, como também em descobrir o que realmente aconteceu com ele. Neste rolo todo, ainda existe um lobo em pele de cordeiro: Adriano Araújo (Thiago Lacerda), o afilhado bonitão de Fausto, que fará de tudo para botar as mãos no dinheiro do padrinho. E as sempre prestativas Milagros Quintana (Patricia Travassos) e Margot (Jaqueline Laurence) que, respectivamente, estarão sempre ao lado dos patrões Lulu e Fausto.

Já a família Brandão viverá às voltas com as mulheres, até o dia em que o filho mais velho, Leonardo (Alexandre Borges), ficará enlouquecido por uma misteriosa mulher, conhecida como Ramona, mas que se apresentará como uma transexual. O outro filho, Ricardo (Reynaldo Gianecchini), também será pego de surpresa pelo cupido, quando se apaixonar por um colega de trabalho, do sexo masculino, Dagmar Cerqueira (Cláudia Jimenez), até descobrir que o mesmo, na verdade, é uma mulher. O pai destes conquistadores, Arthur, também passará bons bocados com a sua noiva Valentine Ventura (Lavínia Vlasak), que fará de tudo para conquistar o cinqüentão boa pinta e cheio da grana. E, no meio destes homens lindos, circulará Dona Divina (Cristina Pereira), a governanta apaixonada pelos patrões que afoga sempre as suas mágoas no álcool.

Outra turma é a dos Gutierrez, de Manolo, um dos sócios do Jardim do Éden e proprietário de uma rede de bingos, que mora com a sua avó Gorgo (Cleyde Yáconis) ; Aurora (Cláudia Ohana), uma ex-stripper, analfabeta, e sua companheira; e seu filho adolescente, Diego (Mário Frias). Também convive neste ambiente o amigo de Manolo, Barnabé (Flávio Migliaccio), que mora no quintal da casa dele e tentará, a todo custo, transformar Diego num grande lutador de boxe.

Perto mora Rosalva Rocha (Regina Casé), uma nordestina de Canhotinho, pequena cidade de Pernambuco, que (depois de muitas andanças) irá se mudar para a zona norte de São Paulo, junto com o marido Edimilson Rocha (Edson Celulari) e seus quatro filhos: Joana (Priscila Fantin), Pedro (Pedro Garcia Netto), Zequinha / José (Bruno Gagliasso e a caçulinha Amada (Ana Beatriz Cisneiros). O sogro de Rosalva, Seu Dedé (Elias Gleiser), também mora com essa trupe e é grande amigo de Manolo, para desagrado da nora, que não o suporta. Com a morte de Edmilson, o seu primo Nicolau (Tuca Andrada) acabará fazendo de tudo para conquistar o coração de Rosalva, resultando em grandes confusões.

Ainda tem a família Ventura, onde Dona Violante (Yoná Magalhães) passa às voltas com os filhos Valdeck (Lulo), personal trainer do Jardim do Éden; e Valentine. Sem falar no amigo Faísca (Gustavo Falcão) que forma com Valdeck uma dupla dinâmica. Além destes, Webster Pereira (Diogo Vilela), casado com Maria Leopoldina (Virginia Cavendish) e pai de Maria Elizabeth (Isabella Cunha) e Felipe Augusto (Felipe Latge) terá a sua vida caseira transformada totalmente quando começar a dar aulas de Português à Aurora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Exponha no quadro abaixo o que você achou do Blog, dê sua opinião de postagem, ou até quanto ao visual do Blog. Obrigado pela visita!

Ponto de vista

Postagens populares

*GOSTOU DO BLOG? TEM ALGUMA SUGESTÃO? ENTÃO DEIXE SEU COMENTÁRIO AQUI.